domingo, 7 de janeiro de 2018

2 + 2 Reais.


 Hoje tenho o prazer de publicar uma nova colaboradora. Nascida em São Paulo, filha de país nordestinos, Isabella Lopes De Almeida Meier, 34 anos, é de uma geração mais nova que a minha. Seu comentário cheio de críticas sociais, mostra uma pessoa consciente, adaptada ao mundo em que vive; mesmo sem aceita-lo. Bióloga, educadora infantil, traça em seu comentário o inconformismo e a indiferença frente as diferentes oportunidades que a vida oferece. Espero continuar recebendo suas colaborações com sua visão critica de uma sociedade injusta. Parabéns
 







E aí chega uma criança "olha achei uma joaninha!" No outro dia, uma delas me disse que traz sorte! 
And a child shouts "I found a ladybird!"
The other day one of them told me that they bring luck!






 2 ou 4 Reais

Estava no metrô a caminho do bar para encontrar uns amigos. Parei naquelas máquinas para comprar uma água. Um rapaz me pediu 2 reais e eu dei, aí ele disse que queria comprar uma água grande e dei os outros 2 que tinha. Não consegui comprar minha água.

            Chego na porta do vagão e uma moça diz "Por isso que eu até saí de perto", meio me repreendendo por eu ter dado. Respondi que fiquei sem graça de recusar com dinheiro assim na mão, que minha vida é muito boa e que os 2 reais não fariam falta. Ela me olhou reprovando mais uma vez e um pouco espantada "É que trabalhar cansa né!", EU claro tive que dizer "É que nem todo mundo tem as mesmas oportunidades né?! Eu acho que minha vida é bastante confortável e realmente 4 reais não vão me fazer falta.". A mulher saiu andando, inconformada!

Primeiro quem veio puxar papo e se meter no que eu faço com os meus trocados foi ela! Quem fala o que quer ouve o que não quer!
Segundo, vou assumir que não costumo dar dinheiro não, com aquela coisa de; não sei para que a pessoa vai usar e tal. Mas sei lá, ultimamente li umas coisas que me fizeram repensar minha ação. Então hoje em dia não julgo quem dá dinheiro e nem quem não quer dar. O dinheiro é seu e cada um faz o que quiser com ele.

Terceiro, depois de dar os trocados, enquanto andava em direção ao trem eu pensei "Pois é dei os 4 reais e não comprei a água que queria, não sei o que o rapaz vai fazer com o dinheiro, mas... estou indo para um bar encontrar amigos, acabei de vir do shopping onde almocei com minha família em um restaurante, tomei café expresso, comi sobremesa. Esses 4 reais não vão me fazer falta." Fiquei tentando entender do motivo da mulher ficar tão brava comigo, acho que as pessoas se ofendem quando falo que tenho sorte e minha vida é confortável. Sim eu trabalho, acordo cedo, me espremo em duas conduções até o serviço, mas ISSO já um privilégio. Então sou sim sempre muito grata por tudo que tenho. Mas isso ofende uma galera no fundo do coração.






 

3 comentários:

  1. Um texto impecável, bem construído, com colocações pertinentes. Excelente reflexão! Gosto muito de ler texto que faz indagações, levando-nos à questões ligadas às nossas atitudes. Parabéns querida Isabella pela ótima partilha. Ficou sua cara à página. Bela por dentro e por fora.

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto reflexivo, muito bem colocado. Ficou tudo lindo! Bravo querida sobrinha.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito! Parabenizo a Isabella e ao Jorge pelo blog.

    ResponderExcluir