domingo, 29 de agosto de 2021

Um Domingo de PAZ!

 EDIÇÃO Nº 458  
 Tema  das  Imagens:  PAZ
 
  ENCONTRO  DE  POETAS
  A CHAVE FRIA

TODA pessoa, por mais discordante que seja.
Traz nas mãos.
A chave da vida.
E, por mais que te aflijam, as dificuldades...
Não apagues a luz.
Deixa que o amor resplandeça.
Lembra os desvalidos...
E sorrir com serenidade.
Sacrifica-te e compadeces dos que estão sofrendo.
Porque a felicidade na terra, depende de ti.
Ao desânimo, não te entregues
E nem a tristeza.
Sorris...
E vais a luta, com serenidade.
Eleva-te e não esqueças que a Chave vida.
Está em tuas mãos...
Toma cuidado para que não à percas!
Para que a vida fechada.
Não venhas ter.
E, então dirás sem refletir e sem ter notado:
__ Eu estou só e abandonado.
E não tenho para onde ir!
E, por mais sozinho que estiveres.
Com remorso lembrarás:
__ Onde estará minha alegria?
Meus sonhos, minha vida, minha harmonia.
Meu grande amor, onde andará?
Um instante se passou ...
E tu te lembras.
Que ainda tens,
A chave nas mãos.
Ouve, eu não peço nada!
Eu só queria...
Da tua vida ser a Chave Fria.
Que tranca a porta do teu coração.

Marizete Santos.
 
 Seguir em frente

Quando a dor te chegar, de repente,
E teu espírito estiver mais choroso,
Lembra-te que existe um Deus, misericordioso,
Que nos ajuda ajuda a seguir sempre em frente...

Quando lágrimas caírem do teu rosto,
Num desabafo de mágoas contidas,
Lembra-te, que tudo que acontece em tua vida,
Deus está no comando, sempre à gosto...

Então levanta-te e toma tua vida...
Põe nas costas, que a estrada é longa...
Mas, com Deus sempre à  frente do caminho,
Seguiremos, sempre em frente, sem delongas...

             ❤️Tásia Maria
 
 
 VERBOS

Gostaria de ouvir a voz das almas dos homens bravos
Gritando como uma criança chamando por sua mãe.
Gostaria de ver a descrição de um cego sobre suas visões
De um mundo onde a luz existe na mente de quem a descreve.
Gostaria de experimentar o sabor de uma gota d'água
Na boca de uma criatura que conseguiu
Atravessar um deserto escaldante!
Gostaria de saber o quanto um cego pagaria
De poder ver por apenas dez minutos...  
Mas acho que ele não pagaria um tostão furado
Pois voltaria à mesma sensação de perda.
Gostaria de sentir o frio do coração
De um assassino que, no calor de uma discussão
Não mede as consequências de um fim de uma vida.
Gostaria de repetir as palavras ditas com um sorriso na face
A todas as pessoas que retribuírem os sorrisos
Mas, as palavras devem ser doces e sem  desdém.
Gostaria de ter a liberdade sonhada por um liberal
Antes e depois de uma guerra que o deixou inválido
Dependendo de alguém que nunca lutou
Gostaria de voltar ao tempo que as palavras corriam ao mundo
Com um valor atribuído a alguém
Que era impulsionado a dominar as mentes
Dos ouvintes calados!

Emiliano de Melo
Guarabira 24 de março de 2020.
 
 
 DOIS CORAÇÕES

Olhei atentamente para o céu
E vi dois corações lindos!
Bem desenhados, mas postiços.
Pensei no nosso amor
No nosso compromisso
Onde o tempo esquenta
E acelera as paixões!

Que vêm juntas às nossas emoções
Regar o coração sólido
E àqueles, no céu, postiços
Cheios de amor, prazer e viço...
Assim são alimentados
Os nossos corações!

Rita de Cássia Soares
Pirpirituba 23 de agosto 2021
 
 
MINHA AMADA

Tu és como a beleza de uma flor
Ao desabrochar num amanhecer frio.
Tu és como o raiar de um sol vibrante em sua magnitude.
Tu és como uma noite de lua cheia
Em brilhos intensos, espalhando um esplendor único.
Verdadeiramente, tu és o amor da minha vida
Uma peça fundamental para meu bem físico e mental.
Tu és tudo de mais intenso e vibrante
Que um homem como eu pode querer em uma mulher.
Amada minha, seja para sempre meu bem-querer! Vamos ser um corpo único
Essa é a verdade que precisamos
Seremos como as rochas nos montes
Como a relva no vale
Como o orvalho na grama.
E assim atravessaremos o tempo
Para  sempre  enamorados.
Sempre firmes e fortes nesse propósito
Do mais sublime querer!
Te amo, amada minha!

Sol&lua
Pirpirituba PB.
 
 A INCOERÊNCIA DO POETA

Se o poeta finge uma dor que não tem
Como explicar uma lágrima descontente
Que lhe cai do rosto tão suavemente
E diz que não é por nada, nem por ninguém?...

Se o poeta finge ser o que não é
Como explicar essa coisa tão bonita
Que lhe sufoca a alma embevecida
Pela divina imagem de uma mulher?...

É nos versos que lhe cabe toda a dor
Quando ele ama, ele ama intensamente
E quando odeia, diz que é pela arte...

Só se sabe que o poeta é um sonhador
Suas dores são sentidas só  internamente
Mas seu amor é sentido por toda parte!

Socorro Almeida
 
  NÃO SOU A ÚNICA

Vejo que ao meu silêncio tudo se calou
O canto das cigarras não se ouve mais
E a noite, comovida, pediu às estrelas
Que respeitem a dor que em mim se faz.

Fingiram não perceber o gesto de piedade
Ao pranto que em meu rosto se derramava
E abandonaram o céu que se revoltava
Por eu desistir da vida e da felicidade.

Trovões no céu romperam o silêncio
E as nuvens logo acordaram os anjos
Que por serem santos me secaram o pranto
Para eu apreciar a aurora e os seus encantos.

Ao se despedirem, o céu me sorriu, enfim
E uma estrela amiga voltou pra me dizer
Que eu não sou a única que a vida fez sofrer
E me mostrou você a chorar por mim!

Socorro Almeida
 
 
 
 ARRANHA-CÉU

Raios flamejantes em um crepúsculo
Repleto de calmaria
Foi quando as mentes
Entraram em combustão
Quando os corpos sofreram
O impacto da dor e sabedoria
De estar quebrado.

Arco-íris iridescente no diurno frágil
Incapacitou a ideia
De permitir o descanso
Mas, almejava a firmeza...
Era elétrico e inesperado
E aquele momento
Não permitia a sensibilidade
Pois, acabou-se ali
O desejo de abrir o olhos
Apenas parece respirar!

Gabriela Mota
João Pessoa, 29/07/2021
 
  FUGINDO DE QUALQUER ESPELHO

Quando o amor se jogou
Pela beirada da cama
Ele imaginava estar escorrendo
Por um toque envelhecido
Mas, já tão conhecido
Por sua alma forte e entorpecente...
Bêbado de ternura...
E com um toque de filosofia
Com gosto de libertinagem
Essa era a essência de procurar
Por um sentimento que não possui
Necessidade de se abrigar.

Perdendo um mundo para salvar o outro
Ardendo em perspectivas inalcançáveis
Clamando por um convite para viver
E dessa vez poder aceitá-lo... Sonhos!

Gabriela Mota
João Pessoa, 25/07/2021
 

 LEITURA   DE  DOMINGO
 
  UM PRESENTE DO RIO
.
           Era quase noite em uma terra distante, o sol se escondia de mansinho, enquanto a lua resplandecia prateada no céu. Um jovem pescador estava sentado em uma pedra apreciando os peixes dourados que pulavam nas águas límpidas do rio, pensando na vida sofrida que levava, esperando pelo anoitecer. Ele era muito pobre e morava com sua linda e jovem esposa em uma casinha humilde dentro do coração da floresta. Costumava sempre pescar quando escurecia, pois o que vinha do rio era a sua única fonte de renda.
Observou o cenário: só calmaria! Lá nesse mundo distante tudo era magia, mas muita coisa podia acontecer... De repente, um clarão turvou os olhos do pescador, e ele percebeu que se formava uma tempestade, permaneceu quedado esperando sua sorte, quem sabe o vento forte não a levaria para longe dali, e o deixaria pescar em Paz. Foi quando ouviu um chorinho baixinho, o som foi aumentando, e logo ele avistou uma caixa de madeira boiando na beira do rio, era um caixote fundo e reforçado, sem abertura dos lados; ele se aproximou devagar e viu uma linda bebê, uma garotinha de olhos brilhantes e cabelos dourados, pequenina e frágil, de quase um aninho de idade, ela parecia assustada e faminta. Ele a segurou em seus braços e saiu correndo sem nem olhar para trás...
          O jovem pescador corria com muita cautela, pois que temia pela sobrevivência da garotinha... Horas depois, muito cansado de tanto correr, conseguiu chegar ao seu destino, e entrou em casa gritando pela esposa, que estava na cozinha preparando o jantar:
          - Rute, cadê você! Venha aqui, por favor!
          A jovem Rute correu até o esposo, e perguntou-lhe:
          - Abel, o que aconteceu? O que tem nesse caixote?
          Abel olhou fixamente para sua esposa, e respondeu-lhe:
          - Venha até aqui, e olhe com seus próprios olhos! Veja o que encontrei na beira do rio. Cuidado para não desmaiar!
          A jovem Rute se aproximou, e seus olhos não acreditaram no que viram, e falou:
          - Meu Deus, é uma bela menina! Acho que ela está faminta! Vamos alimentá-la depois pensaremos na situação.
         Rute segurou a bebê junto ao coração. A criança sentindo o calor humano encostou sua cabecinha no ombro de Rute, e adormeceu. Rute fez um leite reforçado e deu para ela ainda dormindo, e foi conversar com Abel.
          - Abel, não podemos ficar com a nenê sem saber da sua procedência.
         O pescador abraçou sua esposa, eles sofriam, porque Rute não podia ter filhos. Abel prometeu que iria procurar em cada vilarejo, e em todos os lugares pela procedência da linda menina. Se Deus deu aquele ser pequenino de presente para eles, e o presente veio do rio, eles precisavam ter certeza para depois agradecer e o acolher por completo.
          Quando amanheceu, Abel colocou os pés na estrada, e foi à procura de alguém que pudesse esclarecer a chegada daquela linda menininha na vida deles. Enquanto isso, Rute ficou cuidando da pequena como se fosse a sua própria filhinha...
         Abel percorreu os quatro cantos do mundo, parava em toda casa que encontrava e perguntava aos moradores se eles sabiam de uma criança desaparecida. Dia após dia Abel caminhou exaustivamente na esperança de encontrar alguém que resolvesse sua situação. Cansado ele se apoiou na parede de um velho casarão. Logo, um senhor idoso falou:
          - O jovem precisa de ajuda? Pode entrar para comer e beber.
        Abel olhou para o bondoso senhor e disse-lhe o motivo daquela longa caminhada. O homem falou que se chamava Davi e era um Senhor da Lei. Ele falou que daria uma certidão de nascimento para a bebê encontrada e, deixaria a guarda da garotinha para ele e sua esposa. Abel agradecido a Deus e ao senhor Davi, voltou feliz para sua família...
          Após três luas o jovem pescador chegou em casa. Ele se aproximou, e falou:
         - Rute, eu encontrei um senhor da Lei que me concedeu a certidão de nascimento da criança, e seremos seus pais para sempre. O nome da nossa filha é Cristal.
         Rute foi ao encontro do marido, eles se abraçaram e choraram de felicidade.
         O tempo passou... Já crescida, Cristal estudou, se formou, consegui um emprego e começou a ajudar os pais.
Todos foram felizes para sempre.
.
Elisabete Leite
 
 OS PENSAMENTOS VOAM
.
Ah, se os pensamentos pudessem falar! Eles contariam tantos segredos; falariam do intenso amor, da ardente paixão, das grandes emoções, dos momentos de alegria, dos instantes de tristeza, das intenções proibidas, e de tantas outras diferentes sensações; que na verdade, são os enigmas do coração, os mistérios da mente, de pensar positivo ou não...
Os pensamentos são alados, voam no tempo, atravessam fronteiras da razão, cruzam horizontes, ultrapassam limites, vencem medos, quebram paradigmas, viajam pelo passado, aterrissam no presente e sonham com o futuro. Os pensamentos migram de um canto a outro sem serem vistos, porém estão sempre presentes, vagando pelo raciocínio das pessoas...
Os pensamentos positivos buscam soluções, porque o dia a dia de cada um é construído com as cores vibrantes das emoções sentidas. Um dia cinza pode ser colorido com vários tons, vai depender da imaginação de quem o sente. Pois a vida tem a cor que se pinta. Se o dia amanhecer chuvoso e escuro, se faz necessário buscar a luz de dentro do interior,  o brilho presente na essência, e deixar resplandecer o  sol. Assim, a felicidade chega de mancinho e vai contaminando a vida. Já os pensamentos negativos devem ser banidos da mente. Convém, é relevante deixar transbordar apenas o bem que se sente.
Os pensamentos podem compactuar com o coração e deixar o amor florescer e se eternizar ao longo do tempo. Nada nem ninguém pode apagar uma imagem ou um sentimento da mente, mesmo que a página seja virada, que uma nova história seja contada, que um nome seja riscado, ou mesmo um sentimento acabado, porém no alçar dos voos do pensamento tudo pode se eternizar ou renascer.
O importante é deixar os pensamentos voarem, em total liberdade, fazendo-os reviver momentos que foram construtivos.
Porque como se diz: "Recordar é viver!". Enfim, vivemos de recordações, e os pensamentos podem viajar e fazer acordar as doces lembranças, antes adormecidas, ao longo do tempo.
Vamos dar asas aos nossos pensamentos e viver intensamente!
.
Elisabete Leite
 
 
MAIS      POESIAS
  TEMPO PARA TEMPO

Se eu pudesse falar com o tempo
Ah, eu pediria mais tempo de vida!
Diria que os segundos e minutos
São insuficientes para cada dia...
Que as horas são aladas, e voam
Que ainda tenho muito para fazer
Que meus sonhos são realizáveis
E que o sentido da vida é viver...
 
Ah, como queria falar com o tempo!
Queria dizer que a roda da vida gira,
Para isso preciso mais de tempo
Para concluir meu giro na subida...
A vida é real, e não passatempo
E situações devem ser definidas
Então, devo aproveitar meu tempo
Sem desvendar os mistérios da vida.

Elisabete Leite
 
  Parece...
Jorge Leite

Parece que o vento
Ao soprar contra,
Me encontra;
Em cada esquina da vida
Em cada mesa de um bar.
Em cada boca sofrida,
Em cada coração a sangrar.

Parece que a chuva
Ao cair das nuvens
Leva-me aos bueiros da vida
Arrasta-me às mesas de um bar
Molha cada boca sofrida
Encharca um coração a sangrar.

Parece que o Sol
Ao iluminar o dia
Mostra-me as sombras da vida
Aquece os corpos em um bar
Machuca cada boca sofrida
Queima meu coração a sangrar.

Parece que a Lua
Ao pratear a noite
Mostra-me escuridão da vida
Congela as damas de um bar
Emudece cada boca sofrida
Escurece meu coração a sangrar

Parece que o Mar
Ao quebrar na praia
Quebra o que sobrou da vida
Inunda o que sobrou do bar
Afoga cada boca sofrida
Navega em meu coração a sangrar.

Parece...

Madalena, 06 de julho de 2020
 
 
 O PONTO FINAL

Um ponto de partida
Pode ser continuado
Ou mesmo ponto final
Com formas e desmedidas.

O ponto tem significados
Que na sua interpretação
Pode ser final ou parágrafo
Dependendo da finalização.

Pode ser mesmo continuado
Afinal sempre tem um ponto
Seja de partida, ou parágrafo
Nem sempre o que tem fim é final!

               Baltazar Filho
       14 de agosto de 2021
 
 
 ÁRVORE 🌲

Através de minúsculas sementes
Tecnicamente bem tratadas
Germinam de formas diferentes
Fertilizando a terra adubada.

Seguem o processo genético
Nascem, crescem, frutificam
Geram frutos sadios, seletos.
Desenvolvem, reproduz, procriam.

Se abastecem com a chuva e o Sol
Absorvendo o calor do adubo
Espalham-se por todo solo
Envelhecem resistentes a tudo.

Deformam-se com a metamorfose
São resistentes ao devastamento
Nascem, mudam, renovam-se
Cumpre o seu estágio, fenecem e morrem!

               Baltazar Filho
       10 de agosto de 2021
 
 
 
 

 
 
 

domingo, 22 de agosto de 2021

Em um domingo de agosto

 EDIÇÃO Nº 457
 
  ENCONTRO  DE  POETAS
 
Tema das Imagens: Orquídeas
 
 

 
Jailson, mora na paraíba, é professor de língua portuguesa, formado em Letras, Ciências Contábeis e Tecnologia tem uma grande curiosidade pelo saber.
Escrever é uma prática que sempre lhe encantou desde sempre, construindo versos desconexos com o intuito de traduzir sentimentos no papel.
 
 
 
 
NOSTALGIA

Chegou embarcando, em partidas linhas dissonantes,
No entardecer de sábado, me encontrou delirante,
Sua partida precoce, inconsistente e pensante,
Aos poucos percebi, você tinha ido numa estrada cintilante.

Meu choro foi para ti, como reflexo no espelho,
Em um momento, introspectivo, vários devaneios.
Caladamente, aceitei o que sempre me ensinaram,
Foi tua hora da estrela, que toquei no assoalho.

Nas redes sociais, era só o que falava,
Sorrias e vivias, como na minha memória
E no meu coração, uma dor exaltava.

Musicadamente, me compreendias, rias,
Não nos despedimos, nos despimos, reprimimos,
Deliberadamente, apenas seguimos, e você ria.

08/07/2018
Jailson Pereira, Pirpirituba, PB.
 
 Sem teu amor

Sem teu amor...
Sou como ave que perdeu o rumo,
Por ter quebrado uma de suas asas...
Sou borboleta triste a vagar,
Sem flores, a chorar as mágoas...

Sem teu amor...
Sou beija-flor sem néctar pra sugar,
Das suas rosas quando o sol desmaia...
Sou andorinha sem as companheiras,
De seu bailado, nos jardins da praia...

Sem teu amor...
Sou como órfão triste a mendigar,
Uma família cheia de calor....
Sou vagabundo a perambular,
Sempre esmolando pelo seu amor...

            ❤Tásia Maria
 

 SEE YOU LATER, MEU AMOR

Belo moreno, de sorriso desconfiado
De corpo esguio e tão bem cuidado
Vive à espera de um beijo contido
Como o meu, há tanto tempo guardado.

Trancou o riso, fechou os lábios
Escolheu o tom "so red" do meu carmim
Para dar, num beijo, o melhor de si
Numa ânsia louca e incontrolável.

Eu, que busquei os "kisses" de outras bocas
Identifiquei o seu... incomparável!
Agora que me julgo inconstante e louca
O que fazer desse gesto imperdoável?!

Mas o tempo vai passar, eu sei que vai
Pra controlar seu gênio, ó amor sensato!
Pra me falar depois que estou perdoada
E me dizer "see you later", nunca "goodbye"!

Socorro Almeida
Recife, 16/08/2021
 
POR ESSE BEM MAIOR

Agora vou te desafiar à mesma sorte
Nas mesmas condições que te sonhei um dia
As que não se sabe se é vida ou se é morte...

Já que dizes que o futuro é teu e meu
Último bem que decidi, por amor, viver
Li nos teus olhos que não há o que é melhor
Infinitos ais que busquei sem eu querer
Ao teu querer, por esse bem maior!

Mas alguém disse: "Ao meu amor serei atento..."
Ao que me entrego de vez, sem relutância
Rendo-me ao teu encanto ou ao meu tormento
Quantas vezes for cruel essa distância!
Uma vez mais talvez, ou nunca mais
Eu hei de amar alguém, ou mesmo o quanto
Zele por ele, sem me arrepender jamais!

Socorro Almeida
Recife, 26/06/2021
 
 
 " SONHOS "

SONHE...mas, que seja de olhos abertos.
Todos nós possuímos essa capacidade de sonhar.    
É por isso que a areia nunca muda, e nunca é areduzida a pó, por mais tempo que seja batida pelas ondas do Mar.
Porém, eu prefiro sonhar com os olhos bem abertos; e ver tudo aquilo que nos cercam.
Gosto de observar com entusiasmo um lindo arco-íris.
Uma maravilhosa noite de lua cheia.
Um deslumbrante pôr de sol.
Admirar as nuvens sonolentas e verificar os pássaros à procura de seus ninhos.
O desabrochar das flores ao amanhecer.
A chuva caindo...
Você ja se perguntou o porquê, de uma chuva desabando do infinito e aos pingos caindo no chão?
Oh, Terra!
És maravilhosa demais para que  alguém consiga te decifrar.
Se acaso os seres humanos tivessem consciência da vida, enquanto vivem ...
O misterioso mundo, agradeceria.
Mesmo assim, tento me esforçar para viver conscientemente, a minha vida em todos os sentidos..
E VOCÊ?  
Experimente.
A recompensa será maravilhosa.

Marizete Santos.
 
 AÇÕES DO TEMPO

Eu queria ser a noite
Para te clarear
Eu queria ser a noite
Para te ninar
Eu queria ser a noite
Para no teu colo deitar.

Mas eu sou o dia
Vivo a te fazer calor
Um dia ensolarado
Para bronzear a tua pele
Mesmo um dia quente
Transpirando no teu corpo.

Noite e dia, agitados!
Frio e quente, acolhedores!
Calmo e calórico, calientes!
Escuro e claro, indefinidos!

               Baltazar Filho
         06 de agosto de 2021
 

   Em ti

Cheguei em ti
por vários caminhos,
percorrendo estradas
Litorais, aprendi
a evitar todas as paradas,
todos escaninhos.
Vendavais, apenas vivi
mourejando sol a sol,
todas as amadas.

Achei a ti
em vários pensamentos
afeto e razão
Estivais, atendi
todos chamamentos,
sem peso e proporção.
Carnavais, simples fruir,
brincando em si bemol,
todos divertimentos…

Minha bela encontrada,
por que de tanta demora?
Esperei por ti
somente por um vida,
inteira, não mais será partida,
não haverá partida
de onde te encontrar.

Amor de novo acreditado,
por que não vieste aos meu olhos?
Conheci a ti
na roda de outro tempo,
presente, não serás ausente,
não haverá ausência,
onde a gente for morar.

Igor Grabois
Rio de Janeiro

LIVRO DA VIDA

Sabe escrever?
Não, senhor.
Mas um rapaz tão bacana!
Fui criado na roça
Num lugar bem longe de tudo
Escola era opção de luxo
Trabalhar, uma questão de sobrevivência
Uma enxada era Meu lápis
O meu LIVRO era a palma das mãos
Minha farda foi uma calça
E uma camisa surrada.
Andava léguas descalços
Ao lado da jumenta Mariquinha
Pra buscar água na cacimba do Giriti.
Roupa nova, só no final de ano, no Natal.
Comprar e pagar foram herança do meu avô
Papai herdou e passou pra mim.
Ser cidadão comum é o meu maior tesouro.
Cresci e vivo assim nessa vida Severina!

Emiliano de Melo
Guarabira/2019.


OBSCURO

Pelo ódio que dilacera corações, o mundo vai acabar
O mar deixa de ser mar, os pássaros não gorjeiam mais
As estrelas deixam de brilhar e as nuvens de chorar
O universo pelo homem é destruído, e nós? Tão dispersos...
Nossos caminhos escassos, alheios à própria sorte
A Aids matando multidões, bombas destruindo nações
Os jovens, as drogas dominando sem compaixão
Sabemos, então, que está próximo o fim!
Nosso planeta chora plangente, ainda tão incoerente
E sorrisos nos espelhos se refletem alienados
Corações frustrados, povos esquecidos, abandonados
Ausência dos vultos do passado... metamorfoses somente
Perdidos nos corpos e nas mentes da insana humanidade.
O mundo que Deus criou perfeito ao homem, tornou-se pó
Cultivam-se as drogas ao invés das flores
Dando ao sol um brilho inconsequente!
E as noites sem luar não se refletem nos rios
Que perdem seu percurso, sem bússola, sem direção
Vulcões acordam, lavas se espalham, a se confundir com as chuvas
Só catástrofes e destruição humana...
Mas a humanidade talvez, um dia, entenda
Pela ganância sem limites, obterá a cura de sua alma, no perdão
Na misericórdia divina do Deus da Criação!

Rita de Cássia Soares
Pirpirituba/PB, 15/08/2021


LEITURA   DE  DOMINGO
 UMA LUA SEM MEL
.
Um dia, em uma manhã de inverno fria e penetrante, em uma cidade interiorana da grande São Paulo, o vento soprava com intensidade, raios riscavam o céu de um canto a outro e, o clima congelante não permitia que o jovem Miguel acordasse mais cedo, ele já estava bastante atrasado para sua viagem de Lua de Mel. O rapaz permanecia sentado na cama soltando suspiros de alegria, pois ele tinha certeza que seria feliz ao lado da mulher que tanto amava, a doce e bela Estela.
Miguel era proveniente de uma família de classe alta, único herdeiro de uma indústria automobilística que ele mesmo administrava, porém era uma rapaz honesto e bem-educado. Enquanto Estela era proveniente de uma família de classe média, a garota ainda estava se recuperando de um terrível acidente de carro que a deixou traumatizada, ela teve várias escoriações pelo corpo e um corte profundo na perna direita, porém infelizmente a sua irmã gêmea, a vaidosa Valentina, não teve a mesma sorte que ela, não conseguiu suportar a gravidade dos ferimentos e veio a falecer no mesmo local do trágico acidente. Estela e Valentina eram quase idênticas fisicamente, a única diferença entre as irmãs, era um sinal preto, de nascença, que Valentina tinha atrás da perna direita. Porém, em personalidade, elas eram bem diferentes em tudo: Estela era suave e simples por natureza, enquanto Valentina era amarga e muito vaidosa... Miguel e Estela se conheceram em uma Boate, Clube 21, eles namoraram, noivaram e se casaram em menos de um ano, estavam apaixonados. O casal tinha muitos planos, um futuro promissor.
Miguel se levantou da cama e foi terminar de arrumar suas malas. Logo, Estela entrou no quarto para apressá-lo, e disse-lhe:
         - Bom dia, meu amor! Você dormiu bem? Já estamos atrasados, eu quero chegar depressa ao campo e poder sentir o aroma inebriante de terra molhada.
        - Bom dia, minha vida! Claro que eu dormi bem, pois ao seu lado estarei sempre bem. Mas, eu ouvi você gemendo de dor! O que houve? Levantou-se várias vezes. Querida, você tem certeza que quer passar nossa Lua de Mel em um Hotel Fazenda? Você sempre teve pavor a mosquitos e tem medo de qualquer inseto.
         Miguel falou e ficou admirando a beleza exuberante da sua mulher.
         - Meu amor, você sabe muito bem que o transpasse de Valentina me deixou muito abalada; eu preciso respirar ar puro. Quero viver! Respondeu-lhe Estela.
         Miguel, se aproximou da esposa, fez um afago na face rosada da garota e a beijou suavemente...
         Miguel e Estela viajaram mesmo debaixo de muita chuva... De repente, Miguel parou seu carro em  um Posto de Gasolina, e logo foram surpreendidos por três marginais encapuzados, um deles portava um revólver calibre 38 e os outros espingardas; eles anunciaram o assalto. Os bandidos puxaram Miguel à força, o espancaram e saíram em disparada, levando o carro dele com Estela dentro. Miguel ficou desmaiado por alguns segundos e despertou em seguida. Em poucos minutos, os bandidos responsáveis pelo assalto, fizeram contato com Miguel, pois o celular tinha ficado no bolso da calça dele, os assaltantes pediram um resgate milionário em troca da vida de Estela... Depois de algumas horas, Miguel conseguiu o valor solicitado e resgatou sua esposa, sem ferimentos. Já era noite, a lua brilhava no céu, quando o casal retornou para casa da viagem, só restou uma Lua sem Mel...
         Já em casa, Miguel envolveu Estela em seus braços, e perguntou-lhe:
         - Minha vida, você está bem? Você parece triste.
         - Miguel, eu preciso falar contigo? Eu estou bem, agora! Disse-lhe a jovem.
         Estela se afasta do marido e continua falando:
         - Miguel, eu quero o divórcio! Estou pretendendo deixar o Brasil e esquecer tudo.
         - Amor, o que aconteceu? Não estou entendendo nada! Te amo! Tudo vai passar. Respondeu-lhe.
         Os dois se afastaram e a vida seguiu sem pedir licença.
         O inverno acabou e o tempo passou... Miguel e Estela oficializaram sua separação e foram viver cada um a sua vida. Mas, Miguel não conseguiu esquecer Estela, ele procurou a ex-mulher no dia da assinatura do divórcio; se aproximou dela, na intenção de reconquistá-la, mas sentiu que Estela já não era a mesma, ela parecia outra pessoa. Miguel olhou, fixamente, para a perna direita da ex-mulher e descobriu que tinha sido enganado o tempo todo. Ele deu meia volta e foi embora.
          “A dor é o preço que se paga por confiar em quem não merece.”
.
          Elisabete Leite
 
 SUA AUSÊNCIA

Agosto chega sem brilho e gosto!
Não vejo o sol que é fonte de calor
Com sua ausência, sou só desgosto
Cenário pardacento sem o seu amor...

Sem você, o meu dia é melancólico
O inane dilacera a essência da minh'alma
Meu poema se expressa nostálgico
Uma abstração que rouba a minha calma...

Não posso viver com você ausente!
Se você é a centelha que me alumia
Ah, ainda sinto o seu carinho presente!
Seu rosto é a inspiração para a minha poesia...

O paradoxo da minha alegria é sua ausência
Sinto que nossa história não está esquecida
Mas sua distância é pura divergência
Você é a razão de toda a minha vida.

Elisabete Leite

 
 CORPO

O corpo é o templo da arte...

O corpo dança,
O corpo alcança,
O corpo expressa,
O que sente a alma.

O corpo gesticula,
O corpo fala,
O corpo baila,
Através das palavras.

O corpo define,
O corpo exprime,
Quando a vida,
Se faz palco.

O corpo rola,
O corpo aquece,
O corpo carece,
De outro corpo.

O corpo, não eremita.
O corpo grita,
O corpo necessita,
De uma alma gêmea.

O corpo unido,
O corpo úmido,
O corpo emite,
Energia e suor.

Corpos unidos,
Almas regadas,
Amor floresce,
A vida vira arte.

Luiz Menezes de Miranda
Extraída do livro REVIVER COLETÂNEA LITERÁRIA – 2020.
 
 PARABÉNS, POETA!

O Domingo resplandece sorridente
Repleto de luz, harmonia e esplendor
Luiz Menezes, receba como presente
Um Feliz Aniversário bem acolhedor!

Mais um ano de vida pra agradecer
A sua amizade expressa grandeza
Você, poeta, que vive para florescer
e encher nossa vida de risos e beleza...

Os pássaros gorjeiam de felicidade
Emitem uma harmoniosa melodia,
Em sinal de comunhão ficam a cantar
Brindando com rimas, versos e poesia...

No Blog Maçayó vamos comemorar
O transbordar das nossas emoções
Desejamos sucessos em seu caminhar
Parabéns, amigo poeta, de todo coração!

Elisabete Leite e Amigos
(Um poema para Luiz Menezes de Miranda pela passagem de seu
aniversário. Parabéns!!! Salve 20/08)
 
 

 
 
 

domingo, 15 de agosto de 2021

Nossas Vidas Cruzadas

 EDIÇÃO Nº 456
 

 LEITURA   DE  DOMINGO
 
 VIDAS CRUZADAS
.
          Era uma deslumbrante noite de outono, estação onde as folhas das árvores ficavam amareladas e caíam em sinal de renovação, porém especificamente naquela noite o vento soprava mais quente e parecia até que ainda era verão. O luar resplandecia prateado por entre as folhagens das palmeiras que bailavam no ar e as estrelas brilhavam tanto, como se quisessem contar algum segredo. Era exatamente no dia dez de maio do ano de mil novecentos e vinte um...
          A jovem Marina fechou o livro que estivera lendo e foi contemplar a dama da noite que iluminava totalmente o céu, com seu manto reluzente, e deixava o cenário novelesco. A garota era sonhadora por natureza e inebriada pela magia da lua se sentiu tonta, fechou os olhos, e quando os abriu percebeu que estava em um outro lugar. Em um jardim amplo, sem pessoas por perto, apenas habitado por diferentes flores e várias espécies de pássaros; o ambiente transmitia uma Paz interior muito grande e uma intensa calmaria exterior. Lá já havia amanhecido e Marina saiu caminhando pela relva verdejante, sem norte, seguia à procura de explicações para o fato ocorrido. De repente, sentiu um frêmito pelas entranhas, um pressentimento inexplicável, não sabia se era sonho ou realidade. Ela se sentia como já houvesse passado por tudo aquilo, provavelmente, em uma outra vida. Logo, avistou uma cabana no meio do nada; caminhou lentamente até ela, adentrou com cuidado naquele recinto descampado, sentou em uma das cadeiras de balanço e logo adormeceu. Foi despertada pelo vozeirão de Renato, seu companheiro, que a chamava:
          - Meu amor, venha tomar seu chá que já está esfriando!
           Marina olhou diretamente para o jovem bonito e atraente que estava em sua frente, e respondeu-lhe:
          - Renato, minha vida, você misturou camomila com erva-doce?!
          - Sim, meu amor! Do jeito que você gosta! Respondeu-lhe, carinhosamente.
          Marina saboreou tranquilamente seu chá, se dirigiu à escrivaninha e pegou um calendário. Olhou para Renato, e continuou falando:
          - Querido, já estamos no outono do ano de mil oitocentos e vinte e um!  Ah, Meu Deus, como o tempo passou rápido! Precisamos voltar à cidade urgentemente, pois já estamos isolados no campo há anos. Quero muito comprar novos chapéus.
         Marina repousou o calendário sobre à mesa, e foi tricotar seu novo xale, enquanto isso Renato lia o jornal do dia. Subitamente, um vento forte adentrou deixando as cortinas da sala esvoaçantes, permitindo que a brisa beijasse a face cálida da jovem Marina, que foi envolvida pelo frescor e adormeceu em seguida... quando percebeu já estava de volta ao tempo presente, e olhava atônita a magnitude do luar. Marina se sentia confusa, e ficou dialogando consigo mesma: "não sei o que aconteceu! Será que andei sonhando?! Tudo parecia tão real! Lembro-me claramente do rosto de Renato, que parecia ser de alguém conhecido. Vou procurar descansar!"
          A garota tomou um chá de camomila com erva-doce, pois era o seu predileto, e em seguida foi repousar... acordou ainda confusa pelos acontecimentos inexplicáveis da noite anterior. Procurava não pensar em nada, mas a imagem do jovem Renato não saía do seu pensamento. De repente, a fotografia dos seus avós maternos (Cecília e Antônio), caiu da prateleira, quebrando toda moldura em mil pedaços. Marina foi separando os vidros e apanhou o retrato, foi quando percebeu que havia uma outra foto por baixo. Trêmula ela segurou a fotografia, em preto e branco já amarelada pela ação do tempo, suas lágrimas começaram a cair, e ela percebeu a semelhança da moça com ela e do rapaz com Renato; virou a foto com todo cuidado e leu baixinho a dedicatória: "para minha bisneta Cecília e seu amado esposo Antônio. Com todo amor do mundo, Marina Alencar e Renato Alencar" A jovem Marina rapidamente juntou as peças do quebra-cabeça, e ficou a imaginar: "Cecília e Antônio eram os seus avós!" E assim, a garota apertou as duas fotos contra o peito, e voltou a sua rotina normal, porém ela agora tinha certeza que tinha vivenciado uma experiência incrível de vidas passadas...
          Certo dia, Marina ao passear pelo campo viu um lenço branco no chão, apanhou-o cuidadosamente, foi quando ouviu alguém a chamando:
          - Moça, o lenço é meu!
          - Olá, sou Marina e acabei de encontrá-lo! Disse-lhe, e ficou analisando o rosto do rapaz.
          O rapaz olhou para Marina, e continuou falando:
           - Olá, sou Renato! Acho que o deixei cair enquanto caminhava. Marina, como você é bonita! Você mora por aqui? Tenho a sensação que já a conheço.
           - Renato, acho que já sonhei contigo, ou será que também o conheço? O seu rosto é tão familiar! Moro por aqui, sim! Respondeu-lhe.
          Marina entregou o lenço para Renato, e os dois saíram caminhando e
conversando calmamente; foram seguindo em frente, driblando os pedregulhos que ficavam pelas estradas. Eles reencontraram o caminho do lar e vão experimentar uma nova vida, juntos, a partir daquele momento.
.
Elisabete Leite
 

 DOR DO DESAMOR

Oh vida sofrida, marcada pela dor!
Pelas tristezas contidas no coração
Já não consigo viver sem o teu amor
É a tua ausência a fonte de toda solidão!

Oh destino, traumatizante e sofrido!
Que dói no peito e dilacera a minh'alma
Meus dias são totalmente doloridos
É insuportável viver com esse trauma...

Oh infiel orgulho, torturante e ardido!
Que tira o meu riso e rouba a calma
Estou sem o norte, sou um Ser perdido...

Luz que não reluz e negrejou n'alma
e deixou desamor, choros e gemidos
Sem teu amor nada na vida me acalma.

Elisabete Leite
 
 Agosto à Revelia

Que agosto seja do seu gosto
Em tempo de pandemia
Que tristezas não marquem seu rosto
Que só demonstre empatia
Nem haja motivos pra desgosto
E que seja só simpatia
Que seu coração seja exposto
Sem tanta melancolia
Que o mal seja deposto
Voltando a reinar a alegria.

Que os ventos de agosto
Não tragam mais endemias
Que seja exatamente o oposto
Transformando tumultos em calmaria
Nada faça a contragosto
Que faça por cortesia
Que o torne predisposto
A viver sem fantasia
Que tudo aconteça a seu gosto
E que seja só harmonia.

Jorge Leite
 
   ENCONTRO  DE  POETAS
 
 INQUIETAÇÃO

Quando aceitar profecias sobre tua vida?
Quando acreditar que somos eternos aprendizes?
Que vivemos sob uma mão poderosa e divina
Uma proteção acima de nossa compreensão.
Devemos todo o tempo monitorar
Nossos pensamentos e atos
Viver ao mesmo tempo que morrer  
Tendo a certeza da proteção
Do conceito único e universal
De sermos agradecidos a Deus
Por sua magnífica obra
Em nossos caminhos e vidas, então...
Por que não crer?
Por que não viver?
Por que não obedecer?
Temos sempre que acreditar
E saber que não somos nada
Apenas instrumentos usados por Deus Pai!

Sol&Lua
Pirpirituba PB
 
 QUINZE ANOS (Pela Lei Maria da Penha)

Quinze anos já se passaram
E eu continuo inerte à beira do tempo
Meus passos hoje são borrachas arredondas
Marcando linhas paralelas por onde vou.
A força dos meus pés está em minhas mãos
Eles não tocam mais o chão e eu sinto saudade!...
Uma vontade louca de correr pelas ruas
De molhar os pés nas águas das chuvas
De tropeçar nas folhas de árvores
Que tantos frutos me deram
Mas nem posso me erguer pra me alimentar.
Meus abraços são inúteis movimentos
Sem força, sem estímulo e sem encanto.
Sequer posso abraçar o filho que gerei
Fruto de um amor equivocado
Responsável por essa inutilidade
Por essa inércia, por esse infortúnio.
A mulher é responsável por seus atos?
Sim! E o homem pelos resultados!

Socorro Almeida
Recife, Agosto/2021
 
  SER FELIZ NÃO CANSA

Se eu falasse sutilmente ao seu ouvido
Quando chegasse a hora de me despedir
Pudesse você me abraçar sorrindo
E compreender porquê eu tive que partir.

Nossos sonhos então seriam  diferentes
Mas a vida nos impôe mais incertezas
Que os valores que o amor nos põe à mesa
E nos afasta de quem nos ama sinceramente.

Não se iluda com promessas que virão
Se pondo à frente na luta por seu amor
Jamais se esconda à sombra da ilusão
Por esse mundo cheio de tristeza e dor.

Vá em frente, se cuide, a vida é bela
Edificar seu sonho tão cheio de esperança
Nas alegrias que lhe caiba ter por elas
A merecida sorte, pois ser feliz não cansa!

Socorro Almeida
Recife, 24/04/2021
 
" AVENIDA LIMA FILHO "

Lima Filho... não te lembras?
Daquela menina, cabelos soltos, cintura fina.
Que aqui viveu, tempos atrás?
Minha infância, ficou adormecida.
Hoje, acorda ressentida, das lembranças que não voltam mais!
No verdor dos meus treze anos, vi as nuvens beijando o chão de minha terra. Vi também a terra chorando de emoção!
Sonhos...
Quimeras - tudo ficou para trás.
E, finges não me reconhecer.
Crescestes...  estás mudada!
Eu? Eu sou a mesma.
O certo é que eu também cresci.
Mudei de aparência, envelheci.
Só um pouco, não dá pra você notar.
No entanto...
Fingiste não me reconhecer!
Por quê?
Eu te pergunto.
Se em teu destino imponente...
Não sentes a desventura de não teres me visto crescer.
A verdade?
A verdade é que eu parti, fui morar em outro lugar.
Mas, os anos se passaram...
E o tempo não modificou a tua sina.
O mesmo nome na mesma esquina.
Em que hoje, parei...
Trazendo-me as lembranças.      
Da rua na qual morei!

Marizete Santos.
 

 BÊNÇÃO DE DEUS:
RONDEL

Um PAI, é bênção de Deus
Na família, a consagrar...
Feliz de quem concebeu
De um pai presente no lar.

De quem com ELE cresceu
Pra: ser amado e lhe amar
Um pai é bênção de Deus
Na família, a consagrar.

De quem LHE correspondeu
Num abraço, a lhe beijar
Proteger e acalentar...
Ouvir os lamentos seus
Um pai é bênção de Deus.

                     Valdemar Guedes
 
  Paixão pela vida

Sempre fui uma apaixonada pela vida...
Colorindo o que estava  em preto e branco,
Esperando a vitória do bem sobre o mal,
Me apaixonando por tudo, como um encanto...

Minha alegria se esparrama, sem querer...
E minha luz, ilumina a escuridão...
Atraindo pessoas, como mariposas,
Que dela precisam pra acalmar o coração...

Esse amor pela vida, é incondicional...
 Acontece, simplesmente, à toda hora...
Vai fluindo sem eu mesmo perceber,
Explodindo aos poucos e sem demora...

Pretendo ser assim até  meu fim...
Pois é  a paixão que alimenta minha vida...
E me faz ser feliz, com meus problemas,
Tornando minha caminhada  divertida!


            ❤️Tásia Maria
 
 

 Soneto para Pagu

Preciso te ver em retomada
Aberta em teu "Parque Industrial"
Na parede teu ar angelical
Expõe foto tão bem dependurada

Quero ver tua poesia revelada
Mostrando o teu nome real
Da Patrícia, Pagu, tão esboçada
Na beleza de uma arte imortal

O belo que está no olhar da musa
Olhar de mistério, sedutor
Na cabeça teus ares de Medusa

Oceano pra pouco Poseidon
Quero gritar ao mundo o teu valor
Antes de um temido Armageddon

Cristine Nobre Leite
Guarabira PB
 

 
 UM TEXTO ASSIM...

Escrever tem sido minha melhor fuga.
Fujo buscando o meu melhor oculto,
Desprezo a masmorra do tédio,
Sem tropeçar nos pensamentos
Dissipo dúvidas buscando a certeza.
Preservo os rascunhos
Eles são espelhos das minhas reflexões.
Sou cauteloso com os pontos e vírgulas,
Não classifico o sujeito
Mesmo, sendo ele oculto.
Furto-me dos verbos irregulares,
Não deixo que o ponto final
Interrompa o meu texto.
Abuso das reticências,
Afinal pensamentos são infinitos.
Não busco exemplos, dou exemplos.
Não faço do esquecer uma necessidade,
Lembranças são experiências
Boas ou más? Eu tenho vivido,
Afinal escrever, é ter a companhia
Do outro Luiz que existe em mim.

Luiz Menezes de Miranda
Extraída do livro REVIVER COLETÂNEA LITERÁRIA – 2020.
 
 
 FLORES...

Entre todas as mais belas
Delicada, suave e cheirosa
A sua fragrância é singela
A bromélia é glamourosa.

É perfumada e perfeita
A mais linda do jardim
Não é dália nem violeta
É o aromático jasmim.

No jardim é a mais bela
Na roseira a mais serena
O frescor da rosa amélia
Causa inveja a verbena.

O cravo é exótico e sedutor
É um adorno exuberante
Na lapela de um doutor
O faz um noivo elegante.

Ela é formosa e preferida
Tem uma essência matinal
Não é o lírio e sim a margarida
A lavanda é um bem floral...

                Baltazar Filho
          31 de julho de 2021
 
 
Imagem de Jorge Leite
 
RECORDANDO    MAÇAYÓ
 
 No dia 13 de dezembro de 2017, em uma quarta feira, publiquei o primeiro número do Blog "Maçayó". Hoje republico essa primeira página.

Ano 0 – Edição Nº 001

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Criando o Blog MAÇAYÓ

Há anos que venho tentando criar um blog, mas ficaram somente as tentativas. Vou recomeçar, nunca é tarde. Falar sobre as coisas que amo, fotografia, astrologia, música, poesia e família. Não posso esquecer minha paixão por cactos e suculentas, minhas plantas favoritas.

Não sei por onde começar, com qual tópico. Começar com poesia ou fotografia, falar da família ou astrologia. Calma, é o começo. Não tenha pressa. Deixe fluir. As coisas chegam sem a gente sentir.
 
 Meu filho Matheus França e Chico Science.(Imagem Jorge Leite).

¨Aí minha véia, deixa a cenoura aqui
 Com a barriga vazia não consigo dormir
 E com o bucho mais cheio comecei a pensar
 Que eu me organizando posso desorganizar
 Que eu desorganizando posso me organizar
 Da lama ao caos. Do caos à lama
 Um homem roubado nunca se engana¨ 

 Imagens:   

   I Imagens do fotógrafo poeta Ricardo Benevides
  II Imagem do poema "Soneto para Pagu" enviada por Cristine Nobre Leite.
III As duas últimas imagens de Jorge Leite.

domingo, 8 de agosto de 2021

Padre. Father, Père, Pater, Pai...


  EDIÇÃO Nº 455    

 
ENCONTRO DE POETAS
 
 
        
                  Igor Grabois, é economista e militante político.
         É autor de Trem da História e outros poemas em processo 
         de edição. Foi diretor da UBES e da intersindical.
         Mora no Rio de Janeiro.
 
 
 
 
Trem da história II (Primeiro Fragmento)

Um tempo os brasileiros eram banidos
um tempo, não muito tempo
cinquenta anos talvez.
Um tempo de sangue na calçada
e coragem cega.
Um tempo fechado
aberto em brechas estreitas.

A música daquele tempo,
ah, a música daquele tempo.
Estamos vivos pra contar.
Sou como meu pai,
um filho sempre é como seu pai
por mais velho que eu seja,
mais velho que meu pai,
com toda a certeza.

Ainda nos abraçamos na rua,
ainda somos capazes de gritar,
punho erguido, fechado,
em pé, no asfalto,
os carros não podem passar.
Palpitamos, braços dados,
sem medo dos homens cinzentos.

Com medo, ainda temos medo,
qual o drama de ter medo,
se a cada manhã acordamos
de um pesadelo? Medo, medo,
ninguém permite que se tenha medo.
Nós não podemos ter medo,
uma nação depende da nossa coragem.

Igor Grabois
Rio de Janeiro.
 
 
SEMENTE DA SEMENTE

Sou semente
De um pai ausente
Da mesma forma
Fiz uma semente
De um pai ausente.
Cada semente
Nasce e germina
Outras sementes
Presentes ou ausentes
Gente criando gente.
Presente, semente, ausente
Gente germinando gente
Existe algo entre todos:
O amor!

Emiliano de Melo
Guarabira 04/08/2021
 
 Meu pai

Tu nunca fostes embora,
Pois estás em mim...
Sinto teu cheiro, tua alegria, teu beijo....
Tua paixão pela vida, tudo enfim....

Tua presença foi bem marcante,
Pois fostes um pai diferente...
Fostes adulto, ator e criança,
Brincalhão e carrancudo com a gente...

As vezes me sinto como tu eras...
Dizendo loucuras, cantando, dançando,
Sendo otimista com tudo  e todos,
Apaixonado pela vida,
A tudo comemorando...

Formamos uma simbiose com nosso DNA...
Horas me sinto eu, horas tu, em ilusão...
A nossa poesia , violão,  encantamento,
Evoca tua presença  ,em mim, bem dentro do CORAÇÃO!!!

          ❤️Tásia Maria
 
Versos na areia

Fiz os meus versos na areia
E a onda do mar carregou...
Levando com ela pra sempre
Segredos de quem tanto amou...

Em versos pedi que mandasse
De volta meu canto de Amor...
E a onda de volta me trouxe
A pérola mais linda que há...
Nascida dos meus segredos,
Gerados no fundo do mar!

        Jair Vilar ( in memoriam )
 
  PAI

Erraste na hora desse ato sem amor!
Sei que existiu exploração sem pudor.
Tu, pai, foste apenas meu genitor
Que não me assumiu nem  me aceitou.

Já não tive o direito de te chamar de pai
Por alguns minutos fui tua sem saber
No momento da concepção, em alguns meses
Apenas nove meses tua filha ia nascer.

No dia 24 de Julho de um ano qualquer
Foi neste dia, pai,  que eu nasci,
Nasci para ser amada e para te amar

Queria conhecer o mundo, e mais, com você
Ter um lar, ser feliz a o lado dos meus pais
Mas, tudo isso foi impossível realizar!

Rita de Cássia Soares
Pirpirituba 1989
 FILHO ESCOLHIDO
 
Pai
Quantos naufrágios?  E sua mão estendida.
Quantos tropeços?  E você meu amparo.
Quantas dores? E você o meu remédio.
Quantas decepções?  E o seu ombro amigo.
Quantos segredos?  Seus ouvidos atentos.
Quantos erros?  Como e bom seu perdão.
Eu duas vezes pai.  Você, doutorado em avô.
Hoje
Seu olhar mais longe. A resposta mais lenta.
Vejo-te passar.  Seus passos mais lentos.
Sua mão tremula. Sua voz mais branda.
Seus ombros curvados. Seu sono pesado.
Suas noites mais longas. Suas datas alheias.
Seus dias trocados. Minhas noites perdidas.
Meu amor renovado. Muitas coisas mudaram.
O tempo passou. Seu amor permanece.
Pai
Seu nome para mim é uma prece.
Sua presença, minha constante oração.
Outras vezes, mil vezes, eu escolho você.
Minha história é sua história, nossa história.
Marcada do meu e do seu lado esquerdo.
Pai! Que bom ter seu DNA na alma.

Luiz Menezes de Miranda
 
 SAUDOSA RECORDAÇÃO.

MEU querido pai
Vivo pensando nos momentos
De carinho e afeto...
Cujas frases guardá-las-ei,
Em meu coração para sempre.
Na recordação de uma saudade profunda.
Existe ainda...
Na balança dos meus haveres.
A tristeza de um sentimento, que pesa demais!
Tivemos uma infância sublime
Fortalecidos pelo calor de tuas meigas palavras...
Renascido na penumbra, de uma lembrança sagrada.
Daqueles tempos felizes.
Que não voltarão  jamais!
Tivemos a riqueza, de possuir um pai como você.
Que nos amou, com profundidade humana.
E cujas raízes foram forjadas, nas contingências da vida.
Eras como uma ave...
Ensaiando o voo que em breve,
Haveria de nos separar para sempre.
Tua vida deslizava suavemente.
Como as ondas brincando.
No remanso verde do Mar.
E assim...
A tempestade rugio sobre nós.
E fez cair ao chão.
O ninho de nossa felicidade
Separando-nos
pelos desígnios de Deus.
O som de tua voz, tão terna e suave...
Viverá através do tempo.
Em nossa eterna
S A U D A D E!

   Marizete Santos.
 

PAPAI! "NOSSO PAI"

Pai nosso, nossa maior Oração
Palavras e frases bem polidas
A maior leitura  para o perdão
A maior lição reflexiva da vida

"Papai", palavra com o maior significado
Cinco letras com um tamanho infinito
"Pai Nosso, o Hino do Cristo Crucificado
O meu paizão, nosso Porto Seguro, Bendito!

Pai, o nosso pai, a nossa semelhança
Um cofre forte  para guardar os  segredos
Um amor perfeito, revestido  de segurança

Pai! Nosso porto seguro, amor incondicional.
A maior mina, fonte de riqueza sobrenatural
Só temos mesmo um! O maior não tem outro igual.

                Baltazar Filho
          26 de julho de 2021
 
PAPAI, MEU REI!
Por Baltazar Filho

Meu velho ferreiro e guerreiro, homem de caráter e honesto.
Trabalhar com ferros foi a sua primeira profissão
Aprendeu o ofício por curiosidade e necessidade
As consequências da vida lhe formou em um grande cidadão
Não teve estudos, mas lhe sobrava sabedoria e educação.
A inteligência no ofício que exercia, era a sua ferramenta.
Meu velho, o meu herói, meu grande conselheiro.
Não teve formação nos estudos, mas nos deu lições de vida com sabedoria.
Um ser humano caridoso, muito hilário e solidário
O Rei das chaves! Assim era conhecido e por todos respeitado.
Se reciclou e aderiu a profissão de ferreiro, foi ser mecânico e chaveiro.
Perito em abrir cofres, esse foi o seu maior segredo.
Um paizão! Nosso maior orgulho, por seus filhos muito amado.
Dedicou a sua vida a família, nos honrou com maestria, eternizando o seu legado.

MEU PAI

Acabei de chegar, feliz e radiante
Não quis abrir os olhos, meu pai
Mas, não é por nada, não!
É que eu tive medo do ambiente
Bem diferente do que era antes.
A bolsa que me abrigava
Era quente e acolhedora
Só depois do teu abraço
Senti o calor aqui de fora.
Cala-me os gritos de rebeldia
É que eu tenho fome do leite
Que mamãe guardou pra mim
Assim como eu tenho do teu amor
Que hoje é meu e será até o fim.
Sinta-me como minha mãe te sentiu
Quando no leito onde eu fui gerado
Ninguém jamais se permitiu
Amar como eu fui amado.
Educa-me mediante os teus conceitos
De honestidade, para honrar teu nome
Sou teu filho, guarda-me em teu peito
Por ti também serei um grande homem!

Socorro Almeida
Recife, agosto/2018
 
 LEITURA DE DOMINGO
 
MELHOR PAI DO MUNDO
Elisabete Leite

Falar do meu pai, Jessé Horácio Leite, é falar de muitas coisas ao mesmo tempo, de vários sentimentos vividos e sentidos, grandes virtudes, e boas ações reunidas em uma única pessoa...
Como definir alguém que é o próprio amor personificado em figura de gente; é o mesmo que falar da Luz do Bem que resplandece no coração das pessoas. Pois, Jessé  era um Ser Humano incrível, uma pessoa iluminada, pai exemplar, homem honesto, digno de respeito, amigo sincero e confidente.
Foi ele quem me ensinou as primeiras Orações em Família. Jessé foi um homem de muita Fé, portador de conhecimento ímpar sobre a vida. Ele conseguia passar edificantes ensinamentos ao logo do dia; suas lições diárias eram de grande relevância, pois para mim, eram centelhas que iluminavam o meu dia a dia. Ele passava para as pessoas ao seu redor, como também para os integrantes da sua prole, seus filhos amados, a importância de Deus na vida de cada um. Ele falava muito pouco, pois tinha o dom de saber ouvir; em sinal de respeito ele permanecia em silêncio quando, dona Lourinete Leite, sua esposa falava. Foi e sempre será o melhor pai do mundo. A melhor pessoa que já conheci fraternalmente.
Lembro-me, como se fosse hoje, dos seus cabelos brancos, como capuchos de algodão, que expressavam toda a sua sabedoria e significavam sua experiência de vida.
Agora, ele brilha no céu, e continua ensinando aos anjinhos a melhor maneira de rezar. Sinto muito sua falta, mas sua presença em minha vida se eternizou no meu coração.
Jessé sua missão, aqui, nessa terra foi cumprida, o senhor soube passar todos os seus recados com brios. Digo-te, Jessé Leite, que seu legado está escrito nas estrelas que brilham pelo universo.
Eu te amo papai! Saiba que eu jamais esquecerei de todos os seus ensinamentos e por tudo que vivi ao seu lado, pois teu sorriso me passava confiança. Porque o meu amor pelo senhor vai além da eternidade.
Hoje é um dia muito especial, e segue a minha homenagem para ti e para todos os pais!

Parabéns!

Feliz Dia dos Pais a todos!

UM POEMA PARA PAPAI

Papai, eu sinto saudades de seu amor!
Seus conselhos que passavam lições
Dos carinhos repletos de intenso calor
Momentos eternizados com grande emoção...

Papai, eu sinto falta da sua presença!
Do seu sorriso, da sua grande afeição
Sua voz que transmitia sempre confiança
Oh, meu amigo, meu tesouro, herói sensação!

Papai, difícil viver sem a sua liderança!
Seu olhar que expressava pura satisfação
Sua presença que passava segurança
Sua voz passiva que tocava o meu coração...

Papai, eu estou vivendo triste e com razão!
Sinto falta da sua força e perseverança
Meu amor será eterno, como prova de gratidão
Seu rosto jamais sairá da minha lembrança.

Elisabete Leite
  
Querido Pai

Querido Pai, minha bênção,
Quantas saudades Pai
Quero estar ao teu lado,
Prá contar tudo o que sinto
E ver aquele sorriso
Que acalma até tempestades.

Querido Pai, como eu te amo;
Mas um amor novo surgiu em mim.
Diferente deste nosso amor,
Tão profundo, mas tão diferente.
Não maior nem menor,
Mas tão diferente.

Querido Pai, quantas saudades,
Quantas lembranças.
Sei que estais em mim
Independente da distância.
Vou te confessar uma coisa;
Hoje aprendi
Que não se mede saudades
Por distância.
A unidade que mede saudades
Chama-se Amor.
E quanto maior o amor
Maior a saudades,
Independente da distância.

Querido Pai, minha bênção.
Como te amo.

Jorge S leite
SP, junho de 1990.

 

Quantas Saudades ...
(O Topógrafo que não dormia.)
 
A vida a cada instante nos prega peças.
Há tanto tempo convivia,
E não sabia
Que o topógrafo não dormia.
Visitava o Topógrafo,
Dava a bênção, conversava.
Só não percebia
Que o Topógrafo não dormia.

Hoje chega às minhas mãos
Seu Caderno de Notas,
"O Sono",
Do Topógrafo que não dormia.

Fico triste, cabisbaixo,
Por só hoje perceber
Que por traz daqueles olhos
Havia um homem triste
Havia uma alma distante
Havia um ser errante
Havia um topógrafo
Que não dormia.

E saber
Que este topógrafo era meu Pai,
Fico danado da vida
Por ter sido incapaz,
De ver além de seus olhos
A solidão de um homem
Que nunca estava só.
A dor de um homem
Por estar só.

Recife, 22-02-2006 Jorge

 

DÁDIVA DIVINA:

Ser pai, é Dádiva Divina
Não apenas por gerar
Mas, defender e cuidar
Qual dos olhos a menina
Em sendo Matéria Prima,
Favorecer e resguardar.
Capacidade pra amar...
É o primeiro passo dado
De um pai privilegiado
Por um filho Deus lhe dar.

Dar suporte, orientar...
O filho pra o bom caminho
Ao vê-lo aflito, mesquinho
Acolher e aconselhar
Ser amigo e lhe apoiar
Transmitir sinceridade.
Segurança e lealdade
Firmeza e sabedoria
Pra lhe encher de alegria
Orgulho e felicidade.

Valdemar Guedes

MEU HERÓI:

Meu PAI foi o meu herói
Reflexo dos meus desejos
Não mais o tenho nem vejo
Só a saudade ainda dói
Eterna angústia corrói
Deixa o peito dolorido.
Seu testemunho vivido
Numa vivência sofrida
Traz luz para minha vida
É exemplo a ser seguido.

Valdemar Guedes


Imagens: Pixabay