domingo, 14 de novembro de 2021

Um Domingo com Debret

EDIÇÃO Nº 470
Tema das Imagens: Jean- Baptiste Debret

                      Senhora comum em meio aos seus afazeres diários - Jean-Baptiste Debret.

  ENCONTRO DE POETAS

 DUELO DE AMOR

Somos dois na disputa por esse amor
Frente ao outro, a mirar o coração  
Se valer a pena esse duelo entre os dois
Um de nós, abatido, cairá ao chão.

Sei que serei eu por julgar-me invencível
Não sabes tu que há muito fui derrotado
O tiro que me abateu, neste instante lembrado
Veio desses olhos de olhar indivisível.  

Teus cabelos desalinhados pelo vento forte
Ora se debruçam em teu colo amado
Ora se atrevem a correr para o vento

Deponho as armas, imploro por tua sorte
Estou vencido e do teu amor sedento
Pedindo a Deus viver a vida ao teu lado!

Socorro Almeida
Recife, 14/04/2021

 DÍVIDAS DE AMOR

Fui caminhando entre a sorte e o azar
A mais cruel, entretanto, foi a sorte
Que abracei empolgada em ser feliz
E de amor morrer antes que se importe.

Foi o que pensei, porém, já era tarde
Pra negociar os horrores da sua inveja
Ou da paixão que mascara toda verdade
Pelo amor sincero que o coração almeja.

E nos jogos de azar de cada esquina
Onde dívidas se acumulam e não são pagas
Deixei meu coração por garantia...

Mas o tempo que tudo mata e desatina
Fez as minhas dores muito mais amargas
E sem sentir, eu... já por você morria!

Socorro Almeida
Recife, 26/04/2021


Execução de punição por flagelo - Jean-Baptiste Debret.

MEMÓRIA DE CRIANÇA

Acordei em um domingo
Cedinho, de manhãzinha!
E uma alvorada daninha
Badalava o sino da capelinha
Embaixo das árvores
Acolhedoras e sombrias
Olhava pra cima e ouvia
Um canto chiado e fino
O semblante da tarde caindo
E eu criança corria sorrindo
Em busca do meu sonho de menino
De longe podia vê na estrada
A carroça e o boi guiando
Uma voz rouca solfejando
Para a carroça não enguiçar
Com o lenço amarrado, cobrindo o cabelo!
Amarrado feito uma rodilha
A minha avó torrava café com alegria.
E ajuntando as criações no terreiro eu via
O seu coração palpitar
Desatava o nó do cabelo, amarrava as cabras no chiqueiro
O café no fogo já subindo cheiro e eu a esperar!
O beiju no côco com queijo
O tradicional cabeça amarrada, pra nosso paladar saciar.

Baltazar Filho

07 de novembro de 2021

ANJOS

Com um leve bater de asas
Sinto a brisa que tu emites
Teu toque tão delicado
Ao encostar em meu rosto
A luz que emana em teus olhos
Deixa meu coração taciturno
São tão profundos
Que me perco no teu oceano
Anjo, guarda nosso segredo
Anjo, voa livre pelo azul dos céus
Anjo, esse é meu desejo apaixonado
Sejas minha luz no céu
Pois irei te procurar em alto mar
No polo norte ou até
Do outro lado do mundo
E quando te encontrar
Irei descansar em teus braços
Meu belo e doce anjo
Então, me leva para um lugar
Em que te amarei para sempre.

José Neto
Pirpirituba, 21/10/2021
 

                                 Família Brasileira no Rio de Janeiro . Jean-Baptiste Debret

Alguém

Alguém com amor me disse:
Dá pra vida ser mais bela
Mesmo na escuridão
Não perca o brilho dela
Levante um pouco da cama
E olhe pra quem te ama
Sorria, mesmo chorando
E não fique com vergonha
Tem tanta gente que sonha
Em sorrir te abraçando...

Lucas Lima
Abril/2021

 Você é capaz

Recomece, não desista
Insista em arriscar
Se você não conseguiu
Nunca pare de tentar
Pois todo gol só é feito
Por quem se arrisca em chutar.

Às vezes nossos problemas
Nos deixam agoniado
Mas o segredo está aí
Bem pertinho do seu lado
Mudar o seu pensamento
Te trará bom resultado.

Sempre tente outra vez
Pare no caminho não
A estrada nunca muda
Pra quem sabe a direção
E não fica perdedor
Quem nasceu pra campeão.

Você pode conseguir
Mesmo sendo um rapaz
Uma mulher, um idoso
Só uma coisa é eficaz
Prove para você mesmo
Que você já é capaz!.

Lucas Lima
Setembro/2019

A vida

A vida tem seus mistérios
Difíceis de desvendar
Ninguém, sabe ao certo
Quando o tempo irá passar
Só temos uma certeza,
Tudo vai se acabar.

Você pode ter dinheiro
Mas ao tempo ninguém paga
Somos uma vela acesa
Se soprar, ela se apaga
E a vida é tão pesada
Que as vezes nos esmaga.

Assim, então, o que fazer
Para ser realizado?
Jesus Cristo já dizia
É amar e ser amado
Vivendo aqui no presente
Sem os erros do passado.

Entenda que tudo passa
Nós vamos passar também
Procure querer ficar
No coração de alguém
Mas isso só é possível
Se praticarmos o bem

Lucas Lima

                                    Funcionário a passeio com sua família - Jean-Baptiste Debret


  LEITURA DE DOMINGO

 UM ENCONTRO NO CAIS      

          É uma manhã de Outono... com ventos que sopram em várias direções. As folhas amareladas voam até caírem ao chão. O gorjear dos pássaros junta-se ao tamborilar dos pingos d’água que descendo do céu cinzento, despertam a Flora e a Fauna. Parece até inverno, os raios argênteos iluminam o horizonte de um canto a outro. É uma trovoada que chega surpreendendo.
          Júlia acorda soltando suspiros de felicidade porque hoje é um dia muito importante para ela. A garota terá um encontro com seu grande amor no final da manhã. A moça, na flor da juventude, sonha em ser feliz ao lado de quem ama. Uma jovem considerada linda, de pele morena, cabelos longos e olhos amendoados. Ela vive constantemente sorridente; é uma grande admiradora de natureza e ama contemplar o esvoaçar das borboletas pelo jardim; caminha em passos lentos, afasta um pouco as cortinas e percebe que o tempo está chuvoso. Volta-se em direção ao criado-mudo com seu olhar fixo em um porta-retratos, onde está a foto de um belo jovem. Júlia suspira fundo, e diz baixinho: "Augusto tenho tanta saudade de você". Olha para o relógio e pensa: “Meu Deus, estou atrasada! O navio de Augusto já deve ter chegado ao Cais do Porto. Eu preciso correr contra o tempo.” Veste-se apressadamente e sai correndo em disparada até o portão, para não perder a última condução da manhã...
           Devia passar das onze horas quando a garota chega ao Cais; a chuva continua forte e se mistura aos longos cabelos encaracolados da bela jovem; obrigando-a a se proteger embaixo da marquise de um velho armazém abandonado. Olha para frente e vê um enorme navio atracado no local de embarque e desembarque de cargas e passageiros. A jovem aproxima-se e percebe um clima pesado, como se um mar, de águas turvas, houvesse passado por ali, deixando apenas holocausto. Havia vários marinheiros de semblantes tristes circulando calados. Ela imediatamente para em frente à entrada e, pergunta a um jovem marinheiro:
          - Moço, o que aconteceu por aqui?
           O rapaz olha para Júlia e respondeu-lhe:
          - Senhorita, um jovem aspirante da Marinha acaba de falecer.
          Júlia continua as suas indagações:
          - Desculpe-me a intromissão! Por acaso, o senhor sabe o nome do aspirante que morreu?
          - Sim, dona moça! O nome dele era Augusto! Respondeu-lhe o rapaz.
          A garota fica atônita, deixando o local cabisbaixa, aos prantos. O encontro com Augusto era motivo de alegria, mas agora ele estava morto. Os suspiros de felicidade, se transformam em lágrimas de tristeza. De repente, sente uma mão pesada sobre seu ombro, e uma voz suave que diz:
          - Meu amor, por que você não me esperou? E por que você está chorando? Estou com tantas saudades!
          Júlia não consegue acreditar no que estava ouvindo, aquela voz é inesquecível, só pode ser do grande amor da vida dela. A garota olha bem nos olhos de Augusto e se atira nos braços dele buscando conforto. Ele a envolve em um longo abraço, enxuga as lágrimas que escorrem pelo rosto aflito da garota, procurando tocar seus lábios na boca dela e beijam-se, apaixonadamente. Júlia pergunta-lhe:
          - Augusto, alguém disse que você havia morrido. Explique-me, por favor!
          O jovem olha para a mulher amada e responde-lhe:
          - Meu amor, foi uma confusão; tinha outro aspirante com meu nome, apenas o sobrenome era diferente. Foi terrível o acontecido, mas eu estou aqui, para realizar o nosso encontro de amor.
           Augusto continua sorridente e segue falando:
         - Meu amor, eu tenho um presente para você. Espero que goste!
        O rapaz coloca a mão no bolso direito da calça, tira uma caixinha embrulhada com um laço de fita vermelho e entrega para Júlia. A jovem fica emocionada, com as mãos trêmulas abre o embrulho e para a sua surpresa é um par de alianças. Augusto aproveita e faz o pedido:
          - Quer se casar comigo? Eu te amo!
         - Sim, também eu te amo! Diz a garota toda feliz.
          Eles se abraçam e se beijam perdidamente, selando assim o compromisso tão desejado.
          O tempo passa... Eles se casam e são felizes.
       
Elisabete Leite

 A LUZ DO MEU OLHAR

Ah, se você soubesse!
O quanto é intenso o meu amor
É tão forte quanto o brilho do sol
Tão reluzente quanto as estrelas,
É tão inebriante quanto uma noite de luar...

Ah, se você soubesse!
Jamais você deixaria de me amar
Nunca ignoraria a minha saudade
Acharia em seu olhar o meu olhar
Não se esqueceria da minha imagem...

Ah, se você soubesse!
Como eu desejo viver ao seu lado,
Tocar o seu rosto, beijar a sua boca
Envolver-lhe em um longo abraço
Consigo dormir, sonhar e acordar...

Ah, se você soubesse!
O quanto é real o meu sentimento
Jamais me deixaria sonhar acordada
Iria recuperar os nossos momentos,
Para caminharmos por novas estradas.

Elisabete Leite

                               Capataz pune escravos em propriedade rural - Jean-Baptiste Debret

 LEITURA COMPLEMENTAR

Jean-Baptiste Debret

 Jean-Baptiste Debret chegou ao Brasil em 1816, compondo a Missão Artística Francesa. Era formado pela Academia de Belas Artes da França, além de sua formação em Engenharia. A situação política da França, aliada à tristeza da morte de seu único filho, trouxe Debret ao Brasil. Seu olhar atento para a vida cotidiana nos legou uns dos mais importantes registros do início do século XIX no Brasil.

A Missão Francesa ao Brasil ocorreu a pedido de Dom João VI, e pretendia criar uma Academia de Belas Artes no Rio de Janeiro. A princípio, o trabalho de Debret tinha o objetivo de criar grandes telas oficiais para Corte Portuguesa no Brasil, além da decoração dos eventos reais.

Tornou-se professor da Escola Real de Artes e Ofícios, e foi um dos responsáveis pela primeira bandeira do Brasil independente, cujos traços e cores se mantiveram na bandeira atual do país.

Motivado pela curiosidade do irmão, com quem trocava correspondências, Debret dedicou-se a registrar o verdadeiro Brasil. Tinha um interesse especial em retratar a escravidão e a cultura indígena.

A influência do Iluminismo foi fundamental na escolha dos temas de seus retratos. A proposta da Enciclopédia de Denis Diderot — uma das grandes referências do iluminismo francês — era acumular em livros uma grande quantidade de conhecimento.

Seguindo esta proposta, Debret dedicou-se a retratar costumes, festas populares, relações de trabalho, ocas, casas, utensílios, a fauna e a flora brasileira. Também anotava informações sobre os temas escolhidos e viajou por várias cidades do Brasil.

Jean-Baptiste Debret passou quinze anos em terras brasileiras, entre 1816 e 1831. Após esse período, decidiu retornar à terra natal. O motivo mais provável de seu retorno à França foi a publicação de seus trabalhos na Europa.

Assim, publicou em Paris entre 1834 e 1839 os três volumes da obra Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, onde exibia as suas gravuras com comentários e descrições detalhadas.

Apesar da obra não ter obtido o sucesso comercial esperado por Debret, tornou-se uma importante referência histórica. Seu olhar detalhado para cenas cotidianas nos deixou imagens que, não fosse seu interesse peculiar, não teríamos a oportunidade de conhecer.

Outros artistas estrangeiros, como o alemão Johann Moritz Rugendas, também fizeram importantes registros da realidade brasileira do século XIX.

 Autor: Alfredo Carneiro – Editor do netmundi.org

                 Família guarani capturada por caçadores de escravos - Jean-Baptiste Debret

 

  RECORDANDO POESIAS

Dúvidas

Dúvidas que assolam minha alma,
São demônios que fustigam o meu ser,
São temores que perturbam minha paz,
São desejos que machucam meu coração,
São meus sonhos que se desfazem no cotidiano
Desfazendo em pedaços meus castelos
Feito de cartas de um baralho desgastado
Pelo tempo, pela vida e pela dor.

Jorge S Leite
Recife, 29-11-1992

Saudades

Hoje estou com saudades,
Mais do que ontem,
Mais do que antes,
Muitas saudades.
Não sei se é maior
Ou melhor,
Sei que estou com saudades.

A saudade saiu do coração,
De sua quietude.
Tomou conta de mim,
Dos olhos que choram,
Dos pelos que sentem,
Da pele sua.
Dos lábios que lembram os teus,
Da boca que clama teu nome,
Da carne, dos ossos, dos nervos.
Hoje a saudade é gente.
É humana.
És tu.
Sou eu.

Recife, 04/09/2001
Jorge Leite

 

  IMAGENS: Netmundi.org

                                              Bandeira brasileira - Jean-Baptiste Debret

 

18 comentários:

  1. Neste domingo encantador com Debret, o nosso blog Maçayó, começa com muito romantismo no ar; com um toque peculiar de sentimentalismo à flor da pele regado a fortes emoções. Uma página que apresenta riqueza poética de conteúdo, como também em detalhamento, organização e ilustração final. A queridíssima amiga poeta Socorro Almeida abre a nossa Seção Encontro de Poetas em alto estilo compartilhando dois lindíssimos poemas de tirar o fôlego em versos brilhantes. Parabéns Socorro, pela sua maravilhosa arte! encantadores, um poema de emocionar. Ainda nesta seção temos um show com um lindíssimo poema do grande poeta Baltazar Filho, Memórias de Criança, um poema iluminado, assim como as edificantes ações dos pequeninos. Parabéns, poeta Baltazar!
    Dando continuidade o ao nosso desfile poético o talentoso jovem poeta José Neto voa alto nas asas dos Anjos e também talentoso poeta Lucas Lima com três maravilhosos poemas. Parabéns poetas!
    Na Leitura de Domingo trago um Conto recheado de romantismo com um final feliz, estilo telenovelas, e um lindo e expressivo poema da minha autoria para deleite de todos.
    Na seção Leitura Complementar
    temos um magnífico artigo sobre Jean-Baptiste Debret, muito conhecimento e aprendizagem em sua brilhante arte com ilustrações que embelezam toda página do Blog.
    Na seção RECORDANDO POESIAS temos dois belíssimos poemas do grande poeta, meu irmão Jorge Leite, que vai oscilando entre dúvidas e saudades. Parabéns Jorge, pela sua linda arte!
    Como sempre, tudo nesta página de domingo, respira POESIA da mais alta qualidade.
    O Blog agradece a participação e presença de todos os poetas.
    As ilustrações estão impecáveis, e muito emocionantes, com uma magnífica arte final elaborada pelo grande e sábio poeta meu irmão Jorge Leite. Parabéns querido irmão, pelo seu retorno!
    Aplausos mil para esse domingo maravilhoso em nosso Cantinho do Saber, em companhia dos meus agradáveis amigos e amigas.
    Obrigada pelo carinho de todos, como também dos visitantes e leitores. Quero aproveitar e desejar a vocês um suave e abençoado
    domingo com muita Serenidade e Paz!
    Um abraço acolhedor no coração de cada um 🤗❤️💙. Uma ótima semana e até a próxima edição.


    ResponderExcluir
  2. Linda a página de hoje. Estou viajando, enquanto isso, na estrada,vou me deleita do com tantas maravilhas. Bom domingo a todos, muita paz e saúde a todos os meus amigos. Depois eu volto. Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão querida amiga Socorro Almeida pelas suas belíssimas poesias. O Blog e nós agradecemos.
      Beijinhos 😘❤️

      Excluir
  3. Bom domingo, meus amigos e amigas!
    Passando para registrar o meu comentário sobre à página do Blog Maçayó de hoje. Gente, tudo está maravilhoso com um toque peculiar da arte do grande Jean-Baptiste Debret, uma artista de encher os olhos. Adorei todos os poemas sem exceção de nenhum. Também gostei muito deste CONTO romântico com final feliz é o seu poema Bete está precioso. Bom sempre aprender com estes ricos artigos. Finalmente, vamos recordar, que para mim, são inéditos do notável Jorge Leite. Feliz retorno meu ilustre.
    Parabéns ao blog como também a todos os poetas.
    Abraços pessoal!
    Até o próximo domingo!
    Do amigo de sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amigo Pedro Henrique pelo seu belo e expressivo comentário, que sempre ficamos lisonjeados, pelas suas palavras incentivadores.
      Bom domingo!

      Excluir
  4. Rita de Cassia Soares14 de novembro de 2021 10:29

    É muito bom acordar e respirar poesia, e o blog Maçayó, trás para nós o puro perfume, amo sentir o aroma delicado que os poetas exalam com muito amor.
    Tudo lindo e perfeito.
    Parabéns, nobres poetas, que desfilam neste domingo nas asas da imaginação no olhar, no sorriso nos versos que saem do coração.
    O brilho está na arte de cada um, que faz nosso coração delirar.
    Um domingo abençoado para todos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade querida amiga Rita de Cássia, o Blog sempre exala os Olores da autêntica poesia, suas essências compartilhadas pelos poetas com suas belíssimas artes.
      Beijinhos em seu coração 😘❤️

      Excluir
  5. Grandioso blog com suas maravilhosas poesias e seus preciosos poetas. A edição de hoje é pura arte em todos os sentidos. Belíssimos poemas que desfilam hoje em grande estilo. Um conto lindo e bem romântico, gosto quando tem final feliz.
    Tão bom aprender lendo! Gostei de conhecer mais sobre o artista Debret e suas ilustrações. Obrigada Jorge por compartilhar seus belos e profundos poemas. Parabéns, para todos os poetas que desfilaram!
    Bete vamos marcar nossa confraternização de Natal?
    Abraços e bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, querida amiga! Obrigada pelo seu maravilhoso comentário Betânia. Vamos marcar sim! Já marquei com Socorro Almeida para o dia 27/11 e com Rita de Cássia dia 04/12 em Pirpirituba, com Valdemar e Baltazar também.
      Vou ligar para marcarmos, certo.
      Beijinhos amiga 😘❤️

      Excluir
  6. Bom domingo à todos!
    O Blog Maçayó de hoje, entremeando as pinturas de Debret à lindos poemas e conto, encantou meus olhos e tocou, profundamente, meu coração!
    Parabéns à todos participantes!
    ❤️Tásia Maria

    ResponderExcluir
  7. Josenilson Rodrigues14 de novembro de 2021 13:40

    Boa tarde! Lindos poemas. Sucesso para todos.

    Josenilson Rodrigues
    Pirpirituba Paraíba

    ResponderExcluir
  8. Grandioso blog, lindos poemas, poetas maravilhosos, ilustração luxuosas, excelente mistura para um dia, de domingo. Parabéns aos envolvidos 👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  9. Grandioso blog, lindos poemas, poetas maravilhosos, ilustração luxuosas, excelente mistura para um dia, de domingo. Parabéns aos envolvidos 👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  10. Cheguei agora. Não há como descrever a beleza dos poemas. Todos estão de parabéns! Agradeço pelos gentis comentários dos amigos e visitantes. Obrigada de coração.
    Saúde, paz e muito amor pra todos. Até breve, se Deus quiser!

    ResponderExcluir
  11. Retornando ao blog para agradecer a todos, pelas ilustres visitas e gentis comentários, sem o comentário de cada um de vocês, o blog não teria o brilho incandescente que tem, porque vocês são estrelas que reluzem nas páginas desse recanto poético. Aqui os comentários são tão relevantes quanto as artes compartilhadas. Eu quero agradecer em nome do Blog, pelo carinho de sempre e pelas belíssimas contribuições dos poetas colaboradores. Tudo no Blog respira arte e poesia. Um agradecimento especial ao meu querido irmão, Jorge Leite, que fez esta maravilhosa edição de hoje. Abraços poéticos em cada um.
    Boa noite e até a próxima Edição.

    ResponderExcluir
  12. Ótimos poemas, gostei bastante ☺️ -
    José Neto

    ResponderExcluir
  13. Boa noite poetas e comentaristas que deleitam deste especular de leitura. Hoje estamos com esse poema de recordação, uma memória infantil que nos faz e me fez voltar só meu maravilhoso tempo de infância. Quando passávamos nossas férias no sitio dos meus avós maternos. Era assim Meo, tudo neste poema é real. Parabenizo a todos pelos trabalhos espetaculares. Socorro Almeida, José Neto, Lucas Lima, Elisabete Leite, Jorge Leite, nos enche a alma com tantos enredos emocionantes e de um significado excepcional. Um conto transcendental parabéns grande poeta, ilustrações sempre espetaculares. O Maçayo é um verdadeiro celeiro de grandes nomes e de enormes talentos.
    Meu grande abraçou em todos!
    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  14. Olá, boa noite! Passando para parabenizar e homenagear o Blog Maçayó e seus poetas e poetisas colaboradores, por mais uma grandiosa página publicada nesse domingo. Brilhantes e enaltecedores poemas! Parabéns a todos! Exaltar as ilustrações que enchem de vida e brilhantismo cada poema e o blog como um todo, pelo que Parabenizo Jorge e Elizabete Leite! Felicitar o Poeta Jorge Leite pela sua melhora de saúde e o seu retorno aos trabalhos do blog! Parabéns nobre poeta! Deus seja louvado por tudo! Por fim, abraçar os visitantes do blog que, sendo ou não poetas e poetisas, contribuem grandemente com seus estimuladores comentários. Até domingo! Fiquem com Deus!
    HOMENAGENS:

    Um Domingo com Debret
    Assim se intitulou
    A Página do maçayó
    Do domingo que passou.
    ......
    No Encontro de Poetas
    “Rola um Duelo de Amor”
    Por “Dívidas de Amor” não pagas
    Um coração se empenhou.
    ......
    Vi “Memória de Criança”
    Vivendo um sonho vivido
    “Anjos” que batiam asas
    No oceano perdidos.
    ......
    “Alguém” que diz cheio de amor:
    Tente, “Você é Capaz”...
    “A vida”, por ter mistérios,
    Amemos cada vez mais.
    ......
    A Leitura de Domingo
    Tem seu encanto e beleza
    Mas, “Um Encontro no Cais”
    Nos pregou susto, surpresa.
    ......
    Amor Forte, Inebriante
    Desejo de lhe beijar
    De envolver-lhe em abraços
    Traz, “A Luz do Meu Olhar”.
    ......
    Leitura Complementar
    Debret traz alusões
    Exalta a nossa cultura
    Junto com as ilustrações.
    ......
    “Dúvidas” que assolam a alma
    “Saudades” que contagiam...
    Encontrei tais sentimentos
    Recordando Poesia.

    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir