quarta-feira, 10 de julho de 2019

Quarta Poética com Maeli Honorato e Emiliano de Melo

Ano II - Edição Nº 336 - Tema Poesias
Tema das imagens - Casa de Taipa


SONETO AO MEU VELHO JUAZEIRO

Juazeiro amigo, grande irmão.
Tuas folhas verdes tão pequenas,
Mais parecem mãos com que acenas.
Para dias que longe se vão.

Quantas vezes ao pé de teu madeiro
Ouviu-se as pancadas de martelos
No fabrico de banquinhos singelos
Para descanso do velho marceneiro.

E hoje, se em tuas aragens pisa
É o pé desta humilde poetisa
De tua sombra exala Poesia.

Sempre soube que és a formosura
Deste solo em tempos de secura,
Mas meu amor por ti eu não sabia.

Maeli Honorato
 IRONIA

Se for para pisar, eu não piso
Se for para não pisar, eu piso
Se for para criticar, eu não critico
Se for para não criticar, eu critico
Se for para desistir, eu não desisto
Se for para não desistir, eu desisto
Se for para simplificar, eu não simplifico
Se for para não simplificar, eu simplifico
Se for para gritar, eu não grito
Se for para não gritar, eu grito
Se for para fritar, eu não frito
Se for para não fritar, eu frito
Se for para ironizar, eu não ironizo
Se for para não ironizar, eu ironizo.

Emiliano de Melo
Guarabira-PB, 03 de julho de 2019.

 MORTE É

É cheia de surpresas
É inesperada
É provavelmente
É tardia ou antecipada
É intransferível
É sem chance de fuga
É sorte para poucos
É azar para alguns
É sofrimento para muitos
É certeza para todos
É para sorrir
É para chorar
É Paz infinita.

Emiliano de Melo
SIGA O ASFALTO

Nas terras nuas e cruas
Nascem ruas e avenidas
O vai e vem se inicia
A lama e a poeira clamam
Na voz da população.

Pés, bicicletas, motos, carros e ônibus
Amassam a terra solta
Impostos batem à porta
Serviços são necessários
Surge uma luta infernal.

Paralelepípedo se antecipa
Alegria de dente a dente
Buracos imediatos
Deixam o povo descontente
Nova verba é evidente.

Finalmente, chegou o asfalto
A lama preta fervente
Investimento eficaz
Paralelepípedo nunca mais
Símbolo de desenvolvimento.

Emiliano de Melo
AS FELICIDADES

A minha não é a tua
A tua não é a minha
A dele não é a dela
A dela não é a vossa
A vossa não é a nossa
A nossa não é a deles.

Nem a minha
Nem a tua
Nem a dela
Nem a dele
Nem a nossa
Nem a vossa
Nem a deles.

A delas com a minha
A vossa com a tua
A nossa com a deles
A minha não é a tua
A tua não é a minha.

Emiliano de Melo




 

14 comentários:

  1. Hoje, recebemos uma estrela de volta, a brilhante poetisa Maeli Honorato, com versos de puro encantamento. Estamos linsonjeados pelo seu retorno, seja bem-vinda! A quarta poética está de parabéns por mais um encontro de poetas. Maeli trouxe um soneto belíssimo, com versos extraídos do âmago da sua alma. Sua arte faz uma homenagem a um Juazeiro Amigo. Já o poeta Emiliano de Melo compartilha poemas belos e criativos. As lindíssimas imagens ilustrativas me fizeram chorar, singelo singnificado na casinha de taipa. O belo está na importância dos sentimentos expressos. Tudo bem lindo e expressivo. Parabéns aos poetas. Abraços e bom dia a todos!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou fã da poetisa Maeli Honorato. Seus versos têm a verdadeira essência do coração sertanejo. Não conheço todas as suas obras, mas imagino pelo pouco que conheço, a emoção que causa suas poesias, pois a mim, causou grande encantamento. Feliz por vê-la por aqui de novo.
    Belos poemas de Emiliano.
    Parabéns pelas ilustrações

    ResponderExcluir
  3. Bom dia a todos! Quero dizer que estou muito orgulhosa pela presença, o retorno ao blog, da grande poetisa Maeli Honorato, um ser humano iluminado, pois a simplicidade da alma dela é tão grande que emana em nossos corações. O soneto compartilhado é de extrema beleza e o poeta Jorge Leite logo conseguiu captar isso, e compartilhou essas maravilhosas ilustrações. Belos e expressivos os poemas do poeta Emiliano de Melo. Sempre será um prazer comentá-los. Quero agradecer a consideração dos irmãos Leite, que sempre recebe de braços abertos os poetas. Reconhecimento é uma virtude dos grandes. Parabéns aos poetas e abraços.

    ResponderExcluir
  4. Pois é querida Geovanna! Nós tivemos o prazer de trabalhar com a poetisa Elisabete Leite, esse anjo de candura. Hoje, estamos muito felizes pelo retorno da poetisa Maeli Honorato, um ser do bem, ela é grande por dentro. Belíssimo soneto que retrata sua grandiosidade poética. O poeta Emiliano de Melo compartilha lindos poemas para os amigos e leitores. O poeta Jorge Leite ilustrou a página de hoje no sentimento entre o simples e o belo. Quero agradecer aos irmãos Leite pela oportunidade de comentar, com as minhas palavras o que sinto ao interagir com os nobres poetas e poetisas. Forte abraço para todos! Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Venho hoje prestigiar os amigos poetas Maeli e Emiliano que compartilharam suas artes. Concordo com meus amigos Paulo e Geovanna que afirmaram a satisfação pelo retorno da grande poetisa Maeli Honorato que fez muito falta. O soneto é sensacional e demostra a grandiosidade dos seus versos poéticos. São ótimos os poemas do amigo poeta Emiliano de Melo. Belíssimas e expressivas ilustrações. Parabéns aos poetas. Veja bem-vinda amiga Maeli Honorato! Saudades!!!

    ResponderExcluir
  6. Feliz retorno amiga do bem, Maeli Honorato! Que você venha para somar, partilhar, interagir nesse blog de amigos para amigos. Seu belíssimo soneto é um elixir para nossa alma, pois a beleza dos seus versos nos comovem. Belos poemas do poeta Paraibano Emiliano de Melo. Gostei, amigo Jorge, da simbologia da casinha de taipa, concordo com a poetisa... tu vales muito mais/Que o luxo do nobre casarão (lindo e lindo). Eu e Flor de Lis estamos comentando diretamente de Santiago. Parabéns a todos e saudades!

    ResponderExcluir
  7. Uma quarta poética muito especial, pois nossa amiga Maeli Honorato, como boa filha a casa retorna. Achei belíssimo esse soneto dela, uma verdadeira arte serteneja. Também gostei dos belos poemas do poeta Emiliano. Que vocês mostrem sempre suas artes poéticas no blog. Lindas e expressivas imagens ilustrativas. Quero parabenizar aos poetas e que sejam bem-vindos! Abraços

    ResponderExcluir
  8. Belíssimo momento poético poetas Maeli Honorato e Emiliano de Melo. Seja bem-vinda Maeli seu soneto é um espetáculo, as rimas estão poderosas. O poeta Emiliano trouxe lindos poemas e ambos estão de parabéns. Lindas imagens de casinha de taipa, o belo e a simplesidade andam senpre juntos. Tudo sempre lindo! Boa tarde e abraços!

    ResponderExcluir
  9. Oh, meus queridos, a bondade de vocês eleva o meu espírito! Mui grata aos irmãos Leite, mui grata a todos vocês pelo carinho!
    Estou bem feliz por aceitarem minha simplicidade de volta aqui.
    Ter vocês é uma honra!
    Beijos no coração de cada um!

    Maeli Honorato

    ResponderExcluir
  10. Estou encantada com as poesias do poeta Emiliano de Melo, ele enlace o coração com cada verso que brota do seu coração. PARABÉNS

    ResponderExcluir
  11. Errata o poeta Emiliano de Melo enaltece.

    ResponderExcluir
  12. Gostei de todas parabéns Melo, gostei em especial das felicidades.

    ResponderExcluir