domingo, 14 de outubro de 2018

Lua sem Mel


Edição Nº 235
                             UMA LUA SEM MEL

          Um dia, em uma manhã de inverno fria e penetrante, em uma cidade interiorana da grande São Paulo, o vento soprava com intensidade, raios riscavam o céu de um canto a outro e, o clima congelante não permitiu que o jovem Miguel acordasse mais cedo, ele já estava bastante atrasado para sua viagem de Lua de Mel. O rapaz permanecia sentado na cama soltando suspiros de alegria, pois ele tinha certeza que seria feliz ao lado da mulher que tanto amava, a doce e bela Estela.
          Miguel era proveniente de uma família de classe alta, único herdeiro de uma indústria automobilística que ele mesmo administrava, porém era uma rapaz honesto e bem-educado. Enquanto Estela era proveniente de uma família de classe média, a garota ainda  estava se recuperando de um terrível acidente de carro que a deixou traumatizada, ela teve várias escoriações pelo corpo e um corte profundo na perna direita, porém infelizmente a sua irmã gêmea, a vaidosa Valentina, não teve a mesma sorte que ela, não conseguiu suportar a gravidade dos ferimentos e veio a falecer no mesmo local do trágico acidente. Estela e Valentina eram quase idênticas fisicamente, a única diferença entre as irmãs, era um sinal preto, de nascença, que Valentina tinha atrás da perna direita. Porém, em personalidade, elas eram bem diferentes em tudo: Estela era suave e simples por natureza, enquanto Valentina era amarga e muito vaidosa... Miguel e Estela se conheceram em uma Boate, Clube 21, eles namoraram, noivaram e se casaram em menos de um ano, estavam apaixonados. O casal tinha muitos planos, um futuro promissor.
          Miguel se levantou da cama e foi terminar de arrumar suas malas. Logo, Estela entrou no quarto para apressá-lo.
          - Bom dia, meu amor! Você dormiu bem? Já estamos atrasados, eu quero chegar depressa ao campo e poder sentir o aroma inebriante de terra molhada. Disse-lhe Estela.
          - Bom dia, minha vida! Claro que eu dormi bem, pois ao seu lado estarei sempre bem. Mas, eu ouvi você gemendo de dor! O que houve? Levantou-se várias vezes. Querida, você tem certeza que quer passar nossa Lua de Mel em um Hotel Fazenda? Você sempre teve pavor a mosquito, tem medo de qualquer tipo de inseto, morre de susto de uma pequena aranha. Miguel falou e permaneceu admirando a exuberância da mulher.
          - Meu amor, você sabe muito bem que a morte de Valentina me deixou muito abalada; eu preciso respirar ar puro, pois alguns dias no campo me fará bem. Ainda, sinto muita dor na perna e ontem não foi diferente. Respondeu-lhe Estela.
          Miguel, se aproximou da esposa, fez um afago na face rosada da garota e beijou-lhe perdidamente...
          Miguel e Estela viajaram mesmo debaixo de muita chuva, de um verdadeiro temporal, a cerração era tanta na estrada que dificultava a visibilidade...  De repente, Miguel parou seu carro em frente a um Posto de Gasolina para abastecer, mas percebeu que estava vazio, quando foram surpreendidos por três marginais encapuzados, um deles portava um revólver calibre 38 e os outros espingardas, eles anunciaram o assalto e exigiram que Miguel descesse do carro, mas o rapaz não queria descer; os bandidos puxaram Miguel à força, o espancaram e saíram em disparada, levando o carro dele com Estela dentro, que aos berros pedia socorro. Miguel ficou desmaiado por alguns segundos e, despertou em seguida, ele ficou desesperado pelo ocorrido, foi para estrada pedir socorro, mas sem sucesso, pois a estrada estava completamente deserta. Em poucos minutos, os bandidos responsáveis pelo assalto, fizeram contato com Miguel, pois o celular tinha ficado no bolso da calça dele, os assaltantes pediram um resgate milionário em troca da vida de Estela... Depois de algumas horas, Miguel conseguiu providenciar o valor solicitado pelos supostos sequestradores e resgatou sua esposa, sem nenhum ferimento, em uma propriedade indicada pelos bandidos. Já era noite, a lua prateada dava seu espetáculo no céu, quando o casal retornou para casa, da viagem somente restou uma Lua sem Mel...
          Já em casa, Miguel envolveu Estela em seus braços, pois queria ter a certeza que ela estava bem e perguntou-lhe carinhosamente:
          - Minha vida, você está bem? Eles machucaram você? Por favor, eu te amo! Você parece tão triste!
          Miguel, eu preciso falar contigo? Eu estou bem, agora! Foram momentos difíceis, mas eu estou um pouco mais calma. Respondeu-lhe friamente.
          Estela se afasta do marido e continua falando:
          - Miguel, estou muito confusa! Eu quero o divórcio! Estou pretendendo deixar o Brasil, depois de tantos acontecimentos quero mudar para outro lugar e esquecer tudo.
          - Meu amor, o que aconteceu? Não estou entendendo mais nada! Fique ao meu lado, por favor! Eu te amo! Eu te amo muito! Isso tudo vai passar. Miguel falou e ficou chorando sem parar.
          O inverno acabou e o tempo passou... Miguel e Estela se separaram foram viver cada um a sua vida. Mas, Miguel não conseguiu esquecer Estela, ele pretendia procurar a ex-mulher e, no dia da assinatura do divórcio ele se aproximou dela, na intenção de reconquistá-la, mas sentiu que Estela já não era a mesma, ela parecia outra pessoa, a decepção que ele teve foi maior que a dor do amor, da saudade que dilacerava sua alma. Miguel olhou, fixamente, para a ex-mulher dos pés à cabeça e descobriu que tinha sido enganado o tempo todo. Ele deu a volta e foi embora.
          “A dor é o preço que se paga por confiar em quem não merece.”
          Elisabete Leite – 11/10/2018
 
DOR DA SAUDADE
Ah! Esta dor que sufoca Minh’ alma
Que aperta bem lá dentro do peito,
Causa tristeza, rouba a minha calma
E que não me permite dormir direito...

Comprime o músculo do meu coração
Deixa, até um grito preso na garganta
Promove o choro, provocando solidão
Pois destrói os sonhos que se planta...

É dor que tira minha vontade de viver
Ofusca meus olhos, encobrindo a visão
Impede-me de olhar o belo amanhecer
Lágrimas escorrerem, de tanta emoção...

Uma dor constante, que cresce todo dia...
Que leva para longe, minha esperança
Nostálgicos, são os versos desta poesia
De tristeza, são as minhas lembranças...

Dor, que me inibe de contemplar a lua
Encobre a luminosidade da minha vida
Provoca um vazio, fico sozinha pela rua
Sem direção certa, sem norte, perdida...

Saudade que acaba com minha alegria
Fazendo sentir-me presa, sem liberdade
Também tira o samba, minha alegoria
Ah, como é intensa a dor da saudade!
Elisabete Leite – 14/06/2018
DORES DO AMOR

Folhas mortas voando ao chão
É o vento que traz o desamor
O coração partido de desilusão
O tempo carrega seu esplendor...

Sentimento que deixa decepção,
E esconde o desabrochar da flor
Até o nascer do broto na estação
Só resta uma vida inteira de dor...

Tristezas comprimem o coração
A incerteza retira da vida, o sabor
Deixando sem briós, só comoção...

Tudo fica sem brilho, sem o calor
A alma, vazia, perde a sensação
São dores da vida, dores do amor.

Elisabete Leite
Leitura Complementar

NÃO ENVELHEÇA MEU IRMÃO

Não envelheça meu irmão...
Envelheça o corpo, mas não a alma.
Envelheça as mãos, os pés, mas não a mente.
Envelheça a coluna, mas não se envergue.
Envelheça a vida, mas não a semente.
Envelheça quase todo, menos seu coração.

Não envelheça meu irmão...
Amigos partem e envelhecem,
Mas suas lembranças não.
Os filhos crescem e partem,
Mas não parta o coração.
As brigas ficam para trás,
As ilusões até já se foram,
Essas não voltam mais.

Não envelheça meu irmão...
O melhor da vida são os sentimentos,
Laços de amor, o alimento do coração
Belas lembranças, grandes momentos
A nossa família, as doces recordações
Oásis para nossa alma, o nosso alento...

Não envelheça meu irmão...
Deixe a juventude fluir do seu interior,
Livre-se das tristezas que tiram a razão
A sua presença enche a família de Calor,
É a chama que aquece o nosso coração
Envelhecer não, queremos o seu Amor! 

Jorge Leite & Elisabete Leite


Nota de Rodapé
Vídeo

Ficha técnica completa

Título To Sir, with Love (Original)
Ano produção 1967
Dirigido por
Estreia
14 de Junho de 1967 ( Mundial )
Outras datas
Duração 105 minutos
Classificação
Gênero
Países de Origem

Sinopse

Um jovem professor enfrenta alunos indisciplinados e desordeiros, neste filme clássico que refletiu alguns dos problemas e medos dos adolescentes dos anos 60.
Sidney Poitier tem uma de suas melhores atuações como Mark Thackeray, um engenheiro desempregado que resolve dar aulas em Londres, no bairro operário de East End.
A classe, liderada por Denhan (Christian Roberts), Pamela (Judy Geeson) e Barbara (Lulu, que também canta a canção título), estão determinadas a destruir Thackeray como fizeram com seu professor, ao quebrar-lhe o espírito.
Mas Thackeray, acostumado as hostilidades, enfrenta o desafio tratando os alunos como jovens adultos que breve estarão se sustentando por conta própria.
Quando recebe um convite para voltar a engenharia, Thackeray deve decidir se pretende continuar.




REFLEXÕES DE EDUCADOR

 A árdua profissão de educador
 Faz arder meu coração
 Uma razoável remuneração!?
 Para sustentar uma profissão de sonhador
 Vivendo uma vida real com amor...
 E ensinando com abnegação,
 O seu ofício, na alegria, ou na dor
Valorizando a mais leve emoção...
Assim, para formar Cidadão
 Precisa ter Amor e dedicação
 Para caminhar na educação
 Tem que ser Professor de Coração!
 Porque a aptidão supera a formação

Nesta incrível missão de um Professor.

                                                                                Elisabete Leite/2018
                                  Parabéns Professores - Salve15/10
       (A todos os professores e professoras, companheiros(as) das lutas diárias)
     

19 comentários:

  1. Emocionada, agradecida, muito realizada e feliz por mais um Conto publicado em nossa cantinho do saber, o Blog Maçayó. Hoje, compartilhamos uma leitura mais adulta, um Conto que envolve mistério, suspense, que na verdade é uma teia de intrigas amorosas... Muito tenho para me emocionar por aqui, tanto pelo dueto (NÃO ENVELHEÇA MEU IRMÃO) em parceria com o meu irmão e grande poeta Jorge Leite, que é dedicado ao meu querido irmão Antônio Jessé, como também pela homenagem aos amigos e amigas, os companheiros professores. Tudo nesta página me emociona das deslumbrantes ilustrações ao singelo vídeo "Ao Mestre, com Carinho", tantas incríveis lembranças com ele. A emoção não me deixa comentar. Obrigada a todos e em especial ao Jorge, meu mestre. PARABÉNS PROFESSORES! SALVE 15/10 Abraços

    ResponderExcluir
  2. Sensacional, um verdadeiro show de página, em conteúdo e enredo, muito suspense, mistério, que prende o leitor do início ao desfecho, vou tecer minhas opiniões, acho que a personagem Valentina não morreu, ela ficou saiu viva do acidente e assumiu a identidade da doce Estela para tirar proveito, reli e vou ler novamente, pistas foram dadas no decorrer da narrativa. As ilustrações estão impecáveis como sempre, os poemas publicados e o dueto ficaram belíssimos. Sem deixar de falar na homenagem aos Mestres em Educação, os professores. Fique emocionado ao assistir o vídeo. Um domingo para se emocionar e se surpreender. Parabéns aos poetas, Elisabete e Jorge. E um FELIZ DIA DOS PROFESSORES a todos! Abraços. Aplausos pelo Conto amiga professora Bete, pois você é 1000 (Mil)... Tudo lindo por aqui!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, pessoal! Hoje, volto para comentar esta página brilhante, bem mais adulta que a de ontem, mas tão rica em conteúdo e beleza. Um Conto belíssimo e surpreendente, um enredo que, infelizmente, ainda acontece em nosso cotidiano. Os poemas lindos da professora Elisabete Leite completam o tema e o belo Dueto que emociona qualquer um, tudo que foi compartilhado está perfeito, das imagens as homenagens. Feliz dia dos Professores! E agradecida por partilhar comigo. Saudações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 15 de Outubro - dia do Professor
      Parabéns a todos os queridos professores. Que Deus os ilumine e os proteja sempre!

      Excluir
  4. Eita, que página sensacional! Um Conto de tirar o fôlego, lindo, emocionante, surpreendente, já reli duas vezes para buscar as pistas que Maciel falou e encontrei várias no decorrer da narrativa, concordo com Maciel em algumas colocações, o corte na perna de Estela, na perna direita onde sua irmã gêmea tinha o sinal, acho que a Valentina morreu mesmo e Estela provocou o corte para confundir Miguel e tirar proveito da situação. Poxa Bete, se posiciona, por favor! Tudo lindíssimo: os poemas, o dueto em homenagem, o vídeo do filme (que vou aproveitar e assistir de novo), as ilustrações e a homenagem aos professores. Uma página riquíssima em conteúdo e beleza. Parabéns ao Jorge e Bete e Feliz dia dos Professores. Show... Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia a todos! Paulo meu amigo, se eu te contar o enredo na íntegra o Conto perderá a graça, o suspense e o mistério vão deixar de existir, as incertezas no enredo foram proposital, para possibilitar ao leitor um leque de opções, uma viagem pela narrativa e vários desfechos à escolha do leitor. Pense direitinho que as pistas estão bem visíveis. Obrigada querido pela leitura e gentil comentário.

      Excluir
  5. Um Conto maravilho, com tudo que o leitor precisa para navegar na narrativa, muito suspense, mistério, intrigas, dúvidas, dores, perdas, saudades e mentiras. Sabe o que é pagar um resgate milionário e a suposta vítima pedir em troca o divórcio, é mesmo para enlouquecer quem pagou, principalmente quando é apaixonado, o bom marido e a mulher de mau caráter. Uma Lua sem o Mel, eu amei esse título. Vou reler! Tudo na página está perfeito, os poemas, o vídeo do filme, as ilustrações. Na Leitura complementar o dueto de Jorge e Elisabete, os irmão Leite, deram um show de poesia. Parabéns aos poetas e Feliz Dia dos Professores! Salve 15/10... PARABÉNS AMIGOS E AMIGAS, MEUS PROFESSORES FAVORITOS! Abraços...

    ResponderExcluir
  6. Bom dia a todos! Tudo belíssimo neste Conto, emoções, mistério e tantos outros temperos que tornam o conto surpreendente, a professora Elisabete Leite mais uma vez foi brilhante. Queria que Bete explicasse como ela consegue ser tão perfeita nas diferentes temáticas e gêneros, como narra um conto infantil e outro adulto com tanto talento. Os poemas estão lindos e o dueto é emocionante. Agradecida pela bela e sensível homenagem ao nosso dia. Parabéns professores! Um feliz dia! Que a nossa missão seja exercida com Amor e Sabedoria. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, professora Carmem! Estou muito feliz pela visita de todos vocês. Primeiramente, obrigada pelo seu gentil comentário. Não sou perfeita nem como pessoa nem como escritora, eu procuro desenvolver a temática de maneira precisa, fazendo que o leitor viagem na imaginação dele, buscando o desfecho dele, fazendo com que o leitor siga construindo as histórias das personagens. Eu apenas direciona o percurso a ser pecorrido, pois o leitor é que acha o caminho desejado, assim se apresenta a construção de um conto adulto. Já nos Contos infantis eu mergulho no universo da criança, mostro o caminho e pecorro juntamente com eles, os pequeninos. Porém o mais difícil em uma narrativa infantil é o lúdico, o brincar de esconde-esconde com o leitor mirim, é dar asas à imaginação, é deixar o conto atrativo para que o leitor mirim possa navegar na leitura sem abandonar a história narrada. Espero ter respondido sua pergunta amiga Carmem. Volte sempre! Beijos🌹

      Excluir
    2. Excelente explicação professora Bete, é assim mesmo que você passa em suas narrativas. Boa tarde e parabéns!

      Excluir
  7. Venho, hoje, prestigiar minha amiga poetisa com o se novo conto, uma narrativa adulta, cotidiana, com suspense, mistérios e mentiras. O enredo foi muito bem estruturado onde a personagem Estela se torna confusa, que passa a confundir também o leitor, concordo com Maciel sobre a morte de Estela, ainda vou mais além, acredito que Valentina tenha arquitetado tudo. Adoro essas narrativas onde o leitor constroi o seu desfecho. A página toda está lindíssima, com poemas lindos e expressivos, ilustrações pertinentes ao tema, o dueto da Leitura Complementar emociona pela sua beleza. Amo esse filme "Ao Mestre, Com Carinho", já estou com vontsde de chorar. Parabéns ao meus amigos poetas Elisabete Leite e Jorge Leite. Feliz Dia dos Professores! Tantas saudades, igual ao poema de Bete, como é dolorida à Saudade... Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz Dia Dos Professores!

      Vocês Mestres que não tem poupado esforços para ensinar e orientar com sabedoria, que o senhor continue os iluminando sempre! PARABÉNS!

      Excluir
  8. Um excelente Conto, que é um drama surpeendente que nos faz refletir sobre o amor por interesse e passageiro, uma narrativa recheada de mistério, suspense, emoções e grandes mentiras. As ilustrações bem pertinentes ao tema abordado. Lindos e sensíveis poemas e um dueto lindíssimo e emocionante. Ah pessoal, como eu gosto desse filme, a música é perfeita. Uma homenagem merecida aos Mestre, aos Professores do Blog e todos os que aprendem ensinando. Parabéns aos poetas pela belíssima página e um Feliz Dia dos Professores! Pois, sem a profissão de Educador não existiriam as demais profissões. Salve 15/10 - Bravo! Parabéns Bete pelo seu dia. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 15 de Outubro
      Dia do Professor!
      Uma profissão que deveria ser muito mais valorizada, já que, sem ela, não haveria nenhuma outra.
      PARABÉNS AOS PROFESSORES!

      Excluir
  9. Eu acredito que um dos assaltantes era amante da Estela e que tudo foi combinado para extorquir dinheiro do rapaz. História interessante. Os poemas são lindos. Parabéns aos irmãos. Abraços

    ResponderExcluir
  10. Um Conto excepcional, cheio de suspense, mistério, mentiras, ação, em um enredo fantástico da amiga querida Elisabete Leite. Lindos e expressivos poemas, um lindo dueto de muita sabedoria e criatividade, belas ilustrações que complementam o tema da página. Amo muito este filme, uma belíssima e merecida homenagem aos professores, os Mestres da educação. Parabéns aos poetas por mais uma lindíssima página. Tudo lindo neste blog. Um Feliz Dia dos Professores! Salve 25/10... Abraços

    ResponderExcluir
  11. Obrigada a todos pelas ilustres visitas e gentis comentários...
    PROFESSOR, PARABÉNS PELA SUA ESCOLHA!
    "(QUANDO A EDUCAÇÃO NÃO É LIBERTADORA), O SONHO DO OPRIMIDO É SER O OPRESSOR. (Oração subordinada adverbial temporal)

    "A Força do Professor"

    "Um guerreiro sem espada
    Sem faca, foice ou facão
    Armado só de Amor
    Segurando um giz na mão"

    Hoje, já não é giz,
    É marcador de quadro branco
    Um bravo e fiel Professor
    Que nunca deixa de ser aprendiz.

    SALVE 15 DE OUTUBRO - DIA DO PROFESSOR!


    ResponderExcluir
  12. "A Força do Professor" a primeira estrofe faz parte de um poema de autoria de Bráulio Bessa e a segunda estrofe é de Elisabete Leite. Feliz Dia Do Professor! Beijos

    ResponderExcluir