quinta-feira, 7 de junho de 2018

NÃO POSSO...



Socorro Almeida


 NÃO POSSO

Não posso, amor, te amar assim à distância
Desejos me consomem em total ansiedade
Por um toque dos meus dedos em tua pele
Com certeza nas minhas noites de saudade

Não posso sonhar ser-te todo um continente
Pois sou só um istmo do teu corpo, apenas
Uma estrela perdida em toda tua galáxia
Flutuando a esmo e às duras penas


Mas posso sonhar estar aí ao lado teu
Fazer-te minha no teu ninho de amor
Desejando que teu mundo seja meu

Posso vibrar de paixão aqui, pois és capaz
De fazer pulsar nossos corações em flor
Com a desesperança de um prazer mordaz

Socorro Almeida
Recife, 26/05/2018

Notas de Rodapé 


Festa junina no Brasil
As festas juninas no Brasil são, em sua essência, multiculturais, embora o formato com que hoje as conhecemos tenha se originado nas festas dos santos populares em Portugal: a Festa de Santo Antônio, a Festa de São João e a Festa de São Pedro e São Paulo principalmente. A música e os instrumentos usados (cavaquinho, sanfona, triângulo ou ferrinhos, reco-reco etc.) estão na base da música popular e folclórica portuguesa e foram trazidos ao Brasil pelos povoadores e imigrantes do país irmão. As roupas caipiras ou saloias são uma clara referência ao povo campestre que povoou principalmente o nordeste do Brasil e pode-se encontrar muitíssimas semelhanças no modo de vestir caipira no Brasil e em Portugal. Do mesmo modo, as decorações com que se enfeitam os arraiais iniciaram-se em Portugal, junto com as novidades que, na época dos descobrimentos, os portugueses trouxeram da Ásia, tais como enfeites de papel, balões de ar quente e pólvora. Embora os balões tenham sido proibidos em muitos lugares do Brasil, são usados na cidade do Porto em Portugal com muita abundância e o céu se enche com milhares deles durante toda a noite. A dança de fitas típica das festas juninas no Brasil origina-se provavelmente da Península Ibérica.

De origem europeia, as fogueiras juninas fazem parte da antiga tradição pagã de celebrar o solstício de verão. Assim como a cristianização da árvore pagã "sempre verde", que se tornou a famosa árvore de natal, a fogueira a volta do 25 de junho tornou-se, pouco a pouco, na Idade Média, um atributo da festa de São João Batista, o santo celebrado nesse mesmo dia. Ainda hoje, a fogueira de São João é o traço comum que une todas as Festas de São João Europeias (da Estônia a Portugal, da Finlândia à França).

O relacionamento entre os devotos e os santos juninos, principalmente Santo Antônio e São João, é quase familiar: cheio de intimidades, chega a ser, por vezes, irreverente, debochado e quase obsceno. Esse carácter fica bastante evidente quando se entra em contato com as simpatias, sortes, adivinhas e acalantos dedicados a esses santos:

Confessei-me a Santo Antônio, confessei que estava amando.

Ele deu-me por penitência

que fosse continuando.

Os objetos utilizados nas simpatias e adivinhações devem ser virgens, ou seja, estar sendo usados pela primeira vez, senão… nada de a simpatia funcionar
  



https://www.nexojornal.com.br/especial/2016/06/21/A-festa-junina-e-seus-s%C3%ADmbolos


 



10 comentários:

  1. Uau, um soneto muito lindo e sensual da poetisa Socorro Almeida, as emoções vão além da imaginação. A poetisa nos envolve nesta grande viagem. Rimas belas. O poeta Jorge foi preciso nas escolhas das imagens ilustrativas. A nota de rodapé é só alegria e arasta pé no salão. Belas festas juninas. Amei tudo! Parabéns aos poetas pela arte final. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Minha irmã já é "mestra" na arte de transmitir o amor sem mostrar gênero. Gosto demais dos poemas dela. Este superou todos os outros. Parabéns pra ela e para as ilustrações dando ênfase ao tema.

    ResponderExcluir
  3. Um lindo e sensual soneto da amiga poetisa Socorro Almeida. Uma sonoridade mágica, com belas rimas. As imagens definem muito bem a temática, o poeta Jorge sempre preciso. Amei As Notas de Rodapé, o tema junino é só alegria e muito forró no pé. Amei o show das notas informativas. Parabéns a ambos. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha rainha. Não chego aos teus pés, mas teus elogios são de muito valor pra mim. Bjo

      Excluir
  4. Adorei as ilustrações que nosso rei escolheu para o meu poema. Bem pertinente. Obrigada a todos pelo carinho e pelo valor que dão ao trabalho. As notas de rodapé são maravilhas para nosso conhecimento. Bjos pra todos e até breve.

    ResponderExcluir
  5. Mais uma maravilha de Socorro Almeida! A boca fala do que o coração está cheio! Parabéns querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha amiga. "Mesmo longe eu não consigo te esquecer...." (Leno e Lilian)
      Bjos

      Excluir
  6. Mais um poema emocionante da minha amiga Socorro Almeida. Ela sabe externar em versos seus mais profundos sentimentos. Parabéns, amiga. Sou tua fã. Abraços

    ResponderExcluir
  7. Eita, que forró bom animado! Festa que amo dançar, o poeta Jorge foi bom demais nas Notas de Rodapé. Um lindo e expressivo poema da poetisa amiga Socorro Almeida. As imagens ficaram show! Parabéns a todos pela arte final. Abraços

    ResponderExcluir