quinta-feira, 31 de maio de 2018

Sou Matuta Assumida e Declarada ...


Maeli Honorato



roceiras do Sertão nordestino.

 
Sou adepta da vida nordestina
Ninguém tira de mim este conceito
Carregar um Sertão dentro do peito
Aprendi com papai desde menina
Fiz meu rancho no topo da colina
Pra render-me a luz do sol poente
Limpo a goela c'um gole de aguardente
Para depois soltar minha toada
"Sou matuta assumida e declarada
Faço é rir de quem diz que não sou gente".

Minha vida é feliz e sem perrenho
Neste taco de terra que me abriga
Vejo a mãe natureza como amiga
Sinto falta de nada, tudo eu tenho
Quando o sol por trás do velho engenho
Vem surgindo qual flor incandescente
Me acento às margens do nascente
E me banho no brilho da alvorada
"Sou matuta assumida e declarada
Faço é rir de quem diz que não sou gente".

Um riachinho ao lado do terreiro
É o motivo de meu contentamento
Minhas vacas, meus bois e o jumento
Eu não troco por luxo nem dinheiro
Me atrepo num pé de Juazeiro
No balanço do galho arejo a mente
Me deleito com doses de repente
Contemplando a noite enluarada
"Sou matuta assumida e declarada
Faço é rir de quem diz que não sou gente".

Sou roceira por pura excelência
O trabalho braçal é meu ofício
Desempenho sem medo ou sacrifício
Os labores que ditam minha ciência
Me comporto com ordem e decência
Preservando o que a roça me consente
E carrego de maneira consciente
Minha sina por Deus designada
"Sou matuta assumida e declarada
Faço é rir de quem diz que não sou gente".

Maeli Honorato.

NOTA DE RODAPÉ 







Preconceitos na Casa Espírita

É doloroso admitir, mas o preconceito está presente em toda sociedade, nos relacionamentos, no ambiente de trabalho, entre os “amigos” e inclusive nos meios religiosos. Ele já começa a aparecer quando falamos que a pomba branca é da paz e a galinha preta é da macumba!

Mas o que é o preconceito? Segundo os dicionaristas, o preconceito é uma opinião que é formada antecipadamente, sem um mínimo de ponderação ou conhecimento dos fatos. Em outras palavras, preconceito é uma ideia preconcebida, que leva o preconceituoso a ter aversão e intolerância em relação à outras raças, religiões, pessoas, situações e por aí vai.

O preconceito é aquela erva daninha que trava o nosso raciocínio e nos impede de ter uma visão mais clara da realidade. Pensar e refletir sobre o significado do preconceito e as situações em que ele pode aparecer, é de vital importância para nosso aprendizado na vida.

A Doutrina Espírita nos esclarece que, antes de sermos homens ou mulheres, brancos ou negros, americanos ou brasileiros, ricos ou pobres, somos espíritos, criados por Deus, simples e ignorantes e cuja missão é evoluir, aprendendo a usar o livre-arbítrio com inteligência e responsabilidade, além de desenvolver outros valores. A isto se dá o nome de reforma íntima.

Não podemos esquecer que poderemos reencarnar na posição daqueles que discriminamos anteriormente, sofrendo na própria pele o preconceito que causamos aos outros
O preconceito é uma praga que se alastra nas sociedades e vai deixando um rastro de prejuízos, tanto físicos como morais. Por vezes, ele surge como defensor da religião, espalhando a discórdia, a maldade, o sectarismo e os ódios sem precedentes. Outras vezes apresenta-se em nome da preservação da raça, gerando abismos intransponíveis entre os filhos de Deus, fortalecendo o egoísmo, o orgulho, a inveja e o despeito.

E de todos os preconceitos, o religioso é o mais incoerente e absurdo. Despreza-se uma pessoa porque ela professa uma religião diferente da nossa.
O que fazer? O primeiro passo para lutar contra os preconceitos, é reconhecer a sua existência. Não é tão fácil, mas se concordamos que todos os homens são irmãos, independente do momento e situação que cada um vive e que é preciso superar os preconceitos, nós iremos perceber que existem na nossa Casa Espírita, irmãos excluídos, à nossa volta, que estão gritando em silêncio por socorro, e nós permanecemos surdos em função dos nossos preconceitos. Assim, está em nossas mãos a oportunidade de começarmos a lutar, para que não existam mais pessoas excluídas ao nosso lado. Pelo menos, na nossa Casa Espírita! Muita paz para todos!
 
Agnaldo Cardoso – NEAM – Olinda / PE - Contato: agnalcaval@hotmail.com
Transcrição e resumo de um artigo de Agnaldo Cardoso, publicado no Blog Instituto Beneficente Chico Xavier.
O Instituto Beneficente Chico Xavier foi fundado no dia 04 de setembro de 2010 na cidade de Itu - SP







7 comentários:

  1. O poema da querida poetisa Maeli Honorato é belíssimo, que de uma certa forma também aborda o preconceito. Muita cultura, em versos encantadores tecidos com muita arte. As imagens ilustrativas deram um show e poeta Jorge como sempre foi perfeito nas Notas de Rodapé, trazendo um excelente artigo. Parabéns a ambos! Amei a página. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Que luxo de poema, é mesmo uma arte amiga poetisa Maeli Honorato. Gosto muito de uma página colorida, as imagens ilustrativas ficaram impecáveis. E a temática é forte! Excelente o artigo das Notas de Rodapé. Somente me resta parabenizar. Bravo! Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  3. Maeli Honorato, minha pequenina notável, você não nega suas raízes. Aquele povo maravilhoso de Afogados da Ingazeira deu a você esse espírito irreverente e poético. Você sabe brincar com as palavras dos matutinhos do nordeste. Gosto demais desse jeito cantador que você escreve. Parabéns. Bjos da amiga Help.

    ResponderExcluir
  4. Quero parabenizar o maravilhoso texto de Agnaldo Cardoso, trazendo ainda o tema PRECONCEITO para nossa reflexão. Eu passei dois anos no Rio e nesse período sofri discriminação por ser nordestina. Ressalto bem minha repulsa a essas atitudes preconceituosas que só nos fazem mal. Cheguei a postar nas redes sociais, em resposta a certa criatura o seguinte: "Quando te vejo dizer com tanta veemência TENHO NOS MEUS PRADOS AS MAIS BELAS FLORES. DO MEU SER, FILHOS MAIS INTELIGENTES. DAS MINHAS NOITES A ESSÊNCIA DOS AMORES... eu tenho aqui real e simplesmente o maior valor de todos os valores. Quando te vejo ignorar a simplicidade que existe na mulher única e capaz, de sorrir à sombra de tua ignorância, devo dizer com orgulho e suavidade: Eu sou NORDESTINA, meu rapaz!!
    Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  5. Uma maravilha de poema, a sonoridade, a harmonia, parece até uma melodia, os momentos poéticos da poetisa Maeli Honorato é pura cultura regional e acompanhada com as imagens coloridas, ficou show a página. Excelente Notas de Rodapé. Parabéns a ambos. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Um lindo poema de cunho cultural da nossa amiga e poetisa Maeli Honorato, adornado por belas e expressivas imagens ilustrativas. Versos bem construídos com um detalhamento ímpar. Admirável texto que consta nas Notas de Rodapé. O importante neste momento é a interacao do nosso grupo. Falar desta palavra desprezível "Preconceito" se faz necessário, portanto o preconceito sempre vai existir enquanto o Ser Humano nao fizer por onde evoluir. Parabéns a todos e bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Amiga Geovanna; é importante a nossa interação, somos inteligentes adultos, vale a pena refletir sobre a temática. Você, Geovanna, sempre precisa nas suas colocações. Estamos Unidos em prol deste mal. Nós estamos tristes pelas histórias de Paulo da querida Socorro Almeida e tantas outras que ainda aparecerão por aqui. Seremos o ponto de apoio, a segurança, amigos em total comunhão. Parabéns pela coragem de todos. Este tema não vai parar agora. Bom dia a todos! Beijos

      Excluir