sábado, 16 de março de 2019

As Letrinhas Mágicas

Ano II - Edição 292 - Tema Infantil
Tema das Imagens - Alfabeto (Pixabay)


                       AS LETRINHAS MÁGICAS

          Era uma vez uma linda menininha que tinha os cabelos tão loiros que pareciam até cabelos de milho, ela morava em uma casinha bem afastada da cidade, um local esquecido pelas pessoas, um pedacinho de chão no meio do nada, cercada por terra e vegetação, era proveniente de uma família humilde e sua mãe precisava trabalhar muito para sustentar a sua família. O seu pai morreu quando ela ainda era pequenina e atualmente a garotinha, de sete anos de idade, vivia com sua mãe e sua avó materna naquele cantinho singelo, porém bem acolhedor...
           A menina Alice, que carinhosamente a sua avozinha chamava de Cachinhos de Milho, era o encanto da casa, vivia suspirando pelos cantos, pois ela queria a todo custo ir à escola, queria
aprender o ofício da leitura, mas devido à distância do local onde ela morava, aprendia o ABC com a sua mãe que pouco conhecia as letras. Cachinhos de Milho todas as noites, ficava debruçada na única janelinha da casa aguardando por um milagre que caísse do céu. Ela avistava de longe quando sua mãe vinha chegando dos campos de milharal, da lida diária, e corria para abraçá-la.
          Um dia Alice chegou atrasada na janela, pois ficou ajudando sua avozinha a ralar o milho para a canjica do jantar e não percebeu que sua mãe já havia chegado. Ela estava concentrada admirando o deslumbrante luar que brincava de esconde-esconde por entre as nuvens no céu e sorria para as estrelas que cintilavam a brilhar. Foi nesse clima de perfeição que o silêncio foi quebrado pela voz suave da sua querida mãezinha:
          - Cachinhos de Ouro, eu tenho uma surpresa para você!
          - Mamãe, eu não vi você chegar! Eu estou feliz agora, surpresa fiquei eu em vê-la aqui, tão pertinho de mim. Senti tanta saudade! Exclamou a pequena menina.
         - Filhinha, hoje eu consegui vender bastante milho no vilarejo e lá encontrei um senhor bondoso que me deu uma caixinha de presente. Ele me disse que era para minha filhinha, falou que na caixa havia várias letrinhas mágicas que iriam facilitar à leitura de qualquer criança. Disse-lhe sua mãe.
          - Uau mamãe, que maravilha! Eu quero ler de verdade, ter a chance de viajar pelo mundo da magia, reconhecer as letrinhas em qualquer lugar e juntar as diferentes letras e formar novas palavras. Disse-lhe Alice.
          Logo depois, sua mãe entregou-lhe uma caixa toda colorida, que brilhava no escuro, mas ela falou para Alice que a caixa para ser aberta precisava de um código de acesso, uma palavra mágica que ela desconhecia qual era, e que Alice precisava descobrir para poder abri-la. A menininha arregalou os seus olhinhos e falou para sua mãe:
        
  - Obrigada mamãe! Pode deixar comigo que vou descobrir, pois a minha vontade de lê é enorme, eu vou conseguir. Falou e saiu correndo para um cantinho qualquer no escuro da noite, com aquele objeto que balançava em suas mãos.
          Cachinhos de Milho segurava firme aquela caixinha reluzente, apertava com tanta força na esperança que um milagre acontecesse. De repente, ela pensou consigo mesma: “Já sei qual é a palavra mágica!” e assim, falou em voz alta: “AMOR” e como um passe de mágica a caixinha se abriu e lá foi saindo o ALFABETO completo, vogais e consoantes, uma a uma as letrinhas mágicas foram viajando em sua mente e pouco a pouco foram formando palavras, frases e textos... A garotinha não se continha de tanta felicidade, ela repetia as palavras que saiam do nada, parecia até um milagre e vai escrevendo tudo que sua mente ordenava: “A de ambulância, B de búfalo, C de casa”. Assim as letrinhas saltitavam da caixa se uniam e formavam novas palavras. Cachinho de Milho correu para contar a novidade a sua mãe e avó, ela chegou à cozinha eufórica e não parou mais de falar:
          - Vovó, mamãe, eu estou lendo tudo! As letrinhas são mesmo mágicas e eu já consigo escrever e ler qualquer palavra.
         - Minha filha, que felicidade! Por favor, leia alguma coisa para gente!
         A garotinha escreveu uma frase e depois leu em voz alta: “Vovó e mamãe são as minhas melhores amigas”. Era o momento certo para a sua avó falar e elogiar sua netinha:
         - Cachinhos de Ouro, nós estamos orgulhosas de você! Eu também tenho uma surpresa para te falar. Eu matriculei você na escola do vilarejo, de amanhã em diante eu irei te levar e buscar no colégio todos os dias. Disse-lhe sua avozinha.
         Uau, eu amo muito vocês! Exclamou Alice.
         E assim aconteceu, a garotinha começou a estudar na escola do vilarejo e em pouco tempo já estava integrada aos conteúdos programáticos e a mesma não teve nenhuma dificuldade na aprendizagem dos mesmos.
          Os tempos passaram e Cachinhos de Ouro tornou-se professora do vilarejo. Quando ela percebia que algum estudante estava com dificuldade na leitura ele abria a sua caixinha colorida e as letrinhas mágicas viajavam pela mente do aluno que precisava. E assim, todos foram felizes para sempre.
          Até a próxima aventura amiguinhos!
          Elisabete Leite – 14\03\2019


ALFABETO RIMADO

Com “A” escrevo AMOR
Com “B” escrevo BALÃO
Com “C” escrevo CALOR
Já “D” escrevo DEVOÇÃO...

Com “E” escrevo ELEFANTE
Com “F” escrevo FLOR
Com “G” escrevo GENTE
Já com “H” escrevo HUMOR...

Com “I” escrevo IRMÃ
Com “J” escrevo JOGAR
Com “K” escrevo KARMA
Já com “L” escrevo LAVAR...

Com “M” escrevo MELÃO
Com “N” escrevo NUVEM
Com “O” escrevo ORAÇÃO
Já com “P” escrevo PENUGEM

Com “Q” escrevo QUEIJO
Com “R” escrevo RATO
Com “S” escrevo SEIXO
Já com “T” escrevo TATO...

Com “U” escrevo UIVAR
Com “V” escrevo VOGA
Com “X” escrevo XINGAR
Já com “Y” escrevo YOGA

Com “W” escrevo WILMA
Já com “Z” escrevo ZEBRA
Assim é o meu ALFABETO,
De A a Z quase rimado.

Elisabete Leite – 14\03\2019          

CANTINHO DA TIA BETA

Olá pessoal, eu aqui de novo! Hoje vamos conhecer a história do Alfabeto. O alfabeto, tal qual o utilizamos hoje, é o legado de várias culturas a partir da necessidade de registro dos sons das palavras e passou por várias transições.

As primeiras representações das palavras são atribuídas a um povo semita que vivia perto do Egito há cerca de 5,5 mil anos.
Já a representação fonética das palavras é atribuída aos fenícios, sendo o modelo primordial utilizado atualmente.
Por convenção, os alfabetos são abstratos e podem ser usados e adaptados a qualquer tipo de língua.

Primeiros Símbolos
Os primeiros símbolos surgiram na região da baixa Mesopotâmia e consistiam em ideogramas e pictogramas que eram desenhos representativos de objetos.
Esse sistema facilitava o entendimento nos mais diversos idiomas. Assim, estava sanada a possibilidade de registrar, armazenar dados e representar a história.
Com o passar do tempo, porém, os símbolos ficaram numerosos e representá-los era complexo. Era preciso a criação de um modelo que comportasse a formação de palavras.
Em princípio, o modelo desenvolvido pelos semitas com base na escrita egípcia - hieróglifos - foi utilizado durante 3 mil anos.
Era um alfabeto silábico considerado prático, elaborado com base na escrita cuneiforme com formas gráficas e desenhos.

Alfabeto Fenício
Como maneira de facilitar os trâmites da atividade comercial, os fenícios passaram a utilizar à escrita.
As anotações fonéticas foram desenvolvidas pelos fenícios a partir da escrita semita e passam a ser alfabética em meados do século XV a.C., sendo difundidas pelo mundo antigo.
O alfabeto fenício arcaico originou todos os alfabetos atuais. O sistema é composto por 22 signos que permitem a elaboração da representação fonética de qualquer palavra.
Alfabeto Fenício
 
Alfabeto Fenício
Diferente do conjunto de representações do povo semita, o alfabeto fenício continha símbolos específicos.
As letras vão da direta para a esquerda. Esse alfabeto foi adotado pelos vizinhos, chegando aos cananeus e hebreus.
Como os fenícios eram mercadores e precisavam anotar suas transações, conseguiram levar seu método de representação fonética para o Oriente Médio e a Ásia Menor, além dos árabes, etruscos e gregos, chegando à Península Ibérica.
Alfabeto Grego
Foi esse o alfabeto adotado pelos gregos por volta do século VIII a.C. Os gregos acrescentaram ao sistema mais sons vocálicos e o alfabeto passou a ter 24 letras, entre vogais e consoantes.
Com base neste sistema, um tanto mais refinado, originam-se outros alfabetos, como o etrusco e o gótico, na Idade Média; o grego clássico e o latino, que foi adotado pelos romanos.
Em consequência da expansão do Império Romano, o alfabeto latino foi largamente difundido.

Alfabeto grego
Foram os gregos os primeiros europeus a aprender escrever com um alfabeto e seu sistema foi fundamental para o mundo moderno.
A palavra alfabeto, aliás, é de origem grega e representa a primeira letra (Alfa) e a segunda (Beta). Com a adoção de um sistema de notação silábica, os gregos influenciaram em todo o alfabeto moderno.
As primeiras tentativas de representação gráfica da pronúncia das palavras ocorreram por volta de 1500 a.C., mas os símbolos não permitam o registro preciso dos sons.
Assim, por volta do século 9 a.C., os gregos passaram a usar o alfabeto fenício que, mesmo representando os sons, não continham vogais.
Como maneira de adaptação às suas necessidades, os gregos modificaram o que lhes parecia estranho, acresceram vogais e introduziram variantes adequadas à língua que empregavam.
No início, a escrita grega acompanhava a fenícia, da direita para a esquerda. A direção foi alterada gradativamente até a adoção do sistema atual, da esquerda para a direita, padrão seguido hoje no mundo.
As letras gregas também foram adotadas na anotação de números. No sistema grego, cada letra tem um valor numérico. Hoje, o sistema é aplicado na linguagem científica e matemática.
O alfabeto grego ainda é um sistema de escrita aplicado na Grécia e nas comunidades gregas pelo mundo.
Confira o alfabeto completo em Alfabeto Grego.

Alfabeto Latino ou Romano
O latim é uma língua que pertence à família indo-europeia, assim como o grego, o sânscrito, o escandinavo antigo e o russo.
O alfabeto latino ou romano surgiu em meados do século 7 a.C. como adaptação ao etrusco. Os etruscos usavam o alfabeto grego, de onde derivam os caracteres representativos da língua latina, e o repassaram aos romanos.
Sob a influência do Império Romano, muitas nações passaram a usar o latim para escrever sua própria língua.
Em consequência, todas as nações da Europa Ocidental passaram a usar o alfabeto latim que ainda hoje é o mais utilizado no mundo.
A mais antiga inscrição de caracteres latinos data, justamente do século 7 a.C. e está presente em um broche dourado guardado no Museu Etnográfico Luigi Pigorini, em Roma.
Seguindo a orientação da origem grega, as anotações latinas são lidas da esquerda para a direita. Originalmente, o alfabeto latino é constituído por 26 letras (A,B,C,D, E, F, G, H, I, J, K, L, M, N, O, P, Q, R, S, T, U, V, X, Y, W, Z).
A letra Z chegou ser descartada no século 250 a.C. porque o latim, neste período, não continha nenhum som específico para este sinal gráfico.
Outras letras, contudo, foram introduzidas, seno a L e C. Depois do século 1 a.C., em decorrência da influência romana, os símbolos Y e Z foram introduzidos ao alfabeto latino.
Na Idade Média, quando a Igreja Católica exercia poderes políticos sobre a Europa Norte e Central, o alfabeto latino foi aprovado com algumas modificações para germânicos e eslavos.
As chamadas línguas românicas tardias passaram a usar sinais diacríticos para a expressão de seus sons específicos. São o trema no alemão (ü), o cedilha no português e francês (ç) e o til em português e espanhol (~).

Alfabeto Português
O alfabeto de representação gráfica da língua portuguesa é o latino. Os países de língua portuguesa, que incluem o Brasil, aboliram as variações após a assinatura do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa e acrescentaram as letras que notam os sons de K, Y e W.
Assim, esse alfabeto é grafado pelas letras, A, B, C, D, E, F, G, H, I, J, K, L, M, N, O, P, Q, R, S, T, U, V, X, Y, W, Z.

Espero que vocês tenham gostado da pesquisa.

Por Daniela Diana
(Professora licenciada em Letras)

Nossas Pesquisas:





20 comentários:

  1. A página infantil de sábado está realmente fantástica, pois a magia do "ALFABETO" possibilita aos pequeninos novos horizontos na aprendizagem, abre um leque de opções e contempla à criançada com novos conhecimentos, onde as consoantes juntam-se com as vogais formando novas palavras. Tudo perfeito como sempre na página de hoje! Estou aqui encantada, emocionada, lisonjeada, agradecida e muito feliz por mais um Conto publicado em nosso Cantinho do Saber, o Blog Maçayó. Quero dedicar a página infantil de hoje aos meus pequenos alunos e alunas que utilizam diáriamente o Alfabete na construção de novos conhecimento. Quero também dedicar o Alfabeto Rimado ao meu novo aluno do Reforço Escolar, Lucas Kauã, de sete anos de idade e que todas às tardes, eu e ele brincamos de aprender com o Alfabeto, essas letrinhas mágicas que ganham vida no maravilhoso universo infantil. As ilustrações estão fabulosas. Obrigada querido parceiro poeta Jorge Leite. Parabéns pelo conjunto e muito obrigada a todos. Bom dia e ótimas leituras. Abraços...

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente falando Bete, está magnífico o seu Conto de hoje, muita aprendizagem, uma aula extra para todas as idades, filhos e pais. A poetisa amiga Elisabete Leite usa com profissionalismo esse dom que ela tem de escrever, como uma das suas estratégias de ensino, um dom realmente fantástico. Ficou mágico e criativo o Alfabeto Rimado e as ilustraçőes estão impecáveis como sempre. Excelente pesquisa no Cantinho da Tia Beta. Um show em tudo! Parabéns aos poetas pela educativa partilha. Aprovadíssima essa aula no Blog Maçayó. Aplausos mil... saudades e abraços...

    ResponderExcluir
  3. Tia é laurinha sua aluna que ama historinha e gosto das letrinhas magicas, o conto, o alfabeto rimado e o Z de zebra kkkkk que lindo. Minha mãe ajuda eu pra nao errar. Beijos da aluna Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia princesa Laurinha! Estou feliz porque você🙆veio visitar o Blog e gostou do Conto e da página de hoje. Obrigada pelo comentário e agradeça por mim a sua mãe pela ajuda. Lembranças a todos e beijos da sua professora Bete.❤🍦👑🌷

      Excluir
  4. Parece que eu e Betinha conversamos em silêncio. Terça-feira, dia 12, comecei um projeto que se intitulava “Abecedário Sem Sentido”. A poesia e o tautograma “Fantasmas & Fantasias”, publicados na edição de quarta-feira 13, fazem parte desse projeto. Aí aparece a Betinha com sua página de hoje mostrando sua proficiência sobre o alfabeto com seu conto maravilhoso, sua poesia e sua pesquisa. Ela não tinha conhecimento do meu projeto, também não tive conhecimento de sua página; só passo a conhecer no momento que ela encaminha para editoração (sexta-feira 15) um dia antes da publicação.
    Nós não competimos, nós nos completamos sem combinar antes. É interessante dizer que muito do seu trabalho eu tenho algo parecido, próximo. Na edição 293 (Domingo 17) vou publicar a primeira parte do poema “Abecedário sem Sentido”. São quadras que se iniciam com uma letra do alfabeto. Amanhã publicarei as 10 primeiras quadras.
    Espero que encontrem sentido no meu abecedário
    Querida Betinha continue a me surpreender.
    Beijos, e um ótimo final de semana para todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha querido Jorge, estamos sempre nos completando. Quero te dezer que amei a página dos Tautogramas, estou fascinada pela página de hoje e anciosa pela página de amanhã. Somos parceiros e sou sua fã! Parabéns e obrigada por tudo. Beijos e muito sucesso em nossos Projetos.

      Excluir
  5. Tia Bete e Gugu seu aluno que gosta de conto, lindo a historinha das letrinhas magicas e o alfabeto rimado que ensina a escrever. Meu pai ajuda eu e mamáe gosta do blog. Lindas as fotos de enfeite. Minha mãe manda parabens. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, meu aluno Gustavo! Estou feliz que você🙋e sua família gostaram do Conto e da página de hoje. Lembranças para todos e obrigada pela interação da sua família. Um beijo da profesdora Bete💙🤗🍨👏👏

      Excluir
  6. Que maravilhosa página educativa de sábado aqui no Blog Maçayó, com um belíssimo Conto infantil que narra de maneira fascinante a historia da linda Cachinhos de Milho e o seu amor pela leitura, o desejo de querer aprender. Estou encantada com o Alfabeto Rimado e achei excelentes as ilustrações compartilhadas... o "Z" de zebra é perfeito, lembrei-me da zebrinha da antiga Lotéria Esportiva. Bete deixou o verso da zebra sem rimar para os pequeninos aprenderem brincando. Amei tudo! Como disse a bela Laurinha: kkkkk... O amigo poeta Jorge Leite sabe ilustrar. Achei interessante e louvável essa sintonia dos irmãos Leite. Excelente pesquisa no Cantinho da Tia Beta. Parabéns aos poetas por mais esse show de página infantil. Um bom final de semana a todos e abraços!

    ResponderExcluir
  7. Tia é Laynne sua aluna que gosta de conto e linda a historinha das letrinhas magicas e da Alice. A tia coloca o Z de zebra e o tio a foto kkkkk estou rindo. Minha mãe ajuda eu a escrever e ler. To com saudade beijo da sua aluna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, princesa Laynne! Estou feliz que tenha gostado do conto e da página de hoje. Agradeça sua mãe pela ajuda e lembranças para sua família. Também tenho saudades de vocês! Beijos da sua eterna professora.👱❤👏🤗👑

      Excluir
  8. Olá pessoal, espero que todos estejam bem! Hoje, não poderia deixar de comentar, pois o Alfabeto faz parte do meu dia a dia como professora de Ensino Fundamental I. O Conto ficou perfeito, pois é bem educativo e com toda certeza vou trabalhar com ele. O Alfabeto Rimado está bastante criativo e foi tecido com maestrua poética que contemplou três conteúdos programáticos, ALFABETO, RIMAS E POESIA. Lindas as imagens ilustrativas e está excelente a pesquisa no Cantinho da Tia Beta. Parabéns Blog e poetas... aplausos Bete. Saudades de vocês...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também vou corrigir: ...maestria...

      Excluir
  9. Eita pessoal, que magnífica página infantil de sábado, um conto belíssimo e muito educativo da minha querida amiga Elisabete Leite. Um criativo Alfabeto Rimado que contempla diferentes aprendizagens. Sensacionais estão as ilustrações, como também a excelente pesquisa no Cantinho da Tia Beta. Acho importante a sintonia entre os poetas para a construção do Blog Maçayó. Parabéns aos poetas... Tudo está um verdadeiro show! Abraços a todos e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  10. Venho aqui prestigiar a minha queridíssima amiga poetisa Elisabete Leite com seu belíssimo Conto educativo e infantil que somente confirma a grande educadora que ela é. Achei tudo perfeito nessa página do Blog Maçayó. O poema "Alfabeto Rimado" é lindo, criativo, animado e bem elaborado, passa muitas aprendizagens. Uma aula extra de Língua Portuguesa. As ilustrações, como sempre, estão magníficas e também coloridas, que deram vida as Letrinhas do nosso Alfabeto. Gostei e achei excelente a pesquisa do Cantinho da Tia Beta. Parabéns aos poetas por mais uma fabulosa página de sábado! Abraços a todos e saudades...

    ResponderExcluir
  11. Ah, que belíssimo e mágico Conto da amiga poetisa Elisabete Leite, uma maravilhosa página infantil de sábado no Cantinho do saber, o Blog Maçayó. Com tudo que uma criança precisa para melhor crescer na aprendizagem. Têm o colorido das imagens, lições, magia, fascinação, belas ilustrações, é o brincar aprendendo com esses professores criativos, os irmãos Leite. É bastante saudável a sintonia da poetisa e do poeta Jorge Leite. Achei ótima a pesquisa sobre o Alfabeto no Cantinho da Tia Beta. Tudo lindo por aqui. Parabéns aos poetas e bom final de semana a todos. Abraços...

    ResponderExcluir
  12. Atrasada para prestigiar essa incrível página infantil de sábado, com esse belíssimo Conto recheado de ensinamentos da minha amiga poetisa Elisabete Leite, que hoje resolveu contemplar os seus novos alunos. O Alfabeto Rimado é criativo e muito educativo, uma maneira lúdica de aprender. As ilustrações estão magníficas e gostei bastante da pesquisa, a História do Alfabeto, no Cantinho da Tia Beta. Parabéns aos poetas por mais essa linda página. Amo os contos da professora Elisabete. Boa noite a todos e abraços... Show!

    ResponderExcluir
  13. Com C escrevo CARINHO
    Com C CONSIDERAÇÃO
    com C escrevo CAMINHO
    Direto ao CORAÇÃO!

    Tia Bete, adorei a história de Alice e ainda aprendi muito sobre a origem do alfabeto. Viajando no momento, mas estou ligada em tudo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Bom domingo a todos! Voltando para agradecer pelas visitas e gentis comentários, que é uma grande prova de amizade prova. Um beijo no coração de cada um... 😚❤❤❤❤❤💙💙💙🤗👏👏👏

    ResponderExcluir