domingo, 25 de março de 2018

A Criança e o Boitatá - 2ª parte



Boitatá (Boitatá, Baitatá, Batatá, Bitatá, Batatão, Biatatá, M'boiguaçu, Mboitatá and Mbaê-Tata; Old Tupi language "fiery serpent" (mboî tatá))



A criança e o Boitatá – 2ª parte.

Zazulina jantou em companhia de seus pais e irmãos, conversaram, riram e ao término da refeição, correu para a sala, onde já se encontrava seu Pai e sentou-se ao seu lado.

Ficou calada, respeitando o silêncio de seu Pai que folheava um jornal.

- Zazulina, você já ouviu falar em “Boitatá”?

=BoiiiTataaaa? Não painho. O que ´´e Boiiiiitataaaa?

- Quando eu era criança, meus pais me contaram que nas florestas existe uma grande cobra de fogo que protege as matas e florestas. Ela é muito antiga. Foi o padre jesuíta José de Anchieta, que primeiro a citou em um texto. Esse nome foi dado pelos índios Tupi-guarani e significa cobra de fogo.

- Ela tem vários outros nomes, Baitatá, Biatatá, Baitatão, Fogo corredor.

- Pai ela deve ser parente da Tataruna, lembra da história que lhe contei?

- Lembro da Tataruna e da Borboleta. O Boitatá vive dentro dos rios e lagos e sai para assombrar as pessoas que fazem mau as matas e aos animais. Ela tem a capacidade de se transformar em um tronco de fogo e passa grande parte de seu tempo se rastejando pela floresta na escuridão da noite.

- Painho, se ela vive na água o seu fogo não apaga?

- Não, seu fogo é mágico, não queima as matas nem os animais que lá habitam. Por ser mágico também não apaga quando ela se encontra nos lagos ou nos rios das florestas.

- Que legal, então se ela aparecer em meu sonho, ela também não me queima.

- Ela não faz mal as pessoas, ela quer nos alertar da necessidade de protegermos as matas, os bosques, as florestas e tudo que existe nelas.

 Zazulina deu um grande sorriso, quase esmagando o ursinho Papão, beijou seu Pai e foi para seu quarto. Fez suas tarefas, entre as quais a redação para Dona Bertha, e adormeceu.

Em seu sono, agora já calmo, foi novamente visitada pela cobra de fogo que chegou logo se apresentando:

- Oi Zazulina, eu sou a Boitatá, meu fogo não lhe queima, quero só conversar e pedir ajuda.

Zazulina e a cobra de fogo conversaram durante toda a noite.

No caminho para a escola Zazulina relia seu trabalho. Quando entrou na sala entregou de imediato a redação para Dona Bertha. A professora leu todos os trabalhos e escolheu um para ler na sala. Chamou Zazulina para ler em voz alta para toda a classe, pois o trabalho escolhido era o dela.

Zazulina, em pé, leu sua redação que era um verdadeiro manifesto pela proteção do Bosque Azul. Falou da importância da Fauna e da Flora, falou que ali antes existia uma grande floresta conhecida como Mata Atlântica. No final lembrou que o Shopping poderia ser construído em um outro local.

Durante sua leitura, Zazulina sentiu que estava sendo observada pela janela da sala. E pelo canto do olho teve a impressão de ter visto uma grande cobra de fogo que agora chorava de contentamento. Também percebeu um garoto de cabelo vermelho que estava acompanhando a Boitatá, e que em dado momento ela chamou o menino de “Curupira”.


Bem, mais aí já é outra história.


24/03/2018

Recife- Jorge Leite
 
Mata Atlântica
 


Relato sobre o boitatá encontrado em cartas do padre José de Anchieta, que assim o descreve:

 “Há também outros fantasmas nas praias, que vivem a maior parte do tempo junto do mar e dos rios, e são chamados de baetatá, que quer dizer, coisa de fogo, o que é o mesmo como se dissesse ‘o que é todo de fogo’. Não se vê outra coisa senão um facho cintilante correndo para ali; acomete rapidamente os índios e mata-os, como os curupiras: o que seja isso, ainda não se sabe com certeza". (Carta de São Vicente, X, in Cartas, informações, fragmentos históricos e sermões. Vol. III das Cartas Jesuíticas. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1933, p. 128).

Boitatá, a Tropical Dragon, by Pedro Regazzi


 


8 comentários:

  1. Sensacional querido Jorge, o conto é uma verdadeira viagem ao mundo cultural, as duas partes se completam e transforma o cenário da magia com o real. Além disso: trabalha o folclore. Passa uma mensagem edificante sobre o tema Natureza. Estou encantada! Parabéns pelo conjunto. Excelentes imagens ilustrativas. Bravo!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso conto infantil, uma temática envolvente tanto na primeira parte, quanto na segunda. Fiquei aqui encantado pela magia do texto. Os persosagens fazem historia, cultura e arte. Imagens expressivas e belas. Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Realmente ficou muito lindo seu conto amigo Jorge, a primeira e a segunda partes se completaram totalmente, momento cultural do Universo infantil. Um texto mágico, com imagens que embelezam a página do blog. Amei tudo! Parabéns

    ResponderExcluir
  4. Belíssimo momento poético amigo Jorge Leito, um conto infantil mágico, com imagens lindas e significativas ao tema abordado. As partes se completam. Show de página. Abraços

    ResponderExcluir
  5. Um deslumbre de conto infantil, fiquei esperando a segunda parte e valeu a espera amigo poeta Jorge. Um texto com detalhes cultural, o folclore em evidência, imagens cativantes ao mundo da criança. Tudo lindo e parabéns pela partilha. Gostei poeta...

    ResponderExcluir
  6. Lindíssimo conto, eu li as duas partes, mas deixei para comentar na segunda. Achei excelente a iniciativa de trabalhar o universo infantil. Parabenizo os deus contis como também os belíssimos contos da amiga Bete, que tem trabalhado tao bem o tema milagre. Este blog diversificado faz a diferença. Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  7. Excelente blog, diversificado, informativo, cultural, regional, etc. Passiei por todas as páginas, mas resolvi registrar meu comentário na última. "Achei de grande valor poético e sentimental todas as poesias, cada poeta e poetisa com as suas características, na hora, dos versos serem tecidos. Em destaque a poetisa Elisabete Leite, que possui um jeito novo de tecer suas Poesias, ela ja trilhou seu caminho. Todos merecedores de aplausos. Todos os contos em destaque nas páginas merecem elogios, eles apresentam mensagens e magia. Ao Jorge Leite que coordena e ilustra as páginas meus parabéns, o blog está no caminho certo. Gostei de tudo que li. Quero parabenizar também aos demais poetas, escritores, colaboradores e comentaristas, que voam nas temáticas, por terem conhecimentos prévios dos conteúdos abordados. Fico feliz em haver viajado pelo blog, muito aprendi. Somente tive dificuldade em postar comentários, por isso registrei apenas um como todo. Pensarei em uma maneira para me apresentar. Deixo aqui meu abraço a todos!

    ResponderExcluir
  8. Excelente conto... Nessa era de Dragon Ball, Pokemon e outros "personagens" de fora da nossa cultura e da de nossos antepassados, é muito bom ver algo assim, que nos remonta às nossas raízes culturais e belezas naturais... Muito bem exposto! Parabéns!

    ResponderExcluir