segunda-feira, 14 de maio de 2018

Cotidiano & A Arte de Ser Feliz...


Jorge Leite

 Cotidiano um

Grades, grades, grades,
Pessoas presas em seus lares
Em suas lembranças,
Em seus corações.
Grades nas janelas
Nas portas, nas varandas,
Nos quintais.
E no lugar dos vitrais.

Por dentro as pessoas estão presas
Assustadas aflitas, angustiadas.
Medo, medo de tudo,
E ainda se dizem livres.

Jorge Leite
Cotidiano Dois

Já não se ri como antes
As faces sérias não serenas
São usadas diariamente.
As máscaras risonhas, alegres, felizes
Foram deixadas no guarda-roupa
Entre as velhas roupas,
A gravata já usada
O lenço sujo, amarrotado
Manchado de batom
O chapéu coco
E as meias furadas.

As máscaras risonhas estão cobertas de pó.
Estão guardadas, penduradas, esquecidas.
Foram trocadas pelas tristes,
Carrancudas, cansadas, desiludidas,
Foram trocadas pelas ilusões da vida.

Jorge Leite

 Elisabete Leite
A ARTE DE SER FELIZ (Cor Amarelo – Otimismo, Positivismo)

Agora, decidi ser feliz!
Vou registrar, aqui, as minhas memórias
Tecer meus versos, com rimas coloridas
Nas folhas, em branco, da minha história
Vou colorir o negro, com os tons da vida...

Hoje, eu quero ser feliz!
Vou adornar, meu dia, com lindas flores
Fertilizar e regar o jardim da minha alma
Atirar ao vento as tristezas, minhas dores
Semear à Paz e, permanecer bem calma...

Sim, eu quero ser feliz!
Vou driblar as pedras do meu caminho
Das asperezas, vou retirar as boas lições
Preservar os amigos, não ficar sozinho(a)
Ouvir, atenta, a voz que sai do coração...

Ah, eu não posso apagar o que já escrevi!
Mas, posso recomeçar em uma nova lauda
Procurar conquistar os sonhos que escolhi
Realizar sim, com êxito, uma difícil escalada
Só assim, eu conhecerei a arte de ser feliz.



10 comentários:

  1. Que linda e expressiva página, dois belíssimos poemas de Jorge Leite, uma temática realista; somos presos em nosso Lar, escravizados pela insegurança que domina nossa vida, como também escravos deste mundo tecnológico... usar máscaras, sem motivos para sorrir... assim, vou desviando das pedras, dos obstáculos e da inseguranças. Portanto, decidi ser feliz! E em versos apresento a fórmula para conhecer a arte de ser feliz. Jorge, tu foste preciso compartilhando os nossos poemas juntos. Amei! Parabéns pela fantástica partilha. Imagens que também falam a língua dos homens. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Excelentes poemas, mensagens realistas em uma temárica reflexiva; os opostos se cruzam nos diferentes olhares. O poeta Jorge sabiamente descreve em versos livres a realidade fria e crua de estarmos presos em nossa própria casa, sem motivo aparente para sorrir, o uso das máscaras se faz necessário. A poetisa Elisabete Leite, apresenta uma proposta: SER FELIZ! Achei a página formidável e as imagens complementam o tema. Sempre bom interagir por aqui. Parabéns a ambos! Quero fazer um pedido ao poeta Jorge. Que ele faça um comentário sobre a página. Nós gostamos quando ele se posiciona. Obrigada pela maravilha de partilha. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é a primeira vez que uso os poemas da Elisabete Leite para contrastar com os meus poemas. Elisabete é uma ativista do positivismo, do otimismo, ela tem sempre uma saída para as dificuldades do dia a dia. Sinto-me bem falando sobre o lado menos colorido da vida, mas se faz necessário o contraste, se faz necessário também mostrar que somos capazes de mudar a realidade.Tento mostrar também com imagens essa mudança que somos capazes de realizar. É a tristeza das máscaras transformando-se em um glorioso despertar em um amanhecer perfeito, iluminado e amarelo (Cor do Positivismo e otimismo).
      Sabe querida Geovanna, não procuro mostrar competição e sim complementação, por que nós somos a soma de todos esses sentimentos. Acho que a leitura da página como foi montada fica mais lógica de que se fossem lidas em separado. É como perguntar e responder. É procurar o caminho do meio. Um grande abraço Geovanna.

      Excluir
    2. Nós sabemos Jorge, por isso pedi para o nobre poeta comentar com sabedoria. Isto é o que o leitor precisa conhecer, como foram tecidos os poemas e a escolha da temática. Encantada com a montagem da página. A o amarelo no poema de Bete ficou perfeito. Boa noite!

      Excluir
  3. Tem coisa pior, do que ser preso, em sua própria casa; momento bom para se refletir... belíssimos e expressivos poemas... de um lado o poeta Jorge com a realidade dos dias atuais, do outro lado, a poetisa apresenta em lindos versos, como ela enfrenta os medos e as incertezas da vida; sendo feliz! Dois paradoxos em uma mesma página. Um verdadeiro show... Parabéns a ambos! Abraços

    ResponderExcluir
  4. Eita que página linda! O poeta Jorge Leite poetiza bonito a insegurança nos dias atuais, sermos prisioneiros em nossa própria casa. Já Elisabete Leite traz a fórmula para ser feliz, belíssimos versos. Achei perfeito o momento reflexivo. As imagens comprovam e completam a temática. O poema Cotidiano 2 é o máximo. Parabéns a ambos! Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  5. Lindos, sentidos e expressivos poemas, uma página de pura reflexão...temas polêmicos e envolventes. O poeta Jorge aborda em seus belos versos livres a prisão dos nossos dias; de sermos prisioneiros em nosso próprio mundo, antes vivíamos em cavernas, na ignorância da situação. Hoje vivemos atrás de grades, em uma imensa solidão assim surge, a necessidade de guardar as máscaras. Já a poetisa Elisabete Leite define em lindos versos a cor da alegria e a fórmula para se conhecer a Arte de ser Feliz. Os poemas se completam. Parabéns a ambos! Show de mensagens. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Reflexões de grande importância. Convém, refletir sobre a temática dos lindos e expressivos poemas abordados pelos poetas. Vivemos diariamente presos no mundo externo e em si mesmo e os sorrisos guardados no baú da vida. A fórmula tecida de ser feliz. Um poetizar amarelo, recheado de positivismo e otimismo. Gostei muito dos escritos. Belas imagens! Parabéns a ambos!

    ResponderExcluir
  7. Três poemas encantadores, dois poetas competentes. Que bom ler poemas assim: poemas que fazem a gente refletir sobre os rumos que a vida e a sociedade tomaram e, por conseguinte, alertam sobre a necessidade de mudanças, nos planos pessoal coletivo. Parabéns, irmãos poetas Elisabete e Jorge Leite!

    ResponderExcluir
  8. Eu e o poeta Jorge Leite gostaríamos de agradecer a todos que registraram, com carinho, seus belos comentários. Aos visitantes e leitores os nossos sinceros agradecimentos. Voltem sempre! Abraços

    ResponderExcluir