sábado, 5 de janeiro de 2019

Um Conto de Férias

Ano II - Edição Nº 269 - Tema Infantil
Tema das Imagens - Fantasia


                    UM CONTO DE FÉRIAS

          Era janeiro, mês de férias escolares, e o tempo agradável contribuía para um bom acolhimento aos participantes da Colônia de Férias da Escola Reino Mágico, que será realizada em um sítio afastado da cidade. Os professores responsáveis pelos alunos que irão participar, um grupo de aproximadamente 10 (dez) estudantes selecionados por melhores notas, já aguardavam ansiosos a chegada dos meninos e meninas escolhidos. Serão cinco dias de muitas brincadeiras, aulas lúdicas de canoagem, natação, caça, pesca e trilha, como também, atividades físicas e esportivas com modalidades de judô, queimado, ginásticas e futsal, entre outras. O ônibus que conduzia às crianças participantes, estacionou na entrada principal do sítio, onde a bandinha marcial da escola já os recepcionava com o grito de guerra de cada equipe...
          A peralta Maria Eduarda, conhecida carinhosamente por Dudinha, foi a primeira a descer do ônibus e, foi logo aprontando com os outros coleguinhas. Ela foi molhando, um a um, com a sua garrafinha de água, enquanto eles desciam, deixando-os irritados com ela. A professora Sônia que era a líder da equipe rosa, composta pelas meninas, falou bem firme colocando Dudinha no lugar dela:
          - Maria Eduarda, por favor! Se você não se comportar, vai voltar no mesmo ônibus que a trouxe.
          - Professora Sônia, eu não fiz nada! É que a minha garrafinha está vazando demais. Falou e saiu sorrindo.
          O professor Edson, que era o líder da equipe azul, composta pelos meninos, aproveitou para repreender o garoto João Henrique que não parava de gritar e sorrir:
          - João, você também quer voltar com Eduarda? Pois se não quiser, pode deixar de gritar.
          - Já estou calado professor! Respondeu-lhe o garoto.
          Naquele exato momento, os professores chamaram os alunos para o reconhecimento dos alojamentos das duas equipes, pois as crianças corriam eufóricas, elas queriam guardar seus pertences e caírem nas brincadeiras.
          Logo após o almoço, as duas equipes foram jogar queimado e futsal, era muita animação e interação entre os participantes, parecia até que eles estavam naquele local há bastante tempo. Nesse primeiro dia de brincadeiras e competições a equipe rosa saiu vencedora e, a menina Eduarda, como sempre, aproveitou aquele momento para malhar à equipe azul, ficou falando bem alto que a beleza das meninas teria sido a marca registrada daquela tarde de vitória. A noite caiu rapidamente e a lua resplandeceu exuberante por entre as folhas dos coqueiros, iluminando o céu e deixando o ambiente aconchegante. Logo, as crianças exaustas foram dormir um pouco mais cedo.
          O dia amanheceu sorridente, o sol mostrava todo o seu brilho, ele dava o seu espetáculo lá no céu e as nuvens vagavam harmoniosamente no mesmo espaço. Assim, diante desse cenário encantador os professores foram despertar as crianças com músicas de boas-vindas, convidando-os para o desjejum matinal e informando aos participantes que eles deveriam vestir roupas confortáveis para a primeira aula de canoagem. Após os primeiros preparativos, professores e alunos saíram caminhando até o lago, que ficava um pouco afastado na casa principal. O cenário era magnífico, a cor ocre da estrada de barro se misturava ao campo verdejante que adornava boa parte da propriedade, bem no centro ficava um lago de águas cristalinas, o local ainda era preservado, pois pertencia a uma Reserva Ambiental. O garoto João aproveitou um instante de distração do professor Edson e falou para os componentes do seu grupo que a equipe teria de sair vencedora. Ao término da aula de canoagem era hora de as equipes competirem mais uma vez. Foi estabelecido um tempo e demarcado um espaço pelos professores e assim, o grupo que trouxesse uma maior quantidade de frutas no tempo determinado seria o vencedor, os alunos se espalharam e entre gritos, quedas, empurrões e muita euforia por parte da criançada, a equipe azul saiu vitoriosa. Os meninos aproveitaram para malhar Dudinha e sua equipe e, eles gritavam que a força dos meninos tinha sido a marca registrada daquela manhã de vitória.
          Assim, os dias e noites se passaram depressa, entre vitórias, derrotas, desafios, sorrisos, lágrimas e muita diversão, a Colônia de Férias estava chegando ao final, o importante de tudo isso, eram as aprendizagens.
       
   Último dia de competição na Colônia de Férias, a equipe vencedora receberia medalha de ouro. Os integrantes das duas equipes teriam que caminhar por um local estreito e tortuoso, entre vegetações, e logo depois eles deveriam retornar ao local de partida e a equipe que primeiro chegasse seria a vencedora. O garoto João liderava a equipe azul e garota Eduarda a equipe rosa, os integrantes partiram confiantes ao destino estabelecido... De repente, Dudinha e suas amigas caíram em uma vala, um local profundo e estreito para as cinco meninas, que começaram a gritar pedindo socorro. Os meninos ao ouvirem tantos gritos, abandonaram a trilha e correram até o local onde as meninas estavam. A indecisão tomou conta da equipe azul; ou eles ajudavam as meninas ou corriam para ganhar a competição. Mas, João não pensou duas vezes, os garotos se uniram e resgataram as garotas ilesas, sem ferimentos. Logo, Dudinha agradeceu em nome da equipe e falou:
         - Meninos, não se preocupem, eu direi aos professores que vocês merecem ser os vencedores, pois nos ajudaram!
          - Não Dudinha, nós voltaremos juntos, todos de mãos dadas, pois somos uma só equipe! Respondeu-lhe João.
          As duas equipes retornaram ao local de partida de mãos dadas, meninos e meninas se misturaram entre si, formando assim uma única equipe... Os professores ficaram sabendo do difícil acontecimento, eles aclamaram os estudantes e todos foram vitoriosos e ganharam medalhas de ouro.
          O retorno para casa transcorreu normalmente, com grandes alegrias, fortes emoções, muita saudade dos momentos na Colônia de Férias. Pois agora, não havia mais perdedores, somente vencedores.
          Que no transcorrer deste novo ano a nossa vida seja marcada por grandes vitórias e que as derrotas nos sirvam de aprendizagens. Feliz 2019!
        
 Boas férias, pessoal! Até a próxima!
       
  Elisabete Leite – 04/01/2019



QUANDO ERA CRIANÇA

Histórias de uma bela infância vivida...
Das brincadeiras, preferidas, na escola
As cantigas de roda, lindas e divertidas
Dos banhos de chuva, molhando a sacola
Memórias coloridas, do lado doce da vida.

Saudades do tempo que tudo era fantasia
Onde se brincava, em um mundo cor-de-rosa
A vida era simplesmente uma eterna magia
De amizade sincera, franca e muito calorosa
  Contentes, com amigos, pulava Corda e Academia.

Saudades das brincadeiras com muita emoção
Boca de forno, escravos de Jó, anel e queimado,
Era somente um mundo de alegria e pura diversão
Uma vida de amores com um sabor adocicado
Das grandes lembranças eternizadas no coração.

Saudades de quando, dançava e cantava contente
Girando e rodopiando muito feliz no calçadão
As coleguinhas estavam sempre presentes
que sabíamos de cor uma maravilhosa canção
A felicidade brotava rápido, na vida da gente.

Hoje são histórias literalmente marcantes
Recordações de momentos sobre medida
Fatos narrados sempre de maneira constante
Assuntos vividos em uma infância de vida
São lembranças significativas a todo instante.

Elisabete Leite – 11/10/2015


CANTINHO DA TIA BETA

Olá pessoal! Quero compartilhar por aqui, em nosso cantinho, um roteiro com algumas programações para os pequenos no Recife. A Ciclofaixa é uma ótima pedida para os pais curtirem uma atividade bem diferente com os seus filhos nos feriados e domingo das férias de janeiro, das 7h às 16h. Onde foi inaugurado um novo trecho, que vai do Parque da Jaqueira ao Parque Santana, na Zona Norte. Ao todo, 51 bairros são atendidos com a ação, implementada pela Secretaria de Turismo.
Recife Antigo é uma outra ótima oportunidade para crianças praticarem atividades ao ar livre. Ao todo, 10 ruas do Recife Antigo ficam interditadas para carros e dispõem de várias atividades também aos domingos. É dividido em três polos: o infantil, com programações lúdicas e recreativas para o público infantil; além do polo cultural com atrações diversas, e o esportivo: para atividades de patins, skate, bike, badminton, slackline, triciclos entre outros.
Qual a criança que não curte mamulengos? No Museu do Mamulengo, em Olinda, é possível ver vários deles de pertinho, interagir com os bonecos e vê-los ganhar vida. No local, é possível fazer uma visita guiada, que deve ser agendada previamente. Assim, é possível acompanhar a história dos mamulengos. Fica na Rua de São Bento, nº344, Varadouro, em Olinda. Contato: 81. 3493-2753. Funciona de terça a domingo das 10h às 17h.
O Espaço Ciência, que é um Museu ao ar livre e fica no Complexo de Salgadinho, Parque 2, em Olinda. Funciona de segunda a sexta das 8h às 12h e das 13h às 17h. Nos sábados e domingos de 13h30 às 17h. Com entrada gratuita. É um museu interativo de tecnologia, meio ambiente e divulgação da ciência, onde os pequenos podem fazer experiências sensoriais nesse universo.
A maior beleza natural do Recife: o mar de Boa Viagem. Com sete quilômetros de extensão, o local é considerado uma das praias urbanas mais limpas do Brasil. Areias claras, coqueiros, piscinas naturais e muitos ambulantes compõe o cenário. Para as crianças, o ideal é aproveitar a maré sequinha.
Alto da Sé, Olinda é a cidade irmã, colada com o Recife. Suas ladeiras abrigam o maior e mais democrático carnaval de rua do mundo. No Alto da Sé, onde fica a igreja de mesmo nome, a vista é belíssima. Em pleno início de janeiro, já é possível “ouvir” o carnaval chegando, inclusive pela presença dos Papangus (mascarados).
O Parque Estadual de Dois Irmãos é um parque, zoológico e reserva ambiental, localizado no Recife - PE. O Parque tem uma área de 1158 hectares, sendo 14 hectares de zoológico, com diferentes animais para visitação. Fica localizado na Praça Farias Neves, s/n - Dois Irmãos, Recife – PE.
O Parque Dona Lindu é um parque da cidade do Recife, Pernambuco. Situa-se num terreno cedido pelo Governo Federal à prefeitura do Recife na praia de Boa Viagem, na região de Setúbal, localizado entre as avenidas Boa Viagem e Visconde de Jequitinhonha. Parque com áreas recreativas, pistas de patinação, teatro e galeria de arte. Há vistas incríveis para o mar. Somente espero que todos aproveitem às férias. Até breve pessoal!
Nossas Pesquisas:
http://supermaeativar.com.br/recife-com-criancas/
http://www.joaoalberto.com/2014/10/12/os-10-melhores-lugares-para-curtir-com-as-criancas-no-recife/
Wikipédia


RECORDANDO I
A VIDA TEM A COR QUE SE PINTA
 
Pinte sua vida com a cor do coração
Escute atento o som de seu interior
Pratique todas as edificantes lições
Deixem os sentimentos fluírem, o Amor...

A vida é uma aquarela de diversos tons
Com belos sonhos construa o seu castelo
Coloque música lá dentro, de vários sons
Edifique as paredes com o Sol, o amarelo...

Traga o brilho, a luminosidade para o seu dia
Faça o alicerce com o verde da Esperança
Já a cobertura com o azul do Céu, da alegria
Aproveite todos os momentos de Bonança...

Ponha a Fé e o Amor, na porta, de sentinela
Protegendo a entrada do castelo, a sua vida
De certo serão a força, as grades das janelas
Elas trarão de volta toda Esperança perdida...

Observe a beleza da sua construção capaz
Pinte com as cores do arco-íris todo seu dia
Encha as arestas vazias com o branco da Paz
Agora aproveite para tecer uma linda poesia.

Elisabete Leite
Publicado em 03/02/2018

RECORDANDO II
A Criança e a Tataruna (Tata runa)

Após ter deixado o tio que a ensinou que todos somos mágicos, a criança continuou correndo pela praça. Logo adiante parou ao ouvir um choro baixinho e fraquinho, olhou para todos os lados e não viu ninguém chorando. Mas o choro continuava, parecia que vinha de baixo, perto de uma árvore, uma das poucas árvores que ainda restavam naquela praça. As outras árvores tinham sido cortadas pelo Dr. Pafúncio, um rico industrial do ramo dos papéis, porque suas folhas sujavam a calçada de sua casa no Outono. Suas fábricas destruíam milhares de árvores por ano para fazer papel, e seu Pafúncio não plantava se quer uma para compensar as que derrubava.

A criança continuou parada, atenta ao seu redor para ver de onde vinha aquele choro tão triste. Logo percebeu uma Tataruna que chorava ao se arrastar tentando subir na arvore:

“Ai meu Deus, minha perninha, por favor me ajude, tenho que subir na árvore”

Lamentava-se a Taturana.
- Oi Dona Tataruna, por que você está chorando?

A Tataruna, meio assustada, olhou para a criança e pelos seus olhos enxergou seu coração, que naquele instante tinha se transformado em tataruna, e falou:

- Oi menina, estou chorando porque caí da árvore e machuquei uma das minhas pernas.

- Ui como dói.

- Agora não consigo subir na árvore outra vez.

- Coitadinha, deixa eu colocar você na árvore?

- Está legal, mas não toque em mim pois eu posso lhe queimar e sua mãe não vai gostar. Entendeu?

- Como você pode me queimar Dona Tataruna?

- É que eu sou uma lagarta-de-fogo, meu nome verdadeiro é Tata’rana que em Tupi antigo quer dizer “semelhante a fogo”.

- Ah, eu pensei que seu nome fosse Tataruna.

- Pode me chamar de Tataruna, eu tenho vários outros nomes como Ambira, Bicho-cabeludo, Lagarta-cabeluda, Mandorová, dizem até que eu sou um Lepidóptero.

- LE PI DÓP TE RO!!!! Que nome mais feio, eu prefiro Tataruna.

- Eu também.

A criança pegou um graveto seco do chão, deixou que a Tataruna se arrastasse até ele, e com muito cuidado colocou a lagarta-de-fogo em um galho da árvore. A Tataruna procurou um lugar seguro e disse:

- Agora eu posso descansar um pouco. Adeus menina, muito obrigado por ter me ajudado.

- De nada Dona Tataruna, quando eu passar aqui outra vez venho visitar a Senhora. Cuidado para não cair de novo.

- Adeus.

Após alguns dias, a criança ao passar em frente aquela árvore, lembrou da Tataruna e resolveu visita-la. Chegou perto do local onde tinha colocado a lagarta-de-fogo e no seu lugar tinha um casulo já seco é aberto. Ela olhou mais um pouco ao seu redor para ver se a Tataruna tinha mudado de lugar ou caído outra vez.

Nada. Nada encontrou. Já ia se afastando, meio triste, quando uma linda borboleta, toda colorida, que brincava nas poucas flores da praça lhe chamou:

- Oi menina, não lembra de mim?

- Eu não Dona Borboleta. Eu não lembro de você!

- Eu sou aquela tataruna que você ajudou a subir na árvore, Lembras?

A criança abriu um grande sorriso e seu coração já se transformou em uma borboleta.

- Aquela lagarta-de-fogo é você???

- Verdade???

- Sim, verdade. Eu era uma lagarta-de-fogo e agora eu sou uma borboleta.

-Ah! Então você também é mágico. O Tio não me falou que as Tatarunas também eram mágicos.

E a criança feliz da vida brincava entre as flores correndo atrás da borboleta.

À noite, em seu quarto, contou tudo para o seu ursinho de pelúcia, e adormeceram.


Jorge da Silva Leite - São Paulo – SP.
Publicado em 03/03/2018


























21 comentários:

  1. Espetacular página de férias, um sábado com grandes leituras e emocionantes temáticas, um momento literário e poético com direito a muito lazer. As ilustrações estão fascinantes e coloridas, tão suaves e mágicas como é o universo das crianças. Muuuito feliz, agradecida e realizada por mais um conto publicado em nosso Blog Maçayó, aproveito também para compartilhar em nosso Cantinho um roteiro, dicas para o mês de férias. Acho magnífico o conto "A Criança e a Tataruna" do poeta Jorge Leite que nos faz recordar e sonhar com excelentes leituras. Tudo perfeito por aqui, preparado especialmente para o nosso público infantil, como também para os demais leitores. Obrigada meu Deus, obrigada a todos! Beijos e boas leituras!

    ResponderExcluir
  2. Olá poetas, poetisas e leitores em geral, bom dia! Depois de uma boa temporada afastada da cidade, visitando parentes em meu interior, em um descanso merecido, retorno ao Blog para matar às saudades, precisando de tempo para colocar em dia as leituras de todas as páginas, mas pouco a pouco vou conseguir. Estou aqui fascinada pela belíssima página infantil de sábado, esse novo conto da amiga poetisa caiu como uma pluma, é uma narrativa brilhante, recheada com muitas emoções e uma grande lição de vida. O mundo todo fala sobre as cores rosa e azul, e a amiga Bete traz uma visão sábia e diferente do fato. Que o Ser Humano é semelhante perante Deus e qua a Paz e a União devem prevalecer sempre. Os poemas são perfeitos e o Conto do poeta Jorge é formidável e a narrativa também traz uma outra lição de vida. Devemos olhar a vida com os olhos do coração. Vamos colorir o nosso dia. Que página amigos! Ufa, são tantos ensinamentos! Amei o roteiro de férias, hoje ainda é festa e Tia Beta ainda continua vestida divinamente. Parabéns a todos. Abraços e obrigada pelas mensagens.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia e seja bem-vinda professora Carmem! Obrigada pelo seu carinho, excelente e pertinente comentário, pois não existe divisão de cores, de raça ou de genêro, não distinção entre pessoas... Ninguém é melhor ou pior do que o outro, somos servos e irmãos, somos únicos em características, e isso é o que nos torna mais especiais... Somos todos iguais, unidos em busca de uma causa. Paz é a palavra chave! Beijos 🌷

    ResponderExcluir
  4. Tia bete e laurinha e gosto do conto de ferias, mamae fala da linda historinha e lendo tudo, sabe fessora gosto da tia, borboleta e do tio jorge e fico feliz beijos amo aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, princesa Laurinha! Fico feliz em saber que você e a sua mãe gostaram dos contos e da página do Blog. Pois foi compartilhada para todos os leitores. Aproveite suas e leia bem devagar. Beijos e obrigada!🍨🌷❤😍

      Excluir
  5. Fessora e laynne sua aluna que ama ler eu gosto muito do conto de ferias os alunos todos ganham medalhas de ouro que lindo tia. Amo o conto do tio, mamae ajuda eu e gosto das fotos. Feliz tia tou eu. bjs da laynne

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, princesa Laynne! Que bom que você gostou dos contos e da página. Agradeça sua mãe por ajudar. Você é uma menina linda e esperta, merece uma medalha de ouro, como também Laurinha e Gugu. Obrigada e beijos...🙆🎖🎖🎖😚💟

      Excluir
  6. Tive oportunidade de conhecer a historinha da Dona Tataruna. Muito linda.
    Dudinha e suas travessuras. Amei!
    Parabéns, Bete, pelos poemas.
    Meu abraço ao Jorge pela linda página que dedica às crianças!
    Até a próxima.

    ResponderExcluir
  7. Eita, meus amigos que página infantil de sábado mais linda! Um conjunto de boas mensagens em um encontro do ontem com o hoje... são contos recheados de emoções em narrativas envolventes. A poetisa Elisabete Leite sempre trazendo novidades, trouxe uma Colônia de férias para o nosso deleite com grandes competições educativas, onde a união faz a diferença e traz força para uma verdadeira equipe... concordo somos todos iguais. Geovanna foi visitar parentes queridos e me pediu para registrar comentário em nome dos dois. Lindo conto do poeta Jorge e belíssimos poemas da amiga Bete. As ilustrações e informações completam o show de sábado. Tudo perfeito no blog. Parabéns aos irmãos Leite e aplausos mil pelo sucesso. Excelentes leituras a todos e abraços...

    ResponderExcluir
  8. Oi fessora sou Gugu seu aluno que gosta de conto de ferias meu pai saiu e minha prima ajuda eu. Digo que acho tudo lindo e estou lendo de pouco pra nao cansar amo o blog beijos fessorinha e saudade de seu aluno gustavo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gugu, tudo bem? Estou feliz que você tenha gostado do conto e que sua prima esteja ajudando. Sei que você gosta do blog. Lembranças para sua família e beijos...🎖🍨💙

      Excluir
  9. Venho aqui prestigiar os meus amigos queridos Elisabete Leite e Jorge Leite, que com toda frequência compartilham belíssimos contos, poemas, pesquisas e ilustrações. Hoje, não poderia ser diferente minha amiga poetisa Bete traz um brilhante conto de férias, com mensagens edificantes, bem ao gosto dela, os poemas são lindíssimos e completam muito bem a temática... somos todos iguais perante Deus. A união faz a força e no fim todos vitoriosos. Nas recordações o conto do poeta Jorge Leite está lindo demais. Um verdadeiro show de página. Parabéns aos irmãos Leite. Saudades... Aqui, em Santiago, eu e Maciel estamos muito felizes e com novidades, em breve divulgaremos. Beijos a todos...

    ResponderExcluir
  10. Espetacular página infantil de sábado, um conto lindíssimo e emocionante que traz mensagens de muitos ensinamentos e tantas outras nas entrelinhas que mos fazem refletir. Os poemas estão perfeitos e servem para repensar o certo e o errado. Tudo muito lindo... nas recordações a vida tem a cor que se pinta, muito lindo e mágico o conto do poeta Jorge. Amei as dicas de férias. Parabéns para os irmãos Leite. Abraços...

    ResponderExcluir
  11. A amiga poetisa Elisabete Leite compartilha mais um conto brilhate, uma história envolvente de férias. Com direito a grandes mensagens. Os poemas são magníficos e embelezam ainda a página infantil de sábado. A ilustrações compartilhadas são bem originas, mágicas e pertinentes aos temas abordados pelos autores. Muito lindo o conto do poeta Jorge Leite. Tudo perfeito para um sábado de férias, pois são excelentes leituras. Parabéns aos poetas, os queridos irmãos Leite, por mais um show no blog. Bravíssimo!!! Abraços e boa noite!

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, amigos poetas e poetisas! Ontem não deu para comparecer ao blog, porém hoje realizei todas as leituras da página infantil de sábado e me deleitei com tantas preciosidades, belíssimos contos, poemas, ilustrações magníficas e dicas de férias. Minha amiga querida Elisabete Leite mais uma vez deu um show de narrativa e o poeta Jorge Leite embarcou junto, nesses maravilhosos momentos poéticos e literários. Portanto, os irmãos Leite estão de parabéns pela excelente partilha. Por aqui em Santiago tudo bem, somente felicidade. Estamos felizes, porém saudosos. Abraços a todos e um agradável domingo. Show e show!

    ResponderExcluir
  13. Venho somente hoje comentar a magnífica página infantil de sábado, onde minha amiga Elisabete Leite compartilha o seu novo conto de férias, que deu um show de emoções e narrativa. Mais uma vez a poetisa se superou nas surpresas do enredo e suas mensagens, fico muito feliz em interagir nesse blog. O poeta Jorge relembra o seu lindo conto, deixando todos encantados. Os lindos poemas, belas ilustações e um excelente roteiro com programações completam o grande espetáculo. Parabéns amigos poetas e abraços a todos. Tudo perfeito!

    ResponderExcluir
  14. Voltando aqui para agradecer pelas ilustres visitas e gentis comentários de todos. Fico lisonjeada com tanto carinho e visitações, nosso Cantinho do Saber é como um livro digital onde as portas são abertas para poesias, mensagens, ensinamentos e aprendizagens, aqui a gente ensina e aprende é uma troca de conhecimentos, de maneira lúdica. Obrigada e um bom domingo a todos. Até logo mais na página de domingo. Que venham novas e belas inspirações...

    ResponderExcluir