segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

O Mundo de Sophia - Um conto de Elisabete Leite






O MUNDO DE SOPHIA MARIA

Era uma vez, em verdade... Uma menina real, não por fantasia. Ela gostava de uma infinidade de coisas. Vivia feliz, esbanjando alegria e pensando no futuro longe daqui. Seu nome era Sophia Maria e tinha um lindo sonho: o de se tornar atriz. Seus cabelos eram negros e os olhos azuis, a cor da pele era tão escura quanto uma jabuticaba madurinha. Sempre irradiava alegria, a todos que passavam, fazendo-os rirem das suas caretas. Acordava feliz nos dias de escola, pois que gostava de estudar e brincar com seus coleguinhas. À hora do intervalo, corria rápido pelo pátio, imitava uma bailarina; na ponta do pé rodopiava, exibindo muita beleza e magia.
Até que um dia Sophia faltou à escola; todos ficaram preocupados com sua ausência. Sua professora Dona Berta, senhora distinta, mas rigorosa e cheia de caprichos, ficou logo apreensiva, querendo saber o motivo da ausência da aluna. Procurando, com rapidez, à direção da escola, solicitou permissão para ir à casa da garotinha, que tanta falta fazia na sala de aula. Encerrou mais cedo as atividades, seguindo, apreensiva para a casa de Sophia Maria. Chegando lá, a mãe de Sophia, chorando, tentava contar-lhe sobre a súbita doença da filhinha: – Professora Berta, a coitadinha da minha filha está acamada, acometida por uma doença desconhecida. A professora foi logo dizendo: - Conte-me detalhes sobre o que há com minha querida aluna?  - Febre alta, dor de cabeça e fraqueza, disse-lhe a mãe. O que faço para minha filhinha sarar? A professora disse: - Leve-a rápido ao médico, onde ele irá diagnosticar a doença da menina. Dona Berta entrou no quarto para visitar sua aluna preferida. Sophia jazia deitada, inerte, quase desfalecida pela febre que a acometia. A mestra pegou um livro de música e ficou a cantar-lhe uma linda melodia; no entanto, a criança permanecia imóvel e nem reagia ao som da canção. “Que falta sinto das suas caretas divertidas”, Dona Berta imaginava! Quase chorando, a professora deixou a casa, muito deprimida. 



Dias se passaram, sem nenhuma notícia de Sophia Maria. Uma certa manhã, a mãe da aluna pediu para Dona Berta visitar sua filhinha. A professora chegou cedo à casa da menina, ficou perplexa ao vê-la bem disposta, e logo foi dizendo para sua aluna: - Olá Sophia, tudo bem? Pelo visto sim! - Tudo professora Berta, eu estive no céu! - No céu Sophia? - Sim, Deus falou que eu devia voltar à terra, que não era meu dia de permanecer lá no Céu. - Querida, como foi isso? Conte-me tudo... A menina fez sua narrativa, com grande alegria, estampada no rosto: - Dormi e sonhei que Deus estava ao meu lado, pedindo-me para regressar de volta a minha casa. E assim voltei curada e feliz. Ambas choraram de felicidade e tudo se normalizou no mundo de Sophia Maria.
Agora ela continua distribuindo sorrisos, fazendo caretas divertidas, estudado com satisfação e pensando no futuro como atriz.
Os tempos passaram... A menina cresceu rápido, muito bonita tornando-se atriz de verdade. Casou-se, teve filhos e vive contando a história da existência de Deus em nossos corações e o sentimento de Fé, que transforma o impossível em algo possível.
Assim, são tantas histórias verdadeiras, como a de Sophia Maria.
Era uma vez, de verdade...
Elisabete Leite
(Aos meus pequenos e grandes alunos, filhos do coração, que acreditam na força da Fé e do Amor de Deus presentes em nossa vida.)





 As fotos foram de:



11 comentários:

  1. Hoje nosso Blog promove a estreia da Poetisa Elisabete Leite como contista.Ela trabalha o conto com o que mais gosta de trabalhar em seu dia a dia; crianças. E é com alma de criança que devemos olhar seu conto. Belo, envolvente, emocionante. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Chorando muito, sem palavras para expressar o que sinto agora. Somente tenho a agradecer seu carinho, querido Jorge. As imagens deram vida ao texto. O blog se encheu de Fé. Belíssima página! Mais um sonho realizado. Obrigada meu Deus por fazer parte da minha vida.

    ResponderExcluir
  3. O blog abre espaço para um Conto lindo e emocionante da nossa amiga Elisabete Leite. Até eu chorei com esse final surpreendente. As imagens falam tanto quanto a narrativa. Parabéns ao blog pelo sucesso nas postagens. Aplausos mil!

    ResponderExcluir
  4. Como não se emocionar diante de tanta beleza e magia. Não pude conter as lágrimas que caiam espontaneamente, um final inesperado que transmite pureza, harmonia e encantamento.Belíssimo Conto, estou deslumbrado pela narrativa. Imagens que embelezam ainda mais à página deste sensacional blog. Parabéns a ambos!

    ResponderExcluir
  5. Lindíssimo Conto, muita emoções e ternura em uma história emocionante, onde o sentimento de Fé transforma o impossível em possível. Estou encantada e também chorei, com esse final surpreendente. Ilustrações que dão vida à temática abordada. Parabéns aos irmãos Leite. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Parabéns mãe, conto fofo como a Sophia Maria

    ResponderExcluir
  7. Que encanto de Conto, ternura e leveza nos detalhes. Uma mensagem edificante de Fé... Exemplo de Amor a Deus. Que faz tudo acontecer. Lindas ilustrações escolhidas a dedo por quem entende do assunto. Parabéns a ambos. Página perfeita!

    ResponderExcluir
  8. Uma maravilha de Conto amiga, mensagem edificante sobre Fé e sentimento de Amor a Deus. Um texto comovente! Imagens que dão vida ao texto. Parabéns a ambos... Amei e chorei de emoção.

    ResponderExcluir
  9. Tanta ternura ao desenvolver a temátiva amiga, um texto lndíssimo que traz mensagem edificante, o sentmento de Amor a Deus e a Fé, que tudo faz acontecer. Muito apropriado ao público infantil, onde a alma permanece pura. Amei ler-te. Aplausos mil! Sucessos...

    ResponderExcluir
  10. Menina poeta, estou completamente deslumbrado com seu Conto, tudo lindíssimo, o enredo, a mensagem, os sentimentos. A temática escolhida para jovens e crianças. Uma riqueza de texto. Queria usar este Conto e dois poemas da nobre poeta, como participaçáo especial em meu próximo livro. Farei contato por email. Imagens fantásticas. Tudo maravilhoso! Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Eu quero agradecer a todos os poetas e amigos, pelas ilustres visitas e gentis comentários. A Jorge em especial que compatilha meus textos de maneira especial. Ao nobre poeta que fez o convite, espero contato por email e obrigada pelo reconhecimento. Todos nos emocionam com belos e sensíves comentários. Abraços

    ResponderExcluir