quarta-feira, 29 de maio de 2019

Quarta com Poesias- Socorro Almeida

Ano II - Edição Nº 321 - Tema Poesias
Tema das Ilustrações - Luz e Sombras



QUEM SE IMPORTA?
De: Socorro Almeida

Com a sensibilidade à flor da pele
Em confronto com a razão que me impõem
Às amarguras cruéis de um coração que ama
Ou que por sorte tenha sido amada...
Entre a insanidade das mentes vazias
E as damas refinadas que às escuras vagueiam...
Sou sombras, nada mais que sombras
Que o sol abandonou!
Não se refiram a mim como a um cão sem dono
Meus ganidos noturnos são súplicas
A quem peço... não sei, e quem se importa...?
Nunca se é feliz quando se quer
Que não me olhem apenas por ser da noite
Me respeitem ao menos por ser mulher!

Recife, 22/05/2019

CONTRASSENSO
De: Socorro Almeida

Sempre disse pra mim mesma,
um dia serei alguém!
Pensava tanto em ser o que eu queria ser
que passei pelo tempo sem saber
que o que podia ser, deixei de ser!
Vou então mudar o que penso que sou
Sagaz... pra não ser estúpida
e fugir das armadilhas
Não quero ser mãe, só quero ser filha
E assim fui!
Não quero amar para não sofrer
Morri por amor!
Ser agora capaz de sobreviver
para viver pelo que não fui
Agora eu sei que sou apenas o que não sou
para nesse contrassenso ser de alguém
Que queira morrer de amor também!

Recife, 21/05/2019

O CAMINHO
De: Socorro Almeida

Eu sou o caminho, a verdade e a vida, disse Ele
Teu caminho, tua verdade em minha vida, digo eu
Sem trevas, sem dúvidas, sem omissão
Quando em trilhas sinuosas me perdi
Recuei ao ponto zero para no final sentir
O caminho que me levou à Sua direção
Com passos lentos, serenos, determinados
Para um mundo ascético em total dimensão.

Recife, 12/05/2019


Pixabay - Luz e Sombras





domingo, 26 de maio de 2019

Almanack de Domingo - Feliz Aniversário Betinha

Ano II - Edição Nº 320 - Tema Adulto
Tema das Ilustrações -  Fases da Vida


NOVA PRIMAVERA
Vejo mais uma ruga em meu rosto,
Marca que o tempo ajudou a crescer
Traços fincados por todo meu corpo,
São raízes fortes de meu envelhecer...

A minha beleza, agora, é só essência
A maturidade desabrochou como flor
Ela floresceu no jardim da existência,
Passou por metamorfoses e murchou...

Amanheceu, e fico feliz pelo novo dia
Meu avesso registrou a minha história,
Sorrisos, lágrimas e as minhas Poesias
Legado guardado no diário da memória...

Tantos sonhos que já foram realizados
E outros que ficaram pelos caminhos,
Eles criaram asas e voaram separados
Vejo-os, lá pelo céu, voando sozinhos...

Hoje, consigo realizar mais um sonho
Sinto-me viva, a felicidade se mantém
Pelo rosto, carrego os traços risonhos
Mais uma Primavera, meus Parabéns!

Elisabete Leite – 20\05\2019 
(Feliz Aniversário! Salve 24\05!)


Veja 12 dicas para ser (mais) feliz

A busca pela felicidade é uma constante na vida de todos. Não existem regras e nem fórmulas exatas para alcançar a felicidade. Mas é cada vez maior o número de pessoas que recorrem a livros de autoajuda, palestras e dicas para conseguir enxergar e desfrutar do sentimento.
No livro The World Book of Happiness, o escritor belga Leo Bormans coletou as descobertas dos maiores especialistas do mundo sobre a psicologia da felicidade. Na publicação, estão compiladas dicas de 100v especialistas de 50 países. A obra está disponível no Brasil por meio de encomendas, mas ainda apenas na versão original, em inglês.

O jornal inglês Daily Mail publicou 12 delas. Confira:

1 - Aceitar o que se tem: Como o Dr. José de Jesus Garcia Vega, da Universidade de Monterrey, no México, confirma, deve-se aceitar as coisas como elas são. "Gastamos um monte de tempo reclamando sobre as coisas que acontecem conosco, mas isso é um desperdício de tempo e esforço", diz ele. "Para ser feliz, precisamos aproveitar o que temos". Pesquisas mostram que pessoas felizes têm níveis modestos de expectativas e aspirações - eles querem o que eles podem obter. Isso é porque eles lutam por metas realistas e estão felizes com a sua sorte.

2 - Gostar do que faz: Pessoas felizes fazem o que gostam e gostam do que fazem - e não o fazem por dinheiro ou glória. "Muitos esquecem que têm permissão para ser feliz no trabalho também. É comum passar os melhores anos da vida tentando ganhar dinheiro, sacrificando saúde e família no processo", diz o Dr. Garcia Vega. Mais tarde, eles gastam o mesmo dinheiro que eles fizeram trabalhando para tentar recuperar sua saúde e família perdida.

3 - Viver para hoje: A dica é não se debruçar sobre o passado, sobre as coisas que foram feitas de errado. Da mesma forma, não é preciso sonhar com um futuro idealizado que não existe ou se preocupar com o que não aconteceu ainda. Para ser feliz deve-se viver para o agora. Se você não pode ser feliz hoje, o que faz você pensar que amanhã será diferente?

4 - Escolher a felicidade: Não tenha medo de voltar atrás e reavaliar seus objetivos. Imagine sua vida como uma história que pode ser revisada. Este tipo de abordagem flexível requer pensamento positivo e uma mente aberta ¿ é preciso escolher ativamente para ser feliz.

5 - Relacionamentos: Normalmente começamos os pensamentos sobre felicidade envolvendo outras pessoas e nos apoiando em outros. Lembre-se de que, assim como outras pessoas podem nos fazer felizes, todos nós somos "outras pessoas" para alguém. Portanto, cultive os relacionamentos com os que lhe são importantes.

6 - Manter-se ocupado: Pessoas ativas, ocupadas e sociais são mais saudáveis e mais felizes. Se quer ser feliz, desenvolver uma personalidade sociável - aceite convites para sair, ir a reuniões, festas. A melhor maneira de saborear o prazer está na companhia de outros. "Construir uma rica vida social", diz M. Eunkook Suh, professor de psicologia da Universidade Yonsei, em Seul, "não como uma obrigação, mas porque é gratificante, significativa e divertida".

7 - Não comparar: "Ambição é saudável e faz as pessoas se sentirem felizes", explica Claudia Senik, professor da Universidade de Paris-Sorbonne, mas a inveja as torna infelizes. No entanto, as comparações com os outros pode estragar os benefícios de ambição e só são úteis se você aprender algo com elas. Foque em seus objetivos e sonhos para que você possa desfrutar da sua ambição e conquistas.

8 - Seja você mesmo: Assim como não se deve fazer comparações, é importante não se preocupar com o que os outros pensam - então você pode realmente ser você mesmo. Pessoas felizes são espontâneas, naturais e reais, pois eles dizem o que pensam e sentem, e não estão preocupadas com o que os outros pensam delas.

9 - Parar de se preocupar: Não se leve muito a sério. Pessoas felizes não se preocupam tanto. Elas reconhecem que nunca 90 por cento das preocupações são realidade.

10 - Ser organizado: Você pode invejar aqueles tipos descontraídos, boêmios que apenas fazem as coisas no calor do momento, mas não se deixe enganar. Pessoas felizes planejam e organizam, eles têm objetivos e um propósito. Você só pode obter o que deseja se sabe o que é que quer ou deseja, em primeiro lugar. Assim, enquanto os amigos cuca-fresca podem parecer felizes, eles estão na verdade, apenas à deriva.

11 - Pensar positivo: Engarrafar emoções e sentimentos ruins cria sofrimento psicológico e desconforto físico. Pessoas felizes extravasam o que sentem, seu lema é: se livrar deles, ou eles vão se livrar de você. Também é preciso ser otimista, pois pessoas felizes sempre olham o lado positivo das coisas. Otimismo é um mecanismo da mente, uma auto-defesa natural contra a depressão.

12 - Dar valor à felicidade: A felicidade pode ser aprendida, mas o significado de encontrar um propósito na vida é o que leva a ela, não o contrário. As pessoas mais felizes apreciam e percebem que ser feliz acrescenta anos à vida, e vida aos seus anos.

Nossas Pesquisas:


O JOVEM E A ESTRELA DO MAR

Era uma vez, um escritor, que morava numa praia tranquila, junto a uma colônia de pescadores. Todas as manhãs, ele passeava à beira-mar, para se inspirar, e de tarde ficava em casa, escrevendo.
Um dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar. Quando chegou perto, era um jovem pegando na areia as estrelas-do-mar, uma por uma, e jogando novamente de volta ao oceano.
– Por que você está fazendo isto? – perguntou o escritor.
– Você não vê? – disse o jovem. – A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas vão secar no sol e morrer, se ficarem aqui na areia.
– Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praia por esse mundo afora, e centenas de milhares de estrelas do mar, espalhadas pelas praias. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai perecer de qualquer forma.
O jovem pegou mais uma estrela na areia, jogou de volta ao oceano, olhou para o escritor e disse: – Para essa, eu fiz a diferença.
Naquela noite, o escritor não conseguiu dormir nem sequer conseguiu escrever. De manhãzinha foi para a praia, reuniu-se ao jovem e juntos começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.
Esperamos que você seja um dos que querem fazer deste universo um lugar melhor devido a sua presença. Assim sendo, vamos jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.

Pesquisa Google

Minha História

Bravo! Mais um aniversário que festejo
Fico feliz relembrando meu passado
Fico triste ao recordar os caminhos trilhados
Foram momentos, foram lampejos
De tristezas e alegrias, vividos sem regalias
Foram sonhos muitos desfeitos, alguns à revelia
Mas foram meus sonhos, minhas alegrias.

Acordei ainda criança, pouco brinquei,
Vendo um mundo tão diferente do que sonhei
Percorri extasiada por várias estradas
Encontrei poucas flores, espinhos e nada
Que fosse cânfora para minha lama
Que se tornou minha alma ferida
Suja, incerta e desesperada.

Mas resolvi trilhar caminhos
Escolhidos em meus sonhos
Correr atrás, correr o risco
De ser feliz.

Deixei o conforto de um lar
Bom ou não, depende do olhar.
Fui viver a minha vida, parei de sonhar
Minha alma ferida precisava de proteção
Criei em volta um mundo de ilusão
Onde pudesse encontrar alegrias,
Guardar meus sonhos, minhas fantasias
Onde houvesse um pouco de harmonia

Parti. Fui atrás do que queria
Formei nova família, novo lar,
Corri, caí, levantei-me e segui
Nada dava certo, nada estava no lugar
Entre tantos dessabores e horrores
Duas rosas nasceram, perfumando minha vida
Enfim a vida começava a ser sentida
Tinha agora motivos para continuar.

Minha alma faminta pedia mais
Não encontrava nas ruas,
Nem em meus quintais
Encontrei em almas imortais (Amigos)

Peguei um lápis, uma pena, um papel
Palavras, frases, imagens, sentimentos
Lágrimas escorriam em meu rosto,
Tudo surgia de meu coração
Rimas, quadras e sonetos
Pareciam que já estavam prontos
Aguardavam apenas serem sentidos
Para explodirem em grande emoção

Meus jardins já tinham rosas perfumadas
Meu coração já encontrava sentido
Nas tristezas e alegrias de tempos vividos.
Minha alma voltava a sorrir sem melancolia.
Meus sonetos, minhas poesias, somente alegria
Alimentei minha alma com contos e poesias
Revivi, dei meia volta, hoje sou feliz
Posso gritar bem alto que venci.

Jorge Leite, 23 de maio de 2019.


PAULO COELHO
FONTE: MAKTUB II

CONTOS E LENDAS
Ana Cintra conta que seu filho pequeno - com a curiosidade de quem ouviu uma nova palavra mas ainda não entendeu seu significado - perguntou-lhe: 
"Mamãe, o que é velhice?"
Na fração de segundo antes da resposta, Ana fez uma verdadeira viagem ao passado.
Lembrou-se dos momentos de luta, das dificuldades, das decepções.
Sentiu todo peso da idade e da responsabilidade em seus ombros.
Tornou  a olhar para o filho que, sorrindo, aguardava uma resposta.
"Olhe para meu rosto, filho", disse ela. "Isso é a velhice".
E imaginou o garoto vendo as rugas, e a tristeza em seus olhos.
Qual não foi sua surpresa quando, depois de  alguns  instantes, o menino respondeu:
"Mamãe! Como a velhice é bonita!"
posted by StoryTeller at 10.9.04



Para Elisabete Leite - Jesus Alegria dos Homens


sábado, 25 de maio de 2019

A Família do Golfinho

Ano II - Edição Nº 319 - Tema Infantil
Tema das Imagens - Golfinhos


A FAMÍLIA GOLFINHO

Era uma vez, no Reino Encantado dos Mares, um esperto golfinho-rotador que vivia feliz com a sua bela família; ele gostava de passear, conhecer diferentes lugares, fazer novos amigos, caçar, pular e nadar sem destino... Sabe-se que: (O golfinho-rotador leva este nome por seu comportamento único de pular fazendo rotações em torno do seu próprio eixo. No Brasil, podemos encontrá-los praticamente todos os dias em Fernando de Noronha – PE, na Baía dos Golfinhos. É uma espécie de golfinho relativamente pequena, medindo em média 1,80 metros de comprimento e atingindo comprimento máximo de 2,40 metros. Assim como pequeno é também relativamente leve, pesando até 80 kg. A espécie vive pelo menos 20 anos. Foram muito capturados na pesca de atuns com redes de cerco, uma vez que os pescadores utilizavam os golfinhos-rotadores como indicadores de onde estavam os cardumes de atuns e como costumam nadar em grupos, juntamente com os atuns, acabavam presos na rede de cerco)... O encantador golfinho era conhecido pelo nome de Merlin, pois ele desaparecia e aparecia do nada, amava se esconder nos velhos navios abandonados e brincava de esconde-esconde com os peixinhos a todo o momento. Merlin tinha um amigo inseparável, o seu dócil irmão Dolphin, eles viviam aprontando pelos sete mares.


Certo dia, os irmãos golfinhos resolveram fazer uma caminhada diferente e assim, eles planejaram visitar um navio que acabara de afundar, porém sua mãe os alertava para não se distanciarem das redondezas do Reino. Merlin não queria ouvir conselhos de ninguém e ficava combinando com seu irmão o novo passeio.

- Dolphin, vamos aproveitar que mamãe saiu para visitar tia Dora e vamos conhecer o navio recentemente afundado. Disse-lhe Merlin.

- Merlin, mamãe falou para a gente não se distanciar muito do Reino. Respondeu-lhe o irmão.

- Ufa, deixe de besteira Dolphin e vamos antes que ela volte! Exclamou Merlin.

Os dois irmãos saíram nadando rapidamente; eles foram se deliciando com a riqueza do cenário, a beleza das diferentes espécies e se encantando com os pequenos, os coloridos, os dourados, os charmosos, os ornamentais, os grandes e os espantosos peixes que por lá habitavam. De repente, eles chegaram ao local desejado... Era um navio pequeno, uma embarcação de pescadores que afundou e ficou em cima de um rochedo. Merlin avistou uma janela quebrada e por ela entrou sem nem olhar para trás, seu irmão o seguia. Quando Merlin e Dolphin entraram, não podiam acreditar naquela cena terrível, centenas de peixes estavam presos em armadilhas, e logo Merlin falou:

- Meu irmão, precisamos fazer alguma coisa, esses peixes correm perigo, pois se o navio despencar do rochedo todos eles podem ser soterrados vivos!

- Merlin, vamos soltar os peixes dessas armadilhas! Exclamou Dolphin.

Merlin permaneceu inerte sem saber o que fazer, eles estavam distantes do Reino e precisavam de ajuda. Merlin continuou falando:

- Dolphin, estou sentindo que vou trocar de pele, mas preciso correr contra o tempo e chamar papai e mamãe para nos ajudar nessa difícil missão. Preciso sair agora mesmo, e voltarei com ajuda, pois já escureceu...
 Merlin utilizou seu aparelho auditivo para se guiar à noite e para se comunicar com seus pais. Ele aproveitou uma corrente de água e seguiu em frente, enquanto isso seu irmão ficou tomando conta dos peixes... Logo, o esperto golfinho chegou a sua casa e foi diretamente procurar seu pai que estava na sala conversando com sua mãe. Assim, que Merlin entrou na sala foi logo falando:

- Papai, com licença! Estamos precisando de ajuda, eu e Dolphin achamos vários peixes presos em armadilhas, eles estão correndo perigo, pois o navio pode cair do rochedo.

- Merlin, fale bem devagar! Exclamou sua mãe.

O pai e a mãe de Merlin se levantaram e foram ver de perto o que os filhos estavam aprontando. Em poucos minutos, a Família Golfinho entrou no navio afundado. A Mãe, Merlin e Dolphin ficaram forçando as armadilhas, enquanto o Pai Golfinho foi chamar um amigo, o Peixe-Serra, para libertar os peixinhos que estavam presos. Toda equipe estava correndo perigo, pois o navio não parava de balançar e, faltava pouco para o pior acontecer. De repente, o Pai Golfinho entra com seu amigo e eles foram serrando as armadilhas e libertando os peixes aprisionados. Quando faltava apenas uma armadilha, o navio balançou forte e o Pai Golfinho falou:


- Minha família, é o momento certo para vocês saírem, fiquem esperando por mim lá fora! Já estou terminando, mas o navio vai despencar desse rochedo.

A família Golfinho conseguiu sair do navio, mãe e filhos ficaram aguardando pelo Papai Golfinho e seu amigo Peixe-Serra terminarem a difícil missão. Assim que, o ultimo cardume foi libertado, o Papai Golfinho e seu amigo saíram da embarcação, o navio despencou do rochedo e desapareceu nas profundezas do mar. A família Golfinho realizou, com êxito, uma difícil missão e centenas de peixes foram salvos.

Assim, foi a grande missão da Família Golfinho... Até a próxima aventura pessoal!

Elisabete Leite – 22\05\2019


CANTINHO DA TIA BETA

Olá pessoal, olha eu aqui de novo! Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre os golfinhos que são mamíferos aquáticos da ordem Cetacea (mesma das baleias) e da família Delphinidae. Esta é a maior família da ordem, com 37 espécies conhecidas, vivendo perfeitamente adaptadas às águas. Estão presentes em todos os oceanos e em algumas águas de rios. Podem atingir 40 km/h em seu nado e saltar até 5 metros para fora da água, pois são acrobatas. São animais sociáveis, que vivem em grupos, podendo interagir com outras espécies, por exemplo, com humanos.

Características
Possuem dentes (são da subordem Odontocetes), alimentando-se principalmente de lulas e peixes. O tamanho das espécies varia de 1,5 metros a 10 metros e pesam entre 50 kg e 7000 kg. Têm uma testa achatada e uma estrutura longa e fina parecendo um bico, mas o formato da cabeça muda entre as espécies, algumas parecem mais quadradas.
Na testa há internamente um depósito de gordura chamado de “melão”. Muitas espécies possuem barbatanas dorsais. Vivem de 25 a 30 anos, dão à luz um filhote por estação reprodutiva e os machos são normalmente maiores que as fêmeas. Acredita-se que o sexo dos golfinhos, assim como dos humanos, não é apenas para reprodução, mas por prazer também. Respiram por pulmões e quando dormem apenas um hemisfério cerebral descansa, o outro continua ativo para não se afogarem, cuidando da respiração.
Vivem mais próximos à superfície, não sendo comum os mergulhos profundos como em outros cetáceos. Caçam geralmente em grupo, acompanhando cardumes, pelo ciclo anual de movimentos das espécies de peixes. As orcas (Orcinus orca) predam além de peixes e lulas, aves, tubarões, baleias, morsas, etc. Golfinhos são conhecidos pela sua extrema inteligência, podendo aprender comandos para várias tarefas. Depois dos humanos, são os animais com maior diversidade de comportamentos não ligados à reprodução e alimentação.

Ecolocalização
Estes animais usam a ecolocalização como auxílio na sua orientação, produzindo ultrassons (faixa de 150 KHz) que são gerados pelo ar inspirado. Os sons são enviados por aquela estrutura chamada de melão e o som é propagado na água de forma muito mais rápida que no ar. Assim, atingem o objeto e voltam na forma de eco, sendo captado por um órgão adiposo na mandíbula ou maxilar inferior. Este som é transmitido ao ouvido e posteriormente ao cérebro, que processa e interpreta os dados obtidos. Os golfinhos emitem sons na sua comunicação, mas os estalidos da ecolocalização possuem maior frequência e permitem identificar a distância, o formato, a movimentação, a densidade e a textura da presa. O que faz seu sistema biossonar ser muito melhor do que os sonares criados por humanos. Especialistas afirmam que estes animais usam sons de alta frequência para atordoarem suas presas, enquanto o grupo a cerca na caça.

Exemplos de espécies
Golfinho comum de bico curto, Golfinho comum de bico longo, golfinho cinzento, tucuxi, boto cinza, boto rosa, entre tantos outros. Características reprodutivas e alimentares variam de espécie para espécie. No Brasil, a distinção entre boto e golfinho é popular. Quando vivem mais próximos às praias são chamados de botos pela população caiçara, os que vivem mais afastados são chamados de golfinho.

Ameaças
São predados por tubarões, cachalotes e humanos. O Japão é o maior caçador de golfinhos, usando a carne para substituir a da baleia, que a caça foi proibida. Além disso, são capturados para atrações em parques. Em cativeiro sua reprodução é improvável e sua longevidade cai muito.

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

Nossas Pesquisas:




Atividades - Vamos Pintar 



Olá Pessoal. Hoje escolhi 4 imagens para imprimir e pintarmos. Caprichem use sua imaginação e se precisarem peçam ajuda ao Papai, Mamãe, irmão ou irmã. Vou começar pelo aquário, vou deixar os golfinhos por último. Boa diversão. Um abraço aos Papais e Mamães que estão ajudando. Até o próximo sábado. 






quarta-feira, 22 de maio de 2019

Socorro Almeida

Ano II - Edição Nº 318 - Poesias
Tema das Imagens - Aos Pares



SE EU FOSSE DUAS

Se eu fosse duas, namoraria comigo
Porque ninguém me conhece como eu
Meu coração seria um espelho
E minhas queixas bem aceitas.
Se eu fosse duas, nossas almas seriam gêmeas
Sorrisos igualmente lúdicos
Ou o avesso do avesso.
Se eu fosse duas, seria refém das minhas vontades
Seria companheira de mim mesma
E nada me faltaria.
Aí, seria perfeito!
Mas, como amar pessoas tão iguais
Sem nos sentirmos letárgicas,
Já que os iguais não se atraem?
Como Deus sabe o que faz
Vamos deixar como está
Eu sou eu, e você é você.
Somos felizes sem espelhos...
Melhor assim, pra não doer!

Socorro Almeida
Recife, 10/05/2019

 MINHA LOUCURA

Quando o amor é um vício
A alma adoece
Há tanto tempo esse amor existe
E tão pouco enaltece!
Como teu amor é uma loucura,
enlouqueço igualmente.
Corredor se estreita, me esmaga
Meu cigarro sufoca, me adoece.
Mas, te quero...
Com a loucura dos insanos
E já que não tem remédio
Meus tropeços me acalmam
E abraço a tua imagem
Tão louca quanto eu!
E sigo assim te imitando...
E muito mais louca...
Te amando!

Socorro Almeida
Recife, 29/04/2019

AMORES AUSENTES.
De: Socorro Almeida

Anteceda-me angústias antagônicas
Amores abusivos, amargurantes
Agora apenas augúrias amantes
Ausentes, alegres, atônitas...


Acolha-me ânsias, atente agonia
Ah! Amanhecer abduzido anormal
Acabado, azedo, apático à alegoria
Acirrado, afastado, anti amor, afinal


Almas abundantes, alheias ao amor
Arbitrárias, autônomas após afeto
Arrogantes, amantes apelam ardor

Absolvidas, autoras ao ato, adoção
Avulso agrado ao adeus acolhedor
Amores ausentes, antiga abstenção!



RECORDANDO POESIAS 
Soneto da Despedida - Socorro Almeida

SONETO DA DESPEDIDA
Socorro Almeida

Quero que meu canto seja a voz dos bem-te-vis
Sem que te assuste o bater das minhas asas
Cansado de voar bato à porta da tua casa
Pra receber teu abraço e partir feliz.

Quero ser as águas que te banham sem pudor
Que deslizam por teu corpo toda manhã
Eu igualmente fascinado e cheio de amor
No intolerante prazer do meu louco afã

Tenho pressa em dizer-te mais que a mim
Meus anos são meses, meus dias são minutos
Melhores momentos vividos neste mundo

Já me valeram no universo do teu colo ardente
Em derradeiros delírios estremecestes
Que me façam morrer agora num segundo!

Recife, 04/01/2019

Nota: Uma das primeiras poesias de Socorro Almeida publicado no Blog MAÇAYÓ, em 9 de janeiro de 2019.