domingo, 22 de abril de 2018

Notívagos




José Waldeck por José Waldeck
Trabalho como professor de Inglês e Português nas redes Pública e Privada. Atuo também no serviço público federal, mas na área administrativa. Sou formado em Letras e em Jornalismo, ambos pela UFAL. Cursei ainda três anos de Arquitetura e Urbanismo, também na UFAL, mas desisti por julgar que eu não tinha a criatividade necessária para ser um bom arquiteto que idealizei ser. Escrevi meus primeiros poemas aos 15 anos de idade, porém nunca considerei a minha produção poética consistente o suficiente ao ponto de me interessar em publicá-la em livro. A partir de agora talvez eu já esteja um pouco preparado para considerar esta possibilidade. Na verdade, durante muitos anos eu divulguei o que escrevia apenas para um pequeno círculo de pessoas. Foi só a partir de uns 3 ou 4 anos para cá que eu passei a publicar regularmente parte do que escrevo nas redes sociais (notadamente no Facebook) e, de certa forma, me dei por satisfeito haja vista a razoável quantidade de leitores que tenho conquistado e, mais uma vez, relevei a ideia da necessidade de publicar um livro, pelo menos por enquanto. De resto, sou um leitor apaixonado desde os cinco anos de idade, época em que fui alfabetizado pela minha mãe, em casa mesmo. Graças a Deus, na casa de meus pais (e na minha, também), livros, discos, periódicos e cultura de um modo geral sempre foram considerados artigos de primeira necessidade. Um abraço, minha amiga! E muita gratidão pela divulgação dos meus poemas.
Dream - Nightawks, 1942 - Edward Hopper
O Retrato Subjetivo da Solidão Humana - Edward Hopper


NOTÍVAGOS

Dentro da escuridão da noite,
na calma da casa,
no espaço da rua,
nas horas insones destas madrugadas,
são coexistentes nesta mesma nave
grilos seresteiros que cantam, à exaustão,
a estridente canção de uma nota só;
os carros esparsos que correm contentes no asfalto vazio;
o farfalhar dos morcegos que cruzam o céu
num voo incansável, ligeiro e sem medo algum
de algum deles se atropelar;
o chirriar das agourentas corujas chamadas rasga-mortalhas;
a brisa, o sereno, o brilho dos astros e a luz do luar;
os pingos da chuva ou as gotas do orvalho;
o ronco das motos e os sons das sirenes;
canções “flashback” que tocam no rádio
e trazem lembranças antigas,
saudades sofridas que teimam em voltar;
emoções que saltam das páginas de um livro;
mensagens de agora que brilham na tela do meu celular.

Nestas altas horas,
são todas fiéis companhias
que quebram o silêncio,
que lambem o corpo,
que tocam a alma,
que eriçam os pelos,
que pairam no ar.

(José Waldeck, Maceió, 16/04/2018)

11 comentários:

  1. Um momento poético de maestria... a nostalgia ocupa um espaço no blog. Saudade e lembranças do real e imaginário. As imagens complementam o tema abordado. Orgulhosa do meu amigo alagoano, grande poeta! Parabéns José waldeck! Obrigada por contribuir com nosso blog. Encantada pela arte final de seu sensacional poetizar. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez, meu sincero obrigado pelo apreço e pelo carinho, querida amiga poetisa Elisabete Leite! Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Vamos agradecer ao idealizador e também poeta do blog, meu irmão Jorge Leite. Obrigada por comparhilhar. Beijos querido irmão.

    ResponderExcluir
  4. Mais uma linda página do competente poeta José waldeck. Um poetizar notável, profundo, mas bem tecido, com excelentes mensagens ao longo das estrofes. Muito bom ler estes grandes poetas Alagoanos. As imagens ficaram expressivas que representam muito bem o tema. Parabéns a todos!

    ResponderExcluir
  5. Um excelente poetizar, versos profundos, com lembranças, que deixam nostalgia e saudades... muito bom ler um grande poeta. Versos tecidos com mestria. Belas e expressivas imagens. Parabéns a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecido por sua atenção, caro amigo Paulo! Um grande abraço!

      Excluir
  6. Muito bom seu poema, grande poeta amigo José Waldeck, o sentimento de estar só e, as lembranças que existem em voltar, nostalgia, saudade e mensagens reflexivas, mistérios no ar. Amei tudo! Lindas e expressivas imagens ilustrativas. Parabéns e volte sempre! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom ler comentários como os seus, Geovanna. Parabéns pela sua louvável capacidade de ler com atenção, de ler as entrelinhas. Obrigado! Um abraço!

      Excluir
  7. Que linda sua poesia, poeta José Waldeck, sentimentos, solidão, lembranças e muita inspiração. As imagens completam o tema. A página ficou show. Parabéns ao conjunto! Uma excelente semana a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha gratidão, Karen! Muito obrigado pela atenção, pela cuidadosa leitura e pelo carinho!

      Excluir