domingo, 25 de abril de 2021

Chuvas de Poesias

 EDIÇÃO Nº 440

  ENCONTRO DE POETAS

A minha chuva

É cheia de MUITO amor
É feita para TODOS amar
É repleta de MUITA bênção
É contemplada COM  calor

A minha CHUVA é assim
O sol LOGO se esconde
Os PÁSSAROS se alegram
E COMEÇAM a cantar

Assim é a NOSSA  chuva
Recheada de SAUDADE
E regada COM poesia
Onde TUDO  é alegria

O bem-te-vi BEM ali
E o arco-íris LÁ no céu
E nós DOIS abraçados
No BARQUINHO de papel

Dueto:
Emiliano de Melo
Rita de Cassia Soares

CLIMA DE CHUVA

Vejo a chuva cair devagar
Logo lembro você aqui
Aquecendo todo meu corpo
Beijando com fúria minha boca

E os sussurros ao pé do ouvido
Deixando-me louca, enfurecida
Não apenas porque és bonito
Tudo porque estás ao meu lado.

É tarde e a chuva continua
E eu em teus braços ainda nua
Sentindo aquele prazer
Que satisfaz a mim e você.

Rita de Cassia Soares
Pirpirituba Paraíba Brasil
19/04/2021


Índio

A guerra nunca acabou,
Ninguém nunca cedeu,
Enquanto finjo que tudo está em paz,
No Brasil, mais um Índio faleceu.

O filho mais puro pede socorro,
A terra é parte dele, e a ela, ele pertence,
O que a cobiça almeja, o seu coração não sente,
Mas a certeza de um novo conflito é sempre permanente.

Meu Deus, quando isso vai acabar?
Quando nosso índio vai poder finalmente descansar de tanta luta,
De tanta incerteza,
De tanta insegurança,
De tanta negação,
De tanto preconceito,
De tanto MASSACRE?

Não só do corpo, mas também da alma.
Que já sofreu tanto
Na cana, no ouro, no café e na borracha,
E que hoje ainda sofre com decretos de uma política CANALHA.

Carlos Gutemberg
19/04/2021
 

FILHO DO SERTÃO

Não sou estudado
Mas tenho educação
Faço verso engraçado
Com amor e inspiração
Moleque criado no mato
Sou filho de Maria e João

Meus pais são agricultores
Filhos legítimos do sertão
Sou menino criado na roça
Comendo cabeça de camarão
No jantar pirão de mandioca
No almoço mandioca e pirão.

             Baltazar Filho
      30 de setembro de 1989
 

EU FÊNIX

Entre murmúrios e gritos
Encontrei-te na imensidão
Dos nossos desejos
Ah! Viajo no tempo,
Pergunto ao vento
O momento dos beijos...
Sentimento calórico
Olho no olho e toque no rosto
Cheiro forte de suor no corpo
Desejo infinito quanto o céu
E como a areia fina do mar...
Transfigurar-me-ei em teu olhar
Um encontro casual, entrega fatal
Nossos corpos ardentes
Eu Fênix em chamas
Na hora do renascimento...
Em pleno ato de pureza
De um amor só nosso
Tão verdadeiro e por inteiro,
Como progressão geométrica
Crescente a todo instante...
Mesmo distante
Inerte quando te vejo
Na volúpia dos nossos momentos
Com veemência e beijos.

Elisabete Leite

LEITURA DE DOMINGO
 
 
 ROMANCE PRIMAVERIL

          Era Primavera, a estação das flores, dos amores, da fragrância das gardênias pelo ar. Era momento de elegância, de sensibilidade, como o desabrochar de uma flor ou o gorjeiar de um pássaro a voar. Elisa era uma jovem sonhadora que vivia suspirando pelos quatro cantos da casa, ainda alimentava um amor do passado, um sentimento que havia se perdido ao longo do tempo, mas que ela insistia em encontrar...  Uma garota que precisou deixar a sua terra natal, ainda adolescente, para dá continuidade aos estudos. Até o término do Ensino Médio ela morava com seus pais em um pequeno vilarejo do Nordeste, lá onde o vento fazia a curva , local onde os seus avós continuam morando. Elisa era apaixonada pela natureza, ela passava horas recordando o momento que conhecera Eugênio. Precisamente, o seu primeiro encontro com o garoto, o dia em que eles se conheceram e se apaixonaram. Elisa olhou para um canto qualquer do quarto, e retrocedeu no tempo...   
           Há anos atrás, ela foi passar um final de semana com seus avós maternos na sua cidade de origem... Durante toda viagem, a garota olhava o deslumbrante cenário pela janela do trem, seus olhos percorriam do verdejante campo até os altos montes, as brancas nuvens viajavam ao léu e destacavam-se no azul do céu; por lá o aroma era de poeira, mato e terra molhada. De repente, a  menina avistou o pequeno vilarejo onde nascera. Seus olhos brilhantes se encheram de lágrimas, pois ela tinha saudade dos seus avós. Logo, ela viu o avô encostado à velha marquise de um armazém, era a última estação e retorno do trem. De repente, algo chamou a sua atenção, um jovem rapaz em cima do telhado de uma das casas, salpicava um beijo para ela, a garota retribuiu com um suave sorriso e logo depois, a cena sumiu de seu quadrante de visão. Pela janela ela acenou para o velho José, seu adorável avô, que retribuiu com um largo sorriso estampado no rosto. O trem deu um apito longo e estacionou bem em frente ao avô da garota, que correu ao seu encontro.
          A jovem Elisa desceu apressada do trem, abraçou o avô, e foi logo perguntando pela sua avó:  
          - Que saudade, vovô José! Sinto muito a falta de vocês, que às vezes chego a chorar de tanta emoção. Vovozinho, como vai à vovó Laura?
          Seu velho avô passou os dedos na alva cabeleira, e respondeu-lhe:
          - A sua avó ficou preparando sua sobremesa preferida, um bolo de cenoura com calda de chocolate.
          - Uau vovô, que delícia! Respondeu-lhe Elisa.
          Os dois saíram abraçados em direção ao vilarejo principal. Chegando ao destino, a garota aproveitou o momento em família, e logo depois foi descansar um pouco... já era final de tarde quando Dona Laura entrou no quarto, que a garota descansava, e quebrou o silêncio:
          - Elisa, vá se arrumar que vamos para uma quermesse na Praça do coreto.
          A garota olhou para sua avó, e respondeu-lhe:
           Ah, que saudade das quermesses! Pois vamos, quero matar muitas saudades.
           Era noite quando elas chegaram ao local do evento. Todo cenário estava enfeitado e iluminado. Muitas barraquinhas coloridas com as principais e tradicionais comidas, e jogos de diferentes modalidades. Uma barraca, em especial, chamou a atenção de Elisa, a barraca do beijo, e para sua surpresa quem estava no comando era o jovem que havia salpicado um beijo para ela, pela manhã em sua chegada. A garota vacilou, mas se aproximou em seguida. Sabe-se que (barraca do beijo é uma atração festiva onde a pessoa que comanda a barraca beija quem ali vem por dinheiro, frequentemente para levantar recursos para uma entidade religiosa da comunidade, ou ainda por caridade). Elisa colocou algumas moedas na caixinha de coleta e fechou os olhos esperando seu beijo no rosto, porém Eugênio beijou suavemente os lábios da jovem que desabou de tanta emoção. Logo depois, ele disse-lhe:
          - Oi, menina linda! Sou Eugênio. Nunca te vi por aqui!
          Elisa enxugou uma lágrima que rolava em sua face rosada, e respondeu-lhe:
          - Olá, sou Elisa! Estou passando um final de semana com meus avós. Mas, já morei nesse vilarejo.
          Eugênio deixou outra pessoa cuidando da barraca e foi passear com Elisa. Eles passearam e ficaram juntos durante toda a quermesse, como também o final de semana. Assim, eles se apaixonaram de imediato. Um amor à primeira vista. Ficaram se comunicando por meses, mas depois as mensagens pararam. E Elisa nunca mais o esqueceu. Ela voltou ao seu ritmo normal, porém sempre viajava no tempo à procura de seu grande amor.
          Um certo dia, Elisa chegou mais cedo da faculdade e ficou surpresa quando sua mãe falou que um certo Eugênio estivera à procura dela, e prometeu que voltaria logo mais à noite... já era noite quando Eugênio voltou para falar com Elisa. A mãe da garota foi até os aposentos da filha e disse-lhe que Eugênio a esperava na sala. A jovem Elisa tremia da cabeça aos pés quando ficou cara a cara com o único amor da sua vida. Ele se aproximou de Elisa, pegou sua mão, e disse-lhe:
          - Elisa, não adianta reconstruir o passado. Vamos viver o presente e construir um futuro juntos. Você quer casar comigo? Porque eu nunca deixei de te amar.
          A garota olhou bem dentro dos olhos do rapaz, e respondeu-lhe:
          - Eugênio, eu te amo! Claro, que quero casar contigo.
           O rapaz beijou-a intensamente e foram construir uma vida juntos.
          O tempo passou rápido... Elisa e Eugênio se casaram, tiveram filhos e foram muito felizes.
          Uma história com final feliz! O verdadeiro amor não se perde no tempo, pelo contrário, se fortalece ao longo do tempo.

           Elisabete Leite
 
 
SANGRENTO CANGAÇO

Cangaceiro justiceiro, defensor das leis do cangaço no Sertão.
A sua palavra era um tiro, escrevia com sangue no papel.
Chamava-se "Virgulino", sobrenome "Ferreira", o vulgo Lampião.
Cumprimentava com a aba do chapéu, mirava com um olho só, atirava até em Coronel.

Perseguido pelos macacos do governo por todo Sertão.
Seu bando não tinha paradeiro, mas o alvo era lampião.
Sempre ameaçados por tocaias no mato armadas.
Caindo na mira de Virgulino, a alma estava encomenda.

Tinha na sua companhia uma formosura de mulher.
Maria era formosa e bonita, fiel ao seu grande amor.
Bem afeiçoada, dançava um forró, até doer o solado do pé.
Nordestina de sangue no olho, mulher macho sim senhor!

Lampião pelo coronelismo sertanejo era respeitado.
Mas pelos macacos do governo, perseguido e sentenciado.
Seu bando foi covardemente rendido e todos degolados.
Expostos na frente da igreja, registrando na história, o fim do cangaço.

                Baltazar Filho
           21 de abril de 2015


DEIXOU-ME FEITO UM PIÃO

Estou procurando por você
És Lua que me alumia
Corre aqui chega me ver
Flor do meu bem querer

No seu colo me desmancho
Deslumbro-me em seu sorriso
Porque és o meu encanto
Meu jardim mais colorido

A namoradinha preferida
Apossou-se de minha vida
Amarrou-me feito um pião

Aprisionado e de castigo
Nos seus braços amarrado,
Trancado em seu coração.

                 Baltazar Filho
           12 de junho de 1990


UM SONETO IMPROVISADO

O sol resplandece brilhante no céu
Pensamentos buscam o seu olhar
Nuvens vagam fascinantes ao léu
Dúvidas influenciam o meu pensar...

As horas demoram uma eternidade
O coração bate em ritmo acelerado
Ah, minha vida padece de saudade!
Meu corpo em pedaços, dilacerado...

A tristeza rouba a minha liberdade
Lágrimas deixam o rosto ensombreado
O inane d'alma leva minha felicidade...

Enquanto o mundo continua esmerado
Já os versos têm várias sonoridades
Nesse nostálgico soneto improvisado.

Elisabete Leite


RONDEL
MÁGICO DA VIDA

Ah, como eu queria ser um mágico!
Para poder colorir esse momento
Deixar tudo novo e muito prático,
Fazer florescer bons sentimentos...

Iria minimizar tristezas do trágico,
Deixar o povo feliz, sem sofrimento
Ah, como eu queria ser um mágico!
Para poder colorir esse momento...

Mudaria quase tudo, mais o básico
Acabaria com todo esse tormento
Faria um novo modelo de gráfico,
Mudanças seriam os ensinamentos
Ah, como eu queria ser um mágico!

Elisabete Leite

 CONHECER
 
 INTRODUÇÃO À GEOMETRIA SAGRADA _ parte V- final

Triângulos retos perfeitos

Os triângulos 3/4/5, 5/12/13 e 7/24/25 são exemplos de triângulos retângulos cujos lados são números inteiros.

O triângulo 3/4/5 está contido na chamada “Câmara do Rei” da Grande Pirâmide, junto com os triângulos 2/3 / root5 e 5 / root5 / 2root5, utilizando as várias diagonais e lados.

Os sólidos platônicos

Os 5 sólidos platônicos (Tetraedro, Cubo (ou Hexaedro), Octaedro, Dodecaedro e Icosaedro) são modelos primários e ideais de padrões de cristal que ocorrem em todo o mundo dos minerais em inúmeras variações. Esses são os únicos cinco poliedros regulares, ou seja, os únicos cinco sólidos feitos dos mesmos polígonos equiláteros e equiangulares.

Para os gregos, esses sólidos simbolizavam OS CINCO ELEMENTOS BÁSICOS, fogo, terra, ar, espírito (ou Aether, a fonte dos demais) e água, respectivamente. O cubo e o octaedro são duais, o que significa que um pode ser criado conectando os pontos médios das faces do outro. O icosaedro e o dodecaedro também são duais um do outro, e três mutuamente perpendiculares, retângulos dourados que se dividem mutuamente podem ser desenhados conectando seus vértices e pontos médios, respectivamente. O tetraedro é dual consigo mesmo.

Cubo de Metatron

 O Cubo de Metatron

Na geometria sagrada, o arcanjo Metatron regula o fluxo de energia Divina na forma de um cubo místico, conhecido como o Cubo de Metatron, que contém todas as formas geométricas da criação e representa os padrões que compõem tudo que EXISTE.

O Cubo de Metatron contém imagens bidimensionais dos sólidos platônicos [acima] e muitas outras formas primitivas.

A Flor da Vida

Ela é o padrão geométrico da criação e da vida, em todo lugar.  Na verdade, não há nenhum conhecimento, absolutamente nenhum conhecimento no Universo que não esteja contido neste padrão da Flor da Vida. Diz-se que grandes mestres concordaram em mais uma vez revelar esta antiga sabedoria, conhecida como a Flor da Vida. Ela é um código secreto usado por muitas raças avançadas e por navegantes espaciais. O código da Flor da Vida contém toda a sabedoria similar ao código genético contido em nosso DNA.

Esse código genético vai além das formas comuns de ensinamento e se encontra por trás de toda a estrutura da própria realidade universal. Todos os harmônicos da luz, do som e da música se encontram nessa estrutura geométrica, que existe como um padrão holográfico, definindo a forma tanto dos átomos como das galáxias.

A Flor da Vida

O símbolo da Flor da Vida se encontra inscrito nos tetos do Templo de Osíris, em Abidos, no Egito. Sabemos hoje que o símbolo da Flor da Vida também foi encontrado em Massada (Israel), no Monte Sinai, no Japão, China, Índia, Espanha, entre muitos outros lugares.

Escrito por Bruce Rawles, sacred-geometry.com – Autor do livro de fontes de design de geometria sagrada

 


“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem”.  –  Mateus 7:13,14

“Quem anda com os sábios será sábio; mas o companheiro dos tolos sofre MUITA aflição”–  Provérbios 13, 20



Imagens- Pixabay_Google

 

39 comentários:

  1. Hoje, o blog Maçayó, começa com muito romantismo no ar; com um toque peculiar de sentimentalismo à flor da pele regado a fortes emoções. Uma página que apresenta riqueza poética de conteúdo, como também em detalhamento, organização e ilustração final. Os queridíssimos poetas Rita de Cássia e Emiliano de Melo compartilham um dueto inspirador com sentimento genuíno, o amor, que eles sabem definir tão bem, os magníficos poemas apresentam leveza de expressão em versos brilhantes. Parabéns amigos poetas Rita e Emiliano! Já o nobre poeta Carlos Gutemberg faz uma belíssima homenagem ao nosso índio, em versos encantadores, um poema de emocionar. O Dia do Índio é celebrado anualmente em 19 de abril no Brasil. A escolha da data recorda a realização do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, que ocorreu em 19 de abril de 1940 em Patzcuaro, México. Parabéns poeta Carlos Gutemberg, pela excelente homenagem! Ainda nessa seção temos um show com um lindíssimo poema do grande poeta Baltazar Filho. Parabéns, poeta Baltazar!
    Finalizando o Encontro de Poetas eu trago para o deleite de todos um poema mais picante "EU FÊNIX". Só espero que vocês gostem.
    Na Leitura de Domingo trago um Conto recheado de romantismo com um final feliz, estilo telenovelas, e outros lindos e expressivos poemas meus e do poeta Baltazar para embelezar ainda mais o grande momento do Blog de hoje. Na seção CONHECER temos a Introdução à Geometria Sagrada - Parte V e Final, um artigo cheio de ensinamentos e várias descobertas.
    Tudo nessa página de hoje respira POESIA da mais alta qualidade.
    O Blog agradece a participação e presença de todos.
    As ilustrações estão impecáveis, e muito emocionantes, com uma magnífica arte final elaborada pelo grande e sábio poeta meu irmão Jorge Leite. Parabéns!
    Aplausos mil para esse domingo maravilhoso em nosso Cantinho do Saber, em companhia dos meus agradáveis amigos e amigas.
    Obrigada pelo carinho de todos, como também dos visitantes e leitores. Quero aproveitar e desejar a vocês um suave e abençoado
    domingo, gente linda, com muita Serenidade e Paz!
    Um abraço acolhedor no coração de cada um 🤗❤️💙. Uma ótima semana e até a próxima edição.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:46

      Obrigada amiga poetisa e contista Elisabete Leite pelo seu comentário que vem abrilhantar o blog Macayo, dando ênfase em cada contexto que os potas expressam.
      Obrigada, que Deus ilumine seus caminhos sempre.

      Excluir
    2. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:48

      Corringindo:
      *que os poetas expressam*

      Excluir
  2. Elizabete Leite, obrigado pelas palavras. Realmente um domingo com poesias marcantes e cheias de intensidade. Parabéns a todos!

    Carlos Gutemberg Jr.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Gutemberg Junior25 de abril de 2021 09:08

    Elizabete Leite, obrigado pelas palavras. Realmente,um domingo com poesias marcantes e cheias de intensidade. Parabéns a todos!

    Carlos Gutemberg Jr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:39

      Grande poeta Carlos enveredando nos caminhos da poesia. Parabéns!

      Excluir
  4. Macayo bom dia!
    Passando para abraçar a todos, mas só farei meu comentário logo mais, é que li quatro trabalhos esplêndidos e um destaca-se muito intrínseco e categórico. Farei meus comentários com calma, na volta do meu compromisso.

    Um grande beijo em todos, o Macayo está grandioso e implacável. Elisabete, Rita, Jorge, Emiliano, Gutemberg, recebam os meus aplausos, trabalhos mirabolantes de refrescar intelectualmente os versos da nossa memória.

    Grande abraço em todos!

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:37

      Meu amigo gratidão pelas palavras direcionadas. Tenho um conhecimento dos trabalhos poéticos desde da época da "Toca do Poeta" de autoria da nossa nobre amiga e poetisa Marisa Alverga, onde nossas poesias eram publicadas, a Toca não existe mais,apenas boas recordações, então existe o blog Macayo para motivar nossa inspiração.

      Excluir
    2. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 15:03

      Corringindo tenho conhecimentos.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:30

      Muito grata professor MARCIANO Dantas. Sempre presente no blog.

      Excluir
  6. Amei o cantinho da leitura com esse cangaço, forte e sangrento, esse pião rodou viu. O romance Primaveril vou ler com tranquilidade logo mais. Eita que hoje tá pipocando!




    Beijos
    Baltazar

    ResponderExcluir
  7. Bom domingo, pessoal! Gente, pelo amor de Deus, hoje, o Blog está pegando fogo. Um grande desfile poético, como diz a nossa querida amiga Bete. Uma enorme variedades em temas, muitas poesias de particularidades de cada poeta. Isso faz a diferença no Blog Maçayó diversificação, inovação e autenticidade. Fiquei enamorada com o conto ROMANCE PRIMAVERIL, um grade momento literário. Amei! Não irei me posicionar quanto aos poemas, porque todos são lindos e inspirados. Parabéns para cada um. As imagens estão perfeitas e bem do estilo do poeta Jorge, que traz poesias nas ilustrações. Parabéns mais uma vez!
    Muita sabedoria no artigo.
    Abraços é saudades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigindo: grande...

      Excluir
    2. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:28

      Betânia sua palavras sao enaltecedoras. Gratidão querida.

      Excluir
  8. Josenilson Rodrigues25 de abril de 2021 11:51

    Amei os poemas de hoje. Cada um lindo. Parabéns a todos.

    Josenilson Rodrigues

    Pirpirituba Paraíba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:26

      Meu grande amigo Josenilson obrigada. Deus lhe abençoe sempre.

      Excluir
  9. Boa tarde!
    Sou seguidor da poetisa Elisabete Leite, Avesso Poético, no instagram e entrei pelo link. Parabéns para todos os poetas, estão lindos os poemas é o conto. Gostei muito do Blog.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:25

      Obrigada Sérgio pela visita e pelo comentário. Bem vindo!

      Excluir
  10. Rita de Cassia Soares25 de abril de 2021 14:22

    Boa tarde poetas colaboradores, visitantes e comentaristas do blog Macayo, um espaço vasto de conhecimento s,contos e belas poesias, onde podemos expressar nossa arte e nossos sentimentos, cada um com seu gênero, aquela diversidade que faz o coração vibrar de emoção ou seja emoções, posso sentir no conto da nobre poetisa Elisabete Leite "Romance Primaveril" sempre me vejo, até como protagonista em alguns contos já absorvidos no meu coração.
    Os poetas Emiliano de Melo, Baltazar Filho e Carlos Gutemberg e a própria Bete trazem a definição poética que são extraídas do seu interior, relevantes nas formas de escrever.
    Parabéns ao blog Macayo, parabéns ao poeta Dr. Jorge Leite por todas ilustrações na qual refere-se aos poemas. Sou muito grata por ocupar este cantinho que tanto me entalce.
    Um domingo de muita energia positiva para vercermos os percalços da vida.
    Deus abençoe todos nós.

    ResponderExcluir
  11. Olá! passando para dizer que o blog macayo é uma locomotiva poética, solta sua fumaça de poesias que anuncia sua chegada ao cumi da colina.
    Espero em Deus que nos ilumine para que possamos escrever palavras que nos suaviza a alma.

    ResponderExcluir
  12. O Macayo com mais uma edição extraordinária, Elisa com seu sonho e esse sentimento pedido, mas Eugênio vai si seu encontro do o final é esse conquistado por Elisa. um conto virtuoso, com um conteúdo riquíssimo. Parabéns exímia poeta. Continuo sendo seu fã número 1.
    E essa competência de Jorge, é impecável, vou continuar quebrando a minha cabeça nessa geometria que fortalece a leitura do Macayo.

    Um grande abraço, sempre sucesso.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  13. Voltando aqui para agradecer a cada um, pelo carinho de todos vocês, interagindo comentando e partilhando tanta arte. Gratidão pelas ilustres visitas e tantos sábios comentários, que também são genuínas artes. Fico lisonjeada em ter a honra de desfilar com tantos seletos poetas, fazedores da arte e construtores de pensamentos, pela força da sua natural inspiração, esse dom de escrever e tecer poesia. Aplausos!
    Um afago na alma de cada um. Bom Dia e uma excelente senana!
    Até o próximo domingo, com mais emoções e belas poesias!
    ❤️🍀🍂🍃🌼🌞

    ResponderExcluir
  14. Lindos, quanto orgulho meu primo Baltazar Maurício, parabénsssss 👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  15. Mais uma vez Baltazar Filho arrasando nos sentimentos, com esse jeito que lhe é peculiar, pura emoção.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  16. Gostei muito do blog poesias lindas de todos os poetas. Parabéns a todos.

    ResponderExcluir
  17. Obrigado prima, um beijão. Amei seu comentário.

    ResponderExcluir
  18. Beleza amiga e irmã verbena, estou feliz com seu comentário.

    Um beijão.

    ResponderExcluir
  19. Beijos Kelly, obrigado querida prima amei seu comentário. 😘

    ResponderExcluir
  20. Olá, boa noite!
    Passando para mais uma vez parabenizar o Blog Maçayó na pessoa do poeta Jorge Leite, bem assim os poetas e poetisas participantes desta última edição.
    Permitam-me fazer no meu Estilo Cordelista, por favor.

    No Encontro de Poetas
    Deu Chuvas de Poesias
    Com Emiliano e Rita
    A MINHA CHUVA inicia
    A Minha Chuva é assim:
    Amor pra ti e pra mim
    Onde tudo é alegria.
    .....
    CLIMA DE CHUVA irradia
    Trazendo um corpo aquecido
    Sussurros ao pé do ouvido
    Daqueles que enlouquecia.
    ÍNDIO, vem com a Guerra Fria
    Na qual indígena é o vilão.
    Cabeça de Camarão...
    Fresco, pescado na loca
    Junto ao Pirão de Mandioca
    Vêm com FILHO DO SERTÃO.
    .....
    EU FÊNIX traz sensação
    De desejos, sentimentos
    Cheiro de suor no corpo
    Nas volúpias dos momentos.
    Um amor puro e crescente
    Corpos em chamas, ardentes
    Em pleno renascimento.
    .....
    E, para deleitamento
    Com lágrima de emoção
    ROMANCE PRIMAVERIL
    Traz beijo e declaração.
    Assim, o romance diz:
    Que foi um final feliz
    Cheio de amor e paixão.
    .....
    Do Cangaceiro e o sertão
    Fala: SANGRENTO CANGAÇO
    Justiceiro, cabra macho
    Virgulino, o Lampião.
    DEIXOU-ME FEITO UM PIÃO
    Onde encontrá-la? Cadê?
    Corre aqui, venha me ver!
    Prisioneiro e sofrido...
    És meu Jardim mais florido
    És flor do meu bem querer.
    .....
    O sol a resplandecer
    Um corpo dilacerado
    Coração acelerado
    De saudade a padecer.
    Isso leva a entender:
    UM SONETO IMPROVISADO.
    Fiquei bastante encantado
    Com o RONDEL: MÁGICO DA VIDA
    Por querer ver colorida
    A vida e tudo ao seu lado.
    .....

    A Emiliano de Melo
    Meus sinceros parabéns
    Rita de Cássia é refém
    Desses aplausos sinceros
    Um parabéns paralelo,
    Eu dedico a Gutemberg.
    E a Baltazar, que consegue
    Cumprir bem o seu papel
    A Elizabete e o RONDEL
    Meu sincero aplauso segue.

    Valdemar Guedes
    Poeta Cordelista.
    Guarabira-Pb.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares27 de abril de 2021 15:43

      Nobre poeta cordelista, Valdemar Guedes, que comentário lindo!no seu estilo popular enaltacendo cada poeta no sei jeito de versejar. Fico muito grata e feliz por você fazer parte deste Bolg, sempre somando com seus conhecimentos.
      Desejo--lhe de coração muita paz e inspiração, que o Divino ilumine seus caminhos sempre.
      Gratidão por toda palavra aqui expressa.

      Excluir
    2. Carlos Gutemberg Junior27 de abril de 2021 17:03

      A arte fala por si...a arte fala da arte! Que comentário maravilhoso! Obrigado Valdemar Guedes por ser portador de uma sensibilidade ímpar, que nos faz cada vez mais amante das palavras.

      Excluir
    3. Obrigada cordelista Valdemar Guedes pelo seu maravilhoso comentário, versos que falam da arte de cada poeta com reconhecimento e fidelidade de um artista. O Blog agradece sua ilustre participação e seu gentil comentário, Eu estou lisonjeada pela sua arte em forma de cordel. Ficamos no aguardo de novos cordéis. Você é um cordelista magistral. Parabéns e gratidão sempre. Boa noite!

      Excluir
  21. Recem conhecedora desse Blog por meio de um colega e também autor e portador de lindas composições neste citado,quero daros parabéns a todos por engradecer essa arte que na simplicidade das palavras mostra a grandiosidade do sentimento puro raiz.👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O nome do colega e também autor é o Carlos Gutenberg

      Excluir
    2. Bom dia, Rizonete Alves seja muito bem-vinda! Obrigada pela visita e gentil comentário. Forte abraço! O amigo e ilustre poeta Carlos Gutemberg é sim um excelente poeta.
      Gratidão!

      Excluir
  22. Deus do céu, quanta honra! Queria ter o privilégio e o poder de tão perfeitamente assim como o meu ilustre amigo Waldemar ter esse poder de recitar.
    Um cordelista de sua estirpe é quase impossível imitar.
    Mas vou tentar te agradecer mesmo se as minhas frases não puderem rimar.
    Eu fico maravilhado ao ler seus cordéis, assim como fico em órbita ao ler os versos e contos estrondosos e intelectuais dessa poetisa e contista que considero uma sabia, ícone da literatura brasileira minha querida amiga Elisabete Leite. Elisabete sempre nos surpreende a cada domingo com o seu talento universal. Ela sabe que sou seu fã número 1.
    Os queridos poetas Emiliano e Rita são dois romancistas implacáveis, amo o talento dos dois.
    Carlos Gutemberg, chega com esse fascínio de um poeta futurista que muito sucesso está trazendo ora o Macayo.
    E você Waldemar sua competência é mesmo a coroação do cordel.

    Aplausos para todos, em fim somos prata da casa nordestina, talentos próprios cada um com a sua sina, fortes bravos, cavaleiros e damas talentosos, somos mesmo aos brilhos dos nossos olhos uma obra prima.

    Um grande abraço em todos que ilustram com prazer e honra, o Macayo.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ilustre e grande poeta Baltazar Filho, pois sua arte já está escrita nas estrelas, raízes nordestina da gema, que no Blog constantemente vem somar.
      Parabéns e gratidão pelo comentário!
      Bom dia a todos!

      Excluir
  23. Gostei raízes nordestinas, um grande abraço poeta Elizabete.🙏

    ResponderExcluir