sábado, 3 de março de 2018

A criança e a Tataruna




A Criança e a Tataruna (Tata runa)
 
Após ter deixado o tio que a ensinou que todos somos mágicos, a criança continuou correndo pela praça. Logo adiante parou ao ouvir um choro baixinho e fraquinho, olhou para todos os lados e não viu ninguém chorando. Mas o choro continuava, parecia que vinha de baixo, perto de uma árvore, uma das poucas árvores que ainda restavam naquela praça. As outras árvores tinham sido cortadas pelo Dr. Pafúncio, um rico industrial do ramo dos papéis, porque suas folhas sujavam a calçada de sua casa no Outono. Suas fábricas destruíam milhares de árvores por ano para fazer papel, e seu Pafúncio não plantava se quer uma para compensar as que derrubava.

A criança continuou parada, atenta ao seu redor para ver de onde vinha aquele choro tão triste. Logo percebeu uma Tataruna que chorava ao se arrastar tentando subir na arvore:

“Ai meu Deus, minha perninha, por favor me ajude, tenho que subir na árvore”

Lamentava-se a Taturana.

- Oi Dona Tataruna, por que você está chorando?

A Tataruna, meio assustada, olhou para a criança e pelos seus olhos enxergou seu coração, que naquele instante tinha se transformado em tataruna, e falou:

- Oi menina, estou chorando porque caí da árvore e machuquei uma das minhas pernas.

- Ui como dói.

- Agora não consigo subir na árvore outra vez.

- Coitadinha, deixa eu colocar você na árvore?

- Está legal, mas não toque em mim pois eu posso lhe queimar e sua mãe não vai gostar. Entendeu?

- Como você pode mim queimar Dona Tataruna?

- É que eu sou uma lagarta-de-fogo, meu nome verdadeiro é Tata’rana que em Tupi antigo quer dizer “semelhante a fogo”.

- Ah, eu pensei que seu nome fosse Tataruna.

- Pode mim chamar de Tataruna, eu tenho vários outros nomes como Ambira, Bicho-cabeludo, Lagarta-cabeluda, Mandorová, dizem até que eu sou um Lepidóptero.

- LE PI DÓP TE RO!!!! Que nome mais feio, eu prefiro Tataruna.

- Eu também.

A criança pegou um graveto seco do chão, deixou que a Tataruna se arrastasse até ele, e com muito cuidado colocou a lagarta-de-fogo em um galho da árvore. A Tataruna procurou um lugar seguro e disse:

- Agora eu posso descansar um pouco. Adeus menina, muito obrigado por ter me ajudado.

- De nada Dona Tataruna, quando eu passar aqui outra vez venho visitar a Senhora. Cuidado para não cair de novo.

- Adeus.
 Após alguns dias, a criança ao passar em frente aquela árvore, lembrou da Tataruna e resolveu visita-la. Chegou perto do local onde tinha colocado a lagarta-de-fogo e no seu lugar tinha um casulo já seco é aberto. Ela olhou mais um pouco ao seu redor para ver se a Tataruna tinha mudado de lugar ou caído outra vez.

Nada. Nada encontrou. Já ia se afastando, meio triste, quando uma linda borboleta, toda colorida, que brincava nas poucas flores da praça lhe chamou:

- Oi menina, não lembra de mim?

- Eu não Dona Borboleta. Eu não lembro de você!

- Eu sou aquela tataruna que você ajudou a subir na árvore, Lembras?

A criança abriu um grande sorriso e seu coração já se transformou em uma borboleta.

- Aquela lagarta-de-fogo é você???

- Verdade???

- Sim, verdade. Eu era uma lagarta-de-fogo e agora eu sou uma borboleta.

-Ah! Então você também é mágico. O Tio não me falou que as Tatarunas também eram Mágicos.

E a criança feliz da vida brincava entre as flores correndo atrás da borboleta.

À noite, em seu quarto, contou tudo para o seu ursinho de pelúcia, e adormeceram.


Jorge da Silva Leite -  São Paulo – SP.
 

16 comentários:

  1. Um conto magnífico, leveza e graça presentes na narrativa... muito especial e lindo como o esvoaçar das borboletas. Imagens belíssimas adornam a página. Parabéns e aplausos mil. Tudo show!

    ResponderExcluir
  2. Um belíssimo conto, amigo Jorge, tão lindo quanto o universo da criança. Cores e graça fazem parte da narrativa. As imagens são lindas e significativas. Um texto informativo e leve. Parabéns e aplausos. A página ficou bela!

    ResponderExcluir
  3. Já acordo lendo esse maravilhoso conto infantil, muita sensibilidade em um texto, que informa o leitor a Tataruna, que passa pelas metarmofoses da vida e vira uma linda borboleta. Uma mensagem edificante. Gostei muito do que li. Parabéns poeta Jorge, pelo sucesso do blog.

    ResponderExcluir
  4. Eita, que família de gente inteligente! A família Leite faz história. Feras no assunto. Lindo seu conto, Jorge Leite, magia e colorido, até os animais ganham vida. Parabéns! Muito bom interagir neste blog. Sucessos...

    ResponderExcluir
  5. Muito belo e com uma mensagem especial, estou encantada com as imagens que embelezam toda página. Parabéns pelo conto poeta Jorge!

    ResponderExcluir
  6. Já tinha comentado e náo apareceu. Será um prazer ler e comentar novamente. Lindo conto infantil, leveza adorna a temática. Belas e expressivas imagens! Parabéns poeta Jorge. Encantada com o blog.

    ResponderExcluir
  7. Passando por aqui para reler este belíssimo conto, que traz uma mensagem edificante do poeta e contista meu irmão Jorge Leite. Uma história linda e emocionante. As imagens deslumbrantes. Um show em tudo. Parabéns pela excelente partilha.

    ResponderExcluir
  8. Estou aqui relendo e deixando registrado meu comentário. Tudo muito lindo nesta página, um Conto belíssimo e leve, que traz uma excelente mensagem reflexiva, do amigo poeta Jorge Leite. As ilustrações estão impecáveis e despertam atenção da criançada. Tudo show, o universo da criança é mesmo mágico. Parabéns ao autor e ao blog! Abraços... Feliz sábado a todos!

    ResponderExcluir
  9. Excelente Conto, uma página educativa que transmite mensagens reflexivas. O poeta Jorge Leite foi perfeito ao escolher as lindas e expressivas imagens. A poetisa Elisabete Leite já havia me falado sobre este Conto, sua beleza e riqueza nas mensagens. Parabéns amigo pelo Conto e sucesso do blog. Boa tarde! Leitura recomendada e aprovadíssima. Abraços a todos...

    ResponderExcluir
  10. Olha eu aqui de novo, fazendo minha leitura e recomendando também. Um conto lindo, com uma mensagem reflexiva e imagens ilustrativas de muito bom gosto. O poeta Jorge Leite está de Parabéns. Recomendação aprovadíssima! Tudo lindo!

    ResponderExcluir
  11. Linda e muito criativa a história da criança e a tartaruna. Os pequeninos vão adorar!!!
    Maravilhosas ilustrações. Mais ainda o vídeo da borboleta pequenina!
    Parabéns a você, Jorge Leite, que faz um pat perfeito com sua irmã! Grandes poetas e contistas. Legal demais! Beijos. Até a próxima.

    ResponderExcluir
  12. Muito lindo seu conto amigo poeta Jorge Leite, amei as ilustrações criativas e educativas, as crianças merecem todo colorido e magia desta excelente partilha. Parabéns e abraços...

    ResponderExcluir
  13. Lindíssimo conto do meu amigo Jorge Leite, que traz uma mensagem reflexiva com imagens ilustrativas de muito bom gosto. O universo da criança e a magia da renovação. Tudo perfeito, li e agora relendo pude visualizar melhor a riqueza da narração. Parabéns e aplausos pelo sucesso do blog! As crianças vão adorar. Abraços...

    ResponderExcluir
  14. Passando para reler e inficar este maravilhoso conto do amigo Jorge Leite, que é muito educativo, a magia da criança mora neste blog. Amei! Parabéns e abraços...

    ResponderExcluir
  15. Gostei bastante da leitura recomendada, o conto é lindo e emocionante. Trabalhei com os alunos e eles amaram cada detalhe. As ilustrações são educativas e acompanham o tema do conto. A imagem da coleção das Borboletas são bem expressivas e detalhadas. Parabéns! Voltarei sempre neste blog! Boa tarde a todos!

    ResponderExcluir