domingo, 22 de maio de 2022

Em Um Domingo de Outono

 
 Blog  Maçayó

Edição   Nº  490

Tema das Imagens: Outono

  LEITURA   DE   DOMINGO
 
 A MENINA SEM NOME
 (HISTÓRIA QUE MAMÃE CONTAVA)

          Era uma noite tenebrosa, com ventos que sopravam em várias direções, raios que riscavam o céu de um canto a outro, o entardecer já tinha desaparecido, dando passagem ao acinzentado luar e às nuvens escurecidas por toda sua extensão. O silêncio predominava nas ruas sombrias do bairro de Santo Amaro, da capital pernambucana; parecia até que portas e janelas das residências queriam contar algum segredo, pois ficavam sussurrando para quem quisessem ouvi-las. Bento saiu do trabalho muito tarde e morava a poucos metros de distância do antigo cemitério de Santo Amaro e resolveu se aventurar caminhando. Como já tinha costume de transitar por aquelas redondezas foi andando em passos curtos. De repente, uma garota de aproximadamente onze anos de idade passou à sua frente em sentido cruzado.
O rapaz tomou um susto danado e ficou conversando com seus botões: "o que uma garota faz por aqui? Será uma assombração? Meu Deus, mamãe ficou um pouco adoentada! Ou será uma premonição?!
Assim, Bento apressou os passos para chegar logo em casa. Já em casa o rapaz foi direto ao quarto da mãe e a encontrou ardendo em febre, procurou saber o que estava acontecendo com ela, pois a mesma se encontrava acometida por uma doença misteriosa, e disse-lhe:
          - Mamãe, o que a senhora está sentindo?
          Sua mãe balbuciou com todo esforço, e respondeu-lhe:
          - Meu filho,  estou com náuseas, dor de cabeça, com o corpo doendo e bastante febril.
          Bento medicou a sua mãe com um analgésico e antitérmico e foi procurar dormir... O rapaz acordou cedo e observou que a mãe só havia piorado dos sintomas da doença. Ele resolveu chamar um médico para saber a causa da enfermidade. O médico disse-lhe que seria necessário vários exames e assim foi providenciado. Com tudo sob controle, deixou sua mãe com uma cuidadora e foi trabalhar... Na saída do trabalho, resolveu voltar para casa caminhando porque queria muito reencontrar a menina misteriosa da noite anterior. Passou rápido em frente ao portão do Cemitério, mas sentiu calafrios pelo corpo e ouviu uma voz que dizia: "quero confeitos, rosas e incensos para meu túmulo." O rapaz permaneceu atônito, voltou seu olhar para dentro do cemitério e viu uma menina sentada em uma lápide qualquer. A vontade dele era correr muito, fugir daquilo tudo, mas resolveu apurar os fatos, assim olhou mais uma vez para dentro do cemitério, porém não viu nem uma viva alma. Voltou para casa cabisbaixo e foi direto para o quarto da mãe que se encontrava acamada no mesmo estado da noite anterior. Logo, adormeceu junto ao leito da mãe doente. Pela manhã, Bento resolveu investigar os fatos no cemitério, foi diretamente à sala de informações procurar esclarecer tudo. Falou com um atendente que desconhecia a identidade de uma menina que perambulava na calada da noite. Bento Já ia saindo quando ouviu o atendente dizer-lhe:
            - Moço, comenta-se que uma menina fica pedindo guloseimas em troca de milagres. Ela deixa muita gente assustada e de cabelo em pé. O túmulo dela fica logo aí na frente e é muito visitado por romeiros. Ela já virou uma Lenda!
            Bento pediu permissão para visitar o túmulo da garota e a permissão foi concedida. O rapaz se aproximou do túmulo da menina e ficou perplexo pelo que viu. Tinham flores, roupas, confeitos, velas, pedidos, agradecimentos por graças alcançadas e muitas outras coisas em cima da lápide. O rapaz se ajoelhou diante do túmulo da garota e léu: Menina Sem Nome. Ele viu uma foto e observou que era a mesma menina que ele cruzou por duas vezes. Bento aproveitou e orou em voz baixa: "pela saúde da minha mãe, prometo-lhe trazer sua solicitação". E saiu em seguida!
          
À tardinha o jovem Bento trouxe um ramalhete de rosas, velas, confeitos, objetos de uso pessoal e incensos; colocou tudo no túmulo da Menina Sem Nome e voltou para casa satisfeito pela sua atitude tão nobre. Chegando em casa encontrou sua mãe na sala vendo um filme, observou que ela estava sem febre e com uma aparência bem saudável.
            O tempo passou... O jovem Bento nunca mais encontrou aquela garota de novo, mas muitas vezes ele voltou ao túmulo da menina para deixar donativos. Ele sempre agradecia pela graça alcançada e passou a acreditar que às Lendas apresentavam um fundo de verdade.
 
Elisabete Leite - 10/05/2022
(Conto inspirado na Lenda de Pernambuco MENINA SEM NOME).
 
  SOU UMA LENDA

Sou uma Lenda de Pernambuco
Faço parte da Cultura e Tradição
E quem me conhece fica maluco
Pra fazer-me pedidos de coração...

Meu túmulo é bastante procurado
Pelos fiéis e crentes em visitação,
Sinto-me como um anjo abençoado
E que Deus mantém por Criação...

Meu corpo deixado na praia do Pina
Serve como relato e muita comoção
Mas perambular à noite é minha sina
Em Santo Amaro causo admiração...

Gosto de guloseimas, velas e flores
Aguça o meu paladar e mata a fome
Os visitantes são os meus amores,
Sou na verdade, MENINA SEM NOME!

Elisabete Leite - 17/05/2022
 
 
 SEGUNDA   LEITURA 
 
 MENINA SEM NOME: A HISTÓRIA POR TRÁS DE UM DOS TÚMULOS MAIS VISITADOS DO PAÍS
(Misterioso crime cometido em 1970 se tornou uma das maiores lendas do Pernambuco)

O dia 23 de junho de 1970 será marcado para sempre na história de Recife. A data, porém, não remete a um fato positivo, mas se tornou marcante por conta de toda a lenda que começou a partir de então.  No dia em questão, o corpo de uma menina foi encontrado na Praia do Pina pelo vendedor de coco Arlindo José da Silva. Como recorda matéria do UOL, na época, foi relatado que a vítima estava com o rosto cravado na areia e suas mãos estavam atadas.  
O caso gerou uma enorme comoção entre os moradores da capital pernambucana e se tornou um enorme mistério. Em um primeiro momento, Arlindo chegou a ser preso por ser suspeito de ter cometido o crime, mas logo depois acabou solto.
Seis dias depois, em 29 de junho, as investigações apontaram para o mecânico Geraldo Magno de Oliveira. O trabalhador confessou o crime em depoimento à polícia recifense. Oliveira contou, como aponta o UOL, que convidou a garota para passar a noite com ele.
O mecânico diz ter oferecido a ela 5 cruzeiros para isso. Porém, como não tinha troco, a menina começou a xingá-lo de “vigarista” e “velhaco”.  
Apesar da confissão, pouco depois Geraldo disse que só contou aquela história por ter sido coagido e torturado pela equipe de polícia. Mesmo assim, sua prevenção preventiva foi decretada. Ele foi assassinado na cadeia antes de ser julgado.  
Quem era a vítima?
Apesar do real responsável pelo crime ser um tema controverso, esse não é o ponto mais curioso de toda a história. Como você deve ter reparado, o nome da menina não foi citado em nenhum momento, mas isso não é por acaso, afinal, ninguém nunca soube sua verdadeira identidade.
Como mostra matéria do UOL, o corpo da garota ficou por duas semanas no Instituto de Medicina Legal (IML) de Recife. Durante todo esse tempo nenhum parente ou conhecido que pudesse identificar o corpo apareceu.  
Assim, com o aval da Secretaria de Segurança Pública, a menina foi enterrada como indigente em 3 de julho de 1970, no Cemitério de Santo Amaro. Ironicamente, aquela que parecia estar sozinha, jamais deixou de estar acompanhada após seu sepultamento.
Afinal, diversos moradores passaram a atribuir conquistas a ela. Nascia a lenda da “Menina Sem Nome”. Moradores locais relatam que diversos pedidos feitos a garota começaram a ser realizados.  
Como diz a lenda local, ela atendeu por desejos que iam desde conquistas materiais até a cura de pessoas doentes.
Desde então, seu túmulo se tornou um dos mais conhecidos e visitados do país, com pessoas lhe ofertando doces, flores, brinquedos, perfumes e centenas de cartas com agradecimentos. Os presentes se tornam mais frequentes no Dia de Finados, em 2 de novembro.  
A lenda, inclusive, virou assunto de um documentário produzido por Adriano Portela. O jornalista e cineasta diz que: "Ela [a história da Menina Sem Nome] está enraizada na cultura de Pernambuco. Todo mundo já escutou falar da história. O caso deixou de ser um fato jornalístico e se tornou lenda a partir da história da exumação e dos milagres".

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/menina-sem-nome-historia-por-tras-de-um-dos-tumulos-mais-visitados-do-pais.phtml
FABIO PREVIDELLI PUBLICADO EM 01/08/2021, ÀS 10H00
 

 ENCONTRO DE POETAS
 
 MÃE-DE-OURO

Quando deusas eu encontro, me confundo
Quem é a mais bela de todas, na natureza
Seja dos mares, dos rios, dos oceanos
Ou uma rainha de um rei sem fortaleza?

De seda branca, bem refletida à luz do sol
Surge uma mulher, que tão divina quanto bela
Tem ao seu domínio a fraqueza das mulheres
E em suas mãos, o dever de protegê-las.

Bem-vinda do mar, dos rios, e dos montes
Das gramas verdes, dos jardins sem flores
Se esquiva pra não saberem que em suas cores
Esconde riqueza: seus ouros, seus diamantes.

Mãe-de-Ouro, Deusa Mãe, minha Rainha
Não por seu tesouro, pelo ouro, ou diamantes
Sim, por sua luz, sua bondade, sua beleza
Pela humildade e respeito aos seus amantes!

Socorro Almeida
Recife, 15/05/2022
 
 RAINHA DOS MARES

Quem ouve seu canto tem o feitiço na alma
Por mais que eu queira ser, não serei igual
Se eu fosse uma gaivota, talvez a seguiria
Enfeitiçada pelo seu vai e vem, nas águas.

Sou tão pequenino, sem asas flutuantes
Enquanto eu me atrevo a voar pelos ares
Ela, furtiva e alheia aos anseios da gente
Desafia os encantos e mistérios dos mares.

Mãe D'água, Yemanjá, Senhora dos Anos
Se não for a Índia Guerreira do Amazonas
É a divina Yara, a supremacia dos oceanos...

Que da escuridão e profundezas das Marianas
Louva os homens da terra com seus encantos
E domina os corações de todos que a amam.

Socorro Almeida
Recife, 15/05/2022
 
 A Magia real do sentimento
Por: Joseraldo Silva Ramos

Não se deve matar um sentimento
Mesmo que ele não possa ser vivido
Porque mesmo depois de ter morrido
Ele viverá em nós para sempre.

Se não fosse na vida os tormentos
Que deveras bem antes ser sabido
Não haveria o destino conhecido
A magia desnorteada do esquecimento.

Sentimentos nos são razões de paz
Agonias, tormentos e muito mais
Das paixões e dos amores vividos.

Pobres almas que nunca foram amadas
E se amaram viveram amarguradas
Por um sentimento de volta não sentido.
 
 Entre lençóis!
Por: Joseraldo Silva Ramos

Que tua cama me faça  embriagar
No cheiro do perfume do teu corpo,
Onde desvendando vou aos poucos
Fazer tudo que em ti me faz sonhar.

Deslizando as minhas mãos até ficar
Extasiado, inseguro e quase louco,
Te juro não me iludo com esse pouco
Que irá me levar onde quero chegar.

Te amar é meu desejo tenho dito,
com você fui onde jamais tinha ido
Peito aberto, corpo, alma e coração.

Redimido, contigo é que eu senti
Devaneios que contigo aqui vivi
Sem esconder o aguçar dessa união.
 
  À caminho das estrelas

Nossa caminhada pela vida
É sempre assim...
Mudam-se os estágios,
Mas, a vida não tem fim...

Somos nossas almas,
E elas não podem morrer...
São eternizadas,
Têm que se entender...

Se estamos,agora, na matéria
Pode crer...
Que quando morrermos
Vamos logo renascer...

E o nosso caminho
Nas estrelas nos seduz...
A viver tranquilos,
Conservando a nossa luz...

Ela é imortal
E precisamos aprender,
Que o Amor
É  o que nos faz resplandecer...

            ❤️Tásia Maria
 
  Lições da Pandemia

Estamos em Pandemia...
Corpos e almas fragilizados,
Aprendendo, a duras penas,
O que nos está sendo ensinado ...

Sofremos  com tudo isso,
Mas, aprendemos bastante...
Toda hora uma lição,
Cada dia, cada instante...

Temos que ver o que é
Que nos está sendo ensinado...
Pra não ficarmos mais tristes,
Deprimidos, acabados...

Aprendemos que nessas horas,
Não  existem diferenças...
Pretos, brancos ricos, pobres,
Religiões e outras crenças...

Somos iguais quando lutamos,
Contra um inimigo comum...
Por isso, sejamos UNIDOS!
Pois, DEUS nos ama, um a um!!!  

               ❤️Tásia Maria
 
 
 MINHA INSPIRAÇÃO
Por:Manoel Firmino
Em:18/05/2022.

Não preciso usar pontuação
Pra fazer versos rimado
Necessito apenas da mente
De um tema preparado
Caneta tinta  e papel
Pra escrever o cordel
Está dado meu recado.

Depois de tudo pronto
Falo da mãe natureza
Da imensidão do mar
Da mulher, sua beleza
Das coisas só coração
Amor, carinho, afeto, paixão
Evito falar em tristeza.

manoelfirmino08@gmail.com
(83)986784726
 
 "O SER - AÍ"

Quem conhece a filosofia
Com certeza Heidegger, também
Ah! Quem tem muitas ideias, porém
Valorizar-se, em si confia.
                     II
Impossível viver sem ideias
E de sua grandeza para si
Na mente e no pensamento, em si,
Brilhando e nos encandeia.
                     III
Raro não apreciar e estimar,
Ser filósofo, amar o saber
No contemplar da vida fugidia.
                     IV
No encontro, na busca procurar
É o "ser - aí" enquanto não - ser
Eis-me aqui, vida e morte, um dia!

Manoel Antônio Dos Santos
Guarabira-PB, 13/12/2021.

O SER - AÍ!

Partindo da perspectiva
Filosofia que se busca,
Verdade sim, que se ofusca
Na procura da assertiva.
                  II
De um assunto tão complexo
Que empolga e estimula
Na vivência que se formula
Diante de tudo perplexo.
                 III
Ah! Ter o poder da construção,
Pela leitura que se ama
Alteridade do ser - aí.
                  IV
A essência é autoconstrução
Precede-se, não se programa.
Transcendência, não ser - aí!

Manoel Antônio Dos Santos
Guarabira-PB, 04/01/2022.
 

 Galope

Meus pés ainda me levam
aonde eu quero ir.
Bicho livre,
solto,
descalço,
a galopar
no cercado,
no compasso
da vida.

Entre risos
e lágrimas,
atravesso
a minha própria dor,
a minha solidão,
os meus medos.
Vivo milagres,
essa tal felicidade,
sem conflitar o tempo,
com as aparências
ou as essências.

Mas admito,
já com certa pressa,
porque bem sei:
Dias virão
em que hão
de me levar
aonde eu não quero ir.
                     (Diógenes de Brito)
 
  Enredo de mim

De medir forças não careço,
nem testar minha capacidade
com principiantes, meia idade,
pois dos seus males não padeço.

Com meu samba enredo e adereço
desfilo nas passarelas da cidade.
Sou Portela, Mangueira, Mocidade,
mas sem fama, regalias ou endereço.

Bem sei, já fui herói, vilão, bandido.
Diabo, santo, bom professor, ruim marido.
Mas nem de longe, me vem na memória

Ter negado fogo, não acender tua fogueira.
Oh! Morena, tão linda, fogosa e tão faceira,
diz que eu sou o melhor da tua história.
                                         (Diógenes de Brito)
 
 
 Diógenes José Fernandes de Brito, nasceu no dia 26 de outubro de 1960. Natural da cidade de Lagoa de Dentro, Estado da Paraíba, é filho de Damião Paulino de Brito e de Eulália Fernandes Máximo, ambos já falecidos. De família humilde, saiu de casa ainda muito jovem para trabalhar e dar continuidade aos seus estudos. Estudou no antigo Colégio Regina Coeli, na capital João Pessoa, onde concluiu o Ensino Médio; na Universidade Federal da Paraíba, onde cursou Ciências Contábeis e o Pró-ciências, com Habilitação em Matemática; na Universidade Estadual da Paraíba, onde cursou Licenciatura em Letras. É pai da Professora Daniele; da Contadora e da futura Advogada, Isabela; do futuro Advogado, Diógenes Júnior. Desde 1983, é Professor da disciplina Matemática, na, hoje ECIT Ivan Bichara Sobreira, na cidade onde nasceu e reside. Durante dois anos, prestou seus serviços profissionais, como Professor, para as Prefeituras de Curral de Cima e de Jacaraú. Além de ter sido funcionário da Prefeitura Municipal de Lagoa de Dentro, atuando como Agente Administrativo, Chefe de Recursos Humanos, Chefe de Gabinete, Secretário Geral da Administração e Professor, no período de l983 a 2014. É compositor do Hino do Município de Lagoa de Dentro (Vale salientar que a nossa cidade é uma das cidades paraibanas que possui os três Símbolos Municipais próprios: a Bandeira, o Brasão e o Hino). Escreveu várias canções, inclusive religiosas; gravou Discos; é autor de dois livros: Fragmentos de Mim (publicado) e Eu, um escorpiano (aguardando publicação). Recebeu homenagens do Projeto Arte nos Cantos e Votos de Aplausos, por duas vezes, na Câmara Municipal de Lagoa de Dentro, como reconhecimento pelas suas Obras. Além da gratidão de tantos filhos e filhas lagoadentrenses, pelo eficaz trabalho no campo educacional, na música, na arte...na cultura, enfim, sempre formando cidadãos e cidadãs para a vida.
 
 

 
 
 
 
Escolha do Editor
 
 

domingo, 15 de maio de 2022

Sonhar com Milagres

 
 Blog  Maçayó

Edição   Nº  489

Tema das Imagens - Fantasia
 

 Sonhar

Às vezes sonho coisas estranhas
Mas, que nada tem a ver comigo
Quando acordo, esqueço parte do meu sonho
Tento encontrar coisas que não há
Procuro detalhes que não existem
No meu sonho, não existe o que almejo
Meus dedos tocam uma música ancestral
Troco às asas que ganhei por um arpejo
Quando durmo, logo acordo por dentro
E começo a caminhar dentro de mim
Vejo que não há começo nem fim
Tudo se resume em molécula de sal.

Elias dos Santos.
 

 LEITURA   DE   DOMINGO
 
 UMA NOVA ESPERANÇA

          Era uma manhã chuvosa no sítio Nova Esperança e, o sol resolveu nem aparecer por lá, os raios riscavam o céu que estava acinzentado, enquanto o vento soprava em toda direção. A chuva castigou aquele lugarejo, durante toda noite, pois quando se fazia uma tempestade, o velho sítio ficava totalmente inundado. Parecia até que o lugar virava um rio de águas turbulentas.
          O caseiro, Toinho das Cabras, como era conhecido pelas redondezas, era quem cuidava daquele sítio, já que os verdadeiros donos resolveram abandoná-lo há muito tempo atrás, por falta de recursos financeiros e assim Toinho foi ficando naquele lugar..
Naquele dia tempestuoso, o caseiro estava soltando suspiros de tristeza, com seus olhos marejados pelas lágrimas, pois uma das suas cabras havia entrado em trabalho de parto e, seu cabritinho já devia ter nascido.
          A Cabra Malhada, um animal admirável, tinha o corpo todo marrom escuro, com manchas brancas, que pareciam capuchos de algodão. Ela permanecia em sofrimento desde a madrugada. Devido às chuvas, o rio havia transbordado, cobrindo completamente a pequena ponte, única travessia, deixando o sítio totalmente isolado da cidade; impossibilitando assim, o caseiro de ir buscar o veterinário para assistir à Cabra Malhada. A neblina cobria todo o pasto e, a coitadinha da Malhada estava abrigada debaixo do galinheiro, pois o celeiro também se encontrava inundado... Comentava-se que naquele sítio, antigamente, havia acontecido um verdadeiro milagre; o pai de Toinho, que também era o caseiro naquela época, morava com sua família ali, em um velho casebre no fundo da casa principal. As pessoas diziam que no nascimento de Toinho, também chovia bastante e, a parteira não teve como chegar ao sítio; assim, sua mãe pediu a Deus, em oração, que salvasse seu filhinho. Ela ajoelhada e constrita prometeu que jamais deixaria que nenhum animal morresse nas mãos de seu filho. A criança foi salva e o Toinho cresceu com a missão de salvar os animais que precisassem da ajuda dele... Sendo assim, ele não podia deixar sua Malhada morrer com o cabritinho no ventre. Ele precisava salvá-la de qualquer maneira. Então, ele se aproximou da Cabra, gostava de falar com os animais, e foi logo dizendo-lhe:
          - Dona Malhada, você precisa ajudar seu cabritinho que está em sofrimento. Por favor, faça força! Ele está mal acomodado em seu ventre e não pode nascer.
          Mas a Malhada já não tinha força e Toinho não podia perder a Fé.
          O tempo foi passando e a Malhada continuava sofrendo. O caseiro desesperado, já não sabia o que fazer, permanecendo, inerte, chorando de pena da coitadinha. Subitamente, ouviu uma voz suave, que vinha de muito longe, que dizia assim: “Toinho, procure fazer a Malhada andar”. Rapidamente, ele tentou levantar a Malhada, que urrava de dor. Como em um passe de mágica, a Cabra Malhada, se levantou e andou um pouco e, foi o suficiente para o cabritinho preguiçoso se posicionar dentro do ventre. O sol até brilhou por trás dos montes, quando o cabritinho nasceu sã e salvo, lindo por natureza.
          Foi assim que aconteceu! E mais uma vez a Fé tornou o impossível em possível. Trazendo uma Nova Esperança, para a vida do caseiro.
          Os tempos se passaram... O caseiro, Toinho das Cabras, com o dinheiro da venda do leite das suas cabras, comprou aquele velho sítio e, por lá continuou com sua missão: “salvar a vida dos animais”.
          Que a Fé continue realizando milagres.
   
 Elisabete Leite
 
 
 MILAGRE NA VILA ESPERANÇA

          Era início de outono, as folhas das árvores caíam pelo chão em sinal de renovação, o cenário estava esplendoroso e o clima ameno, apropriado para aquela estação. Um resto de neblina formava um branco véu na linha do horizonte, parecia até um desenho feito à mão. Helena morava com seu filho Pedro na Vila Esperança; um vilarejo aconchegante com casinhas coloridas, porém com nuances verdejantes que se destacavam das demais cores.
Ela fechou o livro de história que estivera lendo, para amenizar os sintomas da doença do filho, e foi tomar uma xícara de café...
           Pedro, um garoto inteligente, de apenas sete aninhos de idade, estava acometido por uma doença misteriosa, e para Helena era muito preocupante o atual estado de saúde dele. Pois que ele sempre amanhecia com febre alta e constantes calafrios. A rotina dos dois era sempre a mesma, de casa para o hospital e do hospital para casa. A jovem Helena já não sabia mais o que fazer. Todas as noites, ela orava constrita na capela do vilarejo, e pedia a Deus pela saúde do filho. O tempo passava e a saúde do garotinho só piorava.
          Era Domingo de Ramos uma data importantíssima para os moradores da Vila Esperança que festejavam o início da Semana Santa em família... Helena acordou com os gritos de Pedro que ardia em febre e delirava, ela medicou o filho e ficou ao seu lado orando bem baixinho para não o acordar, e assim adormeceu. De repente, ela olhou para cama e não viu o filho, então gritou:
          - Filho, onde você está?
          Ela ouviu a voz suave do menino respondendo:
          - Aqui mamãe, no portão!
          Helena correu, tocou no filho e percebeu que ele não tinha febre, sua aparência estava ótima, então Pedro disse-lhe:
          - Mamãe, não fique assustada, mas estou curado! Um anjo veio me visitar, trouxe um ramo verde e um bálsamo que me curou, e disse que foi Jesus quem o mandou. Colei o ramo na porta.
          - Meu filho, Deus te abençoe! Disse-lhe Helena chorando.
           Os dois entrelaçaram as mãos e foram para igreja orar.
            O tempo passou e Pedro cresceu saudável.
            Que a Fé continue realizando milagres!

            Elisabete  Leite
 
 
SEGUNDA    LEITURA    
 
 Os maiores milagres que Jesus Cristo realizou na Bíblia

Durante a sua passagem pelo mundo e seu ministério, Jesus realizou muitos milagres. Era por meio deles que sua divindade podia ser observada. E fazia com que milhares de pessoas o reconhecesse como o verdadeiro filho de Deus.

Conhecido também como O Messias, ele impressionou a muitos com seus milagres, sua humildade e amor para com seus seguidores. Sendo o maior exemplo a ser seguido naquela época e até os dias de hoje. Na Bíblia é possível encontrar registro de mais de 30 milagres feitos por Jesus. Sendo a pessoa que fez mais milagres registrada na Bíblia. No Evangelho de João diz que muitos dos milagres de Jesus não foram escritos na Bíblia pois foram muito. Todos os milagres fizeram com que o amor de Jesus pelos seus seguidores e a humanidade ficasse em máxima evidência. Seu último milagre foi a sua própria ressurreição após sua morte na cruz para perdoar os pecados da humanidade.

Os maiores milagres de Jesus foram:

Transformação da água em vinho
Sendo o primeiro milagre feito por Jesus. Quando em um casamento havia acabado o vinho, Jesus pediu para que enchesse o copo de água e os transformou em vinho. Seus discípulos ficaram maravilhados e creram que ele era o filho de Deus.

A mulher do fluxo de sangue
Enquanto Jesus passava, uma mulher que sofria de intenso fluxo por anos conseguiu tocar sua orla e foi curada instantaneamente. Todos a sua volta puderam testemunhar o milagre.

O milagre da multiplicação
Jesus sempre estava rodeado por milhares, todos queriam ficar perto dele e ouvir suas palavras. Houve um dia que a multidão não tinha mais do que se alimentar. Em um gesto de carinho ele multiplicou um pão e dois peixes e alimentou toda a multidão.

Jesus liberta um homem de demônios
Nesse milagre Jesus expulsou os demônios que afligiam um homem. Nesse ficou visível a autoridade de Jesus, pois até os demônios o obedeciam.

Jesus cura o paralítico
Esse é um dos milagres de Jesus que chama mais atenção pelo fato de que nesse dia antes de curar o paralítico Jesus o perdoa de todos seus pecados. Nesse momento todos puderam confirmar que Jesus tinha autoridade para perdoar os pecados daqueles que em nele confiava. E mais uma vez ficou provado que Jesus era realmente o filho de Deus.

A cura do cego
Nesse milagre, quando Jesus estava passando um cego começou a clamar por ele em alto som, tendo esperança que Jesus iria ouvi-lo. Embora a multidão pedia para ele ficar quieto ele continuou a clamar por Jesus. Felizmente Jesus o ouviu, e o curou. O cego o acompanhou por sua jornada junto com a multidão.

Alguns outros milagres de Jesus
Jesus acalma a tempestade: Mateus 8:23-27; Marcos 4:37-41; Lucas 8:22-25.

A grande pesca: Lucas 5:4-11.

Cura de um leproso: Mateus 8:1-4; Marcos 1:40-42; Lucas 5:12-13.

A ressurreição de Lázaro (João 11:1-44).

Jesus anda sobre as águas: Mateus 14:25-33; Marcos 6:48-51; João 6:19-21.

A figueira seca: Mateus 21:18-22; Marcos 11:12-14,20-25.

Sem dúvidas, a vida de Jesus foi o mais importante milagre que a humanidade já testemunhou, dede o seu nascimento até a hora da sua morte e ressurreição. E seu maior milagre foi conseguir pelo seu próprio sacrifício, perdoar e apagar todos os nossos pecados, dando sua própria vida para nos salvar. Mesmo ele passando por toda dor e sofrimento da crucificação, e pensando que havia sido abandonado até mesmo por Deus, ele não desistiu e foi até o fim para nos salvar. Ele desceu ao inferno, derrotou a morte e ascendeu ao céu como supremo salvador da humanidade.

https://www.fabricadehostias.com.br/
 
 
ENCONTRO DE POETAS
 
 Vida

Missão divina...
Oportunidade, única, para demonstrar Amor...
Ajudando a todos que precisam,
Suprimir a sua dor...

Viver, é se encantar com o mundo,
Valorizar o que se tem,
Perdoar o que nos maltratou
E morar no coração de alguém...

Isso, já basta para ser feliz!
O que vier de acréscimo, é sonho...
E nos embala ao sabor do vento
Sem nunca nos deixar tristonhos...

Se nossa vida é cheia de Amor e Luz,
Os " milagres" acontecem, com certeza...
Viveremos alegres e confiantes,
Em harmonia com a natureza...

E viveremos, assim, em paz!
Sem complicarmos as coisas da vida...
Com Amor, Compaixão e Luz
Até o dia da nossa partida!..
                 ❤️Tásia Maria
 
 
 REVIVER

Despertar para uma nova vida,
Esquecendo os traumas da anterior...
Preenchê-la com beleza e alegrias,
E o coração transbordando de Amor...

Viver um sonho, totalmente, novo
Com muita luz e alegria de viver...
Olhar a vida, com os olhos da esperança,
Sentindo a alma desfrutando esse prazer...

Ter gratidão por tudo e por todos,
Sentindo-se leve como pluma ao flutuar...
Se encantar com o pôr do sol, a lua e as estrelas,
Com o céu azul e a imensidão do mar...

A nossa vida é um eterno Reviver,
Se somos fortes e temos Deus no coração...
Para nos erguermos, quando algo faz sofrer,
Presenteando com mais Amor e Compaixão!...

            ❤️Tásia Maria
 

 Sem Saída
Carlos Isaac

Não sugues dos meus lábios a última gota
De um pranto entristecido por tua alma.
Não me animes com palavras pois minha calma,
Irá fazer com que o teu sorriso açoite.

Quem irá acender em mim a última chama
Que cá dentro há muito adormeceu?
Não serás, tu pois alma pereceu
Com a certeza de que por ti não mais proclama.

Se a última noite porventura contigo sonho,
Me convenço que a despedida se fez e o mal medonho,
Te afastou de uma vez da minha mira.

Nem separados poderemos um ao outro olhar,
Um novo inverno o teu pranto irá molhar,
Quem sabe assim, por ti se acalme a minha ira.
 
 
 Desejos!
Carlos Isaac

Queria que meu olhar não te dissesse nada, mas pra você meus segredos não existem;
Queria fazer você decepcionar-me, talvez em mim, essa chama imensa se apagasse;
Queria não mais sonhar com o teu corpo nu, e deixar de teus segredos explorar;
Queria que você previsse para nós, fantasias que juntos almejamos realizar...
Queria viver com essas fantasias, sem pensar no presente ou no passado;
Queria o meu olhar mais uma vez no meu fitado, desejando nos dizer o que não mais podemos;
Queria... Queria tanto um futuro com você, o desejo arde não sei dizer o quanto...
No entanto, queria apenas que nunca duvidasse do que eu digo, quem sabe assim me desses a certeza de que te amo.
 

 SEM DESPEDIDAS

Eu me agachei aos pés da cama para adorar-te
Ao ver-te ali, assim inerte, tão desprovido
Tão alheio aos sabores e desejos do mundo
E tantos mais sabores que ali foram sentidos.

Permaneci calada, tão respeitosa e certa
Que muito mais terias pra saborear em mim
Te amei desta vez como nunca fui capaz
Deitei docemente ao teu lado, e adormeci.

O sono dos justos me abateu, melhor assim
Se a tua ausência eu sentiria de madrugada
Pela hora exata que tu partiste furtivamente
Sem despedidas, sem porquês, sem mais nada!

Socorro Almeida
Recife, 07/05/2022
 
 GRATIDÃO

É pelo sol que se faz o melhor dia
É pela lua que se faz a melhor noite
Nos oceanos, os melhores navegantes
No horizonte, a saudade, a nostalgia.

Nas estrelas, luzes suaves, pequeninas
Nas tempestades, o mais belo arco-íris
Na natureza, os campos, as flores, os animais
No firmamento, a suavidade das neblinas.

Nas mãos de Deus, o amor sem medida
Na voz do povo, o canto à liberdade
Nos corações, a paciência, a humildade
E em nós dois, a gratidão pela vida!

Socorro Almeida
Recife, 08/02/2022
 

 Prelúdio de dias inesquecíveis! 
* Dedicado a Niedja Barbalho, a 5ª Maravilha do mundo!

Debruçado na janela do passado,
Observo o horizonte à minha frente.
Me lembrando dos achados e perdidos
E de todos os caminhos percorridos.

Onde nada se perdera por completo,
Ainda há um pouquinho de esperança,
Feito criança que ver tudo longe, perto,
Hoje vivo agarrado nas lembranças.

De um sorriso encantador que nos encanta,
De um olhar que diz tudo em silêncio.
Por uma meiguice que lhe é peculiar,

E o tempo esse Senhor da razão,
Que afaga e maltrata o coração,
Me prometeu que esse passado iria voltar.

Joseraldo Silva Ramos
Lagoa de Dentro, Fevereiro/2019.
 
  Almas Gêmeas

Sem você a minha vida seria incompleta
Uma longa estrada, triste enfadonha
Alfabeto grego, sem alfa e sem beta
Um mar de labirintos, uma trilha medonha.

Sua ausência faz a minha hora incerta
Um vazio repetido, um chorar sem vergonha
Debruçado em linhas sinuosas, nunca reta
Onde ecoam os gritos da minha alma tristonha.

Como pode um sentimento assim tão incondicional
Almas Gêmeas sem fronteiras e sem final
Onde as palavras do poeta se eternizam?

Somos mais que a razão e a paixão
Sorrisos incontidos, corpo, alma, coração
Que a celebração ao amor protagonizam.

Joseraldo Silva Ramos
 
Lagoa de Dentro - PB, O3/19
 
 
PONTO DE VISTA
 
 PONTO DE VISTA - EDUCAÇÃO COMO FORMAÇÃO HUMANA

Autor Manoel Antônio dos Santos

Na atual conjuntura vivenciada em nosso país, acreditamos ser preocupação de todo brasileiro, consciente da responsabilidade para com o futuro das gerações, repensar a educação de nossa juventude, a partir de uma reflexão sobre a potência dos afetos na e para a educação.
A propósito, tomo de empréstimo ao escritor Neidson Rodrigues, através de seu livro - Elogio à Educação - a seguinte citação: "Duas imagens me ocorrem sucessivamente quando me deparo com as discussões em torno da educação nos tempos atuais: a da caverna, tal qual retratada por Platão, e a  do labirinto. Ambas são produtoras de angústia para o espírito”.
Como já frisamos nos artigos anteriores, quando abordamos o tema  - Uma Questão de Caráter – há a preocupação quanto à necessidade de um encaminhamento de nossos jovens para fora da  cultura hoje impregnada na crença de que o sucesso depende basicamente de sua capacidade cognitiva, sem atentar para capacidade não cognitiva na formação do caráter do cidadão, no tocante à moral e à ética.
Eis porque recorro ao sociólogo Zygmunt Bauman que, em seu livro - Ética pós-moderna - assim se expressa: "Estaria a moralidade com os dias contados? Estaríamos testemunhando a “morte da ética”e a transição para a nova era do pós-dever? Será  que a ética, no tempo do pós-moderno, está sendo substituída pela estética?”
Para muitos pensadores, com o pós-modernismo surgiu a “emancipação” de padrões morais e, liberta do dever, desarticulando a moral da responsabilidade.
Para Bauman, os grandes temas da ética não perderam nada de sua força, apenas devem ser revistos de modo inteiramente novo, resultando numa alvorada e não um entardecer para a ética.
Considerando a sapiência do grande pensador, assim esperamos por essa nova época, para o nosso país e para o mundo. Será o “re-encantamento” por nós almejado.
 
 
 
 

 Prá não dizer que não postei nada....Gerações
 

Na imagem ao fundo, minha Mãe Sra. Lourinete Gomes, em São Paulo, no ano de 1979 com minha filha Emanuelle ao colo, observando o futuro em cores, sua bisneta Maria Alice Leite nascida em 01/06/2011. Mamãe é de 01/06/1926. 

Mãe...Mulher...
Para minha filha Emanuelle, Mãe do Iohan (meu neto)

 Emanuelle tu és bela
 Bela como o luar.
 Criança, mulher singela
 Repleta de amor para dar.
 O tempo há de ensinar,
 Que ser Mulher já vale uma vida,
 E ser Mãe, são muitas vidas, vividas.

Recife, 11/05/2012

Jorge Leite

END



domingo, 8 de maio de 2022

Mamãe

 
 Blog  Maçayó

Edição   Nº  488

Tema das Imagens - Mães
 
Maternity - Marc Chagall, 1954.
 
 ENCONTRO DE POETAS
 
 MAMÃE

Assim que nasci eu soube quem é você
Eu não sentia medo, acolhida em sua carne
Bem quentinha, mas do calor dessas paredes
Perdoe, mamãe, eu não quis ter que nascer.

Conheci agora um mundo  diferente
E se puder, por favor, acenda a luz
Pra que eu possa ver que direção tomar
E decidir sobre o que não me seduz.

Tão pequenina, me apoio em suas mãos
Pra me aventurar nos meus primeiros passos
E vou crescendo com muito mais certeza
De querer voltar ao seu pequeno espaço.

Eu não quero esse universo! Há tanta dor!...
Falta carinho, falta amor, falta respeito
Se para os males do mundo não tem jeito
Deixa-me voltar pro seu ventre, por favor!

Socorro Almeida
Recife, 26/04/2021
 
 
 DUAS ALMAS

Eu, ajoelhada aos pés do seu leito
Morrendo de medo de vê-la partir
Chorava sem saber até quando choraria
E vi sua mão erguer-se... a sorrir.

Nada perguntei, de nada adiantaria
Era um momento mágico de se assistir
Da janela, algo maravilhoso parecia
Que lhe indicava a hora suave de partir.

Era o encontro das almas que nesta vida
Conheceram o amor entre perdas e ganhos
Entre risos e lágrimas de dor

De sua voz eu ouvi uma frase contida
Em júbilos, porém, se despedindo da vida
"Afinal, vieste me buscar, meu amor!"
 
Socorro Almeida
 
Mother and Child - Gustav Klint.
 
 De mãe pra filha

Minha filha...
Sinta e aja como pedir seu coração
Não aceite fórmulas, invente as suas...
Você é  dona dessa vida linda,
Cheia de surpresas, pra sua alma nua...

Vista-se, sempre, com a sinceridade
Nunca se sabote, enfrente os desafios...
Melhor sofrer pelo que deu errado,
Que chorar pelos anos perdidos...

Ame e se deixe amar, perdidamente...
O Amor nunca é demais, sempre, de menos
Uma vida sem amor, não vale nada
Fica vazia, sem rumo e nos perdemos...

Esses conselhos não  são  receitas pra vida
Eles contêm,  apenas, sugestões...
De quem soube ser feliz intensamente
Não viveu , somente, de ilusões...

            ❤️Tásia Maria
 
 Mulher sempre Mulher

Que o universo esteja ao teu favor
E que sejas a mulher mais feliz
Que eu permaneça sendo aprendiz
Da criação mais bela que Deus criou,
Cada anjo no céu logo aprovou
Nosso Deus presenteou o paraíso
A natureza embalada em seu sorriso
Encantada pensou ser uma flor
Foi assim que nasceu a primavera
Florindo, enfim, o jardim do amor.

Elias dos Santos

Breakfest in Bed - Mary Cassalt, 1897.

Flores do monturo

Pequeninas flores...
Cores e liberdade
Quase imperceptíveis
Nos canteiros da cidade
Não são rosas perfumadas
Mas, estão pelos caminhos
Com suas cores diversas
Camuflam os passarinhos
Pequeninas flores...
Resistentes, atrevidas
Apenas flores do monturos
Que também enfeitam vidas.

Elias dos Santos.

BENDITA ÉS

Por: Baltazar Filho

A maior das criações
Grandiosidade sagrada
Repousa nos corações
Uma Deusa consagrada.

Mãe, amor puro e real
Atinge o céu e o infinito
És um adorno universal
O maior e mais querido.

Bendita és, de alma imortal
Nossa Senhora, mãe de Deus
Vida eterna, de amor angelical
Luz que conduz os filhos teus.

       Em, 01/05/2022

Camille Monet with Child - Claude Monet, 1875.

Nós, Sebastiana.

Falar de ti Sebastiana Francisca de Lima
É sim,  a maior de todas as inspirações
Em todo universo não consigo imaginar
Alguém pequenina alcançar gigantescas proporções

Na vida fomos nós dois sempre
Guiando-me pelos caminhos com luz ao fim
Tua imagem maravilhosa  está na mente
Sei que me acompanharás até o fim

Na tua escola fui um aluno aplicado
Único, recebi 100% do teu carinho,
A todo momento sinto-me ao teu lado

A saudade tua, Sebastiana é infinita
Pensar em ti é viver um filme real
Para sempre viverás na minha vida.

Emiliano de Melo
Guarabira, 05/05/2021

MÃE

Bendita seja você, mulher
Que em seu ventre gerou
Um filho amado e querido
Que Jesus Cristo amou.

Bendita mulher, pura flor
Que no peito transbordou
Toda candura e amor
Que o universo salvou.

Bendita seja você, mamãe
Que seu filho abraçou
Que na hora do choro
Em seus braços calou.

Bendita, sempre bendita
Essa mulher guerreira
Sofre sendo solteira
Pobre, feia ou bonita.

Benditas todas as mães
Negras, brancas e pardas
Índias, caboclas, morenas
Mães de todas as raças

Peço ao Pai que abençoe
Nossas queridas genitoras
Para que todas elas do filho
Sejam sempre protetoras.

Rita de Cassia Soares
Pirpirituba 25/04/2021


Mãe com Crianças e laranjas - Picasso, 1951.

 LEITURA   DE   DOMINGO
 
 AMOR DE MÃE

           O mundo não parecia mais o mesmo, em relação às virtudes transmitidas de pais para filhos. Mas o esplendor da natureza pedia socorro mostrando à humanidade que o sol sempre há de brilhar todo dia.
           Maria Luiza era uma garota sonhadora vivia suspirando de amor pelos quatro cantos da casa, tinha um namoro confuso com um amigo de infância, mas ela insistia em dizer que Márcio era a coisa mais importante na vida dela. Sua mãe, Dona Estela, questionava as atitudes grosseiras do genro e vivia orientando a filha em uma tomada de decisão. A garota não se preocupava com as orientações da mãe, ao contrário, se dedicava exclusivamente ao namorado.
           O dia amanheceu chuvoso, mas por incrível que pareça, com sol aberto. Luiza estava atrasada para uma consulta médica, já que no dia anterior, ela tivera um desmaio repentino e resolveu ouvir o parecer do médico da família. A jovem desceu quase correndo as escadas e cruzou no corredor com sua mãe, que disse-lhe:
           - Luiza, minha filha, Bom dia! Não esqueça de solicitar ao médico o teste beta HCG (que é uma coleta de sangue capaz de apontar se a mulher está ou não esperando um bebê).
            A garota olhou diretamente nos olhos apreensivos da mãe, e respondeu-lhe:
            - Mamãe, por favor! Eu não estou grávida. E saiu em seguida.
           Já no consultório médico, mesmo contrariando a vontade de Luiza, o ginecologista solicitou uma coleta de sangue para avaliar a real causa do desmaio. E para surpresa da garota, ela estava realmente grávida, em um período de três meses de gestação. Maria Luiza segurou firme o resultado do exame, o apertou contra o peito, e seu coração acelerou de emoção. Foi para casa pensativa, pois tinha dúvidas se Márcio iria aprovar aquela situação. Antes ela passou em uma loja de roupinhas de bebês, comprou um sapatinho branco, já que desconhecia o sexo da esperada criança e pediu para a atendente colocar em uma caixinha para surpreender o namorado. Ao chegar em casa encontrou Márcio lendo o jornal do dia na sala, e disse-lhe:
            - Querido, tenho uma surpresa para você! Amanhã é dia das mães, mas quem  ganhou um presente, fomos nós!
            O rapaz olhou fixamente para a jovem namorada e respondeu-lhe:
            - Luiza, se for algo que eu goste, te darei um longo beijo.
           A garota estendeu a caixinha de presente para o namorado segurar. Márcio segurou o pequeno objeto, desfez o laço e o abriu em seguida, mas quando viu que era um par de sapatinhos branco de tricô, deixou a caixinha cair no chão, e disse-lhe:
           - Maria Luiza, que brincadeira é essa, não gosto dessa sua maneira de contar as coisas!
           A garota fechou o sorriso, e respondeu-lhe:
            - Márcio, vamos ter um bebê! E estou muito feliz por isso. Eu fui muito amada a minha vida toda, eu tenho um amor de mãe, e pretendo dar muito amor para essa criança que hoje habita dentro de mim.
          O rapaz segurou firme o braço de Luiza, e disse-lhe:
           - A criança é sua! Jamais irei estragar meu futuro e atrasar minha vida. Portanto, adeus e nada mais! E saiu sem nem olhar para trás.
           Luiza ficou chorando, pois desconhecia o homem que dizia ser o amor da vida dela. Logo depois, Dona Estela veio trazer conforto e saber o que havia acontecido. A senhora envolveu à filha em seus braços de boa mãe, e disse-lhe:
          - Filha, pelo amor de Deus! Levante sua cabeça, enxugue essas lágrimas e conte-me o que aconteceu?!
          A filha abraçou mais forte ainda sua mãe, e respondeu-lhe:
          - Mamãe, estou realmente grávida e Márcio rejeitou a criança. O que será de mim?
           A mãe enxugou as lágrimas que banhavam o rosto cálido da filha, e respondeu-lhe:
           - Minha filha, que presente maravilhoso que você me deu! Eu serei vovó e mamãe ao mesmo tempo. Amanhã, dia das mães, estaremos unidas em um único propósito: a felicidade dessa criança tão desejada.
           Seis meses depois nascia a pequena Vitória para felicidade daquela família. Maria Luiza deu muito amor para aquela menina abençoada... Vitória cresceu rápido, conseguiu se formar em psicologia e passou a ser toda alegria da casa. Luiza nunca se casou, juntamente com sua mãe Estela se dedicaram exclusivamente ao futuro de Vitória que elas consideravam um presente vindo do céu.
            Certo dia, Maria Luiza recebeu uma ligação de uma enfermeira que trabalhava no Hospital Público da cidade, dizendo que precisava falar com ela. Luiza, Dona Estela e Vitória foram ao hospital para saber do que se tratava. E lá, ficaram sabendo através da enfermeira que Márcio, pai de Vitória, sofreu um AVC de grandes proporções e estava em estado precário. O mesmo teria sido abandonado pela atual esposa e precisava de cuidados especiais para sobreviver. Diante desse contexto, Vitória falou para sua mãe:
           - Mamãe, eu sei que no passado meu pai me rejeitou, mas hoje ele precisa de nós. Por favor, vamos ajudá-lo?! Ele é meu pai!
           Luiza e Dona Estela acataram a solicitação de Vitória, por amor, e Márcio foi morar com elas. Ele recebeu tratamento especial, muito amor, cuidados, carinhos, atenção, dedicação até o seu último suspiro. Antes de morrer, Márcio reconheceu legalmente Vitória como sua filha. E Vitória compreendia, claramente, que Amor de Mãe não tem limite.

Elisabete Leite
 
 AMOR MATERNAL

És o despertar da flor na Primavera!
O brilho e nuances do sol no Verão
Um sonho possível e não quimeras
O deslumbre de cada nova estação...

Amanhecer e anoitecer de cada dia
Entre cântaros, a mais bela canção
Os versos mais inspirados da poesia
O sentimento e diferentes emoções...

Tu és o som agradável da melodia
A partitura da mais afinada canção
Na música, és interação e sintonia...

A Natureza da vida, a pura perfeição!
A meiguice de uma criança e sua magia
Amor de Mãe mora dentro do coração.

Elisabete Leite
 
 
Madonna and Child - Artemísia Gentileschi, 1613

 PONTO DE VISTA
 
 PONTO DE VISTA – MINDSET e a personalidade humana(1)
Por: Manoel Antônio dos Santos

Para os que ainda não conhecem o termo, MINDSET - significa numa tradução livre – configuração da mente.
Trata-se de um livro, cujo título é: MINDSET – A nova psicologia do sucesso - (2017), de Carol S. Dweck, ph.D, professora da Universidade de Stanford, especialista nos campos da psicologia da personalidade humana  e  desenvolvimento social. O livro merece ser lido por todas as pessoas que se preocupam com sua formação profissional, em especial.
Vejamos o que nos relata a autora, no começo de seu livro:
“Eu era obcecada pela ideia de compreender como as pessoas  lidam com fracassos e resolvi estudar esse tema observando como os estudantes lidavam com problemas difíceis. Assim, levei várias crianças, uma de cada vez, a uma sala em sua escola...” Ela esperava, diante dos quebra-cabeças difíceis, diferentes modos de enfrentar as dificuldades pelos participantes, mas, aconteceu algo que jamais imaginara.
Um menino de dez anos esfregou as mãos e assim se expressou: “Adoro um desafio!”. Enquanto isso, outro erguendo os olhos, disse:” Sabe, eu já esperava aprender alguma coisa com isso!”
Indaga a autora:”O que há de errado com eles?” Estava, pois, diante de modelos comportamentais e passar a entender que tipo de  MINDSET seria capaz de transformar fracasso em sucesso, na visão das crianças.
Mas as qualidades humanas são cultivadas ou são imutáveis? Essa é uma questão antiga. Por outro lado, quais são as consequências de imaginarmos que nossa personalidade pode ser desenvolvida?
Pensemos nisso!

Guarabira-PB, 29/abril/2022.
 
 Amor de mãe

Ninguém  tem a menor ideia do que é gerar um ser, num ato de amor, curti-lo por nove meses, acariciando o ventre, conversando com ele, cantando, à  espera do dia da sua chegada.
Só  quem é  mãe...
E quando isso acontece, ao esvaziar o ventre, é  como se nascesse luz em forma de gente, enchendo seus braços e mundo, do ser mais precioso da sua vida!
Só  sabe disso quem é  mãe...
Daí pra frente, é  só  amor, doação e à  medida que isso acontece, o coração  da mãe se retempera, a cada ato, de mais e mais amor, se tornando fonte até a sua morte.
Isso é amor de mãe...
Quem é  mãe,  tem um amor especial pelo filho ( filhos) diferente de todos os amores da sua vida!
E, mesmo depois de adultos e realizados, torcerá por suas vitórias, rezará por suas proteções,  mesmo que já tenham "voado" para o mundo, deixando seu ninho tão  vazio...
Tudo isso e muito mais, é  o amor de uma mãe!...

           ❤️Tásia Maria
 
Mother Feeding Child - Mary Cassat, 1898.
 
 
 
Pietà - Michelangelo,1499.



Eden Rocha, 2003.