quarta-feira, 24 de abril de 2019

Quarta Poética - Pais e Filhos

Ano II - Edição Nº 309 - Poesias
Tema das Imagens - Filhos e Deuses

Pierre Charles Jombert - Les enfants de Niobé tués par Apollon et Diane

MEU FILHO
De: José de Menezes Cardoso

E você chegou
Lindo como uma manhã de sol
Como um céu estrelado
Numa noite de verão.
E eu
Alargava aquele sorriso paterno
Recordando que naquela noite de inverno
Com muito amor fizemos teu coração.
E daquele dia em diante
Tudo se transformou
A vida tinha mais vida
O sol tinha mais calor
E o céu que parecia distante
De mim se aproximou.
Por isso, filho querido
A ti tudo darei
Por ti serei mais forte
Por ti enfrento a morte
Por ti tudo farei.
E por mais que me maltratem
Por mais que roubem o que é meu
Serei o homem mais feliz
Com esta graça que Deus me deu!
Rubens - Vía Láctea

MEU PAI
De: Socorro Almeida

Acabei de chegar, feliz e radiante.
Não quis abrir os olhos, meu pai
Mas, não é por nada, não
É que eu tive medo do ambiente
Bem diferente do que era antes.

A bolsa que me abrigava
Era quente e acolhedora
Só depois do teu abraço
Senti o calor daqui de fora.

Cala-me os gritos de rebeldia
É que eu tenho fome do leite
Que mamãe guardou pra mim
Assim como tenho do teu amor
Que hoje é meu e será até o fim.

Sinta-me como mamãe te sentiu
Quando no leito onde fui gerado
Ninguém jamais se permitiu
Amar como eu fui amado.

Educa-me mediante os teus conceitos
De honestidade, para honrar teu nome
Sou teu filho, guarda-me em teu peito
Por ti também serei um grande homem!
JOHANN HEISS - VULCAN SURPRISING VENUS AND MARS

CONSELHOS DE MULHER
De: Socorro Almeida

Cuida que eu não te flagre em teus delitos
Seu mentiroso, prepotente e vagabundo!
Queres tanto ser o salto do meu sapato
E nem te equilibras em teu próprio mundo.

Vontade tens de ver na alma da mulher
A sua essência e capacidade de amar
Teu olhar só diz o que o coração não sente
E nem sabes ver que ela está a esperar

Por um abraço teu, um lampejo de atenção
Um breve beijo, qualquer coisa assim
Pra serenizar um pouquinho seu coração!

E cuida pra que outro abraço não a acolha
Se não sabes do bom uso de tua escolha
Quando procuras as carícias de meretriz.

Eu, apesar de ser uma mulher sem diretriz
Sou capaz de me doar sem nada ter em troca
E ainda admitir que meu defeito de agora
É o meu único jeito cruel de ser feliz!

Recife, 12/04/2019
Medéia - Eugène Ferdinand Victor Delacroix


MINHA FILHA

Minha filha, por que me julgas
Com tanta rigidez.
Achas que sou ausente
Por não estar ao teu lado,
E ao meu lado, quem ficou.

Estás longe, bem distante,
Viajas o Mundo sem perder o norte
Parado não me norteio
Perdido estou faz tempo
Minha paz nunca veio.

Dizes que sou culpado
De tudo que lhe aconteceu;
Só as más, as boas
Foram suas escolhas.
Deves ter razão.

A vida cansa ou cansamos nós,
A vida passa e ficamos sós,
A vida nos faz errar
Ou erramos independente da vida.
Como saber.

Não te julgo por me julgares.
Como julgar um filho,
Um Pai tudo bem, há tantos,
Temos mais que os julgar
Os Pais, são pra levar porrada mesmo.

Os filhos não,
Temos que nos sacrificar.
Até Deus sacrificou seu único filho
Dos Pais esperamos tudo,
E muito mais.

Minha filha, não posso dizer que sinto saudades
Pois se tivesse estaria na Oceania, no Vietnã,
Em Sumatra, na Austrália, Indonésia,
Onde seus pés pisaram
Tenho que ir atrás.

Meu cantinho, não vele a pena visitar
Carnaval na Bahia, bem ali
Não dá para telefonar.
Pai ausente é quem tem que ir lá
Quem sabe um dia.

Mais um poema inacabado,
Quem sabe um dia
A vida me ensine
A acabar as coisas
Como deveria.

Jorge Leite, 23 de abril de 2019

Sandro Botticelli - Lamentação sobre o Cristo morto
Imagens - Google - Filhos e Deuses


17 comentários:

  1. Magnífico momento poético, com muito sentimento, grandes emoções, Amor entre Pais e filhos, nostalgia, dor, alegria, tristeza, encantamento. Uma página de quarta-feira que me faz chorar, um desabafo em grande estilo, só mestres. Percebo em todos os poemas e todos os versos um AMOR infinito de Pai para Filho(a) e vice-versa. Ilustrações brilhantes que retratam muito bem o tema abordado. Chorei e continuo chorando, o meu peito hoje sangra... Arrebenta coração! Aplausos Mil poetas. Tudo está um show de emoções! Parabéns a todos! Abraços e bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Betinha, Jacques Lacan um dia falou que "Doenças são palavras não ditas". Pura verdade. Quero agradecer ao seu carinhoso comentário. Fico feliz com tantas palavras sábias e cheias de sentimentos. A vida, como as moedas, tem duas faces, pura dualidade. Há momentos que um grito preso que voar como voam as suas borboletas. O alívio é imediato, é um ato de cura. Obrigado Betinha.

      Excluir
  2. Uma maravilgosa página de quarta poética, com esse grande encontro de mestres, uma temática emocionante, que define o Amor de Pais e Filhos. Até agora estou arrepiado, com um nó preso na garganta, quase chorando. Situações diferentes, mas o Amor retratado pelos três grandes poetas é um só, "eterno" . Imagens ilustrativas impecáveis. Um página grandiosa nos contextos sentimentais, emotivos e em conteúdo... um show de arte poética onde o Amor é o foco, independente de qualquer coisa. Parabéns poetas. Tudo perfeito aqui no Blog! Abraços e saudades de vocês...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: ...maravilhosa

      Excluir
    2. Meu amigo Maciel, tão pontual quanto um Lord ou um relógio suíço. Seus comentários dão a certeza que nosso corpo emocional serve de "tauba de tiro ao álvaro", frase lindamente imortalizada por Elis Regina, e são tantas flechadas no transcorrer de nossa existência que nossa "veia" de poeta serve para atenuar nossa dor. Muito obrigado amigo Maciel.

      Excluir
  3. Belíssima quarta poética aqui no Blog Maçayo, é um emocionante encontro de três grandes poetas que sangram de tanto Amor, contextos diferentes, mas o Amor é único, entre Pais e Filhos. Uma página forte, com versos tecidos pelos laços do Amor. As ilustrações estão maravilhosas e pertinentes ao conteúdo abordado. Se é para emocionar, vamos chorar! Parabéns aos poetas pelo conjunto. Amei cada poema! Abraços a todos. Show!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amiga Geovanna suas palavras cicatrizam qualquer ferimento da alma. Obrigado por seu carinho. Muito obrigado.

      Excluir
  4. Uau amigos, que página mais linda e emocionante! O Blog Maçayó compartilha um encontro de grandes mestres, poetas que nos emocionam e falam do Amor entre Pais e Filhos, versos de puro encantamento regados com ilustrações lindíssimas. A querida Geovanna está certa, se é para emocionar, então, vamos chorar. Muitas verdades contidas nesses versos de diferentes contextos, mas de Amor incondicional. Parabéns aos poetas pela riqueza da página. Aplausos pelo show! Abraços e boa tarde a todos! Tudo mui belo!

    ResponderExcluir
  5. Uau amigo Paulo, mais uma vez seu comentário faz célere meu coração. Simpatia, carinho, respeito é o que encontramos em suas palavras. Obrigado amigo.

    ResponderExcluir
  6. Que linda e emocionante página de quarta poética, com nossos amigos poetas nesse formidável encontro. Poetas que sabem nos emocionar. Isso que é Amor verdadeiro, expresso em cada verso sentido dos grandes mestres que hoje compartilham seus sentimentos e emoções neste excelente Blog Maçayó. Amor entre Pais e Filhos é eterno, mesmo com suas diferenças. Todos os poemas estão maravilhosos. As ilustrações definem muito favorável o tema em foco. Amei chorar e sorrir com os poetas nessa ótima partilha. Parabéns a todos! Abraços e saudades de vocês...

    ResponderExcluir
  7. Minha nossa, quantos sentimentos nesses poemas. Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. Chegando de viagem.
    De imediato, logo percebi a beleza das ilustrações, bem pertinentes ao tema. O poema de Dedé é lindo, assim como o meu (rsrsrs), e o de Jorge completa toda a emoção que tentamos transmitir. Parabéns pra todos nós, os poetas, e mais ainda pelas fotos escolhidas.
    Da minha parte, quero agradecer pelos carinhosos comentários dos amigos, Bete, Jorge, Paulo, Maciel, Flor de Lis, Geovanna e meu irmão Milton. Até a próxima e abraços pra todos.

    ResponderExcluir
  9. Nesse contexto de amor entre pai e filho(a) a gente sente a essência que os poetas quiseram transmitir e conseguiram, a essência do verdadeiro amor. Diante dessa emoção, me calo, pois não conheci meu pai. Quem teve esse privilégio deve saber o quanto é gratificante um momento assim, a chance de mostrar amor e gratidão. Parabéns aos poetas por mais essa maravilha.

    ResponderExcluir
  10. EITA! A emoção é grande mesmo. Versos lindos, perfeitos. As ilustrações bem oportunas. Como não chorar de emoção. Adorei a página de hoje. Obrigada.

    ResponderExcluir
  11. Mais poemas dessa dupla de poetas que bem sabem nos emocionar. O filho fala para o pai; o pai fala para o filho, num emocionante diálogo. Coisas de poeta...emoção e lágrimas. Parabéns...aos poetas e a todos do blog Maçayó.

    ResponderExcluir
  12. Emoção em cada linha, em cada verso, nesse encontro de poetas! Lindas poesias!!!Parabéns a todos que fazem lindamente esta página ! Obrigada Socorro Almeida por mais uma vez trazer à vida,as rimas do meu amado irmão Dedé! E parabéns por nós brindar com sua inspiração e talento! Maravilhada com tudo é todos!

    ResponderExcluir
  13. Não consigo conter as lágrimas quando leio os poemas de Dedé. São tão "ele"... cada frase traduz o seu sentimento.
    Aproveito para agradecer a vocês por me dar esse prazer... Beijos Socorro e todos que representam (Jorge e Bete)

    ResponderExcluir