sábado, 18 de agosto de 2018

Ser Criança...


                           A PEQUENA BAILARINA

          Rutinha era uma criança triste porque não conhecia os seus verdadeiros pais, ela tinha sido abandonada, ainda pequenina, na porta do orfanato, Menino Deus e foi educada pelas freiras daquela Instituição que a adotaram como se fosse uma verdadeira filha. Agora aos sete anos de idade, como qualquer outra criança, ela tinha um sonho. A garota queria ser bailarina, para poder rodopiar e bailar ao som de uma linda melodia...
          Tudo começou quando a pequena, Maria Rute, ganhou, em seu último aniversário, um porta-joias de presente, que na verdade era uma caixinha de música que ao ser aberta surgia lá de dentro uma belíssima bailarina, vestida de rosa, que bailava ao som da inesquecível música de Elis Regina “O Bêbado e a Equilibrista”. A garotinha era fascinada pela caixinha de música, ela não se interessava por nenhum outro brinquedo, nem bonecas, nem casinhas e nem tão pouco panelinhas. Maria Rute tinha a pele escura, cabelos longos e encaracolados, olhos pretos e brilhantes e um rosto bem contornado. Nas suas horas vagas, ela gostava de ficar em frente ao espelho, na ponta do pé, bailando e rodopiando; abria a caixinha de música e deixava à imaginação voar e, assim ficava imitando a bailarina com muita perfeição; permanecia por horas sonhando acordada, fechava os seus olhinhos e se via em um enorme palco dançando para uma grande plateia que a aplaudia; toda à cena se passava em sua mente como se fosse flashes de um filme...
          Uma certa manhã, em que o sol já havia resplandecido no horizonte e seus raios alaranjados e cintilantes iluminavam pelas frestas da janela, o quarto da menina Rutinha que despertara de seu sonho, pela voz suave da irmã Júlia que a chamava insistentemente:
          - Rutinha, acorde que vamos sair! Rutinha, levante-se! Nós vamos ao Vilarejo apanhar uma encomenda para a nossa Madre Superiora.
          A garotinha, ainda sonolenta, se levantou da cama, prendeu o cabelo e cumprimentou à freira:
         - Bom dia, irmã Júlia! Nós vamos passear?
         - Não, queridinha Rutinha, vamos apanhar uma encomenda! Mas, não deixa de ser um passeio, tome seu banho e vista um vestido bem bonito, que logo venho te buscar. Falou e saiu do quarto.
         A menina ficou bem feliz, pois ela dificilmente saia daquele convento, será uma oportunidade de olhar o mundo lá fora e contemplar um lindo arco-íris colorindo o céu. Ela trocou de roupa e ficou sentada esperando a hora de sair...
          Aproximadamente às 10h00 horas elas chegaram ao Vilarejo e foram direto apanhar a encomenda. Logo após elas aproveitaram para passear e conhecer o pequeno comércio, enquanto aguardavam o horário do motorista vir apanhá-las. Rutinha estava perplexa olhando tudo a sua volta, as lojas de brinquedos e o comércio em geral. Repentinamente, uma jovem passou por elas e deixou cair no chão um pacote de dinheiro, Rutinha se abaixou, apanhou o embrulho e entregou à jovem. A moça ficou muito emocionada pela ação da menina e agradeceu muito e a presenteou com dois convites para um espetáculo de Balé, A Caixa Mágica, que seria realizado às 14h00 daquele mesmo dia. Rutinha segurou os convites e começou a chorar de emoção. Em poucos minutos o motorista chegou ao local combinado e falou para irmã Júlia que precisou deixar o carro no conserto e que o mesmo só estaria pronto à noitinha. A irmã Júlia olhou fixamente para Rutinha e falou:
          - Querida, nós vamos assistir ao espetáculo do Balé, enquanto aguardamos o carro ficar pronto.
          - Irmã Júlia, estou muito feliz por isso! Responde-lhe a garotinha sorridente.
          Às 14h00 começou o espetáculo, a menina estava radiante de felicidade, não sabia se chorava ou se sorria, ela não desviava seu olhar do palco, o cenário era deslumbrante, era pura magia e fascinação. E de repente, as cortinas vermelhas se abriram e a música “O Bêbado e a Equilibrista” começou a tocar, de início bem baixinho e foi aumentando gradativamente; em poucos segundos, entrou no palco um bêbado empurrando uma grande caixa, ele quedou-se lá, sozinho, junto à caixa que lentamente vai se abrindo... a imaginação da garota voa... de dentro da caixa surgiu Rutinha vestida de bailarina, em um passe de mágica o bêbado se transformou em Carlitos e, eles começaram a bailar, rodopiando como piões, da mesma maneira que ela fazia em seu quarto, pois o balé para ela tinha o poder de encantar e provocar suspiros por toda a plateia, e foram tantos passos mágicos que duraram uma eternidade. Já era quase noite quando o espetáculo terminou, as cortinas se fecharam, as luzes se apagaram, a música parou e o sonho terminou...
          Os tempos se passaram, mas aquele espetáculo de Balé ficou eternizado na memória da garota, pois foi o primeiro passo para a realização de seu sonho.
          Atualmente, Rutinha é uma famosa bailarina que vivi feliz a bailar...
          Elisabete Leite – 09/08/2018
  
                   
SER CRIANÇA...

Ah, ser criança é brincar e viver feliz!
É fazer parte de um mundo de magia,
Sonhar com palhaço de bola no nariz
Viver sorrindo ou chorando de alegria
É nas lições da vida ser bom aprendiz...

É transformar o seu mundo em fantasia,
É acreditar que tudo pode ser possível
É acordar já cantando uma doce melodia
É ser uma companhia leal e inesquecível
Ser capaz de tecer uma belíssima poesia...

Ah, ser criança é saborear algodão doce!
É chupar pirulito, sorvete e se lambuzar
Não se incomodando se o dia é agridoce,
Pois aproveita os momentos e sabe amar
Sempre olhar a vida de modo suave, doce...

É acreditar em um mundo todo cor-de-rosa,
Cheio de pipocas, jujubas, boas brincadeiras
É transmitir Amor de maneira bem calorosa
É não parar de falar, ser bem conversadeira
Sabe escrever em belos versos e em prosa...

Ser criança, também, é saber interpretar,
É transformar até as lágrimas em sorrisos
Brincar de bonecas, de carrinhos e dançar
É viver sem nenhuma tristeza, só com risos
Sair da caixinha mágica, simplesmente bailar.

Elisabete Leite – 12/08/2018


SEGUNDA LEITURA

Em comemoração ao expressivo número de 100.000 visitas ao nosso blog "MAÇAYÓ", publicamos uma poesia já postada em outro momento, mas que tem tudo a ver com a página atual.

Recordações*

Tantas coisas aprendi,
Tanto tempo já passou,
Parece até que esqueci.
Mas nada disso mudou.
Ficaram todas guardadas
No fundo do coração,
Sonhando com o dia
De poder lhe ensinar.

Tantas coisas aprendi.
Espero poder mostrar
Como se faz uma pipa
Também como empinar
Vendo-a subir no céu,
Nas asas da ventania
Com ela seguem os sonhos
E todas as fantasias.

Nas pequenas bolas de gude
Tão coloridas quanto a vida,
Quero te ensinar as batalhas
Algumas delas perdidas,
Mas tantas foram vencidas
Na base da pontaria
Causando tanta alegria.

Como rodar um pião
Na palma de minha mão
É coisa que aprendi
Com meu amigo Tião
Quantas brigas travamos
Por um pedaço de chão
No qual pudesse rodar
Somente o nosso pião.
Nas noites de São João
Além das adivinhações
Tudo era alegria
Quando se soltava balões.
Quantas guerras travamos
Atrás das bananeiras
Onde as armas, simplesmente,
Eram os temidos rojões.

Somente com valentia
Jacaré a gente aprende
Nas cristas das ondas altas
Nós seguíamos contentes
Mesmo que o prêmio seja
Um corte no nariz da gente.
E não se podia chorar,
Pois quem chora
Não é valente.

Tantas coisas aprendi
E quero tanto mostrar
Como armar alçapão
Passarinho poder pegar.
Calango se caçava
Com tiro de atiradeira
As balas, tão bonitas,
Eram de carrapateira.

Pescar com caniço,
Quanta emoção
As piabas que pescávamos
Devolvíamos para o mar
Pescador que se preza
Piaba não quer levar.

Tantas coisas aprendi
Que choro só em lembrar
Todas guardei bem trancadas
No fundo do coração
Tendo a esperança que um dia
Tudo poder lhe ensinar.

Jorge Leite, São Paulo – Recife

                        1970 -2018

* Poesia publicada em 30/06/2018.







https://pixabay.com/pt/








11 comentários:

  1. Emoção, sentimento, magia, colorido, fascinação e acima de tudo muita alegria... A página de hoje é assim, como o coração de uma criança simples, puro, generoso e muito feliz. Estou muito sensibilizada e agradecida por mais um Conto publicado em nosso Blog, são tantas emoções vividas por aqui que já perdi a conta. O enredo do Conto é mágico, eu sempre almejei ganhar uma caixinha de música, era um sonho, mas não ganhei, porém dei de presente as minhas filhas. Amei todo cenário, as deslumbrantes ilustrações e os notáveis poemas. A segunda leitura em homenagem as 100.000 visitas ao Blog é pura fascinação, são versos lindos e criativos do meu irmão poeta, Jorge Leite. Encantada pelo sonho de ser criança, que nunca deixemos de sonhar. Como é bom voltar a ser criança! Excelente leitura a todos e obrigada aos leitores pelas visitas. Abraços...

    ResponderExcluir
  2. Pois é Bete, como ficou mágica essa página! Um Conto fascinante, com muitas emoções, sentimentos, ação, colorido em uma história comovente dessa minha amiga. o Conto é muito fofo, assim como Rutinha, a protagonista principal desta belíssima narrativa. Os poemas são lindos e nos transportam para o tempo bom de ser criança. Uma página com ilustrações de um mundo fantástico e colorido, que é o universo da criança. Parabéns aos poetas e ao blog pelas visitas. Tudo show! Bom sábado a todos! Abraços

    ResponderExcluir
  3. Oi tia bete estou com medo de escrever e minha irma chata ta aqui pra ajuda a senhora disse para eu ler a pequena bailarina eu li tudinho e gostei sabe fessora eu quero escrever como voce tanta foto linda sou islayne beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Islayne! Estou muito feliz pela sua visita, espero que você tenha apreciado tudo por aqui. Quero te agradecer pela sua leitura e gentil comentário e dizer-lhe que você escreveu direitinho. Seja bem-vinda ao Universo da criança e aproveite para fazer novas leituras em outros Contos infantis. Beijinhos coloridos em seu coração. Tchau Layne!💖

      Excluir
  4. Uma página colorida, mágica, leve e belíssima. Um Conto envolvente que nos emociona do início ao desfecho, uma narrativa lindíssima e perfeita da minha amiga poetisa Elisabete Leite, um cenário cor de rosa, um sonho realizado. Os poemas são poesias dentro de poesias e já as ilustrações fazem parte das brincadeiras infantis, da magia de ser criança. Parabéns aos amigos poetas pela encantadora página e ao blog aplausos pelas visitas. Tudo é um sucesso! Abraços a todos e feliz sábado!

    ResponderExcluir
  5. Mais uma obra de arte da nossa amiga poetisa Elisabete Leite. Um Conto lindíssimo, emocionante e muito mágico, o cenário é atrativo para a criançada, é ingressar nesse mundo colorido e se divertir como uma criança. A página toda está rica em mensagens e conteúdos, com belíssimos poemas para o deleite infantil. As ilustrações escolhidas pelo amigo poeta Jorge Leite estão dando um show à parte. Parabéns a ambos pelo conjunto, como também ao blog pelo sucesso. Um feliz sábado a todos e abraços. Amei o comentário da pequena Islayne! Tudo muito belo por aqui!

    ResponderExcluir
  6. Eita que página magnífica, bem detalhada com todos os ingredientes do mundo mágico das crianças. Um Conto sensacional e emocionante e que nos deixa uma mensagem notável, da minha grande amiga Elisabete Leite que para mim é especialista nos temas coloridos. Eu amo essas temáticas infantis, muito bom viajar pelo universo da garotada: comer algodão doce, me encher de jujubas coloridas e brincar de rodar pião, como também outras brincadeiras que jamais serão esquecidas. As imagens acompanham um mundo de sonhos, o poeta Jorge Leite acertou no poema, tudo perfeito. Ser Criança é tudo isso os poemas de Bete e Jorge descrevem muito bem. Parabéns pelo conjunto e ao blog por tantas visitações. Abraços e boa tarde!

    ResponderExcluir
  7. Venho aqui prestigiar minha amiga com o seu brilhante Conto, me senti Rutinha, espero não haver perdido o espetáculo de Balé, acho maravilhosa a música da Elis Regina, a temática me fez voltar ao tempo de criança, onde tudo era pura magia e muita diversão. Os poemas compartilhados aqui acompanham o universo infantil, lindos e sensíveis versos. Parabéns aos meus queridos amigos por esse momento de arte. As imagens ilustrativas como sempre pertinentes e dão um show. Estou feliz em interagir e participar dessa fantástico Blog. Muitas visitas, pois tudo aqui é sucesso! Saudades de todos vocês... Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Uma lindíssima página, a magia de um mundo colorido, ser criança é ser feliz. Um Conto belíssimo e encantador onde as emoções afloram e os sentimentos contagiam... é muito gratificante poder acompanhar a criatividade e esse leque de opções que a amiga poetisa Elisabete Leite tem para nos emocionar, essa temática é de arrebentar corações, pois eu mesma sempre desejei ganhar uma caixinha de música. As ilustrações completam com perfeição o sonho de criança. Os poemas são lindos e envolventes, somente me resta aplaudir os poetas. O amigo Jorge Leite deve estar orgulhoso pelo sucesso do Blog. Parabéns pelo seu compromisso, profissionalismo e amizade para conosco. Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  9. Um fascinante Conto, uma marração mágica, que fala da pureza de uma criança e seu sonho, de se tornar uma bailarina, um tema rico em conteúdo e lições diárias bem ao estilo da amiga poetisa Elisabete Leite. Os poemas compartilhados pelos poetas são incríveis e completam o tema abordado. O poeta amigo Jorge Leite foi preciso nas escolhas das imagens, um cenário colorido e ideal para nossa criançada. Parabéns pela excelente partilha e para o blog pelo sucesso. Abraços a todos e uma bela noite.

    ResponderExcluir
  10. Eu quero agradecer a todos os amigos, amigas, alunas, alunos, familiares, leitores em geral pelas frequentes visitas, gentis comentários e provas de amizade. O blog sem vocês não seria iluminado, seus brilhos resplandecem nas fascinantes páginas desta catinho do saber, nos incentivando e enchendo de alegria os nossos dias. Quero também agradecer ao meu irmão querido, poeta Jorge Leite, pela dedicação de ilustrar nossas artes e embelezar mais ainda o cenário com suas Crônicas, Contos e poemas azuis. Lisonjeada e agradecida desejo-lhes um bom domingo! Obrigada Jorge! Muito obrigada a todos!

    ResponderExcluir