sábado, 11 de maio de 2019

O Fantasminha Amigo

Ano II - Edição Nº 314 - Infantil
Temas das Imagens - Fantasminhas e Amizade




FANTASMINHA AMIGO

          Era uma tarde de inverno fria e penetrante, no pequeno povoado localizado no coração do nordeste, um lugar simplesmente agradável e bem acolhedor e os irmãos Julinho e Marcinho tinham saído para dar um passeinho vespertino; eles queriam se aventurar por aí e bem no meio do caminho Julinho falou:
          - Marcinho, hoje o tempo está congelante! Estou batendo o queixo de tanto frio e para variar esqueci o meu casaco em cima da cama.
          - Sim Julinho, está tão frio! Olha, lá está Carlinhos passando por ali! Exclamou Marcinho.
          - Vamos chamá-lo para se juntar conosco nesse passeio vespertino regado a muito frio! Exclamou Julinho.
          Os irmãos se aproximaram do amigo na intenção de saírem à procura de uma boa aventura de inverno. Como sempre, Julinho puxou conversa com o amigo:
          - Olá Carlinhos, tudo bem com você? Você gostaria de participar conosco de uma divertida aventura nessa tarde de inverno? Tenho certeza que jamais esqueceremos esse dia congelante!
          - Claro que sim amigos! E já tenho o local da nossa aventura. Aquele velho casarão abandonado que fica no alto da colina, vive fechado há muito tempo, minha mãe não quer que eu apareça por lá, ela diz que ele é assombrado, mas ela nem vai saber. O que vocês acham? Perguntou o menino.
          Os garotos se entreolharam e ficaram tremendo, talvez fosse o frio, mas também poderia ser o medo. Julinho e Marcinho concordaram e os três seguiram em destino ao sinistro local combinado. Já era noite, completamente, quando os três garotos chegaram ao velho casarão, os crepúsculos, no horizonte, já tinham desaparecidos, dando passagem ao luar prateado, às nuvens que bailavam no céu e às estrelas que cintilavam deslumbrantes. Os garotos adentraram na sala e, o silêncio predominava no salão sombrio daquele lugar sinistro, eles começaram a sentir calafrios de medo, quando olharam o longo corredor, preenchido apenas por sombras e penumbras... A chuva começou a cair forte lá fora, raios riscavam o céu, parecia até que o mundo iria se acabar com tanto barulho dos trovões. Os garotos resolveram procurar os aposentos para se abrigarem até a chuva cessar completamente. De repente, Julinho sente um puxão de cabelo e ele falou para o seu irmão:
          - Marcinho, deixe de brincadeira! Você puxou o meu cabelo!
         - Julinho, você está louco! Eu não puxei cabelo de ninguém. Eu estou morrendo de medo aqui, pois já sopraram o meu ouvido direito várias e agora puxaram o meu calção. Exclamou Marcinho.
          - Poxa amigos, tem alguém brincando com a gente! Já tiraram o meu boné duas vezes! Exclamou Carlinhos...
          Os garotos ficaram em um único quarto, pois eles estavam com muito medo. Logo, a confusão estava formada, os objetos voavam sozinhos, as janelas abriam-se e fechavam-se, cadeiras movimentavam-se sem ninguém tocá-las, o clima era realmente assustador. Julinho quebrou o silêncio:
          - Meninos, o que vamos fazer? Pois acho que alguém quer assustar a gente!
          Um voz suave, como se fosse de uma criança, respondeu pelos outros meninos:
          - Não quero assustar ninguém, eu quero brincar com vocês, sou um fantasminha amigo, me sinto sozinho e preciso de alguém que preencha o vazio da minha vida.
          Os garotos procuravam de onde vinha aquele som, mas a penumbra do quarto dificultava a localização. A voz falou mais uma vez:
          - Meninos, estou aqui em cima do guarda-roupa!
          Os garotos não acreditavam no que estavam vendo. Em cima do guarda-roupa estava um fantasminha todo lilás de olhinhos pretos esbugalhados, uma graça de criaturinha. Ele fez uma carinha de anjo, sorriu e começou a falar de novo:
          - Amiguinhos, sou do bem! Eu moro aqui há muito tempo com o meu avô, mas hoje ele foi visitar um primo longe daqui e, eu estou sozinho, gostaria muito de ter coleguinhas, mas todo mundo tem medo de mim, eu escolhi vocês para serem seus amigos.
          Esperto, como sempre, Julinho perguntou ao fantasminha:
         - Uau, e fantasmas existem?! Saiba que nós não temos medo de você. Queremos ser seus novos amiguinhos para brincarmos muito por aí.
         - Claro que fantasmas existem para quem acredita. Obá, então, vamos brincar de esconde-esconde. Falou o fantasminha amigo.
         Os garotos correram para se esconder e o fantasminha seria o primeiro a procurar os escondidos. De repente, um barulho ensurdecedor, a escada de madeira já comprometida pelos cupins cedeu e os três garotos caíram em um buraco profundo. O fantasminha amigo correu ao encontro dos garotos para saber o que havia acontecido e, viu os novos amiguinhos desmaiados no fundo do buraco. Então, o fantasminha desceu ao local, que não parecia ter fim e, procurou acordar os garotinhos. E falou quase gritando:
          - Meninos acordem, por favor! Eu preciso tirar vocês daqui!
          Os três garotos pouco a pouco foram acordando e despertaram totalmente. Por um milagre eles não estavam muito machucados, tinham apenas pequenos arranhões nos braços e nas pernas. Eles ficaram chorando bastante, pois não sabiam o que fazer naquele momento tão difícil. O fantasminha amigo sugeriu chamar o avô para ajudar os novos amigos, pois ele não podia sair daquele seu mundo mágico e apanhou seu apito que servia para se comunicar com o velho vovô, o fantasminha assoprou bem forte e logo apareceu um fantasma de cabelos grisalhos e pele transparente. Ele quebrou o silêncio e falou:
         - Fantasminha, meu neto, o que aconteceu? Quem são esses garotos? Como você permitiu que eles entrassem em nosso mundo encantado?
          - Não sei vovô! Sei apenas que eles são garotos especiais e estão aqui, agora somos amigos! Por favor, o senhor precisa ajudá-los!
          - Tudo bem meu bom netinho, vamos buscar todos os lençóis do casarão, amarraremos um a um, formando uma corda grossa, uma ponta ficará com os meninos e a outra conosco lá em cima... Assim, foi feito! O velho e seu netinho amarram a ponta da corda de lençol em um pesado guarda-roupa e os meninos um a um foram escalando o buraco até saírem daquele assustador lugar... Os garotos agradeceram ao avô do fantasminha amigo e depois aproveitaram para brincarem juntos...
          Julinho, Marcinho e Carlinhos todos os dias voltavam ao casarão abandonado para brincarem com o fantasminha amigo, eles corriam pelos corredores, desciam pelo corrimão da velha escada, nem temiam ao perigo, brincavam felizes de esconde-esconde, aquele local se transformou em um ambiente de muitas alegrias e fortes emoções.
          Os meninos cresceram e cada um seguiu um caminho diferente, mas eles nunca esqueceram aquela tarde fria e penetrante de inverno. Sempre que podiam eles se encontravam naquele antigo casarão e brincavam com o menino fantasminha.
         Essa foi uma incrível aventura com o fantasminha amigo. A amizade verdadeira é um tesouro valioso, vale mais que dinheiro, vale muito mais que ouro, não tem preço, pois amizade é de graça. Até a próxima aventura pessoal!
      
Elisabete Leite – 04\05\2019


CANTINHO DA TIA BETA
Olá pessoal, olha eu aqui de novo! Hoje vamos falar sobre O valor terapêutico da amizade. Que é bom estar junto dos amigos ninguém duvida. Mas será que refletimos sobre os significados mais profundos da verdadeira amizade? Que sentimento é esse que une pessoas diferentes, que ultrapassa limites e distâncias?
O verdadeiro amigo é alguém com quem podemos expressar nossos sentimentos mais íntimos. Ao mesmo tempo é aquele com quem somos capazes de compartilhar o silêncio sem constrangimento. É a pessoa com quem se deseja estar nos piores e nos melhores momentos. A verdadeira amizade é terapêutica em muitos sentidos, mas não se mantém pela utilidade que venha a ter. Porque chamamos de amigo aquele a quem simplesmente amamos e somos por ele amados. Assim, sem grandes explicações, não cabendo em predefinições.
No laço de amizade queremos ver o outro bem, queremos presenciar seu crescimento, compartilhamos suas dores e alegrias, estamos ao lado. O amigo é aquele que nos aponta o que precisa de cuidados, que nos diz às vezes palavras duras com a intenção de que sejamos pessoas mais plenas. Em outros momentos ele nos traz palavras doces, equilibrando nosso modo duro demais diante de algumas situações. O amigo é aquele que parece sondar o mais profundo em nós, ele vem com seu jeito único e nos apresenta um outro lado. Ou simplesmente cala para que nós possamos ouvir nossas próprias palavras ecoarem. Oferece o ombro, os ouvidos e o coração.
Companhia que faz crescer
O amigo é aquela pessoa que faz parte de nossa vida, porém não o possuímos. Com ele aprendemos que o outro é como é, aprendemos a aceitar e a amar incondicionalmente. Nesse vínculo vamos aprendendo as relações de paridade, em que não há autoridade a seguir, mas sim respeito a compartilhar. Aprendemos a resolver questões em conjunto, a expor o que sentimos, a perceber melhor quem somos. Com a troca de experiências o humano se revela e percebemos que somos parte de um todo muito maior, que não somos os únicos a sentir, a sofrer, a sorrir. A amizade nos faz amadurecer e nos ajuda a rever nossos modos de relacionar.
Nessa relação deixamos de ser mais um na multidão que se espreme nas ruas da cidade. Somos mais que números, registros e letras. Somos pessoa, carregamos uma história. Temos uma testemunha. Ele vê os degraus que subimos, as pedras em que tropeçamos, a hesitação, a coragem. Ele acompanha, oferece seu olhar, a sua opinião ou o necessário apoio. No vínculo de amizade sabemos que a existência do amigo é a garantia de um “Estou aqui”, uma frase aparentemente simples, no entanto, permeada de presença e companhia.
Cultive e veja florescer
Por tudo isso (e por tudo o mais que não cabe em palavras) é que lhe convido a refletir: Você está próximo de seus amigos com a frequência desejada? Você encontra tempo para estar com eles, assim como reserva tempo para outras atividades cotidianas? Ou o amigo deixou de ser parte de seu cotidiano? Passou a integrar o campo do extraordinário só participando de datas marcadas? Precisamos instaurar espaço em nossas vidas para momentos de prazer, de troca, para rir e chorar junto, para escolher promover a
participação mútua nos acontecimentos.
Por mais que nasça sem grandes explicações, sem motivos explícitos e declaráveis, a amizade só se mantém quando cultivada. Ela se renova a cada momento de presença. Um telefonema, um encontro mensal, enviar um e-mail, marcar um almoço no meio da semana, sem motivo utilitário além da grande razão: queremos nutrir algo que é especial, queremos ver a amizade florescer, queremos estar junto.
Precisamos encontrar espaço para a vida social, que na origem etimológica da palavra carrega o sentido de associação, de fraternidade, de comunhão entre iguais. Vida social em sua concepção mais ampla, de estar junto dos que são nossos irmãos da alma. Isso faz bem para nosso coração, para o coração amigo e para a amizade que se fortalece – gerando mais e mais frutos.
Somente espero que esta pesquisa sirva de reflexão para todos nós e que amizade seja um sentimento de doação. Até a próxima!
Por: Juliana Garcia

15 comentários:

  1. Uma fantástica página de sábado infantil aqui em nosso Blog Maçayó, tão fantástico quanto o mundo mágico do fantasminha amigo, pois amizade tem magia e muito Amor, é doação. Estou encantada, lisonjeada, agradecida e muito feliz por mais um Conto publicado no Cantinho do Saber. Fiquei apaixonada pelas imagens ilustrativas e como também o novo visual da Tia Beta. Amo a temática de Amizade verdadeira, essa troca de sentimentos. O poeta Jorge Leite sabe emocionar a todos. Um feliz sábado e ótimas leituras. Abraços...

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa página de sábado infantil com um belíssimo conto da nossa amiga poetisa Elisabete Leite com direito a fantasminha e tudo mais. A pesquisa sobre amizade está sensacional, o Cantinho da Tia Beta hoje é só acolhimento. Lindas e expressivas ilustrações. Show de tudo! Parabéns aos poetas por mais uma brilhante página. Abraços e saudades de todos vocês...

    ResponderExcluir
  3. Tia Bete e Laurinha sua aluna que ama ler as historinhas, eu gosto do fantasminha amigo e não tenho medo dele. Queria brincar com ele de esconde e esconde. Tia sou sua amiga e você ta linda de roupa nova. O tio colocou kkkk beijo da Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, princesa Laurinha! Que bom que você gostou do conto e da página de hoje no Blog. Quero agradecer sua mãe pela presença, pois sei que ela está ao seu lado. Obrigada pela sua visita e apareça sempre. Beijos da sua professora de sempre.💝🌻🤗🌻

      Excluir
  4. Meu Deus que fascinante conto, que é uma narrativa emocionante, com uma temática linda da nossa amiga poetisa Elisabete Leite que hoje não economizou nos sentimentos Amor e de amizade verdadeira. A pesquisa no Cantinho da Tia Beta está maravilhosa, que são dicas para todos os amigos. As ilustrações estão como sempre impecáveis, pois essa dobradinha dos irmãos Leite sabem nos emocionar. Tudo muito lindo por aqui! Amei essa página infantil de sábado... Parabéns poetas pela linda partilha. Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  5. Fessora bete sou Laynne, sua aluna que ama historinha. Não tenho medo do fantasminha ele é bonzinho e gosto muito dele, ele e brincalhão e esconde as coisas. Hoje mamãe ajuda eu e ela gosta da pesquisa e conto. As fotos do tio sao belas. Fesssorinha feliz dia das mães. Beijos e estou com saudade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, princesa Laynne! Estou muito feliz que você gostou do conto e do Blog, agradeça sua mãe pela presença dela. O fantasminha amigo é brincalhão e muito bom, ele gosta das crianças. Volte sempre que nós agradecemos! Beijos da sua professora de sempre. 💖👱🤗😘

      Excluir
  6. Uau, que página mais maravilhosa do Blog Maçayó! Um verdadeiro sonho de criança, com um belíssimo e emocionante Conto da nossa querida amiga Elisabete Leite, que hoje compartilha o mundo encantado do fantasminha amigo e suas travessuras. A pesquisa compartilhada no Cantinho da Tia Beta está sensacional, pois ter um amigo de verdade é essencial na vida de cada um. As ilustrações estão deslumbrantes e o novo visual da Tia Beta deixou o ambiente mais mágico ainda. Um show de sábado! Parabéns aos poetas e boa tarde a todos! Abraços... aplausos amiga!

    ResponderExcluir
  7. Fessorinha é Gugu seu aluno que ama conto. Eu gosto da historinha do fantasminha amigo, é o conto que mais gosto, pois o fantasminha e bom e amigo e quero brincar com ele. Eu amo o blog do tia e as fotos, papai ajuda eu a comentar. Beijos tia. De Gustavo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, meu aluno Gustavo! Estou feliz por você gostar do conto e do Blog. Agradeça ao seu pai pela ajuda dele. E volte sempre para visitar a gente. Beijos da sua eterna professora Bete.🙋💙🤗😘

      Excluir
  8. Venho aqui prestigiar o Blog Maçayó e a minha querida amiga poetisa Elisabete Leite que hoje compartilha mais um brilhante Conto, aqui no Blog Maçayó, com uma narrativa fascinante, o enredo destaca a amizade do personagem fantasminho e seus três amigos. Uma amizade verdadeira que não tem preço. Adoráveis imagens ilustrativas e excelente pesquisa no Cantinho da Tia Beta. Mais uma vez Bete arrazou em seu modelito, amei o look. Parabéns aos poetas e abraços. Saudades de vocês...

    ResponderExcluir
  9. Lindo, muito lindo esse conto da amiga poetisa Elisabete Leite, amizade é um tesouro valioso. É apaixonante essa página de sábado infantil de hoje, eu amo interagir por aqui. A pesquisa no Cantinho da Tia Beta é excelente e uma valiosa aprendizagem. Belíssimas ilustrações poeta Jorge. Parabéns poetas por mais uma linda página. Abraços e bom sábado a todos. Aplausos Bete... Beijos

    ResponderExcluir
  10. Uma brilhante página infantil compartilhada hoje no Blog Maçayó. Muitas emoções, sentimentos, magia, fascinação no mesmo pacote. Belíssimo conto da minha amiga poetisa Elisabete Leite que trouxe até um fantasminha amigo para nosso deleite. Tia Beta se vestiu de gala para dizer que a amizade verdadeira é um diamante bruto, excelente pesquisa. Lindíssimas imagens ilustrativas completam os temas abordados. Parabéns poetas por mais uma linda página compartilhada. Abraços a todos e feliz final de tarde!

    ResponderExcluir
  11. Muito fofa a página de hoje. Os fantasminhas se divertem.
    Parabéns pelas ilustrações.
    Bjos

    ResponderExcluir
  12. Retornando para agradecer pelas ilustres visitas e gentis comentários. Feliz dia das mães! Beijos no coração de cada um de vocês!😘❤❤❤❤❤💙💙💙💝💖

    ResponderExcluir