quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Núpsias - Hoje Acordei Feliz



NÚPCIAS

A lua ilumina o nosso ninho de amor
A brisa suave entra pela fresta da janela
Velas acesas deixam o ambiente acolhedor
Aquecendo nossos corpos em chamas,

Aguardo ansiosa o momento prometido
A hora de entregar-me de corpo e alma
ao escolhido que tomei como marido...
Toda de branco sensual a sua espera
Logo, sinto suas mãos na minha gruta úmida
Envolvendo todo meu corpo nu, com carícias
Passeando pelos seios e baixo ventre
Ah, um suspiro leve no pescoço!
Entrego-me aos nossos festejos sensuais,
Na volúpia ardente e apaixonada dos seus beijos
Descortinando-me por completa sem receio

Afagos pelo meu corpo que geme
Nesse ato nupcial afinal.

Flor de Lis
Maceió\2017


 Hoje Acordei Feliz
 

Hoje acordei feliz. O embotamento das noites anterior, levou-me há uma ausência de coisas vivíveis e transportou-me para um mundo de sonhos. Minha mente, livre de todos as amarras, do dia-a-dia, pode voar solta, sem limites, atemporal. As imagens passavam em minha frente, levando-me a mundos e experiências já vividas e esquecidas. Meu corpo flutuou sobre mim, vi-me a andar sem pisar no chão como fazia quando criança, e nesses passeios uma das minhas irmãs sempre me acompanhava. Fatima, Bata e Lucia sempre voavam comigo. Hoje voei só.
Em alguns momentos parecia que estava acordado.  Deitado tentava explicar tais sensações que estava sentindo, mas, sabiamente, deixava de lado as explicações e retornava ao mundo dos sonhos, das sensações e experiências atemporais.
Em vários momentos lembrei-me de você. Procurei em meus sonhos e não a encontrei. Não fiquei triste. Nesses instantes eu me tornava um todo. Corpo, alma e mente. Sentia cada parte de mim. Eu estava feliz por ter certeza que você já era parte inseparável de mim. Quando não me lembro de você, você surge maravilhosamente linda e radiante.
Então acordei sorrindo.
No rádio, uma música de Rita Lee dizia: “os males do amor só se curam com outro amor, e quem olhar pró céu jamais se sentira só”. Acredito que não existam males no amor, poderá até existir dor, mas males jamais. O amor por se só é completo, e por ser completo jamais causara males, e para não causar dor deve ser livre. Isso tudo passava rapidamente e não tinha a certeza de já estar acordado, ou dormindo. A sensação era de que continuava sonhando acordado.
O telefone ao meu lado tocou.
Passei a noite toda esperando por um telefonema seu. Era Cacilda, a morena mineira de outros contos, conversamos um pouco, convidou-me a passar o Natal na praia, não aceitei. Após alguns minutos, o que pareceu uma eternidade, o telefone volta a tocar. Desta vez era Manu, minha filha, estava bem, combinamos almoçar juntos e ir ao cinema. Na televisão, Mary Poppin’s, um lindo filme, um clássico. O cansaço tomou conta de mim, adormeci. Foi nesse momento que percebi, que você me deixou adormecer para tocar, não o telefone tão esperado, mas o fundo de meu coração. E conversamos bastante, livremente, sem amarras.
E acordei feliz.
Jorge Leite – 23-12-90 – São Paulo

https://pixabay.com/pt/editors_choice/ 
 

6 comentários:

  1. Sensacional o contraste do lindo poema da Flor de Lis com o seu magnífico texto. Estou encantada com a desenvoltura da sua narrativa, envolvente, que prende o leitor do início ao desfecho. As imagens suavizaram a página tornando o ambiente acolhedor. Parabéns poeta e poetisa pelo sucesso da postagem. Tudo show!

    ResponderExcluir
  2. Querido poeta Jorge, gostaria de fazer-lhe uma pergunta: Como ficou guardado por tanto tempo uma obra de arte como esta, "Hoje Acordei Feliz"? Muito bom que foi compartilhada agora para nosso deleite. Aplausos mil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como as lembranças ficam guardadas, um dia retornam. Fazem a ligação entre o passado e o presente demonstrando que o tempo é ilusório. O ontem e o hoje acontecem ao mesmo instante sentimos apenas uma perspectiva da realidade mas a outra coexiste no mesmo momento. Somos o que queremos ser e somos também o que não queremos. Isso tudo se chama vida. Um grande e afetuoso abraço mana.

      Excluir
  3. Primeiramente quero agradecer-lhe, poeta Jorge, por compartilhar mais um poema da minha autoria... E aproveitar para parabenizar-lhe pelo excelente texto, uma narrativa contagiante, que deixa o leitor também feliz. As imagens de muito bom gosto que suavizam a página. E o contraste dos dois textos, o amor de diferentes olhares. Bravo! Amei tudo!

    ResponderExcluir
  4. Hoje a página cresceu o amor é exaltado de maneira adulta. Sejamos amadurecidos para compreender que o amor é assim: Muitas vezes ele é forte, contagiante como na linda linda poesia de Flor de Lis. Outras vezes ele é saudades e lembranças eternizadas no belíssimo texto do amigo Jorge. Toda página contagiante e linda. Parabéns a ambos!. Um blog recheado de surpresas.

    ResponderExcluir
  5. Que expressiva e bela página, linda e enloquente poesia e um maravilhoso texto, a mesma temática sendo versejada de maneira diferente. Show e parabéns a ambos.

    ResponderExcluir