domingo, 2 de junho de 2019

Almanack de Domingo - Amor à Distância

Ano II - Edição Nº 323 - Tema Adulto
Tema das Imagens - AMOR


AMOR À DISTÂNCIA

Amor que a distância não separa
A cada dia aumenta e traz calma
Ah, dor da saudade que dispara!
E que penetra no âmago da alma...

Amor amigo e que faz companhia
E se preocupa com a minha saúde
Os momentos são de pura alegria
Sua voz me acalenta, com amiúde...

Você que, pra mim, canta todo dia
Por consideração me escuta calado
Ah! São doces suas lindas melodias...

Como gostaria de estar ao seu lado
Sentir o seu toque que me acaricia,
Meus versos são teus, meu amado!

Elisabete Leite – 12/06/2016
Para: José Carvalho Vilarinho





UM AMOR À DISTÂNCIA

          A graciosa Analú queria viver num Conto de Fadas, sonhava em reencontrar seu inesquecível amor, que partiu para bem longe e ficou somente na saudade... Ele foi embora e por lá ficou.
          Analú era uma garota sonhadora, linda de corpo, alma e mente, tinha cabelos negros encaracolados e olhos fortes e amendoados; desde criança era completamente apaixonada por um amigo da comunidade, o tímido Heitor. Eles nunca namoraram oficialmente, mas eram inseparáveis. A família do jovem Heitor precisou, repentinamente, se instalar em Manaus, pois o pai do rapaz tinha sido transferido a trabalho. Heitor era um jovem calado, mas bem popular no bairro que morava e Analú, com receio de perder sua amizade procurava esconder o seu sentimento por ele.
          Certo dia, o destino mudou a história dos amigos... Analú navegando pela internet viu o rosto do seu amado Heitor. Logo, ela consultou o perfil do rapaz, para ter certeza se era o seu antigo amor. Assim, mandou um pedido de amizade pelo Facebook para ele e, seu sonho se realizou...
          Analú e Heitor ficaram namorando à distância, passavam horas e horas online; conversando pelo Messenger, trocando ideias, postando mensagens e fazendo companhia um para o outro. Heitor cantava e tocava todos os dias para Analú, enquanto a garota sonhava em reencontrá-lo, em tê-lo em seus braços. O amor, entre eles, foi crescendo com o tempo e a saudade foi aumentando, sufocando aquele casal apaixonado. Então, Heitor falou para Analú que estava pretendendo passar um final de semana em Recife, e oficializar seu relacionamento com ela. A moça ficou muito feliz e eles marcaram o grande reencontro; não era mais um sonho, e sim, pura realidade...
          Chegou o grande dia... A bela Analú acordou antes de o sol resplandecer no horizonte; ela olhou-se no espelho e ficou suspirando de felicidade. Permaneceu por muito tempo, com o seu olhar perdido na imensidão e falando consigo mesma: “Falta muito pouco para Heitor chegar e, meu coração já está transbordando de alegria, minha felicidade é tanta que não sei como descrevê-la”. De repente, o silêncio foi quebrado pela voz suave da sua mãe que lhe dizia:
          - Analú, minha filha, se vista depressa que Heitor já chegou! Você está belíssima como sempre!
          Bom dia, mamãe! Por favor, converse um pouco com ele, que estou quase pronta! Sirva-lhe uma xícara de café! Disse-lhe Analú.
          A mãe da garota saiu depressa e Analú ficou imaginando o momento de poder acariciar o rosto do amado, abraçá-lo fortemente e beijá-lo ardentemente. Ela queria recuperar todo tempo perdido, os instantes de amor e de emoção, que não foram presenciais...
          Analú desceu, em passos firmes, os degraus da escada; seu coração estava quase saindo pela boca, pois seus batimentos cardíacos estavam acelerados, um frêmito percorria todo o seu corpo e, lágrimas rolavam pela sua face rosada. Heitor assim que viu Analú, se aproximando da sala, levantou-se da cadeira e correu para abraçá-la. Eles permaneceram abraçados por alguns minutos, aproveitando aquele momento tão especial; a emoção tomou conta do casal. Heitor olhou carinhosamente para sua amada, enxugando, com beijos, algumas lágrimas que insistiam em cair pelo rosto da jovem, ele fechou os olhos e a beijou profundamente. Logo depois, Analú quebrou o silêncio e perguntou-lhe:
          - Meu amor, como foi sua viagem? Você deve estar bastante cansado, pois sei que o trajeto entre Manaus e Recife é muito longo.
          - Meu amor, eu não estou cansado! Pois, quero aproveitar a sua companhia; cada segundo, cada minuto e cada momento ao seu lado. E poder minimizar a nossa saudade, todo tempo que passamos separados. Disse-lhe Heitor.
          - Querido, a distância não diminuiu o amor que sinto por você, ao contrário, ele brotou como sementes de rosas, que floresceram no jardim da minha vida.
          O rapaz colocou sua mão no bolso direito da calça, e tirou de lá, uma caixinha bem embrulhada com um laço de fita vermelho, e a deu para Analú.  A jovem não consegue conter-se de tanta emoção, com as mãos trêmulas vai abrindo o embrulho devagar e para sua surpresa, era um par de alianças. Ele aproveitou o momento de emoção e fez-lhe o pedido:
          - Analú, você quer se casar comigo?
         - Sim Heitor, eu te amo! Respondeu-lhe a garota.
          Eles se abraçam e se beijam perdidamente, selando o compromisso e realizando o grande sonho de Analú.
          Os tempos se passaram... Eles se casaram, tiveram filhos e viveram felizes para todo sempre.
          Assim, foi a emocionante história de amor, entre Analú e Heitor, que se conheceram quando crianças; o amor sobreviveu à distância, ultrapassou limites, cruzou fronteiras, criou laços e se solidificou.

São tantas histórias assim...
         
Elisabete Leite – 01\06\2019
 (Para Karen e Augusto, um amor que começou quando crianças e com o tempo se
eternizou). 


GRAÇA

Ah... essa distância que embaça
a tua escultura, como v
éu de fumaça
E essa saudade que nunca passa
atrav
és do peito a alma transpassa

Ah... essa tua imagem, feito argamassa 
preenchendo os olhos e deixando ja
ça
N
ão há um solvente que a desfaça
Na mira agu
çada, és a minha caça

Ah... o nosso tempo de horas escassas
com seu cruel p
êndulo, o destino traça
o fim destes corpos em amorfa massa

Ah... mas o amor, guerreiro, faz-se em pirraça
e n
ós, em um só, com carinho enlaça
e traz-me tua voz, que com calor me abra
ça

VIOLEIRO MINEIRO CAPIAU
EM 23/01/2016... Para
 Elisabete Leite...


RECORDANDO POESIAS - AMAR de Jorge leite
 Publicada em 02 de abril de 2018

Amar

Amar não é competir,
É aceitar.
Aceitar o outro como ele é.
Amar não é evitar.
É convidar.
Convidar que se mergulhe em nós,
Sem condições,
Nem antes, nem durante, nem depois.

Amar é não ver formas,
É ver interior, é ir fundo,
É existir sem estar presente.
Amar é permitir
Que se penetre em nosso âmago.
É não esperar nada do outro.
É encontrar o que estar oculto.

Amar é se entregar,
É não receber nem dar.
É ser e deixar ser.
Amar é ser Deus.
É tornar divino a quem se ama.
É não se aborrecer.
É viver, é viver.

Jorge S Leite
SP, 16-05-1991






16 comentários:

  1. Apaixonante ficou a belíssima página de Almanaque de Domingo, aqui, no Blog Maçayó... E o amor está no ar! No mês dos namorandos nada melhor que uma página recheada de romantismo e sentimentalismo à flor da pele. As ilustrações estão lindíssimas e inspiram poesias e Contos, como também complementam com perfeição a temática do Almanaque de hoje. Emocionante Conto, magníficos sonetos e um maravilhosa recordação em versos belíssimos do poeta Jorge Leite. Quero agradecer a participação especial do grande escritor e poeta Violeiro Mineiro Capiau. Estou completamente deslumbrada pela brilhante partilha. Quero desejar ao casal Karen e Augusto muitas felicidades por mais uma nova etapa na vida deles. Parabéns!!! Estou, emocionada, lisonjeada, agradecida e muito feliz por mais um Conto publicado em nosso Cantinho do Saber. Bom dia e excelentes leituras a todos.

    ResponderExcluir
  2. Uau Bete, que lindo! Um Conto magnífico que retrata uma história de amor que sobreviveu à distância, onde um sonho se realizou. Minha história foi mesmo assim, conheci Heitor ainda crianças, ele precisou se instalar em outra cidade, a gente se reencontrou na internet e ficamos namorando à distância. Agora, estamos juntos, casados e esperando a chagada do primeiro filho(a). Obrigada amiga por nos presentear com essa belíssima página, no Blog Maçayó e comprovar com magníficos sonetos e poema que o amor à distância é possível. Lindas ilustrações. Estou muito emocionada e feliz. Obrigada de coração! Parabéns poetas pelo conjunto da homenagem. Abraços e bom dia para vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nome de Augusto é: Heitor Augusto da Silva Sampaio. O meu nome completo é: Karen Analú Simões Sampaio.

      Excluir
    2. Obrigada Karen, pelo lindo depoimento e meus parabéns pela coragem e, muito sucesso na sua nova etapa de vida. Beijos...💖💙🌻

      Excluir
  3. Que belíssimo Almanaque de domingo no Blog das emoções, que faz qualquer um chorar. Primeiramente gente, quando li esse magnífico Conto, da amiga poetisa Elisabete Leite, já sabia que era a história de karen, pelo nome Analú e Augusto. Amiga Karen, que felicidade pelo seu sonho se realizar! Você sabe que o amor entre eu e Lis também venceu à distância. Ficamos namorando por telefone e mensagens e hoje estamos juntos e vamos nos casar. Belíssimos sonetos, que são versos também de amor e lindíssimo poema, a razão de tudo. Lindas e expressivas ilustrações. Sem palavras para descrever um momento como esse. Parabéns ao casal de amigos, aos poetas pela excelente partilha. Abraços e saudades... Show!!!

    ResponderExcluir
  4. Venho aqui prestigiar mais uma brilhante página compartilhada em nosso Blog Maçayó. A emoção se fez presente e tocou o nosso coração. Um belíssimo e emocionante Conto da nossa querida amiga Elisabete Leite, que hoje faz uma tocante homenagem ao novo casal de amigos, Karen e Augusto, que esperam um lindo bebê. Um amor parecido com o meu e Júnior que ultrapassou Fronteiras e sobreviveu à distância. Magníficos sonetos, a prova de um grande amor. Muito lindo e sábio o poema do amigo Jorge. Maravilhosas ilustrações. Seja bem-vindo Violeiro Mineiro Capiau, o poeta fez falta. Tudo perfeito por aqui, uma homenagem merecida. Parabéns ao casal e aplausos pela excelente pagina de hoje. O amor no ar! Abraços e saudades de todos!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia, amigos e amigas! Sou Augusto o esposo de karen. Ainda não sei comentar direito e ela está me ajudando e só consegui comentar como Anônimo. Quero agradecer os comentários de todos, como também a fascinante homenagem. Lindo Conto e lindos poemas. Estou emocionado e agradecido. Parabéns a todos pelo lindo Blog. Obrigado pela homenagem! Forte abraço de Heitor Augusto.

    ResponderExcluir
  6. "Amar é desejar nunca dizer JAMAIS, é ser capaz de como viver juntos as emoções de amar eternamente" (Socorro Almeida)
    O amor verdadeiro transpassa barreiras, distâncias, preconceitos.
    Parabéns, Bete, por sua história linda.
    Amei o poema de Capiau.
    AMAR de Jorge Leite tbm é lindo.
    Aplausos aos poetas.

    ResponderExcluir
  7. Eita, pessoal! É mesmo uma magnífica homenagem essa página de Almanaque compartilhada no Blog Macayó. Um belíssimo e romântico Conto da nossa amiga poetisa Elisabete Leite que não mediu esforços para nos emocionar, lindíssimos poemas e maravilhosas ilustrações. Todos nós estamos muito felizes pela Karen e seu grande amor Augusto. Espero que eles sejam sempre felizes nessa nova etapa de vida. Tudo perfeito no Blog. É junho do amor! Parabéns aos poetas pela maravilhosa página. Seja bem-vindo Violeiro Mineiro Capiau! Bom domingo a todos e abraços!

    ResponderExcluir
  8. Que linda e romântica página de Almanaque publicada em nosso Cantinho, o blog Maçayó! Estou encantada com tanta sensibilidade, com tanto sentimento, um amor verdadeiro expresso em palavras e nos versos das belíssimas poesias. Fabuloso Conto da nossa poetisa amiga, Elisabete Leite, que faz uma emocionante homenagem ao casal de amigos Karen e Augusto. Querida Karen que vocês sejam muito felizes, pois você sabe o quanto o eu torcia para seu sonho se realizar. Você realizou um sonho duplo de reencontrar seu amor de infância e ser Mãe. Parabéns e toda felicidade do mundo amiga! Aplausos aos poetas pelo show de hoje. Tudo lindo demais. Que bom te ver por aqui amigo poeta Violeiro. Sentimos tua falta. Bom domingo a todos e abracos!

    ResponderExcluir
  9. Uma fabulosa página de domingo, um Almanaque romântico com muitas emoções. Um Conto brilhante da amiga poetisa Elisabete Leite que faz uma homenagem ao casal de amigos, Karen e Augusto. Felicitações amiga pela sua nova razão de viver, que a sua nova vida seja de muita paz, Saúde e amor. Belíssimos poemas que retratam a pureza do amor verdadeiro. Lindas e expressivas ilustrações. Realmente um maravilhoso momento de arte literária e poética. Violeiro, poeta amigo, você fez muita falta. Tudo muito lindo! Parabéns aos poetas pela homenagem. Abraços...

    ResponderExcluir
  10. Amor à distância. Eu já amei assim. Eu sei o quanto é sofrido. Foi aí que aprendi que quando o amor é verdadeiro, ele não morre. Ele se aquieta no coração da gente, mas não morre. Simone gravou uma versão de uma canção americana, EM FLOR, que di: "Não são sinceras as razões, de quem insiste em não lembrar, do sentimento em flor, o despertar do amor, não se apaga mais dos corações. Amor nenhum tem tal poder, de provocar recordações. Bastou se ver mais uma vez, para sentir que não passou!"
    Então...o verdadeiro amor não morre. É fato.
    Parabéns à Bete pelo tema maravilhoso, extensivo aos outros poetas. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: que diz....

      Excluir
    2. Obrigada cândida Nunes pela sua ilustre visita, carinho e gentil comentário. Muito feliz pela sua presença. Já fiz os meus dois poemas para nossa página. Será um sucesso. Beijos💖

      Excluir
  11. Ely de Albuquerque2 de junho de 2019 19:09

    Gente, eu conheci um casal, que sua história me emocionou. Quando eles se conheceram, ele tinha treze anos, ela tinha 12. Casaram, tiveram filhos, netos, bisnetos. Eram unidos, carinhosos, de bem com a vida... Ela "partiu" com 80 anos.
    Ele, então, se entregou à tristeza, à saudade...nada mais o alegrava. Muitas vezes ele dizia "quero ir ao encontro da minha amada."Viveu apenas mais três meses.
    Isso sim é o verdadeiro amor. Dura a vida inteira, transpõe a vida terrena, e persiste além e eternamente. Eu creio.
    Parabéns pela página e pelo tema de hoje.
    Sou poetisa e amiga da Socorro Almeida.
    Parabéns, poetas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem-vinda querida amiga Ely de Albuquerque! Amiga da grande poetisa Socorro Almeida também e nossa amiga. Obrigada pela contribuição e belo comentário. Forte abraço!

      Excluir