sábado, 30 de novembro de 2019

Zezinho - O Engraxate

Ano II - Edição Nº 385 - Tema Infantil
Tema das Imagens - O Engraxate (Trabalho Infantil)
CANTINHO DA TIA BETA

Oi pessoal! A língua Portuguesa é riquíssima, com muitas particularidades que deixam dúvidas, principalmente, no momento da escrita e da fala. Diante disso, deixarei algumas dicas para que as sentenças sejam construídas com coesão e coerência. 
Portanto, fiquem ligados nas dicas!
A dica de hoje será o emprego correto dos porquês. O uso dos porquês é um assunto muito discutido e traz muitas dúvidas. Assim, vou procurar esclarecer o emprego dos porquês para que não haja mais imprecisão a respeito desse assunto.
Quando devemos usar por que (separado e sem acento)
POR QUE pode ser usado no início de uma pergunta (interrogativa), podendo ser substituído por: Por que motivo, por qual motivo, por que razão e por qual razão.
Exemplos: 
Por que você não vai ao teatro? (por qual razão)
POR QUE estabelecendo uma relação com o termo anterior (relativo), podendo ser substituído por: pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais, por qual e por quais.
Exemplos:
O lugar por que passei era belíssimo. (pelo qual passei)

Quando devemos usar porque (junto e sem acento)
PORQUE pode ser usado em respostas e em explicações. E pode ser substituído por: pois, visto que, uma vez que, por causa de que, dado que, etc.
Exemplo: Eu não fui ao teatro porque estava chovendo. (pois)
Quando devemos usar por quê? (separado e com acento)
POR QUÊ pode ser usado no final, seguido de um ponto de interrogação. Pode ser substituído por: por qual motivo, por qual razão.
Exemplos: 
Você não foi à escola, por quê?

Quando devemos usar porquê (junto e com acento)
PORQUÊ  é um substantivo e tem significado de motivo, razão. Vem acompanhado de determinante, como um artigo, pronome, adjetivo ou numeral.
Exemplo:
Diga-me o porquê de você não ter me ajudado ontem. (motivo)
Somente espero que vocês tenham gostado da dica de hoje, do uso dos porquês. Até a próxima dica pessoal.

Nossas Pesquisas:


ZEZINHO ENGRAXATE

          Era uma vez um garoto chamado José Davi, conhecido pela comunidade como Zezinho Engraxate, vivia engraxando calçados e peças de couro em geral para ajudar sua família nas despesas da casa, pois sua mãe estava gestante, sendo uma gestação de alto risco, e por a mesma ter idade avançada, ela tinha que permanecer em total repouso. Seu pai havia viajado há alguns meses atrás à procura de trabalho, e não retornou. Era um menino muito generoso, ajudava sempre seus amiguinhos, doando balas, guloseimas e alguns brinquedos para alegrá-los. Morava em uma comunidade humilde, em uma pequena cidade no meio do nada, porém o garoto tinha muita disposição para executar com perfeição seu ofício, sempre com Fé em Deus.
          Toda a manhã Zezinho acordava ao alvorecer, quando o sol ainda brincava com a aurora, por trás dos montes, ele começava a se preparar para seu ofício diário de engraxate... O garoto saia carregando seu pesado caixote de engraxate, pela estrada esburacada de barro, até o local onde costumava ficar, em frente à Paróquia de São Sebastião no centro da pequena cidade. Ficava o dia todo por lá, engraxando e deixando os sapatos dos fregueses assíduos, com um brilho peculiar que somente ele conseguia realizar. À noite o garoto voltava para casa com seus ganhos do dia, passava na padaria do senhor Manoel e comprava pão e leite; era a sua rotina diária... Certa noite, sua mãe esperou Zezinho chegar do seu ofício e falou para ele:
          - Meu filho, as despesas estão aumentando, eu não posso ficar parada enquanto você trabalha sozinho. Não é justo o que vem acontecendo! Eu vou voltar a trabalhar e que Deus nos ajude.
           O garoto olhou para sua mãe, seu olhar era de pura tristeza, e respondeu-lhe:
           - Mamãe, a senhora sabe muito bem que não pode fazer esforço. Seu bem-estar e o fruto que a senhora carrega em seu ventre são as duas coisas mais importantes nesse momento. Pode deixar que eu farei horas extras! E ponto final, mamãe!
          Zezinho se dirigiu até a cozinha, tomou um copo de leite com açúcar mascavo e foi dormir no chão da sala, único local disponível da casa... A lua se escondeu e o sol resplandeceu com seus raios brilhantes no azul do céu. Naquele amanhecer o garoto, mais uma vez, saiu confiante para execução do seu ofício. Ele sabia que precisava dobrar seus lucros, e seu foco era a saúde da sua mãe. Seguiu pela trilha de sempre até o seu destino...
       
   Duas horas depois o menino estava na calçada da igreja quando um senhor se aproximou e pediu para ele ir engraxar em outro lugar, e disse-lhe:
          - Menino, você pode sair, por favor! Porque irei lavar toda entrada da Paróquia. Você ainda é muito jovem para trabalhar!
         Zezinho olhou com tristeza para o homem que falava de maneira rude com ele. Então, não pensou duas vezes, e rapidamente lhe respondeu:
         - Senhor, eu posso ajudá-lo? Eu sou forte e minha mãe está acamada com uma gravidez de alto risco, e para completar o dia hoje está parado totalmente. Senhor, por favor!
         O senhor levou o garoto até a presença do padre responsável pela paróquia daquela comunidade. O homem explicou ao sacerdote que o menino engraxate precisava ajudar sua família. O pároco olhou para Zezinho e disse-lhe:
         - Meu filho, eu estou precisando de alguém que ajude na missa aos domingos, sabemos que não será remunerado. Mas, temos pessoas importantes que frequentam nossa paróquia e essas pessoas podem precisar de cuidados especiais nos sapatos. E isso não irá atrapalhar o seu ofício de engraxate no decorrer da semana.
         - Senhor, eu aceito! Preciso de toda ajuda possível. Respondeu-lhe
         Zezinho voltou para casa, e contou as novidades para sua mãe. Logo depois foi descansar mais aliviado...
          A semana passou rápida e chegou finalmente o tão esperado domingo. O clima estava perfeito, a temperatura bastante agradável, e Zezinho estava confiante em dias melhores. Chegou bem cedinho à igreja e foi ajudar na arrumação das cadeiras. De repente, olhou para o chão e viu uma carteira recheada de dinheiro, percebeu pelo volume, pegou o objeto e foi levá-lo até o pároco. Entregou a carteira ao responsável espiritual, que a analisou, procurando o nome do dono. Logo depois, agradeceu ao garoto e mandou que ele fosse organizar o altar para o início da celebração... Após a missa o garoto já estava se preparando para deixar o local quando alguém se aproximou dele e falou:
         - Jovem, eu sou o dono da carteira que você encontrou, e estou muito emocionado e agradecido pelas suas boas ações. O pároco falou que você estava precisando de ajuda financeira. Eu gostaria de compensá-lo pela sua atitude. Eu posso saber qual a sua idade? Pois, eu tenho uma proposta para você.
         Zezinho olhou admirado para o homem, e respondeu-lhe:
         - Bom dia, senhor! Eu tenho quatorze anos completos.
         - Bom saber disso meu jovem! Eu tenho uma proposta de emprego para você de Jovem Aprendiz, em meu escritório. Assim, ao ser contratado, você terá um emprego de carteira assinada, com todos os direitos trabalhistas e jornada de trabalho reduzida, para ter a chance de estudar em horário contrário, do turno do trabalho. Eu te aguardo no endereço neste cartão, munido de todos dos seus documentos, na próxima semana. Obrigado meu jovem rapaz!
         Zezinho não conseguia acreditar no que tinha sido proposto. Ele se dirigiu até o altar, segurando o cartão, e agradeceu a Deus, pela oportunidade do emprego. Saiu da igreja feliz da vida e foi continuar o seu ofício de engraxate até o final daquele dia.
         O tempo passou rápido, José conseguiu o emprego proposto, e deu continuidade ao seus estudos. Sua mãe teve um lindo bebê, e ajuda nas despesas fazendo doces e bolos por encomenda. E a família vai vivendo feliz!

Elisabete Leite – 25\11\2019


PORQUÊS DO OFÍCIO

Zezinho vivia engraxando sapatos
Executava, com êxito, o seu ofício
As pessoas respeitavam seus atos
Ações reconhecidas desde o início...

Por que ele trabalhava tão jovem?
Precisava mesmo era ir à escola,
Os reais motivos a todos comovem
Em sua idade tinha que jogar bola...

A mãe bem doente vivia acamada
Ele trabalhava porque devia ajudar
Oferecer conforto para mãe amada
Ela entendia o porquê do seu doar...

Sua honestidade realizou seu sonho
Sonho do primeiro emprego. Por quê?
Porque passou ser um garoto risonho
Felicidade nasceu no novo amanhecer.

Elisabete Leite – 25\11\2019


O Engraxate e o Jornaleiro
Engraxate e o Jornaleiro

"O Engraxate e o Jornaleiro ou Contando a Féria - Obra do artista Ricardo Cipicchia que fica na Praça João Mendes.
Ficha técnica:
Bronze de 1,50m x 1,0m x 0,60m
Autor: Ricardo Cipicchia (Roma, 1885-São Paulo,1969)
Adquirida pela Prefeitura de São Paulo no início dos anos 1950

 


quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Quarta Poética com Socorro Almeida

Ano II - Edição Nº 384 - Quarta Poética
Tema das Imagens - Desenho Digital - Mulheres


AGORA EU SEI

Ah! Agora eu sei quem sou!
Quem quiser caminhar sem direção
Faça gosto por viver em sombrias esperanças sem lutar
Faça gosto por sorrir apenas por sorrir
Sim! Agora eu sei quem sou!
Abro os braços para um Deus que nunca desistiu de mim
A quem respeito por me ter amado tanto
Ao ponto de sentir sua presença por milênios até hoje
Em todas as vidas que já tive antes.
O meu caminhar é suave, é perfeito
Meu corpo já se entrega às dores carnais
E já flutua levemente ao Seu encontro
Não vejo a hora de conhecer o Paraíso
Por minha redenção, minha gratidão!
Sim! Agora eu sei quem sou!!

Socorro Almeida
Recife, 14/11/2019

TRÊS EM UMA

Como podes machucar a face
De quem dizes amar?
Por que dizes palavras cruéis
A quem tua espécie perpetua?
Quem deita ao teu lado e te dá prazer
É a mesma que da costela tua
Te fez por merecer!
Julga-te todo poderoso
Mas o poder está com elas.
Ama a mãe dos filhos teus!
Respeita tanto quanto à tua mãe
Aquela quem te fez nascer!
Esta que se deita ao lado teu
Têm a mesma imagem de quem viu
Seu Amado Filho padecer!

Socorro Almeida
Recife, 18/09/2019

TE AMO ASSIM

Gosto desse teu jeito de abraçar...que dói,
Dói na alma por não ter sentido antes
Meu coração chora por pulsar assim
Feliz, cantando e dançando desajeitado
Sem direção e sem juízo.
Um poeta já disse: "me deixa, ao menos, pensar em Deus".
Mas é tão gostoso esse pecado
Por meu desejo, por meus sublimes desejos...
Deus há de me perdoar e perdoar sempre...
E enquanto eu viver...
Te amo!

Socorro Almeida
Recife, 30/10/2019


sábado, 16 de novembro de 2019

Um Novo Amiguinho

Ano II -Edição  Nº 393 - Tema Infantil
Tema das Imagens - Animais de Estimação


UM NOVO AMIGUINHO

          Era uma vez uma menina inteligente e dócil, chamada Cecília. Ela andava muito triste, pois havia perdido seu único cãozinho de estimação, no inverno passado, em um atropelamento que ocasionou à morte do seu amiguinho querido. Feliz, como ela costumava chamá-lo, por ser um cãozinho que vivia latindo e abanando o rabinho de alegria; ele espalhava lambidas para todo mundo, bagunçava toda casa, mas era meigo e muito amado por todos. Desde aquele terrível acidente a menina Cecília nunca mais voltou a sorrir...
         Cecília tinha cabelos negros e olhos amendoados, era amada pelos pais, como filha única, encontrava nos animais bastante companheirismo, lealdade e amizade. Seus pais viviam preocupados com a tristeza dela e tentavam de tudo para animá-la.
         Certa manhã primaveril, em que o sol já havia resplandecido no horizonte e, através dele, se iluminavam as brancas nuvens que bailavam na abóbada celeste; a mãe de Cecília foi acordar sua filhinha para contar-lhe uma novidade, ela entrou de mansinho no quarto da garota e disse-lhe baixinho:
          - Minha filhinha, vamos acordar preguiçosa! Pois o sol já está brilhando e um lindo arco-íris embeleza o céu. Tenho uma novidade especial para você.
         A linda garotinha, ainda sonolenta, abriu seus olhinhos e acordou para o mundo. Deu um sorriso forçado e falou para sua mãe.
         - Bom dia, mamãe Anita! Sabe mamãe, eu não consigo enxergar beleza depois da perda do meu Feliz. É quase Natal! Eu o queria aqui comigo, para juntos brincarmos com as bolinhas dos enfeites natalinos. Ele era meu companheiro inseparável.
         A mãe da garota olhou para ela e respondeu-lhe:
        - Meu Amor, seu amiguinho está em um ótimo lugar e ele precisa sentir sua felicidade. Eu e seu pai vamos te levar à feira de adoção de animais, abertura do Natal, em nossa comunidade. Lá estarão muitos animais que precisam de acolhimento e amor, e quem sabe você pode encontrar um novo amiguinho. Sei que Feliz era insubstituível, mas outros animaizinhos precisam de um lar.
         A menina Cecília ficou pensativa, pois sabia que o amor que sentia pelo seu amiguinho Feliz não poderia ser substituído por nada, porém mesmo assim resolveu aceitar o convite da sua mãe...
         Era um domingo bem aconchegante, o cenário estava perfeito, a temperatura agradável e na praça central havia animais por todo lado. Gatos e cachorros desfilavam penteados, cheirosos e arrumados; nos filhotinhos, um lacinho vermelho nas fêmeas e gravatinha nos machos, lindos filhotes que precisavam de um lar e acolhimento. Miados e latidos procuravam chamar atenção de uma boa alma. Mas, Cecília parecia alheia a todo aquele movimento, ela não conseguia enxergar outro amiguinho que não fosse Feliz. De repente, ela olhou para uma grande gaiola, um transporte de animais, e lá viu um cãozinho tristonho, que estava deitado sem prestar atenção nos miados e latidos dos outros animais a sua volta. A menina apertou com bastante força a mão da sua mãe e elas pararam. Uma jovem olhou para Cecília e falou:
         - Oi garotinha linha, esse é Robinho! Um cãozinho muito especial, ele tem uma patinha paralisada, um trauma de parto, e perdeu sua mamãe na semana passada, no momento está se sentindo sozinho, todos os seus irmãozinhos já foram adotados e só ficou ele, pois ninguém quer um amiguinho que não pode correr.
         A mãe de Cecília olhou para ela e observou que uma lágrima descia pela sua face rosada, viu que sua filha estava completamente emocionada e envolvida pela história triste daquele cãozinho. Dona Anita olhou fixamente para filha e disse-lhe:
        - Querida, você quer adotar um novo amiguinho?! Então, vamos passear e conhecer novos filhotes.
         A menina olhou para sua mãe e respondeu-lhe:
          - Mamãe, eu já encontrei meu novo amiguinho. Eu gostaria de adotar Robinho. Eu sei das dificuldades, mas também sei que ele está precisando muito de acolhimento. Por favor, me deixe ficar com ele!
          Dona Anita olhou para a jovem responsável pela adoção e procurou saber o que seria necessário para adotar aquele animalzinho. Os trâmites foram resolvidos e aceitos pelas autoridades competentes, e assim a adoção realizou-se em poucas horas... A garota Cecília voltou para casa com um novo amiguinho em seus braços.

          Todos os dias, a linda menina passeava com Robinho em frente da sua casa, e os dois se tornaram grandes amigos. Cecília colocava Robinho em uma caminha quente bem próximo a grande árvore de natal, e ele ficava brincando com as bolinhas coloridas da árvore, enquanto a garota estava na escola. Quando ela chegava era somente festa, Robinho latia e abanava seu rabinho para mostrar sua alegria. E assim, eram os dias, muita amizade e lealdade entre eles.
          Certo dia, a mãe Cecília falou para ela que havia comprado um adaptador com rodinha, que iria facilitar a locomoção de Robinho e ele poderia até passear no jardim, sem precisar ser carregado. A menina ficou muito feliz, e finalmente ela voltou a sorrir. Sua felicidade era por haver encontrado um novo amiguinho, o seu companheiro diário...
          O tempo passou depressa... Cecília cresceu, mas nunca abandonou seu fiel amigo Robinho, e nem esqueceu jamais do seu amiguinho Feliz.

         Amizade, lealdade e felicidade caminham de mãos dadas.
         Aqui termina a nossa historinha de hoje. Até a próxima, pessoal! 
         Elisabete Leite – 15\11\2019 



CANTINHO DA TIA BETA

Oi Pessoal! Hoje irei mostrar algumas dicas para cuidar bem do seu animal de estimação.
Um animal doméstico é como um filho. Ele pode não exigir menos cuidados e bem menos gastos que uma criança (lembre-se dos estudos, hotelzinho, fraudas e os presentes de aniversário e dia das crianças), mas ainda assim merece toda a atenção possível para ter uma qualidade de vida e poder acompanhar seu dono por muitos anos.
Por mais que seja responsabilidade, cuidar de animais domésticos não é tão difícil como você pensa. Os gastos são relativamente baixos se você conseguir manter seu animal saudável. Você pode também dar qualidade de vida ao animal e ainda proporcionar felicidade, apenas com medidas simples e baratas.

Leve Seu Animal Para Acompanhamento Médico
Você vai sempre ao médico para check up? Se não vai deveria, e deve fazer o mesmo com seu pet. Os animais domésticos podem ter diversas doenças curadas ou prevenidas apenas com uma visita ao veterinário constante. Como eles costumam ser mais resistentes que os humanos, se não houver sinais clínicos, uma visita ao veterinário a cada seis três meses será o suficiente.
A visita ao veterinário pode tanto resolver problemas mais simples, como sinais clínicos de problemas estomacais, inflamações no olho e na pele, como problemas mais sérios, como identificar tumores e outras doenças que podem levar ao óbito do animal. Um dono experiente pode sim cuidar do animal e saber identificar doenças mais graves, mas nada substitui um trato médico de fato.
Dê Ao Animal Um Local Para Ele Dormir Com Conforto 
Isso evita que seu animal suba em alguns objetos e faz com que ele se sinta mais confortável. Todo mundo se sente mais em casa, mais seguro e mais tranquilo quando ganha uma cama para dormir, não é mesmo? Este é bem o caso do seu pet. Os animais com cama própria e seu cantinho com brinquedos também se sente mais seguros, por isso fogem menos.

Cuide Da Higiene Do Animal
Tudo bem, seu pet não vai tomar banho duas vezes por dia ou mais, mas ele precisa de tanto carinho e bons tratos com relação ao banho, tosa e cortar as unhas como você. Sujo, um cão, por exemplo, é bem mais propício a contrair doenças como pulgas, carrapatos, inflamações na pele e pode ficar doente seriamente. Também irá ter mau cheiro e pode se arranhar e se ferir bastante porque está sujo, coçando-se, e arranhando com unhas grandes. 
Se for um gato, os banhos podem nem existir porque este animal é auto limpante. Mas se for um cachorro, o melhor é manter os banhos semanais ou de acordo com a necessidade do animal. Se ele se sujar bastante hoje, pode precisar de um banho mais reforçado. Cada pet pede uma higienização diferente, e você deve buscar o melhor método para cada animal.

Cuide Da Alimentação Do Bichinho e Dos Horários Das Refeições
O primeiro passo é buscar a alimentação correta, seja ela natural ou uma ração. Cada animal doméstico pede um tipo de ração e de nutrição diferente de acordo com a idade. Obedeça a essa variação para garantir uma melhor nutrição do animal.
Uma alimentação regrada também é importante para certos animais. Alguns conseguem viver muito bem com uma vasilha cheia e sabem comer em horários corretos. Já outros bichos (como algumas raças de cachorro) precisam de um horário, tanto para a sua educação como para refeição.

Leve Seu Bichinho Para Passear Se For Preciso
Gatos odeiam passear, mas cachorros não conseguem viver em ambiente fechado por muito tempo sem se sentirem estressados. Por isso é importante obedecer à necessidade de cada animal e ter um tempo para ele desestressar. Uma hora de passeio com seu cachorro vai mudar bastante a qualidade de vida e evitar que ele destrua alguns objetos da casa por puro estresse. É uma ótima dica para quem ainda está aprendendo a cuidar de pets.

Eduque Seu Animal a Fazer Suas Necessidades Em Apenas Um Local
Seja ele de pequeno, médio e grande porte, e limpe o local. Além do aroma fétido causado por urina e fezes de animais, os moradores da casa podem ficar doentes e os próprios animais podem adoecer por ficar em contato constante com seus dejetos. Por isso uma limpeza a cada vez que o animal fizer suas necessidades é o indicado.

Eduque Seu Animal
Com comandos simples, mostrando onde ele deve comer, suas necessidades e como não destruir seus itens da casa. Muitos animais domésticos podem ser educados com comandos simples e você não gasta nada por isso. Também é importante para a saúde do animal, pois ele pode comer objetos errados e alimentos que não são bons para a sua nutrição.

Avalie Uma Castração
Dependendo do animal doméstico e quantos animais de rua há por perto, será a melhor pedida para você. Pode não ser saudável também para o animal excesso de gravidez, deixando o bicho doente e o processo de engordar e emagrecer. Caso você não sabia, poucas coisas podem impedir seu animal de cruzar se ele estiver no cio, em especial com gatos. Os felinos vizinhos vão dá um jeitinho de entrar na sua casa e pegar seu animal.

Identifique o Seu Animal
Na coleira, com uma joia ou com micro chip. Caso ele perca o caminho de casa ou alguém deixe a porta aberta sem querer, um possível encontro com outro adulto pode resgatar seus animais. É mais seguro e ainda garante a sua volta para casa.

Evite Deixar Seu Animal Sozinho
Se você for viajar, o melhor é deixar seu animal em um hotel ou aos cuidados de um amigo. Ele vai ficar estressado, pode derramar a sua vasilha de alimentos e se recusar a comer o produto e ainda ficar agitado e violento pelo tempo de confinamento. Também não vai ter humanos para brincar, e nem banho e tosa. Isso é crucial para raças peludas. Se o período de viagem por longo, invista em um hotel ou peça para um amigo cuidar do seu animal por um tempo.

Espero que vocês tenham gostado das dicas. Até logo!

Nossas Pesquisas: