quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Novas Poesias de Socorro Almeida



O QUE VOU FAZER

O que vou fazer sem o doce mel de tua boca
Tua mão atrevida procurando me tocar
Teu beijo extravagante que só me deixa louca
Tua voz ao meu ouvido na hora de me deitar?

O que vou fazer sem tuas carícias tão queridas
Teu abraço pelos cantos de nossa casa
Teu sorriso sereno, esse brilho no olhar
Cantarolando tuas canções preferidas?

Não quero entender porque te foste de mim
Ou se vale a pena deixar as coisas como estão
Nem sequer saber porque amo tanto assim
Só pra sossegar meu sofrido coração.

Mas, a realidade é tão cruel, meu anjo bom
Minha vida, meu amor amado, minha ilusão
Que vou fazer agora se eu perdi o tom,
Das que cantei pra ti,   minha melhor canção!?

Socorro Almeida
Recife, 28/07/2018

 SAUDADE

Tu me alertaste pra essa dor que sinto agora
Tuas palavras soavam fortes, eu não entendia
Porque pensei que de tua vida me querias fora
Me magoava tua ausência em meu dia a dia

Em ocasiões que hoje não ouso lembrar
Espantava a saudade olhando teu retrato
Se eu pudesse voar pra cair em teus braços
E confessar esse meu gesto insensato...

As paredes desta casa me mostram teu olhar
Faz tanto tempo... fecho os olhos e me rebelo
Ouço ruídos... e alguém lá de fora a me chamar
Quem pode ser? ... Digo não, como num apelo

É minha imaginação em seus devaneios
Sei que a saudade pode nos fazer delirar
Fecho as portas do coração e nos meus anseios
Volto pro meu quarto pra te sentir e te chorar!

Socorro Almeida
Recife, 28/07/2018

UM DIA VOLTARÁS

Estou sozinha, já devia estar acostumada
Aprecio o sol aquecendo teu amor em mim
Folhas caem lembrando o outono que se vai
Murchando a rosa, única flor do meu jardim.

Eu sei que eu já devia estar acostumada
Quando passas por minhas noites assim
Em silêncio... pra que eu não te perceba
Pois te enganas... já fazes parte de mim

Teu vulto não é só miragem dos meus desertos
Mas, a luz que ilumina minhas cores
Não só a sede do meus sois abrasadores
É a mão que me resgata dos desacertos

Fujas de mim, já estou me acostumando
Sei que de mim nunca mais esquecerás
Vou levando a vida e me alimentando
Da esperança que um dia voltarás!

Socorro Almeida
Recife, 24/07/2018






Notas de Rodapé

As Baratas

Atualmente, além de mim, uma outra espécie pensante ocupa meu quarto. – AS BARATAS. Percebo que elas protestam quando digo “meu quarto”, isso porque quando aqui cheguei elas já se encontravam em perfeita harmonia com o ambiente. Mato algumas, de vez em quando, para ter certeza que elas existem, pois já vi muita gente boa internada por vê baratas. Se bem que as minhas baratas são pequenas baratas, não aquelas baratas assustadoras, ameaçadoras que estão sempre dispostas a nos assustarem. Minhas pequenas baratas são baratas adultas, porém pequenas. São simpáticas até, nem assustam, já começo a gostar delas.
Minha intensão não era falar das baratas. Ao pegar o lápis e o papel tinha como objetivo descrever meu dia. Não que elas não sejam importantes, são tão importantes que as primeiras linhas falei sobre elas. Meu dia hoje não foi tão diferente dos demais, também não foi igual. Acordei um pouco mais tarde que o habitual, alguns compromissos marcados anteriormente não precisariam ser cumpridos. Ao acordar, o café já estava pronto, não precisei acordar ninguém, só a mim mesmo. Agora sobra-me tempo.
No trabalho o dia foi bem movimentado. Continuei e alcancei o objetivo que vinha preparando já há alguns dias. Criei um fato novo, e transformei dias monótonos em verdadeiras batalhas ideológicas. Sem falsa modéstia, hoje mim superei. Fui fundo, bem no fundo, no íntimo das pessoas. Fiz rever posicionamentos, posturas, tomar novas atitudes, novos compromissos. Incomodei, manobrei, usei, mas não feri ninguém.
Após tantas discussões, tantos jogos de palavras, tantas manobras, desnudei-me de tudo e te liguei. Naquele instante era só eu. Em volta de mim só energias. Aqueles poucos instantes renovaram todas as minhas forças desgastadas. Entrei em êxtase. Fui almoçar sozinho como de costume. Sem pedir licença, sem perguntar se eu estava disposto ou não; as imagens de minhas filhas tomaram conta de meu pensamento. Junto com as imagens, as lágrimas molhavam meu rosto. Eram lágrimas de saudades, de amor, de dor, de separação. Rondei algumas quadras do Shopping, então voltei para meu quarto.
Já é noite, ponho uma roupa que aqueça meu corpo, pois está frio, e vou até a rua. Ver gente, escutar gente, ser gente. E no quarto as baratas me aguardam.

Jorge da Silva Leite.










10 comentários:

  1. Sensacional página, um momento de arte literária em versos e prosa. Lindos e saudosos poemas da minha amiga poetisa Socorro Almeida, versos recheados de romantismo. A nota de rodapé está brilhante uma Crônica bem escrita com uma temática digna de aplausos. Lembrei-me do excelente livro "A Metamorfose" do ilustre escritor Franz Kafka e suas transformações interiores e exteriores... encantada pela desenvoltura do grande poeta e escritor Jorge Leite. É prazeroso ler-te meu sábio irmão. As ilustrações estão impecáveis. Muita riqueza nas mensagens. Parabéns pelo sucesso do blog. Aplausos para a arte final. Beijos de Luz! Bom dia a todos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Betinha, realmente os poemas de Socorro Almeida são ricos em saudosismo e romantismo. Amei todos. Quando ao seu elogio comparando minhas baratas ao clássico "Metamorfose" de Franz Kafka é um assombro. Mas adorei seu comentário. Beijos.

      Excluir
  2. Uma belíssima página, com excelentes poemas da amiga poetisa Socorro Almeida, versos mágicos, tecidos com muito romantismo e um toque leve de sensualidade. As imagens estão deslumbrantes, inovadoras e por que não dizer: marcantes. Já a nota de rodapé é um verdadeiro espetáculo, uma crônica muito bem escritas, com mensagens contidas nas entrelinhas das palavras. A temática são de vivências e transformações diárias. Também lembrei-me do clássico de Kafka... Parabéns aos autores e aplausos pelo conjunto. Bom dia a todos! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo poeta e escritor Jorge Leite, já conversei com Bete, e quero parabenizar-lhe pela iniciativa e as mudanças no blog. Ciente e de acordo com tudo! Valeu pela inovação! Forte abraço.

      Excluir
    2. Caro Maciel, continuo contando com sua presença no Blog, estou no aguardo de suas poesias. Adoro o seu tema preferido e espero publicar muitas poesias suas com seu toque especial, afinal erotismo faz bem para a saúde, use sem moderação. Um abraço.

      Excluir
  3. Claro que sim, vou continuar contribuindo com os meus poemas sensuais. A saúde em primeiro lugar! Pode ficar descansado e contar comigo, afinal de cotas, o Blog é de amigos para amigos. Abraços e Parabéns mais uma vez!

    ResponderExcluir
  4. Lindíssima página, lindos e românticos poemas da amiga poetisa Socorro Almeida, que nos deleita com versos encantadores. A nota de rodapé está fantástica, uma Crônica fascinante do amigo Jorge Leite, com mensagens no contexto individual, suas vivências diárias e suas transformações. Excelentes imagens ilustrativas. Amei tudo! Um verdadeiro show de talentos. Gostei das mudanças no Blog, assim fica menos cansativo para os poetas e sobra mais tempo para os leitores relerem as postagens compartilhadas. Parabéns aos poetas e abraços a todos!

    ResponderExcluir
  5. Essa narrativa sobre as baratas foi hilária e interessante, com um toque poético no final. Fala sério, amigo, só as baratas te esperavam naquele quarto??!! Rsrsrs.! Não seria uma pena?
    Quanto aos meus poemas...eles ficam mais lindos ainda quando publicados aqui, porque nós poetas sabemos a emoção que sentimos quando somos reconhecidos, não é? Eu sinto essa emoção por aqui, quando leio os comentários carinhosos de todos. Por isso, estou sempre criando coisas novas. Abracei agora uma nova figura literária e se me permitirem, mandarei para vossa apreciação. Só me resta agradecer. Mais palavras me faltam agora. Obrigada a todos e até breve!


    ResponderExcluir
  6. Que maravilha de página, lindos e expressivos poemas na nossa amiga poetisa Socorro Almeida, romantismo na medida certa. Uma belíssima nota de rodapé, uma crônica muito bem escrita pelo amigo poeta Jorge Leite, que descreve suas vivências diárias, momentos de mudanças e solidão. As imagens ilustrativas estão dando um show. Já estou ciente das mudanças no blog e gostei bastante. Parabéns aos poetas e aplausos pela arte final. Abraços

    ResponderExcluir
  7. Um belíssimo momento de poesia, versos românticos e saudosos da amiga poetisa Socorro Almeida, deslumbrantes e criativas ilustrações bem a gosto do ilustrador. A nota de rodapé traz uma crônica linda e recheada de mensagens do amigo poeta Jorge Leite. Uma página perfeita. Parabéns aos poetas pela inovação. Bom dia! Abraços a todos...

    ResponderExcluir