domingo, 23 de agosto de 2020

Alô, Você!

ANO III - Edição Nº 404
Tema das Imagens - Abstração

 NOSSO LAR

Socorro Almeida 

          Não existe lugar melhor que nossa varanda. Daqui posso pintar o quadro que eu quiser, ou imaginar tudo o que eu queira que aconteça. Nos pilares que a sustentam, o vento dá tantas voltas, que só se acalma quando pousa em meu rosto. Acho até que se embriaga com o meu perfume! E você, do meu ladinho, orgulhoso e enciumado, disfarça com dificuldade pro vento não notar. Não suportaria que zombasse de você.
          De repente, num disparate inusitado, você me diz que as estrelas sumiram do céu e, ao se despedirem do infinito, pousaram em meu sorriso para iluminar nossa noite!
          Ah! O amor! É algo tão extraordinário que nos permite sonhar, extrapolar os limites de nossa imaginação, pra nada mais desejar senão a paz do nosso lar, a brisa de nossas manhãs, a negritude de nossas noites à luz dos vaga-lumes... E neste cenário, só você e eu...Ninguém mais!

Recife, 01/08/2020
ALÔ, VOCÊ?
Socorro Almeida

          Dói ver o jardim que regamos ser abandonado. O jardim que criamos em nossos corações. Pois cada flor que murcha é uma artéria que se rompe. É como o pisar sem chão, o caminhar sem direção, a religião sem fé, uma alma sem Deus. De tudo provamos, sentimos, compartilhamos, e sorríamos de tudo. Nosso horizonte tinha as cores do arco-íris e planejamos colorir nosso futuro... mas, o que havia mesmo de nosso, senão só de você? Que jardim, que direção, que horizonte, que futuro? Mas agradeço e aceito a ilusão do que fui, do que senti, e do que ainda posso ser, daqui por diante... Talvez uma joia rara a ser descoberta, um diamante bruto a ser lapidado. Só você não percebeu. Que pena!

Recife, 31/07/2020

AINDA ASSIM
Socorro Almeida

Ainda que todos os sonhos se dissipem
Que no horizonte se apague o arco-íris
Que todas as nuvens do céu se esmaeçam
E a luz do sol em toda a terra se apague;

Ainda que não se ouça o som do vento
Em súplicas e em lágrimas se afogue
E os ecos inaudíveis e sem respostas
À tua voz sejam ouvidos por onde eu ande;

Ainda que eu não mereça ser ouvida
Por teu amor e a tua palavra amiga
Um sopro de mim que ainda queiras ouvir
Em tuas mãos deponho toda minha vida!

Recife, 20/04/2020 

SOLIDÃO
Inaldo Caetano Ferreira

Às vezes penso que viver assim
De angústias e ansiedade ao querer
Me libertar da solidão
Para que a vida ou a morte de mim
Possa fazer total diferença
E tranquilizar meu coração!
Falar da morte, no entanto
Não é como falar da vida
A vida é tão rara!
A morte queima como fogo
A vida supera a dor
A morte destrói o corpo
A vida renasce em novo amor!
O arrebatamento da alma
Pelo milagre da vida...
Esse milagre em mim!
Na solidão, a descoberta
Que a vida é tão rara!
A morte, o fim de tudo
Por que então querer o fim?!

São Paulo, 15/08/2020

SEDUÇÃO
Inaldo Caetano Ferreira

Pela suave e quente areia da praia
Naquele dia típico de verão
Eu caminhava pensando em ti
E o vento soprando a meu favor
Acalmava no meu peito a paixão.

Tanto que pedi às ondas do mar
Que por total cumplicidade
Abrandassem a dor da minha saudade
Que me deixa louco, a delirar!

E a natureza, louca como é
Sem remorsos e sem medo
Vem mostrar que nunca é demais
Amar com loucura uma mulher
Dona de um corpo sedutor
Rainha absoluta dos meus segredos!

São Paulo, 12/08/2029

PROSA POÉTICA A DOIS
Elisabete Leite

          Caminhando tranquila pela praia, ainda deserta, fico a imaginar os nossos momentos, que não são instantes de quimeras, e nem tão pouco divagações sobre tormentos. São momentos reais a dois, porém vividos à distância, que aos poucos o alicerce vai se fortalecendo por meio da força do amor e pelos voos em minha imaginação. Momentos de um amor em processo de construção, que vai crescendo a todo instante.
          Sinto meus pés firmes e aquecidos pela areia quente e macia desse adorável mar; e fico a contemplar duas nuvens no céu que parecem bailar e um sol brilhante que para mim sorrir. Procuro escutar o som das ondas que quebram à beira-mar, como também a voz do vento que chega assobiando bem devagar, trazendo com ele uma brisa suave que massageia minha pele e beija minha face, fazendo lágrimas rolarem de satisfação e felicidade. Até escuto o gorjear das aves que querem me contar algum segredo, elas trazem em suas potentes asas a esperança de renovação, a certeza de um breve encontro.              Elas me dizem que nada é ilusão, mas tudo está em perfeita harmonia e formação...
Vejo-te, como miragem, correndo em minha direção, de braços abertos para me acalentar. Assim, apresso meus passos para te encontrar. Saudando-te com um ardente beijo e um longo abraço, enquanto escuto as fortes batidas do teu coração, em cadência com o meu suspiro de emoção.
          Perco a noção do tempo, já não sei mais o que é imaginação ou realidade, somente esse momento me interessa, pois me sinto completa dentro dos teus braços.
          Acordo daquele instante de êxtase sentindo um suave toque em meu rosto, abro meus olhos, e vejo-te diante de mim, exclamando baixinho, somente para eu poder ouvir: amo-te, minha linda menina!
          Permaneço sorrindo... tudo é a mais pura realidade! Então, rapidinho respondo: também te amo, com muito carinho, respeito, confiança e liberdade!

NUVEM PASSAGEIRA
Elisabete Leite

Você chegou como árvore sementeira
Lançou à terra boa quantidade de sementes
Porém, como uma nuvem passageira
Não deu carinho, e nem atenção suficiente...

As sementes adormeceram por inanição
Sem água, elemento indispensável à vida
Como predador deixou rastro de destruição
A terra padeceu por ter sido esquecida...

Entretanto a terra retirou do seu interior
Autoajuda para não se sentir perdida
Recebeu de outros nutrientes doses de calor...

Assim, as sementes antes adormecidas
Brotaram pela força edificante do amor
E a terra reviveu por ter sido acolhida.

DORES DO AMOR
Elisabete Leite

Folhas mortas voando pelo chão
É o vento que traz total desamor
O coração partido de desilusão,
O tempo carrega seu esplendor...

Sentimento que deixa decepção,
E esconde o desabrochar da flor
Até o nascer do broto na estação
Só resta uma vida inteira de dor...

Tristezas comprimem o coração
A incerteza retira da vida, o sabor
Deixando sem briós, só comoção...

Tudo fica sem brilho, sem o calor
A alma, vazia, perde a sensação,
São dores da vida, dores do amor.

Imagens: Pixabay



10 comentários:

  1. Hoje no Blog o amor está no ar! Sentimento mostrado e versejando de diferentes maneiras poéticas, um grande encontro de poetas regado ao mais genuíno dos sentires, dos olhares e sensações.
    Vou procurar comentar no coletivo, porque o momento de amar precisa ser visto na totalidade de fato. Com todo romantismo e leveza dos belíssimos poemas da grande poeta e amiga Socorro Almeida, e como também no sentimentalismo à flor da pele expressado nos lindíssimos poemas do amigo poeta Inaldo Caetano. Se vamos poetizar o amor também se faz necessário falar da dor, da perda e da nostalgia e tantas outras sensações.
    Minha arte traz o olhar da descoberta da paixão, da dor da perda, da decepção na ação, sem perder o brilho do amor.
    Porque como dizia nosso saudoso amigo Violeiro Mineiro Capiau: "Quem encontrou o amor, provou da dor". Citação muito bem colocada na página de hoje.
    As ilustrações estão impecáveis bem pertinentes à temática abordada ao longo de toda página.
    O querido poeta, Jorge Leite, foi muito feliz nas escolhas da imagens. Deixando a arte final um deslumbre.
    Parabéns a todos que hoje estão desfilando por aqui com suas maravilhosas artes.
    Aplausos mil pela excelente partilha 👏👏👏👏👏.
    Obrigada aos poetas, como também pelo carinho dos visitantes e leitores.
    Um ótimo domingo a todos! Um abraço acolhedor no coração de cada um 🤗❤️💙.
    Uau, que show de página todos os poemas e crônicas, dos diferentes poetas, estão em total sintonia!
    Bravo!!!

    ResponderExcluir
  2. Magnífica página do Blog Maçayó! Um domingo recheado de muita emoção, nesse encontro de grandes poetas. Também vou comentar como a minha amiga Bete comentou, de modo geral, sem definir o que é mais belo ou sentido, porque todos são artes genuínas. Os poemas são belíssimos cada um com o olhar poético de seus respectivos autores.
    As ilustrações são maravilhosas e estão Embelezando ainda mais a página do Blog.
    Parabéns a todos os poetas de hoje. É muitas saudades de cada um.
    Bom Domingo para vocês!
    Da sempre amiga Betânia.

    ResponderExcluir
  3. O Blog maçayó de hoje se superou.
    Postagens de fundamento, belos trabalhos, requinte de imagens e um primor de edição.
    Parabéns poetisa Elisabete Leite e demais poetas.
    Aplaudindo em pé o trabalho de vocês!
    Abraços...

    ResponderExcluir
  4. O amor está no ar, como disse a nossa querida Elisabete. Então, não há espaço para a dor, saudade, angústias... A sensibilidade da nossa joia rara, Socorro Almeida, nos leva ao mais alto patamar do mundo poético.
    Quanto ao Inaldo Ferreira, mostrou sentimentos que brotam do seu mais íntimo "EU !
    Elisabete narrou com suavidade a beleza da natureza, mostrando seu talento, já reconhecido e consagrado no mundo da literatura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela ilustre visita amiga e carinhoso comentário. Um boa tarde e gratidão pela atenção de sempre.
      O Blog também agradece.
      Abraços

      Excluir
  5. Olha eu aqui de novo, emocionada e feliz por compartilhar, mais uma vez, com esse maravilhoso cantinho do amor. Os poemas do poeta Inaldo Ferreira, fazem a gente sentir que poesia é o arrebatamento da alma, da paixão, e do amor.
    Minha querida Elisabete é o AMOR em pessoa, sabe como ninguém, mostrar seu coração cheio de carinho e atenção com a gente. Mais uma vez, me reporto a essa criatura com o maior respeito e consideração que ela merece.
    Muito obrigada e parabéns pelo maravilhoso trabalho e por todo o conteúdo.

    ResponderExcluir
  6. Mais uma maravilha postada nesse encanto de blog. Tantos os poemas de Socorro, quanto os de Elisabete e Inaldo.
    Faço minhas as palavras de todos. Tudo naravilhosamente encantador!
    Parabéns à todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela ilustre visita e gentil comentário. Um boa tarde e gratidão pela atenção de sempre.
      Boa tarde!

      Excluir
  7. É gratificante pra mim dar a minha opinião sobre o trabalho de vocês, que eu considero de uma beleza rara.
    Os poemas de Socorro me fazem lembrar o atual momento da minha vida, o NOSSO LAR é um exemplo do que estou sentindo e vivendo.
    Parabéns a Elisabete por seu texto PROSA POÉTICA A DOIS. Penetrei nessa paisagem, de mãos dadas com minha amada e vivi igual emoção.
    O blog está perfeito em todo o seu conteúdo.
    Parabéns a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada poeta Inaldo pela sua atenção e parabéns pela sua belíssima arte.
      Boa Noite!

      Excluir