quarta-feira, 27 de março de 2019

Quarta Poética - Socorro Almeida & José de Menezes Cardoso

Ano II - Edição Nº 298 - Poesias
Tema das Imagens - O Verde


EU NÃO TE INVEJO
De: Socorro Almeida

Não te invejo por seres a rocha magmática
A litosfera de uma estrutura inquebrantável
Não te invejo por tua força inabalável
Porque sou a brisa leve, doce e enigmática.

Não te invejo por não saberes voar
Se em minhas asas procuras te abrigar
Sei que me amas pelo cravo da minha dor
E pela cruz que carrego pra te aliviar.

Sou as rosas que embelezam o teu ninho
Ignoras o perfume que deixei em teu caminho
A água de tua rocha pra saciar a tua sede

Sou a tristeza de tua alma introvertida
A lágrima que não choraste à minha partida
E ser feliz agora é tudo o que me pede!?

Recife, 19/03/2019
FILHOS, RAZÃO DE VIVER 
De: Socorro Almeida

Posso mencionar um chão que lavei
De vermelho sangue de um filho meu
Sitiada na ausência de um amor que sonhei
Fechei os olhos à dor que causei
Pela perda do amado filho teu.

Posso sentir teu coração como está o meu
Pelas vidas que geramos, não ter como encontrar
Abraços e sorrisos de nossa razão de viver
Só termos agora motivos para chorar.

De nossos ventres nada mais, senão lamentos
Agora é tarde para outro amor sentir
Outro corpo em nosso corpo a embalar

Tanta imprudência, tantos erros a perdoar
Lapidados no chão que será meu e teu
Eles aguardam a nossa vez pra nos consolar.!
 TEU OLHAR
De: Socorro Almeida

Teu olhar é como um toque suave de um beijo carinhoso
A leveza do vento ao entardecer
O doce adeus do pôr do sol, no crepúsculo da minh'alma
A alegria que me traz um novo amanhecer
É o sussurro dos amantes em noites de magia
O encanto das estrelas na ausência dos meus dias
Iluminando minhas noites com a luz dos vagalumes viajantes
É a esperança de amor e paz para o mundo!
E que esse olhar seja a corrente do bem
Nos corações de todos os seres!
 GUERRA INTERIOR
De: José de Menezes Cardoso

Eu não posso mais
Já fiz de tudo pra continuar
Está situação de incerteza
Mas a minha fortaleza
Começa a desmoronar.

São efeitos da erosão
Que a dúvida carrega
Consigo por onde passa
É o êxodo, a inteira destruição
Deste amor que a mim cega
E a você serve de graça.

Continuando desta maneira
Meu sonho pouco a pouco se enterra
Me deixando como espera, o simples nada
Assim, resolvi bater em retirada
Para não de todo perder a guerra.

Guerra que criei contigo
Com meu interior, com meu ego
E agora tristemente me entrego
Recebendo como consolação
O título de amigo.

Um simples e tristonho amigo
Que lutou, debateu-se, forçou a barra
Para ser um pouco do algo mais
Que infelizmente não foi capaz
De no máximo sonhar contigo!
FUGIR
De: José de Menezes Cardoso

Fugir
Fazer da mentira verdade
Fechar os olhos sem pensar
Em tudo que não se quer ver
Não dormir para não sonhar
Negar o que se quer querer.

Fugir
Renegar o seu próprio desejo
Mentir à sua própria existência
Conviver com seu próprio desprezo
Lutar contra a consciência.

Fugir
Viver como verdadeiro errante
Criar uma vida ilusória
Esconder do coração amante
O motivo de sua verdadeira história.

Fugir
Não dar valor aos sentimentos
Nem meus e nem dos outros
Deixar que os negativos pensamentos
Fiquem lhe consumindo aos poucos.

Fugir
Ser o que realmente não é
Descrer da capacidade de ser
Crer naquilo que nem tem fé
Saber amar, mas querer sofrer.

Fugir
De todas as horas fazer um suplício
Ficar perto, mas longe de mim
Sentir que será sempre o início
E eu... simplesmente o fim!
 E HAJA SACO
De: José de Menezes Cardoso

E haja sonhos para sonhar
E haja sol para aquecer
E haja luz para ofuscar
E haja coisas para esconder

E haja mãos para acenar
E haja valsas de despedida
E haja tristeza em tanto olhar
E tanta alegria perdida

E haja fome nas mesas
E fartura em tão poucas
E haja tanta tristeza
E tanta alegria louca

E haja miséria na vida
E haja vida de miséria
E haja gente bandida
Passando por gente séria

E haja gente chorando
E tão pouca gente sorrindo
E haja dólar aumentando
E haja cruzeiro caindo

E haja gente entendida
E mais gente para enganar
E haja gente fingida
E haja saco pra aguentar!




19 comentários:

  1. Desta vez sou a primeira a visitar o blog, no qual estou na companhia do meu inesquecível amigo Dedé. De início, agradeço aos amigos Jorge e Bete Leite por mais essa iniciativa. Espero que os amigos se identifiquem com mais alguns poemas meus, que foram feitos com carinho, especialmente pra vocês que curtem e sabem apreciar esses bons momentos poéticos. Por enquanto é só, mas depois eu volto. Abraços pra todos.

    ResponderExcluir
  2. Uma belíssima quarta-feira poética, com um encontro de grandes poetas. A amiga poetisa Socorro Almeida chega com seus intensos e belíssimos poemas, muito romantismo e sensibilidade no ar. Já José de Menezes Cardoso chega para matar nossa saudade com seus lindos poemas que parecem chorar de tão emocionantes. Lindíssimas ilustrações com o verde da natureza em foco. Aplausos mil pela excelente partilha. Parabéns aos poetas pelo conjunto. Boa tarde a todos e abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bete. Aprecio seu carinho e gosto dos seus comentários. Obrigada a você e ao Jorge por mais uma vez publicar alguns dos meus poemas. O amigo Dedé, de onde está, também agradece, com certeza. A página está linda, como sempre. Bjos

      Excluir
  3. Sempre grata a voce Socorro Almeida, por nos presentear com suas poesias, como bem disse você, " momentos poeticos",seus sentimentos em palavras, maravilha quem possui esse talento!
    Entender o que se passava no coração de Dedé, queria poder...estava ele triste, angustiado? Dizia minha sábia mãe, " a boca fala do que o coração está cheio" , ficaram nos seus escritos,apaixonados poemas; um dia terei a resposta meu irmão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os poemas de Dedé são, sem dúvida, um enigma.
      Agradeço sua participação. Por mim e por ele. Bjos

      Excluir
  4. Socorro Almeida, você e seu amigo José arrasaram com seus poemas emocionantes, românticos e com o gostinho de QUERO MAIS. Parabéns aos dois. Abraços de
    Cândida Nunes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um abraço especial a você, companheira. Até breve
      O blog agradece sua visita.

      Excluir
  5. Que maravilhosa página romãntica aqui no Blog Maçayó, com belíssimos e sentidos poemas dos poetas, da minha amiga Socorro Almeida e o grande José de Menezes Cardoso, tanta sensibilidade que chega a doer. Sensacionais ilustrações de realçam o verde das nossas matas, um excelente momento poético. Somente beleza, vamos aplaudir pelo conjunto aos poetas e suas artes. Parabéns a todos! Abraços e saudades...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo poeta Jorge leite, boa tarde! Enviamos, eu e Lis, poemas para serem compartilhados no Blog. Sabemos que a amiga poetisa Elisabete Leite está precisando da nossa ajuda. Já enviamos até digitados, pedi para ela fazer uma pesquisa e juntar com pormas dela. Forte abraço! Agradeço pela atenção!

      Excluir
    2. Corrigindo: ... poemas...

      Excluir
    3. Boa tarde meu amigo Maciel. Tenho mais que agradecer a você e a Flor de Lis, mas vocês sabem que são colaboradores fixos, importantes e merecedores de minha admiração. Se achar melhor podem enviar para o meu email: jorge.lei@gmail.com . Um grande abraço.

      Excluir
  6. Uma belíssima página de quarta poética, com dois grandes poetas, Socorro Almeida com seus versos lindos, sensíveis e românticos, como também o amugo poeta eternizado José de Menezes Cardoso com muita beleza e sensibilodade em cada verso compartilhado. As ilustrações compartilhadas como sempre estão perfeitas. Parabéns ao Blog pela notável partilha. Aplausos para todos dos poetas envolvidos. Forte abraços amigos e saudades...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: ... amigos...

      Excluir
    2. Obrigada, amiga Lis. Estou ansiosa pelos seus poemas e do seu companheiro. Bjos

      Excluir
  7. Achei maravilhosa essa página de hoje compartilhada aqui no Blog Maçayó, tanta riqueza de detalhes e harmonia que deixa a gente deslumbrada. São belíssimos os poemas românticos da amiga Socorro Almeida e gostei demais do poema EU NÃO TE INVEJO... já os poemas de José de Menezes Cardoso são lindíssimos e sofridos. Magníficas imagens ilustrativas. Tudo perfeito nesse encontro de grandes poetas. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Geovanna, sempre presente com seus comentários e seu carinho. Também gosto desse meu poema EU NÃO TE INVEJO. É um dos meus prediletos. Obrigada pelo carinho.

      Excluir
  8. Meus queridos, sempre que chega a quarta-feira e encontramos poemas, escritos com tanto sentimento, como não agradecer a vocês que nos proporcionam esses movimentos de tanta emoção?
    Obrigada, muito obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Mais uma quarta-feira de emoções é o que esse blog nos proporciona. As poesias de Socorro Almeida transmitem muito romantismo. José de Menezes Cardoso, meu finado esposo, com certeza está muito feliz. Era o sonho dele ver suas poesias publicadas. Essa homenagem que vocês fazem é realmente um sonho, poesias que transmitem sofrimento, angústia, porém muito belas. Parabéns a todos que integram este blog. E muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Telma, obrigada por sua visita. Que bom que gostou. Bjos

      Excluir