sábado, 6 de janeiro de 2018

Mágico




MÁGICO


Uma criança se aproximou e sentou ao meu lado. Olhando-me nos olhos perguntou:

- Tio, você é um mágico? A Lívia me contou que você é um mágico.

Sorrindo lhe respondi:

- Todos nós somos mágicos. Você também é um mágico.

- Como eu posso ser um mágico, Tio?

- Observe. Para que uma mágica melhor do que falar. E você é um mágico ao me escutar. Veja, as pessoas não sabem escutar. Elas escutam com o ouvido, e você escuta com o coração. Quando nós usamos o coração para fazer as coisas, estamos sendo mágicos. Todas as crianças são mágicos porque elas usam sempre o coração no que fazem. Elas escutam com o coração, falam com o coração, veem com o coração, brincam com o coração e quando estão bravas e zangadas, ficam bravas e zangadas com o coração.

- Não precisa de varinha para ser mágico Tio?

- Nem de varinha, nem de vassoura. Nossa varinha é o coração.

- Ah! Para fazer tantas mágicas, a gente precisa de um coração muito grande. Meu coração é pequeno, porque eu sou pequena, você não acha Tio?

- Olha, o coração da gente é do tamanho que a gente quiser. É do tamanho da mão, do tamanho do pé, da cabeça, do corpo. Ele pode ser de qualquer tamanho. Quando você olha para um elefante com o coração; ele fica do tamanho do elefante. Quando você olha para uma formiga, ele fica do tamanho da formiga. É aí que você se transforma em um mágico.

- Ah! Então não é difícil ser mágico. É só a gente ser aquilo que a gente vê, que a gente ouvi, que a gente toca. Não é Tio?

- É isso mesmo. Quando a gente usa o coração para fazer as coisas, sentir as coisas, ouvir, tocar, ver; o coração se transforma no que nós fazemos, sentimos, olhamos, tocamos. E tudo o que é feito com o coração passa a ser mágica, e nos transforma em mágicos. Não e difícil ser mágico, basta ouvir o coração e se transformar nele.

- Que legal Tio, eu também sou um mágico.

- Bom, agora que você sabe o que ´´e ser um mágico, faca o que deseja com o coração que isso se torna uma mágica.

A criança ao meu lado, olhou bem nos meus olhos, abriu um grande e belo sorriso, beijou meu rosto e saiu correndo feliz.

Jorge S Leite - São Paulo – 17/03/1991
91

4 comentários:

  1. "Eu queria ser um mágico, colorir o negro da vida... O trágico", esse é um dos versos de um poema meu , que retrata muito bem a temática abordada na sua magnífica Crônica. Onde o Amor é o remédio para sanar os males da vida. Estou encantada com tudo que li. Jorge, fiquei emocionada que chorei. Parabéns! Está sendo maravilhoso conhecer esse dom que faz parte de você. É como se eu estivesse te conhecendo de novo. Bravo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Elisabete, a vida mim fez calar um pouco. Por um tempo usei máscaras para não ser percebido na multidão; mas, um grito mais forte saiu de meu íntimo e não pode conter. Eis me sem máscaras. Obrigado pelos elogios. Seus comentários engrandecem nosso Blog. Beijos.

      Excluir
  2. Um texto belo e singelo, tanto quanto a pureza infantil. Muito edificante Jorge.

    ResponderExcluir