domingo, 25 de novembro de 2018

ALMANACH do Domingo

Edição Nº 253 Almanach
Basílica de São Marcos - Veneza


Desgraça Pouca é Bondade

Vendo um filme de Cowboy,
Daqueles que já não se faz
O mocinho com ar tristonho
Falando pra linda mocinha
“Pensei que Deus só mandava
Uma cota para aguentar”
Mas são tantas as maldades
Que até Ele perdeu a conta
E não se deu conta
Que não é fácil suportar

Suportar tantas desgraças,
Tantas maldades e malvadezas
Crianças passando fome,
Tantos bebendo à toa,
As únicas coisas que restam
São os braços da patroa
Que me embalam com certeza
Que na vida ainda resta
Talvez um pouco de beleza.

Onde encontrar tal especiaria
Pois na venda ou padaria
Só se encontra o mesmo pó
Aqueles de pôr na venta
Prá vê se a gente aguenta
Sem saber o mal que faz.
Sem saber se Deus consente
Se fico triste ou contente
Por perder a minha mente.

Estou ficando demente,
Quanta maldade se faz,
Volto "praquele" rapaz
Do início do faroeste
Que mesmo sem ter um mestre
Correu atrás da maldade
Jurando à Santa Trindade
Um dia poder retornar.
E retornou sem nariz
Bêbado muito infeliz
E sua mãe entristecida
Reza na Igreja Matriz.

Não sei se serei feliz.
Mas nessa briga diária
Só não escolho a maldade
Por causa daquela mãe
Que reza com compostura
Ajoelhada nos bancos
Da mesma Igreja Matriz
Com sua Santa doçura.

THE END

Jorge Leite, 20/11/2018

A Última Ceia
 Mandala

A mandala é, originalmente, um círculo que contém em seu interior desenhos de formas geométricas, figuras humanas e cores variadas.
São encontradas em religiões como o budismo e o hinduísmo, bem como na cultura de tribos indígenas norte-americanas como os Sioux.
Significado da Mandala
A palavra mandala significa círculo em sânscrito e é considerada como um símbolo de cura e espiritualidade. Para os hinduístas e budistas, a mandala ajuda na concentração da prática meditativa e é comum encontrá-la nos templos dessa religião.
Mandala colorida e com formas geométricas
As mandalas tibetanas são feitas em areia e requerem um longo tempo de preparação. Não há um padrão de decoração para o interior das mandalas e por isso, há mandalas que trazem a figura de Buda, enquanto outras mostram apenas figuras geométricas.
A Mandala para os Povos Originários Americanos
Entre os nativos americanos, acredita-se que a mandala tenha o poder de proteger e afastar os maus sonhos e espíritos malignos. Por isso, também recebe o nome de filtro dos sonhos.
Filtro dos sonhos
Uma antiga lenda indígena conta que uma mãe não conseguia que seu filho dormisse à noite.
Por isso, procurou ajuda da curandeira da tribo que a recomendou fazer um círculo com um labirinto dentro e o pendurasse. A mãe o fez e a criança pôde dormir tranquila, pois os sonhos maus ficaram presos no emaranhado de linhas.
A Mandala no Cristianismo
Embora não seja usado para fins de cura, as mandalas estão presentes no cristianismo. As rosetas das catedrais góticas podem ser consideradas mandalas.
O fato de este símbolo estar disseminado em tantas culturas reflete o significado que o círculo tem para o subconsciente. Como não é uma forma geométrica encontrada na natureza, traduz perfeitamente a ideia de perfeição que os seres humanos pretendem alcançar.
Rosácea da catedral de Chartres, França
A Mandala na Psicologia
A mandala também foi utilizada pelo estudioso suíço Carl Jung (1875-1969) para explicar a psiquê humana. Jung fazia uma analogia entre a composição da mandala e os três níveis de consciência que temos.
O ponto central da mandala é identificado com o self, a essência do nosso ser, do qual tudo converge ou irradia. As primeiras figuras da mandala seriam o inconsciente pessoal e, finalmente, as bordas mais afastadas seriam o inconsciente coletivo.
A Mandala na Educação
As mandalas são um recurso didático utilizado por vários professores de arte, história e matemática, pois este símbolo serve para ensinar vários tópicos tais quais:
  • formas geométricas;
  • cores;
  • diferenças de tamanhos;
  • conjuntos;
  • percepção visual;
  • história da arte;
  • história das religiões.
Confeccionar a mandala permite o aluno exercer sua autonomia e individualidade, deixando sua marca pessoal. É interessante montar uma exposição com as obras do estudantes a fim de mostrar a diversidade de cada turma.
Da mesma forma, alguns educadores usam a mandala para turmas consideradas muito agitadas devido ao poder apaziguador que a realização deste desenho contém.
 Benefícios da Mandala
Os benefícios de fazer e pintar uma mandala são muitos. Aquele que a confecciona fica concentrado numa tarefa específica e assim pode canalizar sua atenção.
Dessa forma, entra num estado de concentração comparável ao transe místico. Igualmente, o mesmo tipo de foco que acontece com os atletas e músicos quando estão empenhando suas funções.
Além disso, o autor exercita sua criatividade e seu poder de decisão ao lidar com a escolha de cores e padrões geométricos distintos.
Desta maneira, a mandala vem sendo utilizada para tratamentos em patologias como déficit de atenção, depressão, estresse e como terapia ocupacional.

Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.

 

A MINHA ROSA
Tu és formosa e singela, oh minha rosa!
A mim tu foste doada com muito Amor
Tua beleza me faz tecer até uma Prosa
Que emoção é admirar o teu esplendor...

No quintal, tu estavas inerte e sem vida
Um bom semeador mudou o teu destino
Podou as folhas, curou todas as feridas
Ficaste fascinante bem cálida em um tino.

Hoje curada, tu estás feliz, pela acolhida
Despertas radiante ao som de um violino
És a mais bela entre todas, oh querida!

O teu salvador é o meu Mestre genuíno
Estes meus versos tecidos sob medida
Ofereço-lhe com grande Amor e mimo.

Elisabete Leite 



Outros olhos

               Hoje acordei querendo ver o mundo com outros olhos, então pensei: Por quê não os olhos da Betinha? Saí por aí como sempre. Um velho jeans, uma camiseta e uma sandália de dedo. Dobro a esquina e logo me deparo com um filhote de cão, parece abandonado.  Agacho-me, tento afagá-lo e o bichano olha para mim, mostra os dentes e rosna com raiva, e quanta raiva guardada. Fico assustado, tento me aproximar mas escuto um grito: Ei! Deixa meu filhote em paz. Era uma Senhora toda bem vestida. Continuo caminhando, olho para atrás, o filhote daquela senhora tinha acabado de sujar a calçada. A calçada continuou suja.
               Na praça um garoto, onze anos no máximo, cheirando uma garrafa de água mineral, diz: Ei Tio, me dá um trocado? Dou um sorriso, pego algumas moedas no bolso do jeans e entrego para o garoto. Ele olha as moedas, faz uma cara feia e as jogam no chão. Poe a mão no bolso e puxa um canivete: Vá passando o relógio, rápido, rápido?
               Continuo na praça, Senhoras idosas com suas roupas coloridas caminham. Os jardins estão floridos. Sento em um dos bancos e fico a olhar mães com seus filhos pequenos brincando nos balanços. Uma das crianças cai sem nenhuma gravidade: Pedrinho seu merda, já falei prá ter cuidado? Vai até a criança e lhe tasca um cascudo. O menino não deixa por menos, chuta as canelas e algumas varizes da Mãe. O barraco está pronto.
               Em frente à Praça a Matriz de Nossa Senhora, Deus deve estar dormindo. Em sua escadaria vários maltrapilhos são acordados com um balde d’água jogados sobre os mesmos, por senhoras da comunidade cristã. Os sinos tocam para a missa das sete. Pego minha máquina fotográfica e ... cadê a máquina! Uma bicicleta em alta velocidade passa e leva minha máquina, nem deu para ver quem estava sendo guiado(a) por ela. Bicicleta Infernal. Olho para a Matriz e peço perdão por tal momento de raiva.
               As horas passam, sendo empurradas pelos sucessíveis minutos que incansáveis vão nos envelhecendo aos poucos. Volto para casa, pego uma mandala e começo a pintar. Adoro pintar mandalas. Minha mente em silêncio. Surge como um relâmpago, iluminando minha tristeza, um pensamento. Na próxima vez que eu sair, vou sair com o coração da Beta, ele sim é iluminado.

Jorge Leite, 23 de novembro de 2018
Madalena.

Nossa Senhora de Amierns - Notre Dame de Amiens - Amiens -  France


Ilustrações - Mandalas -Vitrais - Cristianismo





13 comentários:

  1. Sensacional Almanaque do Domingo, uma página com uma temática bastante reflexiva e poemas belíssimos e com uma riqueza cultural imensa, pois é tanta maldade que existe na terra, que quando chega com pouca intensidade vira bondade, magnífico poetizar do grande poeta Jorge Leite. Conhecer mais sobre a Mandala, que é considerada o símbolo da cura e da espiritualidade é mais conhecimento... Eu gosto nas horas vagas de ficar colorindo um livro de Mandala que tenho, a Nadala me deixa calma e reflexiva, que é um aprendizado de maneira lúdica. As ilustracões estão maravilhosas e completam perfeitamento o conteúdo da página. Estou até agora muito emocionada ao fazer a leitura da fantástica Crônica de muita reflexão e aprendizagens, pois ter um coração iluminado, é mesmo que sentir a Luz do bem na minha essência, que é emanada por Deus, muito feliz. Obrigada Jorge querido e meus parabéns pela lindíssima página de domingo. Bravo poeta e bravíssimo mimento. Beijos e excelente leitura a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também quero deixar um Provérbio chinês como ensinamento/aprendizado: "Não importa quantos passos você deu para trás, o importante é quantos passos você vai dar para frente."

      Excluir
  2. Passando para prestigiar e conentar o Almanaque do Domingo. Uma temática riquíssima, pois a Mandala retira o estresse com o seu universo da arte e da tranquilidade. Tales de Mileto já dizia que "A felicidade do corpo consiste na saúde, e a do espírito, na sabedoria". Para mim a ARTETERAPIA da Mandala muito ensina e acalma. Belíssimos poemas do poeta Jorge Lete e da poetisa Elisabete Leite. Magníficas ilustrações um Atelier dos Sonhos. Construtiva e belíssima Crônica reflexiva, concordo com o autor o coração da profesdora Elisabete é iluminado. Tudo perfeito! Parabéns...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo o comentário: comentar, Leite, professora.

      Excluir
  3. Belíssima página reflexiva,muita sabedoria contida nesse lindo momento de arte poética e literária. A temática Madala para mim também é a Arteterapia, é aprimorar o conhecimento de maneira lúdica. Estão lindos e reflexivos os poemas dos irmãos Leite compartilhados hoje no Almanaque do domingo, as ilustrações impecáveis como sempre e completam perfeitamente o tema da pesquisa. Eita Bete que soneto mais lindo, que rosa amada, até sei quem cultivou... sentimos falta do Violeiro. Poeta e amigo Jorge quero tirar meu chapéu para sua magnífica Crônica, pois é amigos, Bete é iluminada mesmo. Parabéns pela página sensacional. Também quero deixar um pensamento de Khalil Gibran: "A simplicidade é o último degrau da sabedoria." Abraços a todos... show de domingo!

    ResponderExcluir
  4. Passando rápido para prestigiar meu amigo poeta Jorge Leite com seu lindíssimo Almanaque de Domingo, com poemas lindos e bem reflexivos, uma pesquisa excelente sobre o tema Madala, que é um tema antiestress e que nos ensina e acalma. Sabe Jorge que as ilustrações Mandalas de vitrais, arte do Cristianismo são sensacionais que dá gosto de interagir. A Crônica está perfeita, pois é muita reflexão para pensar e praticar, a amiga Bete é muito mais que iluminada. Parabéns amigo pelo show, eu também que deixar um pensamento, o meu é de Santo Agostinho: "Enquanto houver vontade de lutar haverá esperança de vencer." Saudades de todos vocês... abraços

    ResponderExcluir
  5. Vejam só que descrição maravilhosa desse texto OUTROS OLHOS. Quem não quer caminhar pela vida com o coração da Beta!? Com essa alegria contagiante... essa alma surpreendente, Beta vai conquistando o coração da gente.
    Nada como seu irmão pra descrever bem o caráter da Bete. Parabéns, Jorge, por esse texto tão... contagiante!!!
    O poema "Desgraça pouca é bobagem" de muita graça e beleza.
    As ilustrações perfeitas.
    Amei a descrição sobre a mandala!
    Tudo perfeito. Parabéns aos irmãos Leite.

    ResponderExcluir
  6. Eita pessoal, mais um domingo de Almanaque, com belíssimos poemas dos irmãos Leite, uma Crônica pra lá de fantástica, cheia de verdade, e uma temática marcante sobre a espiritualidade presente na Mandala. As ilustrações estão sensacionais, um show de arte. Parabéns poeta Jorge Leite! Vou deixar um pensamento de Eleanor Roosevelt: "O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza de seus sonhos." Abraços a todos...

    ResponderExcluir
  7. Sensacional página de Domingo, excelentes poemas circulam no Almanaque com essa temática iluminada e reflexiva que é Mandala, a espiritualidade que nos acalma. As ilustrações estão impecáveis como sempre e completam o assunto abordado. Bete esse seu soneto é apaixonante, já a crônica do poeta Jorge Leite está lindíssima. Tudo lindo por aqui! Parabéns poeta Jorge Leite. Deixo um pensamento de Elisabete Leite: "Quem tem oásis no coração, jamais sentirá sede nós desertos da vida." Abraços e bom final de domingo!

    ResponderExcluir
  8. Todos sabem que não me sinto bem comentando meus trabalho, mas não poderia deixar de reafirmar a importância dos comentários e a qualidade de nossos comentaristas.Temos uma equipe de elite. Quanto fichamos uma página ficamos ansiosos para começar a ler os comentários. Obrigado todos, tenham uma ótima noite

    ResponderExcluir
  9. Corrigindo : Quando fechamos uma página ...

    ResponderExcluir