domingo, 11 de julho de 2021

Livro de Poesias

 
 EDIÇÃO Nº 451
 
  ENCONTRO DE POETAS
 
      Luiz Menezes de Miranda, poeta baiano, coordenou o Projeto Fala Escritor/BA, foi Diretor do Círculo de Estudo Pensamento e Ação/BA - CEPA. Participante em 16 antologias. Autor do livro Cabaré. Participou do XIII Parlamento Internacional de Literatura, Cartagena de Índia/Colômbia/2015. Psicólogo de formação. Colaborador Cultural do Projeto Reviver presente no Livro Reviver Coletânea Literária/2020
 
 
 
 DIFERENTE
De: Luiz Menezes de Miranda

Quanto mais vivo a vida,
Sinto-me mais existir,
Nas coisas de Deus.

Quanto mais existo,
Sinto-me mais filho dele,
Assim sou muito mais paz

Quando mais me vejo amigo,
Sinto-me muito mais irmão.
Quando pensam na guerra,
Sinto-me muito mais amor.

Quando mais me vejo nó
Sinto-me muito mais laço.
Quando mais braços longos,
Sinto-me muito mais abraço.

Quando mais me vejo longe,
Sinto-me mais saudade
Assim, o viver faz de mim,
Ser, um ser diferente.

Sou possuidor do dom
E da capacidade inerente.
No que a vida possibilita

Meu saber viver é assim,
Transforma, reforma.
Traz proximidade
Do meu, simples ser,
Em um ser, diferente!
 
Mais Poeta
De: Luiz Menezes de Miranda

Fotografar-me,
é a forma, mas fácil
de me escrever em poema.

Na minha própria imagem,
eu consigo captar o que existe
na essência dos meus versos.

Cada flash é uma revelação,
se não pôde ser escrita,
pode fotografada.

Quando eu me fotografo,
eu me apaixono,
não só por minha imagem,
mas também pelo momento
que me inspiro.
Assim, me sinto mais poeta.

Extraída do livro REVIVER COLETÂNEA LITERÁRIA – 2020
 

 
     Cecília Cavalcante é mineira de nascença, mas foi em Natal que passou boa parte de sua vida e criou raízes. Atualmente vive na Suíça. Formada em Letras e especialista em Leitura e Literatura, tem uma vasta lista de obras revisadas em seu currículo. O fazer poético surgiu ainda na adolescência. Desde então, não parou mais. Tem vários poemas espalhados redes sociais, especialmente no perfil do Instagram @cecilianear. Tornou Colaboradora Cultural do Projeto Reviver e através da intermediação da ONG participa da Antologia Poética – Poesia Prolífica em edição pela Editora Dríade. Filha de Pai escritor cordelista, poeta traz no sangue a sensibilidade de uma poetisa nata que teve a oportunidade de exercitar a habilidade da escrita desde sempre.
 
 Clemência
De: Cecília Cavalcante

Aceite minhas generosas desculpas
Digo a mim mesma
São do fundo do meu ser
Eu só quero que você volte
De onde você nunca deveria ter saído

Você me deixou
Me largou no mar de águas vazias
E eu só queria flutuar no mar de flores
No teu jardim que sempre foi vistoso
Eu só queria atenção
Pra te ter de volta

Dá a volta, moça
Vem pra cá
Recomeça
E aceite minhas generosas desculpas.
 
Providência divina
De: Cecília Cavalcante

Tu não esperavas
Nem eu
Nem ninguém

Aliás, só o bom Deus
De tudo sempre soube
Que horas a hora tem
Que tempo que as coisas vem

Hora de criança chegar
Pra tua vida embalar
Ensinar e aprimorar

Tua hora tá chegando, criança
Para enfeitar tua mãe
Igual adereço de cabelo
Que muda o rosto
Muda a moldura e a postura

Criança vem simbora
Vem deixar tua mãe
Com mil adereços no cabelo
Ela precisa de ti
Diz o Deus que tudo sabe
Que tudo providenciou
E Ele afirmou:
Já vingou!
 

 
      Marisa Alverga Cabral, nasceu em Guarabira-PB. É formada em Letras pela UEPB. Tem oito livros publicados, e tem poesias traduzidas para o inglês, francês, espanhol, grego e chinês. Filiada à UBE. Atualmente Presidente da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina – Seccional – Guarabira – PB.
 
 
 
 
DE TUDO UM POUCO
Já vi
Justiça que não faz justiça
Polícia que não policia
Educador que não educa
Amigo que não é amigo
Governo que não governa
Legislador que não legisla
Administrador que não administra!
- Esqueci alguma coisa?
- Ah, sim!
“PODER QUE NÃO PODE...
NÃO É PODER!”

Marisa Alverga
Guarabira PB.
 
PESADELO
 
Estavas no caixão, sereno e lindo
Aureolada a fronte, o olhar incerto
Estranho leito de flores coberto
Mais parecias um anjo dormindo.
Fiquei ali o teu sono a embalar
Naquele doce “dorme-dorme, filhinho”
Eu cantava pra você, Geraldinho
Uma doce canção de ninar.
De repente, a dor, a saudade, a revolta
Esqueci a canção de ninar
Canei o amor, esqueci de rezar
E fiquei a esperar tua volta.
E me lembrei do porquê da revolta
Da minha dor e também da saudade
É que estando na eternidade
Nem mesmo Deus pode me dar você de volta!

Marisa Alverga
Guarabira PB.
 
  Cantinho da Tia Beta
 
 UM SONHO DE CRIANÇA

         
          Carlinhos era um garoto sonhador, mas muito triste. Ele vivia com sua mãe e desconhecia a identidade do pai. Eles moravam em um assentamento de SemTerra, próximo a uma cidade interiorana no Nordeste. Sua mãe andava muito doente e, infelizmente o garoto precisava trabalhar para ajudar nas despesas diárias, com alimentação e remédios para ela. Carlinhos queria ter uma vida diferente, para poder aproveitar o seu tempo de infância: Estudar, brincar, conviver com os amiguinhos, fazer tudo que uma criança na idade dele costumava fazer. Pois, para ele, ser criança era aproveitar todos os momentos inesquecíveis com muita alegria. Mas, o menino não aproveitava essa etapa tão importante da sua vida. Precisava ser um adulto em um corpo de criança.
Todas as manhãs era a mesma rotina, o garoto acordava muito cedo, quando a Lua ainda brilhava no céu, para executar seu ofício diário. Ele seguia pela entrada esburacada, em companhia das estrelas que cintilavam no céu e o luar que iluminava o seu caminho, até o local de destino. Quando o sol começava a resplandecer, ele finalmente chegava ao Posto de Gasolina onde vendia pipoca e água mineral para os clientes que iam abastecer seus carros e caminhões. Lá permanecia até o anoitecer, quando retornava para casa, com o corpo cansado, mas com o dever cumprido. Porém, antes ele passava na pequena mercearia e comprava pão e leite para levar para casa. Como qualquer outra criança, ele tinha um sonho: “Queria passar momentos felizes em um Parque de Diversão.”
          Certo dia, chovia muito naquele lugar e, o clima estava tempestuoso. Carlinhos saiu mais tarde, pois ele ficou preparando o café da mãe, e como o tempo estava escuro perdeu a noção das horas. Logo, percebeu que sua mãe ainda não havia acordado, ele levantou o lençol que dividia a sala em dois cômodos e, se aproximou dela, e disse-lhe:
          - Mãe, a senhora está bem? Por que, ainda, continua deitada? Vou buscar um pouco de café, para a senhora tomar seus remédios.
O garotinho já ia saindo, quando sua mãe disse-lhe:
          - Meu filho, não estou me sentindo muito bem! Acho melhor você não sair de casa.
         Carlinhos ficou olhando para sua mãe que permanecia deitada, em um sofá velho, sem conforto algum; ele fitou àquela senhora sofrida, e responde-lhe:
          - Mãezinha, não temos mais açúcar, pó de café e nem ração para os animais. Eu preciso vender pipoca para trazer os mantimentos que estão faltando. Eu prometo-lhe voltar mais cedo. A senhora fica descansado e não se levanta.
          O garoto trouxe um copo com café para sua mãe, e saiu em seguida. Ele tinha pura tristeza em seu olhar, pois que não queria deixar sua mãe sozinha, mas precisava. Raios riscavam o céu de um canto a outro e a lama comprometia a correria do menino, para chegar mais rápido ao local de destino. Chegando ao Posto de Gasolina, de longe ele percebeu que já havia muitas pessoas circulando por lá. Ele se aproximou de um caminhoneiro, e foi logo perguntando:
          - Senhor, quer comprar pipoca e água mineral para me ajudar?
          - Menino, você não tem idade para trabalhar! Estou sem dinheiro trocado, mas bem que eu gostaria, de um copo d’água, para aliviar minha sede, seria um oásis nesse momento. Responde-lhe
          - Eu preciso trabalhar, estou com minha mãe muito doente e, não tenho pai. Moço, não tem importância pelo dinheiro, o senhor pode aliviar sua sede; a água está bem geladinha. Disse-lhe o garoto, quase chorando.
          O homem segurou a garrafa e tomou de um gole só, e depois pegou uma pipoca e saiu comendo tranquilamente. Logo voltou, olhou fixamente para Carlinhos, colocou sua mão no bolso direito da calça e tirou uma nota de Vinte Reais, e falou:
          - Pensando bem: tome esse dinheiro! Não precisa me devolver o troco.
         Olhou firme para o garoto, e continuou falando:
         - Jovem, você gosta de Parque de Diversão? Sou dono do Parque, Criança Feliz, que fica aberto aos domingos. E como cortesia, pela sua gentileza e pureza de coração,  deixarei um ingresso com entrada franca para você e um acompanhante nesse domingo. Traga um amiguinho e venha se divertir conosco. E depois deu um ingresso ao garoto. O menino ficou emocionado e pôs-se a chorar! Carlinhos não conseguia conter suas lágrimas de emoção. Era tudo que ele mais queria, ser criança, por um dia... O garoto entrou no barraco aos gritos:
         - Mamãe, a senhora está bem?
         - Estou bem, meu querido! O que houve? Disse-lhe sua mãe.
         - Encontrei um homem que me deu um ingresso, com direito a um acompanhante, para brincar no Parque de Diversão dele. Disse-lhe sorridente.
          Sua mãe viu o sorriso estampada no rosto do filho, ela ficou surpresa, pois o garoto nunca sorria. Ela mandou ele procurar Miguel, o filho da vizinha, para acompanhá-lo...
          Chegou domingo, o dia do passeio ao Parque de Diversão. Carlinhos e Miguel saíram cedo, e a mãe de Miguel foi os acompanhando até o local do evento... Os olhos das crianças brilhavam de tanta alegria, quando eles avistaram o Parque. Os garotos ficaram paralisados em frente ao portão, fascinados pelo cenário. O silêncio foi quebrado, pela voz de um senhor, que gritava:
          - Meninos, podem entrar por aqui.
          Era o mesmo homem do Posto de Gasolina, o dono daquele Parque, que continuou falando:
         - Garotos, vou colocar uma fita amarela no braço de cada um, que dará livre acesso em tudo.
         O Parque parecia simples aos olhos de qualquer outra pessoa, mas para os meninos era um sonho de criança. Eles queriam brincar em todos os brinquedos: na Roda Gigante, no Carrossel, na Barca, no Trem Fantasma, assistir ao espetáculo da Monga (mulher que vira gorila), entre outros. Logo, pararam em frente a barraca de Tiro ao Alvo e, Carlinhos acertou um ursinho de pelúcia. Foram na Roda Gigante, no Trem Fantasma e no Carrossel, eles queriam galopar suspensos no ar, e foram ao delírio na hora da Montanha-Russa, o que importava era a diversão. E por fim, saborearam: Cachorro-quente, pipoca, sorvete e algodão doce. Os garotos se sentiram realmente crianças!
Era noite quando o dono do circo anunciou que o parque ia fechar. Logo, as luzes se apagaram e todos foram embora.
O tempo passou... Carlinhos cresceu rápido, sua mãe se recuperou da doença e eles foram felizes.

.
Elisabete Leite
 
DOCE INOCÊNCIA

Entre a realidade e a fantasia
A criança viaja pelo seu mundo
O Universo de sonhos e magia
É agradável, colorido e fecundo...

Doce inocência que tinge a vida
Onde imaginação voa no tempo
Escolhendo a sua cor preferida,
Vai colorindo o seu passatempo...

Letras se juntam e formam Amor
Uma palavra doada por gratidão,
O Branco se une ao colorido da flor
E a pureza fica dentro do coração...

Criança acredita em lendas e fadas
Até no palhaço que sorrir de alegria
A criança quer ser feliz, bem amada
Na simplicidade ela enxerga Poesia.

Elisabete Leite
 

 LEITURA DE DOMINGO
 
 Rondel
APAIXONADO PELO SAMBA
Samba suave, num compasso envolvente
A façanha de um sambista muito estiloso
Sincronismo, firmeza no corpo e na mente
Deixa o sambista vislumbrado e orgulhoso

Samba com paixão, mostra que é potente
O boêmio fica envaidecido e pomposo
Samba suave, num compasso envolvente
A façanha de um sambista muito estiloso

Livre e solto vai sambando sensualmente
Exibindo-se num samba-canção fabuloso
Nos pés, um sapateado muito inteligente
Malandramente torna-se destaque exitoso
Samba suave, num compasso envolvente.

                   Baltazar Filho
              02 de julho de 2021
 
 DORES ABAIXO DA PELE

Nem sempre nossas vestes
Nos esquentam
Nem sempre nossa alma
Nos reveste
O sangue está debaixo da pele
Mas, é ele que nos alerta
Que algo está errado
Em nossos corpos celestes
- Casacos também sentem frio!

Gabriela Mota
João Pessoa PB.
 
 TENTARAM MATAR O AMOR

Em uma sexta-feira
Tentaram matar o amor
Tudo foi feito para destruí-lo!
Porém, esqueceram que o AMOR é imortal.
E ele foi:
Ferido
Cuspido
Machucado
Furado
Negado.
O amor foi crucificado, morto e enterrado
Mas, por ser amor
Ressuscitou e vive no meio de nós
Ele vive em nós.

José Neto
Pirpirituba PB.
 

 Ninho Vazio

Como é pesado esse Ninho tão  Vazio!
Como machuca essa ausência, esse abandono...
Principalmente, porque acontece numa fase,
Em que, já velhos, vamos nos fragilizando...

Quando se é jovem e se forma uma família,
Ninguém tem tempo de pensar que vão embora...
Que filhos crescem, casam ou não, mas vão pro mundo
Cada um, sempre, procurando suas melhoras...

E nós  torcemos pra isso tudo acontecer,
Pois aprendemos  que os criamos pro mundo
Mas, à  medida que isso vai acontecendo,
Nós afundamos em sofrimento profundo...

É uma mistura de sofrimento e prazer,
Saber que estão realizados e felizes...
E nós em casa em fase de aposentados,
Com as almas cheias de lembranças e cicatrizes...

Como é cruel, ficar com o Ninho Vazio!
Principalmente, se os filhos moram distante...
Cada um deles levou pedaços de mim...
E eu fiquei como meu Ninho...um Vazio constante!

            ❤️Tásia Maria
 
 EU E VOCÊ

EU SOU o pôr do sol,
Que morre ao cair da tarde.
Nas esferas siderais.
VOCÊ É a estrela vespertina,
Que brilha e que domina
As alturas divinas.

EU SOU a imaginação tardia
Que durante todo o dia
Espera um pedido teu.
VOCÊ É o símbolo do meu pecado
Que se erguendo acanhado
Se foi e me esqueceu.

EU SOU a lágrima perdida
que na face silenciosa, desliza
E em gotas caem ao chão.
VOCÊ É o  sorriso cativante
Que embala os amantes.
Unindo num só coração.

EU SOU a nuvem que se esvoaça.
Que se eleva nas alturas
Em rumo incerto e voraz.
VOCÊ É o vento que açoita
A esperança já morta
Nos embalos,
das auras celestiais.

EU SOU...basta!
Talvez eu seja louca,
Que soluçando a esmo
Nas ânsias de uma paixão.
VOCÊ É o bálsamo das minhas dores.
E sem você meu amor.
A vida não tem razão.

Marizete Santos
 

 

38 comentários:

  1. O Blog de hoje é puro encantamento com três brilhantes estréias de emocionar qualquer leitor, que na verdade, são diferentes sensações, mas um transbordar de belos sentimentos e fortes emoções. Uma página que apresenta riqueza poética de conteúdo, como também em detalhamento, organização e ilustração final. Tudo por aqui respira POESIA da mais alta qualidade, inclusive as ilustrações que também são poesias.
    Quero começar destacando os belíssimos poemas do nobre poeta Luiz Menezes de Miranda, que estou encantada pela maneira de seu versejar e da sua gratidão a Deus em versos encantadores. Parabéns, ilustre poeta Luiz Menezes pela sua fabulosa arte! Seja bem-vindo!
    Mais uma incrível estréia da nobre poeta Cecília Cavalcante com seus adoráveis poemas, muita leveza e sensibilidade. Parabéns querida poeta, pela sua fascinante arte! Seja bem-vinda! Como também a estréia da grande poeta Marisa Alverga com seus lindíssimos e sensíveis poemas. Parabéns Marisa Alverga pela sua adorável arte! Seja bem-vinda!
    No Cantinho da Tia Beta trago para o deleite de todos um emocionante Conto, uma narrativa incrível, apropriada para todas as idades... Um Sonho de Criança que é uma história do cotidiana de vida de muitos Carlinhos por aí, onde crianças ainda precisam trabalhar, elas perdem a essência, seu momento de lazer e a magia do universo infantil. Realmente, a narrativa é forte, mas com um final feliz. As imagens poéticas completam o tema abordado que tornam o ambiente mágico, assim como o poema que define uma criança e seu olhar.
    No desfile poético de hoje me identifique bastante com todos os belíssimos poemas dos seletos poetas, e destacar apenas um, seria um pecado, pois todos os poemas são dignos de muitos aplausos. O poeta Baltazar traz um maravilhoso Rondel tecido com maestria. A poeta menina Gabriela Mota verseja com riqueza e profundidade. A jovialidade do menino poeta José Neto que se comporta como mestre em seu lindo poetizar. Já a incrível poeta Tásia chega encantando e passado seu recado com perfeição e para finalizar a nobre poeta Marizete Santos brilha bastante com seu lindo romantismo.
    Parabéns para vocês poetas pelas sensacionais poesias aqui compartilhadas nesse show de desfile poético!
    O Blog agradece pelas participações e contribuições de cada um.
    As ilustrações estão impecáveis, e muito emocionantes, com a magnífica arte final elaborada pelo grande e sábio poeta, meu irmão Jorge Leite. Com um primor de temática, a Poesia em tela.
    Aplausos mil para esse domingo maravilhoso.
    Obrigada pelo carinho de todos, como também dos visitantes e leitores.
    Quero aproveitar e desejar a todos um suave e abençoado dia.
    Um ótimo domingo para vocês, com muita Serenidade e Paz!
    Um abraço acolhedor no coração de cada um 🤗❤️💙.
    Até a próxima Edição!

    ResponderExcluir
  2. A boa leitura do domingo. Agradecemos a divulgação de trabalho de nossos Colaboradores Culturais. A edição de hoje apresenta Luiz Menezes de Miranda e Cecília Cavalcante, além de trazer belos poemas de Tásia Maria, Marizete Santos e do recém cadastrado colaborador Baltazar, que há muito enriquece o blog com seu textos. Parabéns para os nobres poetas da Organização Projeto Reviver e gratidão para Elizabete Leite, também recém
    chegada ao Reviver e responsável pela façanha que muita satisfação nos traz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão grande poeta Luiz Manoel de Freitas pela sua majestosa arte poética e belíssimas contribuições para o nosso Blog.
      Saudações poéticas!

      Excluir
  3. Mais um sensacional blog de domingo com grandes estréias, maravilhosos poemas e tudo que destaca à poesia. Belíssimo conto que retrata a história de um garoto triste que precisava trabalhar para ajudar sua mãe muito doente. Uma narrativa comovente, que mais uma vez a contista, Elisabete Leite, faz todo esforço para envolver e emocionar o público leitor, e consegue a façanha com muito brilho e talento. As imagens estão impecáveis. Quero parabenizar a cada um pelas brilhantes poesias. Como também ao amigo poeta Jorge Leite pela sua lindíssima arte final.
    Forte abraço para todos!
    Parabéns!!!
    Saudações!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga pelo seu carinho de sempre e precioso comentário. O Blog agradece pela sua constante presença.
      Beijos em seu coração.
      Obrigada pela sua amizade!
      Bom domingo!

      Excluir
  4. Oi tia Beta é Laurinha sua aluna que ama seus contos e também poesias. O blog tá lindo e seu conto é lindo e faz a gente chorar, eu mamãe e papai choramos juntos, o Carlinhos é um bom menino e precisa trabalhar ele ganhou entrada do parque, fico alegre. Papai manda eu estudar e arrumar a cama. As fotos do tio são bonitas e todas as poesias. Mamãe manda lembranças.
    Beijo tia da Laura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, princesa Laurinha! Fico feliz que vocês gostaram do conto e dos poemas de hoje. O conto foi compartilhado a pedidos de senhora Francisca. Os poemas estão deslumbrantes como tudo que é compartilhado no Blog Maçayó. Agradeça seus pais por mim e abraços para todos.
      Um domingo especial para você é família.
      Beijos de professora ❤️ com carinho,
      Tia Beta

      Excluir
  5. Bom dia, pessoal! Olha eu aqui novamente, o amigo Pedro Henrique, para prestigiar este maravilhoso Blog. Tudo muito lindo, os poemas com suas estréias e os demais poetas que desfilam com as belas poesias. Estou encantado e emocionado com o espetáculo do conto da amiga Elisabete Leite, ela que nos emociona diariamente com publicações no instagram, é por meio do link na página dela que venho comentar. Muito tenho aprendido com essa linguagem poética de vocês. Quero parabenizar ao Blog, aos poetas e a adorável Elisabete pelos seus contos e poemas. Adorei as ilustrações de poesia que são inspirações.
    Parabéns mais um a vez e sucessos ao Blog.
    Abraços
    Do amigo Pedro Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite amigo! Quero agradecer seu seu gentil comentário e ilustre visita. O Cantinho do Saber fica muito grato seu participação de todos, pois os comentários também são maravilhosas artes.
      Forte abraço!

      Excluir
  6. Boa tarde poetas! Estou radiante com a fotografia literária. Quanta honra e alegria receber os nosso queridos estreantes: Luiz Meneses, Cecília Cavalcante e a nobre escritora Marisa Alverga. Fiquei feliz com os poemas belíssimos dos três, mas faço um comentário especial pra minha mãe querida do coração Marisa Alverga, um dos grandes nomes da literatura brasileira, premiada internacionalmente. Assim como a nossa mestra Contista, escritora e poeta Elisabete Leite figura literária por quem tenho também uma especial admiração. Seus conhecimentos vai além da linha do Equador. Sou fã número um das duas.
    Num calor especial e fascinante, chegam esses poetas brilhantes com uma categoria extraordinária de extravasar os mais relevantes sentimentos, através dos seus próprios corações: Queridas Gabriela Mota, Marizete Santos, Tais Maria e os poetas sonhadores José Neto com seu romantismo e eu Baltazar apaixonado pelo samba.
    Quero destacar o poema Doce Inocência fazendo a sua junção ao conto Um Sonho de Criança dessa potência mestra da arte. Elisabete. Um liga ao outro, assim como todo bloco de hoje traz essa fantástica ligação.

    Um grande abraço em todos.

    Parabéns e nossa gratidão aos comentaristas dos nossos trabalhos.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre lisonjeada ao receber seu fabuloso comentário e agradecida pela sua amizade que vai muito além desse nosso ano terrestre. Gratidão meu irmão pelo seu carinho pelo blog e parabéns pela sua belíssima arte poética
      Forte abraço! O Blog agradece pela sua contribuição.
      Saudações poéticas!!!

      Excluir
    2. Baltazar Filho, meu estimado Bal! Que poder desfrutar de um espaço tão especial, que nos remete apenas a coisa boas, e extremamente positivas. Dadas as circunstâncias, nesse tempo tão estranho, me fez bem. Parabéns meu artista, poeta tão querido de longas datas.
      Amo-te.
      Joilma Tavares.

      Excluir
  7. Boa tarde, queridos!

    Parabéns a todos pela sensibilidade e encantamento compartilhado em versos e prosas, neste belo domingo. A cada domingo a arte exposta aqui é de arrepiar.

    Um abraço caloroso!😘😘🌻

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Maineide pelo seu carinhoso comentário é presença constante nas páginas do Blog. Nós agradecemos sua amizade e contribuição.
      Beijos poéticos!!!

      Excluir
  8. Elisabete, querida!
    Degustei cada frase poética do seu Blog e isso me deu uma sensação de "estado de graca"! E pra completar, o fechamento do seu conto me deixou com a "alma lavada", como num sonho bom!
    Parabéns, amiga! Não nos encontramos por acaso....
    BJO NO ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga poeta Tásia, pelo seu carinho e gentil comentário. Nada acontece por acaso, tudo tem uma razão de ser.
      Agradecemos pela sua contribuição, aqui no Blog Maçayó, com seus lindos poemas.
      Um afago em seu coração.

      Excluir
  9. Rita de Cassia Soares11 de julho de 2021 14:49

    Que domingo maravilhoso! Novos poetas, outros já veteranos no blog, um show de belas poesias,riquíssimas ilustrações,o sabor da poesia no coração de cada poeta ,de cada leitor.
    Parabéns a todo elenco que brilham no palco poético do blog Macayo.
    O poeta Dr. Jorge Leite inspirado nas mais diversas e belas paisagens, enriquecendo toda obra.Tia Beta com seu conto salutar que toda profundamente nossa alma e nosso coração.
    Tudo perfeito e lindo!
    Já com o olhos cheios, de pura emoção e o coração recheado de poesias, venho desejar a todos um domingo repleto de paz e do AMOR Divino.

    ResponderExcluir
  10. Rita de Cassia Soares11 de julho de 2021 14:52

    Erro na digitação: Tia Beta com seu conto salutar que vem profundamente, enriquecer nossa alma e nosso coração.

    ResponderExcluir
  11. Se pudesse ficaria lendo varas vezes e comentando múltiplas vezes, porque é uma viajem fantástica os enredos poéticos dos nossos eternos poetas, senti a falta de um poeta com seu talento, o nobre e intelectual Jorge Leite, outro artista que admiro e sou fã, pois o considero um filósofo. Cadê você meu irmão?
    Mais uma vez tiro o meu chapéu pra suas ilustrações, um verdadeiro poema plástico. Aplausos pra te meu nobre metre e um grande abraço desse amigo que mesmo conhecendo você pelas visões remotas já te admira verdadeiramente.

    Felicidades, Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde amados (as)

    Quantas diversidades poéticas neste domingo esse olhar para o nosso eu descritos nos versos dos ilustres poetas aqui hoje bem representados e o cantinho da Tia Beta com essa leitura deleite enriquecendo nossa alma,me encanta a sintonia das palavras nos poemas da querida Elizabete🥰
    Um forte abraço ❤🥰🙌

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida poeta Rizonete pelo seu carinhoso comentário, eu fico lisonjeada pela sua amizade. E nos agradecemos a sua contribuição com seus lindos poemas.
      Forte abraço!

      Excluir
  13. Josenilson Rodrigues11 de julho de 2021 16:30

    Muito lindo! Parabéns!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão pela presença constante e comentário Josenilson.
      Forte abraço!

      Excluir
  14. Viajar pela mente desses poetas nos obriga a aprender remar pelo mar da poesia. Que maravilhoso ser um marujo deste blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades meu amigo poeta Emiliano de Melo. Lindo comentário! Nós agradecemos a sua colaboração com seus maravilhosos e criativos poemas. Forte abraço

      Excluir
  15. Baltazar Filho, mais uma vez arrasando! "Apaixonado pelo samba", bem a sua cara, sempre levando o que carrega na alma. Parabéns meu irmão!

    Guarabira-PB.

    ResponderExcluir
  16. Obrigado ban, amei seu comentário. Beijão. E Joilma apagou o dela porquê?

    ResponderExcluir
  17. Um grande beijo Joilma querida. Saudades

    ResponderExcluir
  18. Mais uma edição que recebemos estreantes divinos, bem vindos!! Cada palavra é degustada com louvor pois a poesia que existe em cada poeta aqui merece ser exaltado, lindas inspirações! Uma leitura perfeita, parabéns a todos!! E sempre agradecida por participar deste canto de sabedoria com poetas incríveis. As ilustrações também estavam perfeitas, parabéns! Um beijo a todos💗 - Gabriela Mota

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho querida poeta. Beijinhos em seu lindo coração 😘❤️🌹.

      Excluir
  19. Olá, bom dia!
    Parabenizar e homenagear o Blog Maçayó e respectivos poetas e poetisas que expuseram suas poesias nesse domingo, de modo particular os estreantes Luiz Menezes, Cecília Cavalcante e Marisa Alverga. Parabéns a todos! Belíssimos poemas! Aplaudir como sempre o belo Trabalho Ilustrativo do poeta Jorge Leite, e fazer ênfase ao conto maravilhoso da poetisa Elizabete Leite. Aplausos a ambos! Bom dia a todos e até o próximo domingo se Deus Quiser!

    HOMENAGEM:
    .....
    Para o tema desse dia
    O blog foi bem discreto
    Ao ilustrar, bem aberto
    Seu “Livro de Poesias”
    .....
    Pra o leitor saborear
    Café quente bem passado
    Num clima aromatizado
    Com flores pra embelezar.
    .....
    Para fazer diferente
    Luiz Menezes Miranda
    Quanto mais na vida anda
    Sente-se mais existente.
    .....
    Diz que ao se fotografar
    Seu orgulho manifesta
    De se sentir mais poeta
    E por si se apaixonar.
    .....
    Tentando se desculpar
    Cecília pede clemência
    Um retorno de emergência
    Pra vida recomeçar
    .....
    A hora é Deus que destina
    A criança já vingou...
    Tudo providenciou...
    A Providência Divina
    .....
    De tudo um pouco já vi
    Afirma Marisa Alverga
    Poder que a si mesmo nega
    Disso eu nunca esqueci.
    .....
    PESADELO e dissabor
    Saudade, dor e revolta
    Rezei pra te ter de volta
    Mas nem Deus te retornou.
    .....
    A Tia Beta encantou
    Com UM SONHO DE CRIANÇA
    Vivi da infância, a lembrança
    Isso me emocionou.
    .....
    Se real, ou fantasia...
    Na sua DOCE INOCÊNCIA
    Para a criança, a essência
    É sorrir, ter alegria.
    .....
    Baltazar, no seu “rondel”
    Mostra PAIXÃO PELO SAMBA
    Diz que no assunto é bamba
    Pra ele eu tiro o chapéu.
    .....
    As DORES que Gabriela
    DEBAIXO DA PELE sente
    Diz: o sangue ali fluente!
    Ter algo errado com ela.
    .....
    TENTARAM MATAR O AMOR
    Mas o amor não se destrói
    É o Cristo e vive em nós
    Depois que ressuscitou.
    .....
    NINHO VAZIO que um dia
    Já tenha sido habitado...
    De certo modo é lembrado
    Revela Tásia Maria.
    .....
    Nada, entre EU E VOCÊ
    Parece que se combina
    Eis, que em tudo me dominas
    Vem, no amor, me socorrer!

    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, poeta maior! É sempre uma honra Valdemar poder receber os seus magníficos comentários que chegam em seu Cordel Encantado. O Blog, Jorge e eu ficamos agradecidos pela sua fabulosa arte, sua contribuição é muito bem-vinda e salutar para todos nós! Estou encantada com a sua participação.
      Gratidão pela sua sabedoria poética e a sua amizade.
      Parabéns pelo seu carinho de sempre.
      Abraços poéticos!

      Excluir
  20. Obrigado nobre e intelectual cordelista! Aplausos você é o grande nome do cordel. Que encantado sempre será em nossos livros
    de rimas e verso.👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽

    Um grande abraço do seu amigo Baltazar Filho.

    ResponderExcluir


  21. Joilma Tavares11 de julho de 2021 23:26
    Baltazar Filho, meu estimado Bal! Que poder desfrutar de um espaço tão especial, que nos remete apenas a coisa boas, e extremamente positivas. Dadas as circunstâncias, nesse tempo tão estranho, me fez bem. Parabéns meu artista, poeta tão querido de longas datas.
    Amo-te.
    Joilma Tavares.

    Amei seu comentário minha querida amiga! Saudades, feliz muito feliz com sua visita ao Macayo.
    Um beijão Joilma.😘

    ResponderExcluir