sábado, 1 de dezembro de 2018

O Natal de Pedrinho

Edição Nº 255 - Contos de Natal


               O NATAL SURPRESA DE PEDRINHO

          Era um final de tarde fria, com ventos amenos, o sol já se preparava para se pôr e, a neblina deixava o cenário reflexivo e bastante aconchegante. Odete, uma senhora distinta, de aproximadamente sessenta e oito anos de idade, estava atrasada para ir às compras, pois era véspera de Natal e ainda, faltava comprar os presentes dos seus dois netinhos. A carismática senhora morava em um bairro sofisticado, de classe alta, próximo ao centro da cidade, apesar da sua idade ela dirigia com perfeição, muito bem-vestida apanhou, na escrivaninha, a chave do carro e saiu quase voando, em destino ao Shopping.
          Já no subúrbio, afastado da cidade, o simpático Pedrinho, um garoto de oito anos de idade, que ainda acreditava em Papai Noel, morava com seus pais em um bairro humilde, de classe pobre. O menino, no dia anterior, havia deixado sua cartinha de Natal dentro da meia que usava para ir à escola e tinha pendurado a mesma na janela do único quarto da sua simples casa, ele permanecia pensativo, bastante preocupado, pois seu pai estava desempregado e ele achava que o Natal desse ano seria tristonho, ele ficou sentadinho em uma pedra na frente de casa, com seu olhar perdido na imensidão do tempo. Logo, seu pai se aproximou dele e puxou conversa:
          - Pedrinho, meu filho, você já fez a sua cartinha de Natal?
          - Sim papai, eu queria ganhar uma bicicleta, mas achei melhor pedir um Panetone de Chocolate para comermos nesse Natal, pois o senhor sabe como mamãe gosta desse alimento tradicional da época de Natal.
          - Pois é meu filho, foi um pedido nobre, bastante saboroso e nutritivo. Vamos dar um passeio pelos arredores? Perguntou-lhe seu pai.
          - Vamos sim papai, gosto de passear contigo!
          Já no passeio com o seu pai, eles viram muitas ruas iluminadas e enfeitadas de bolas vermelhas, azuis, amarelas e verdes; para Pedrinho aqueles enfeites eram símbolos natalinos, como também a presença do Natal no coração das pessoas. As ruas visitadas por eles eram bem modestas, onde as pessoas viviam com simplicidade, mas são nessas pessoas simples que o espírito natalino se apresenta com maior intensidade, pois elas não vivem em ostentação e luxo, não valorizam coisas ilusórias. Pedrinho olha firme para o pai e perguntou-lhe:
          - Papai, o que é o Natal?
          - Pedrinho, o Natal para nós é a presença do Amor de Deus em nossos corações, a Fraternidade, a União entre as pessoas, o doar-se, estender a mão amiga e ajudar um irmão.
          Os dois foram caminhando de mãos dadas, quando começou a cair uma garoa fina, refrescando assim, os rostos suados de pai e filho, que mudaram de roteiro, apressaram os passos e seguiram pela estrada escura, provocada pela cerração. Logo, que eles viraram a primeira curva avistaram um carro parado com o pisca-alerta ligado e com um triângulo atrás do mesmo eram os sinais de que o carro apresentava algum tipo de defeito, eles passaram perto daquele carro e viram uma senhora chorando muito, ela estava falando com alguém pelo celular, parecia desesperada. Logo, Pedrinho olhou para o pai e disse-lhe:
          - Papai, a senhora daquele carro está chorando muito. Por favor, vamos ajudá-la?!
          - Vamos sim, meu filho! Respondeu-lhe o pai.
          Eles se aproximaram bem devagar da porta do carro, para não assustar à senhora, e o pai de Pedrinho perguntou-lhe.
          - Senhora, boa noite! Nós podemos ajudá-la? Aqui é muito perigoso, pois é uma curva!
      
    - Boa noite, para vocês! Eu estou aqui desesperada e sozinha, o meu carro achou de quebrar justamente nessa curva e está saindo um pouco de fumaça. Estou morrendo de medo. Estou tentando falar com a minha filha, mas o celular está sem sinal. Meu nome é Odete, eu estava indo ao Shopping comprar presentes para os meus netinhos. Explicou-lhe a distinta senhora.
          - Senhora, eu não sou mecânico, sou um jardineiro, mas às vezes resfriando o carro, colocando água no radiador, ele pode voltar a funcionar. Vou buscar um pouco d’água; deixarei o meu filho aqui para fazer-lhe companhia, como moramos nessa comunidade há muito tempo, todos conhecem o meu Pedrinho. Disse-lhe o pai do garoto.
          Enquanto, o pai foi buscar água o jovem Pedrinho ficou conversando com Dona Odete, para aliviar a tensão daquela senhora. Ele perguntou-lhe:
          - A senhora gosta do Natal? Eu gosto muito e já fiz minha cartinha para o Papai Noel! Sabe Dona Odete, eu pedi para ele um Panetone de Chocolate.
          - Pedrinho, você é um garotinho muito esperto e de coração nobre. Esse é o verdadeiro espírito natalino. Diga-me o que você gostaria de ganhar, de verdade, de Papai Noel?
          - Senhora, eu queria ganhar uma bicicleta, mas Papai Noel pode não ter dinheiro para comprar, então, resolvi pedir um Panetone de Chocolate, pois minha mãe gosta muito e meu pai encontra-se desempregado no momento e não pode comprar para ela. Respondeu-lhe Pedrinho, com os seus olhinhos cheios de lágrimas.
          Repentinamente, o pai do garotinho aproximou-se deles e foi logo colocando água no radiador e assim, o carro voltou a funcionar normalmente. A elegante senhora agradeceu-lhe:
          - Senhor, muito obrigada! Aqui está o meu cartão, com meu telefone e endereço, eu estou precisando, urgentemente, de um jardineiro. O senhor gostaria de ser o meu jardineiro? Qual o seu nome?
          - Claro que sim, nobre senhora! O meu nome é Januário Borges, ao seu dispor! Estou muito feliz, pois estou desempregado e precisando muito trabalhar. Respondeu-lhe o Senhor Januário.
          - Que bom senhor Januário! Eu posso falar a sós com o senhor? Dona Odete perguntou-lhe e puxou uma nota de Cem Reais da carteira e deu para o pai do garoto.
          - Por favor, não precisa senhora! Pois, é Natal, momento de ajudar o próximo! Disse-lhe o menino.
          - Claro que não, Dona Odete! Foi um grande prazer ajudar à senhora. Respondeu-lhe o pai de Pedrinho.
          Dona Odete guardou o dinheiro e se afastou um pouco para falar a sós com o senhor Januário. Logo depois, ela se aproximou do garoto beijou-lhe a face e saiu em seguida, o garoto retribuiu-lhe com um grande sorriso. Os dois voltaram para casa realizados.
          Já em casa Pedrinho pediu à mãe que quando Papai Noel deixasse o presente dele, que ela o acordasse, logo depois, muito cansado o menino adormeceu no chão da sala. Pedrinho desperta com sua mãe o chamando:
          - Pedrinho acorde, por favor! Venha até aqui!
          O garoto foi até a pequena sala e não acreditou no que estava vendo: a sala estava toda enfeitada, tinha uma linda Árvore de Natal armada e muitos presentes embaixo dela, uma belíssima mesa decorada, com uma verdadeira ceia natalina, o garotinho começou a chorar e logo depois, dois toques breves na porta e, sua mãe o mandou olhar quem era. Pedrinho ficou encantado com a surpresa de Natal, era o Papai Noel, que foi logo falando:
          - Sou Papai Noel, ho, ho, ho! Este Panetone de Chocolate é para sua mãe e essa bicicleta é para você! Ho, ho, ho Feliz Natal!
          Pedrinho agradeceu ao Papai Noel, que abraçou o garoto e saiu em seguida. E assim, foi o Natal Surpresa de Pedrinho...
          Os tempos passaram e Pedrinho cresceu com o espírito natalino no coração... Seu pai ficou trabalhando na casa de Dona Odete, que era para eles um anjo de candura. A família permaneceu unida e feliz.
         
 Até a próxima aventura amiguinhos!
        
  Elisabete Leite – 28/11/2018
        (O primeiro Conto da série de Natal)

NATAL DE AMOR

Natal é festa de todas as pessoas e idade
Os que acreditam no Bem, na força do Amor
Os conscientes que reconhecem à Verdade
Das pequenas gentilezas, atitudes de valor!

Natal dos humildes, daqueles sem Vaidade.
Que aceitam a Deus, como único Salvador
Que sabem repartir o pão, ter Solidariedade
Preservam a Flora, a Fauna, fertilizam a flor...

Natal, nas atitudes e gestos de Fraternidade
Dos que espalham Caridade e Compreensão
Os que são amigos e que passam Lealdade...

Aqueles que semeiam à Paz, gerando União
Reconhecem no Perdão, um ato de Humildade
Feliz Natal, que o Amor viva em cada coração!

Elisabete Leite


CANTINHO DA TIA BETA

Tia Beta, qual a história do Panetone?

Olá pessoal! Hoje vamos conhecer mais um pouco sobre o Panetone, que é uma Tradicional iguaria consumida na época do Natal, é um pão doce, recheado de frutas secas (uvas passas e frutas cristalizadas), que se modernizou e que, hoje, pode apresentar também outros sabores. Normalmente tem fragrância de baunilha. Sua consistência macia é resultado de um processo de fermentação natural.
A origem do Panetone é um mistério. Existem várias lendas sobre sua origem, com uma descrição em comum: o Panetone tem origem em Milão, na Itália.
Segundo uma das lendas, o Panetone foi criado por um padeiro chamado Toni, que trabalhava na padaria Della Grazia, em Milão, na época de Ludovico, o Mouro (1452 – 1508).  O jovem padeiro, apaixonado pela filha do patrão, teria inventado o pão doce para impressionar o pai de sua amada. Os fregueses passaram a pedir o “Pani de Toni”, que evoluiu para o “panattón” (vocábulo milanês), e depois para “panettone” (italiano).
Segundo outra lenda, o Panetone foi inventado na corte de Ludovico, o Mouro, na véspera do Natal, entre os anos de 1494-1500. Conta a lenda que o Natal era uma grande festa celebrada com grandes banquetes. Em um dos Natais, a sobremesa que havia sido preparada queimou ao ser assada. Um dos empregados da cozinha, chamado Antônio, havia preparado uma massa com sobras de ingredientes, que pretendia levar para sua casa. Sem outra opção, ofereceu sua massa para servir como sobremesa para a corte. De acordo com a lenda, a sobremesa foi tão apreciada que Ludovico perguntou qual o nome da iguaria. O jovem Antônio, chamado para responder à pergunta de Ludovico, disse que a sobremesa não tinha nome. Ludovico resolveu chamá-la de “Pani de Toni”, dando origem ao nome.
Outra lenda diz que o Panetone foi inventado no século III d. C. Á princípio, segundo essa versão, teria a forma de um pão grande.
Atualmente, o Panetone é comercializado em unidades, geralmente de 500 gramas. Nas últimas décadas, surgiram inúmeras variedades de recheios de panetone (Chocotone, Colomba Pascoal, Sorvetone, etc.).



DEUS É FORTALEZA

São dos tombos da vida e das asperezas,
onde retiramos todas as edificantes lições
O que nos fazem crescer são as tristezas
As alegrias servem como compensação...

Despojar-se das coisas ilusórias, é a certeza
Vamos galgar novos degraus na Evolução,
Pois Deus é nosso refúgio, única Fortaleza
É o socorro, bem presente, nas tribulações...

É com Humildade que se vive na riqueza
Deixemos o Amor fluir de nosso coração
Sem este sentimento, se vive na pobreza...

Devemos acreditar na Verdade, na razão
E ter sabedoria para saber sair da dureza
Convém, praticar o Bem, o resto é ilusão.

Elisabete Leite

A TABERNA DO TIO JORGE


Olá Pessoal! Natal está chegando, Tia Beta se animando e Tio Jorge trabalhando para deixar seu Natal mais gostoso. Fui atrás de uma receita de Panetone e encontrei esta "simplesinha". Juro que não testei, até tentei mas a Patroa Dona Ceiça não permitiu e ainda falou com cara de brava: Você vai emporcalhar minha cozinha, tenha dó!
Peçam para as Mamães tentarem, se der certo envie um pedaço para mim e Tia Beta. Vamos lá. 


Ingredientes
  • 1 kg de farinha de trigo peneirada
  • 3 ovos (grandes)
  • 1 copo (americano) de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
  • 250 ml de leite morno
  • 50 g de fermento biológico
  • 300 g de frutas cristalizadas (ou cubos de chocolate)
  • 250 g de uva passa (de preferência sem sementes)
  • 20 ml de essência de panetone (opcional)
  • raspas de 1 limão
Modo de Preparo
  1. Bata no liquidificador os ovos, o açúcar, a manteiga (ou margarina), o leite, o fermento e a essência, por aproximadamente 30 segundos
  2. Em um recipiente grande, coloque a farinha peneirada, abra um furo no centro e acrescente os ingredientes batidos
  3. Amasse bem até que a massa se solte das mãos
  4. Em seguida, adicione as frutas, uvas passas e raspas do limão
  5. Distribua a massa em formas para pudim com furo central, untadas com margarina, até a metade da assadeira
  6. Deixe crescer até dobrar de volume
  7. Faça um corte em x em cima da massa, pincele gemas batidas e leve para assar até dourar  
  8. Preparo




ATIVIDADES

Desenhos de Vitrais para Imprimir e Pintar. Divirtam-se 





 Desenhos e Riscos

Ilustrações De Natal
Pixabay - Natal 











26 comentários:

  1. O Natal já floriu, trazendo consigo o Amor de Deus para iluminar a nossa essência e habitar em nosso coração. A magia das cores chega com brandura e traz a Paz e a Esperança de dias melhores para o Ano Vindouro, se o meu criador permitir, pois o Menino Jesus já se prepara para renascer. Muito feliz, realizada, agradecida e lisonjeada por mais um Conto publicado em nosso Cantinho do Saber, e hoje, o espírito natalino brotou mais uma vez. Esse Conto é o primeiro da série de Natal, até o dia de Natal publicaremos vários Contos, sempre aos sábados, com o tema de Natal. Hoje, página de sábado deslumbrante e iluminada, com mensagens de Amor, solidariedade, Fé e muita Paz... As ilustrações estão lindas e ricas, no Cantinho da Tia Beta o Panetone é o destaque do momento e na Taberna de Tio Jorge, a novidade de hoje no Blog, uma deliciosa receita de Panetone para o nosso Natal e finalizando o grande show muitas atividades lúdicas para o deleite da criançada. É pessoal, chegou dezembro recheado de Paz & Amor! Obrigada e excelentes leitura a todos. Abraços...

    ResponderExcluir
  2. O primeiro Conto da série de Natal, traz uma história emocionante, de muitos Pedrinhos esquecidos por esse mundo de Deus e, somente lembrados por essa incrível poetisa, contista, mulher e grande amiga, que hoje compartilha conosco, que o Natal e encontra-se dentro da gente, que Papai Noel existe e pode ser qualquer um de nós, nesse anjo de candura que é a personagem Dona Odete que viu em Pedrinho o Amor personificado. Haja coração! Cheguei a chorar e tenho certeza que Elisabete Leite escreveu esse magnífico Conto chorando. Tudo perfeito nessa página do Blog... As ilustrações acompanham o tema e estão impecáveis, no Cantinho da Tia Beta só aprendizagens, a Taberna de Tio Jorge, é um show de novidade e como brinde as atividades lúdicas para as crianças e finalmente os dois poemas fantásticos que comprovam em versos o enredo da história, Natal é Amor e Deus é Fortaleza. Parabéns por esse momento de Fé, Amor e solidariedade. Aplausos para os amigos poetas e abraços a todos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, caro amigo Maciel, estou ainda chorando e, aos prantos agora pelo seu comentário. O espírito natalino está em nosso interior. Na agência central dos Correios existem tantas cartinhas de tantos Pedrinhos e Marias que pedem apenas um Panetone. Esse Conto é real! E Papai Noel somos nós e as cartinhas esperam pela gente. Beijos amigo!

      Excluir
    2. Sim, querida amiga, lemos juntos as cartinhas com os pedidos das crianças da Escola, choramos o tempo todo, pois tinha criança que pedia bolinhas de gude, um chocolate, Panetone, carrinho, boneca, foi uma incrível e emocionante experiência. Bom dia amiga! O coração está sufocado de tsnta emoção.

      Excluir
  3. São lindos os seus sonetos, amiga Bete. Sua história natalina emocionante. Que Deus te ilumine sempre, que te dê muita paz, saúde e inspiração pra nós encantar com seus versos maravilhosos.
    Extenso minhas palavras ao amigo Jorge Leite e que Deus nos permita fazer eterna essa nossa amizade, nos agraciando, mutuamente, com nossas maravilhosas poesias!
    Abraços carinhosos...

    ResponderExcluir
  4. Sensacional início de Natal no Blog. Um Conto muito emocionante e recheado de grandes ensinamentos, uma narrativa comovente é nesse Magnífico conto de Natal Elisabete Leite, o primeiro de muitos, também chorei, pois acho tão fácil amar, mas é um sentimento esquecido nos dias de hoje, tão simples saber se doar, porém o egoísmo mácula a Luz da solidariedade. Somos todos irmãos, com um único sentimento contido em cada coração, o Amor de Deus que gera união. As ilustrações estão originais e linda. O Cantinho e a Taberna se uniram para ensinar como fazer um Panetone, ótima iniciativa, que sejam compartilhadas outras receitas saborosas. Os poemas são belíssimos e as atividades as crianças vão adorar. Parabéns poetas pela arte. Bravo Professora Bete! Abraços e bom dia!

    ResponderExcluir
  5. Sensacional início de Natal no Blog. Um Conto muito emocionante e recheado de grandes ensinamentos, uma narrativa comovente é nesse Magnífico conto de Natal Elisabete Leite, o primeiro de muitos, também chorei, pois acho tão fácil amar, mas é um sentimento esquecido nos dias de hoje, tão simples saber se doar, porém o egoísmo mácula a Luz da solidariedade. Somos todos irmãos, com um único sentimento contido em cada coração, o Amor de Deus que gera união. As ilustrações estão originais e linda. O Cantinho e a Taberna se uniram para ensinar como fazer um Panetone, ótima iniciativa, que sejam compartilhadas outras receitas saborosas. Os poemas são belíssimos e as atividades as crianças vão adorar. Parabéns poetas pela arte. Bravo Professora Bete! Abraços e bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saiu em duplicidade, mas deixem os dois comentários... é a vontade minha e de Deus. Beijos amigos...

      Excluir
  6. Eita, que maravilha de página de sábado, o primeiro Conto da série de Natal é fantástico, bem iluminado, quanto as luzes que enfeitam a árvore de Natal. A magia e fascinação do Natal luz do Blog Maçayó fazendo fluir o Amor de Deus em nossos corações, até agora estou emocionado pelas mensagens edificantes contidas na narrativa do Conto da minha amiga poetisa Elisabete Leite, que hoje não economizou nas emoções, também tive a chance de fazer a leituras das lindas cartinhas da escola. Somos Papai Noel e vamos adotar uma criança nesse Natal, e assim realizar um pedido especial dessas crianças. As ilustações estão perfeitas, a pesquisa sobre o Panetone e a receita caseira do Tio Jorge é show de doçura. Os belíssimos poemas, pois ficarei em pé para aplaudir a poetisa. Finalmente as atividades lúdicas da criançada. Tudo muito lindo! Parabéns aos poetas e abraços a todos! Show e show de Natal...

    ResponderExcluir
  7. Tia bete e laurinha que veio comentar eu gostei muito do natal de pedrinho e o conto e lindo sabe tia eu pedi a papai noel da escola um boneca barbie sereia gosto de pao doce. Beijos da Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia princesa Laurinha! Que bom que você apareceu para visitar o blog e que gostou do conto de hoje. Mande um abraço meu para sua mãe. Beijos e obrigada por comentar. Faça as tarefinha e mande sua mãe fazer o panetone. Beijos💖🌹😙

      Excluir
  8. Fessora Bete e Laynne eu amei o Natal de Pedrinho, mamãe me ajuda a comentar eu pedi a papai noel da escola um jogo de palavras cruzadas, o seu conto e lindo gosto do natal e de panetone beijos da sua aluna a foto do tio e da tia muito bela kkkkk gostei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida princesa Laynne, muito bom que você apareceu, sua presença sempre me anima. Mande um beijo e lembranças para sua mãe. Faça todas as tarefinhas. As fotos da Tia Beta e Tio Jorge são lindas mesmo. Obrigada por aparecer. Beijos💖🌹😙

      Excluir
  9. Meu Deus, já é Natal! Que magnífica página do blog Maçayó. Que hoje traz um belíssimo e edificante Conto da amiga poetisa Elisabete Leite e sua abertura do Natal. Fico encantada com a luminosidade e magia dos contos de Natal. Concordo com os comentários, nós somos essência e precisamos assumir nosso papel de Papai Noel e espalhar amor por onde passar. As ilustrações estão lindas e a pesquisa sobre o panetone e bem educativa. Amei a iniciativa da Taverna do Tio Jorge, vou experimentar a receita compartilhada. Já os poemas são sensacionais e as atividades lúdicas muito divertem os pequeninos. Uma página de sábado ao estilo natalino, tudo perfeito! Parabéns aos poetas e abraços. Show e show de sucessos!

    ResponderExcluir
  10. Fessora bete sou gustavo seu aluno Gugu meu pai me ajuda e vou dizer que gosto do conto e do natal de pedrinho acho lindo o natal com as bolinhas. Tia eu pedi um carro para papai noel da escola. Lindo tudo beijos fessorinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, querido aluno Gustavo! Estou feliz pela sua presença e pela ajuda de seu pai. Que bom que você gostou do conto. Apareça sempre! Beijos ds Tia Beta...💙😙

      Excluir
  11. Que linda e deslumbrante página de abertura do Natal, cada dia que passa fico mais apaixonada pelos contos da amiga poetisa Elisabete e suas mensagens de Amor. Belíssimas imagens ilustrativas e bem pertinentes ao tema de Natal. A pesquisa e receita dos irmãos Leite se completam. E finalmente a parte lúdica as atividades das crianças. São magníficos os poemas. Parabéns aos poetas. Tudo show! Boa tarde e abraços. Aplausos Bete! Ameiiii.

    ResponderExcluir
  12. Venho aqui prestigiar esse magnífico Blog que hoje compartilha um Conto fantástico com a magia do Natal. É a página de abertura das festividades natalinas e o primeiro dia do mês de dezembro. Uma narrativa emocionante que entra no nosso interior e enche de luz o nosso coração. As ilustraçőes estão impecáveis e definem muito bem o tema. A pesquisa e deliciosa e a iniciativa da Taberna do Tio Jorge é show. Parabéns poetas e aplausos Bete pelo conto mágico. Boa tarde e saudades... abraços

    ResponderExcluir
  13. Um Espetáculo de página de sábado, a abertura oficial do Natal no blog. Um Conto para ninguém colocar defeito, bem estruturado e emocionante. Precisa ser Elisabete Leite para narrar de maneira notável um história de Pedrinho e seu panetone de Natal. As ilustrações estão belíssimas e bastante pertinentes ao tema abordado. Já adotei uma criança nesse Natal... Os poemas são lindos e edificantes e a pesquisa e receita caseira de panetone vou mandar a patroa praticar até o Natal. Parabéns aos poetas. Uma página perfeita! Abraços... Estou aqui encantado com esse formidável blog! Obrigada

    ResponderExcluir
  14. Que história linda! Papai Noel nunca morre em nossos corações. Saudade dos meus tempos de criança quando meu pai dizia: vá dormir que papai Noel só chega à meia-noite. Cansada de esperar, adormecia. Acordava triste, mas logo me alegrava com o presente que ele deixava no pé da cama. Muito bom recordar!
    Parabéns por esse trabalho maravilhoso de vocês! Adorei

    ResponderExcluir
  15. Já tentei fazer um panetone, mas não consegui. Vou usar a receita do seu Jorge.
    Estou em Manaus, mas tô sempre ligada neste blog, para apreciar essas maravilhas de poesias que alegram o coração da gente.
    Papai Noel não falha! Todo ano ele nos visita fazendo nosso Natal cada vez mais lindo, festejando o amor, a amizade e o carinho de todos.
    Parabéns pelos poemas, dona Bete, e pela história emocionante!

    ResponderExcluir
  16. Que encantador! Como é mágico o Natal e sei espírito de paz, harmonia e alegrias.
    Quando crianca.me.encantava com uma árvore enorme que minha querida tia Beatriz enfeitava com bolas enorems e algodão. Cresci e a criança em.mim não perdeu o encanto pelas.luzes e magia, e adquiriu o significado real do Natal.
    Me encantei com o ckntoz e a anotei a receita do bolo, ceryacerta estará na minha veia deste ano. Obrigada Elizabeth por tão singelo momento.

    ResponderExcluir
  17. Peco desculpas pelos erros, problemas com o corretor e teclado.
    Leia se: contos, certamente, e ceia ao invés de ckontoz, ceryacerta e veia.
    Sinceras desculpas. Grata.

    ResponderExcluir
  18. Quero agradecer a todos pelas ilustres visitas, gentis comentários e pelo carinho de vocês e que o espírito natalino nunca morra em nossos coracão. Beijos no coração de cada um. Bom domingo!

    ResponderExcluir
  19. Espero não haver perdido a festa de sábado, abertura do Natal no blog, é que estive viajando. Tudo muito lindo, uma história emocionante de muita Fé, Amor e Solidariedade. Uma Conto que ensina a preservar as atitudes positivas e reascender a Luz do Natal. As imagens estão lindas e expressivas, os poemas são dignos de aplausos, a pesquisa sempre nos ensina e a receita do poeta Jorge irei provar nas festas de Natal. Parabéns pelo belíssimo Conto e magnífica página. Bom domingo a todos e abraços

    ResponderExcluir