quarta-feira, 18 de abril de 2018

E... Sobre Espólios...










E... SOBRE ESPÓLIOS...
Em meus sonhos de criança... entre tantas esperanças... eu queria uma herança... que até ao meu fim... alguém deixasse pra mim... Sabendo que a riqueza apodrece... que amores a gente esquece... que luxo não me apetece... então o que seria... durante meus curtos dias... algo que me alegraria??? Ou que me traria... do choro à alegria... do sonho à realidade... do devaneio à Poesia... do abismo à Verdade??? Philosophia??? isso sim eu herdaria... pois do Philo à Sophia... sabia que viajaria... mas, Philosophia não é opção... sendo vetor da Evolução... se torna uma obrigação... Mas isso à poucos importa... pois que é tal uma porta... onde poucos a chave têm... ou mesmo não lhes convém... se a uns Ela conforta... a outros tantos confronta... até vêm-na como afronta... a seus sórdidos propósitos... pois só fizeram depósitos... nos prazeres e no conforto... trocando o Vivo pelo morto...
Então... então o que bastaria... para Sábios, para loucos... nem muito muito, nem muito pouco... quando ninguém questionaria??? Poesia??? Ah... sim... Poesia é alento da Alma... que conforta, alenta, acalma... mas, quem a leria... ou mesmo declamaria... diante de moucos ouvidos... tapados, ensurdecidos... pela estrambólica balbúrdia... caoseados pela estapafúrdia... sombria, de nossos dias???
E... o que então nos sobraria... como espólio dos antepassados... que fosse um bom legado... a suprir nossa ignominia??? A Música??? SIM!!! Esta sim! Soberana e entrúsica... nos cobre, como se um manto... seca lágrimas, enxuga pranto... encobre os desencantos... dos pobres até aos soberanos... pois não tem medida ou planos... apenas nos chega ao agrado... alentando os desesperados... alertando os insanos... E... entre os legados humanos... não há um pra ser maior... nem que seja um pouco melhor... do que os sons bem combinados... e há pra todos os gostos... pra velhos, jovens meninos... servindo de entreposto... entre os homens e a Natureza... entre nós e o Divino...
Porquanto já decidi::: refiz o meu testamento... vou deixar aos meus rebentos... uma nova composição... pois assim, creio eu... quando eu estiver em Deus... de mim eles lembrarão... pois que se uma música faço... estarei deixando um pedaço... do meu próprio coração...

VIOLEIRO MINEIRO CAPIAU
EM 13/04/2018... musicando...




"A vida é esse cacho de lilás... Mais nada. O resto é perfume..." (Florbela Espanca)

Vulto sem Espólio - Foto de Jorge Pimenta 



8 comentários:

  1. As crônicas em forma de poesia... escritas com maestria, e as poesias em forma de músicas ... dogmáticas, é sem duvidas um dos legados do Violeiro Capiau. Uma belíssima crônica para se declamar e cantar, rica em lições e sentimentos. Falar mais é estragar o momento, e que semelhante espólio, possa deixar para meus rebentos. Parabéns Capiau. Adoro ler suas crônicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lisonjeado, e agradecido, fico eu, poeta Jorge, pelo apreço com que trata meus escritinhos de capiau... E mais agradecido, ainda, fico por ter essas simples mensagens divulgadas com tanta maestria e decoro! Obrigado, mesmo, de coração! Violeiro Mineiro Capiau.

      Excluir
  2. Uma belíssima crônica... muita criatividade e maestria em uma fórmula própria de escrever do poeta Violeiro Mineiro Capiau. Um legado de lições e ensinamentos, que já estão perpetuados para sempre. Imagens belas e expressivas. Parabéns pela excelente partilha! Aplausos mil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre há um quê, de gratidão, lendo os seus comentários... Sei que não sou digno de lisonjas, pois nem mesmo me considero como um "escritor"... E fica a emoção...

      Excluir
  3. Um lindo e expressivo texto do amigo Violeiro... uma maneira de inovar e passar suas mensagens com maestria poética. Escreve, tecendo poesias e vetsos. Imagens belas que completam o sentido do tema abordado. Parabéns a ambos. Belíssima página! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecido, pois que, se um grande Professor me dá a honra de tão gentil comentário, em meu dicionário não encontraria um verbete que fosse o suficiente para a retribuição...

      Excluir
  4. Herança maior nao tem amigo das diferentes artes poéticas e literárias, mestre Capiau. Uma linda página com um texto também lindo para o nosso deleite. As imagens escolhidas comprovam o sucesso referente ao tema narrado. Escrever poetizando é pura arte. Parabéns a ambos e abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Herança maior ainda são os amigos que encontramos... os que nos compactuam em ideias.. os que, ao lerem, sentem o que sentimos, e tentamos expirar, ao escrever... Grande abraço!

      Excluir