domingo, 16 de janeiro de 2022

A Turma de Pirpirituba e Guarabira

 Edição Nº 472


  EDITORIAL

           É bastante gratificante retornar ao Blog Maçayó depois de alguns dias distantes. Toda atividade requer muita responsabilidade, profissionalismo e compromisso para que haja sucesso, e devido a grande demanda passa a ser exaustiva, portanto se faz necessário uma parada para recarregar as baterias e retornar no momento certo, porque "nada acontece por acaso, pois tudo tem uma razão de ser". E hoje, retomamos nossas publicações neste Recanto de Amigos para Amigos, foi difícil permanecer ausente, mas a felicidade, agora, já se faz presente.
          Quero aproveitar este momento tão especial e dizer da minha gratidão pelas amigas e pelos amigos poetas que hoje desfilam por aqui. Estou grata pelo acolhimento, reconhecimento e carinho para comigo e para com os meus. Muito obrigada Rita de Cássia, Valdemar Guedes, Baltazar Filho, Socorro Almeida e seus respectivos familiares que me apoiaram antes e durante a minha estadia em Pirpirituba - PB. Como também no evento de posse da diretoria e dos novos acadêmicos da AGLACMA Academia Guarabirense de Letras e Artes "Casa Marisa Alverga". Aqui deixo minha admiração e respeito a todos vocês os envolvidos. Quero igualmente agradecer ao meu irmão e poeta, Jorge Leite, pela paciência e carinho.
           Que tenhamos um adorável recomeço. Ótimas leituras!
           Um abraço no coração de cada um.

Elisabete Leite

LEITURA DE DOMINGO 

O PÁSSARO AZULÃO

          Era Primavera, estação das flores, porém no Nordeste do Brasil o cenário era de estiagem e muito calor. O sol já havia resplandecido no horizonte, algumas alvas nuvens passeavam ao léu e nenhum sinal de chuva se apresentava no céu.
          Maria Elisa era uma garota diferente, gostava de escrever, vivia suspirando de amor por alguém que nem conhecia pessoalmente, só pela imaginação, ela costumava improvisar versos que eram a sua maior paixão. Mariazinha, para os conhecidos, morava na zona rural, amava a natureza e andava de pés descalços; dizia que sentir o calor da terra era o maior tesouro que uma pessoa poderia ter. Ela nunca conhecera os pais, foi encontrada em uma caixa de sapato na porta da casa da única professora da comunidade que a educou como se fosse sua própria filha. A jovem ajudava sua mãe adotiva com os pequeninos, ela sentava em uma pedra no centro de um grande círculo e ficava ensinando às crianças a escreverem versos rimados sobre o sertão. Mas, por lá a estiagem era tanta que fervia até o chão e às vezes a chuva não caía para esfriar aquele sertão; assim Maria Elisa declamava em voz alta para o seu amado, o magnífico Pássaro Azulão.
...
De Terras Ensolaradas
De Beleza Natural
Com seu Calor Escaldante
É meu Sertão Colossal
Quem chega aqui quer ficar
Nesse Torrão Tropical.
...
         Mariazinha tomou fôlego e suspirou quando sua mãe interrompeu sua declamação:
          - Filha, deixe de sonhar! O sol está escaldante, você precisa deixar seu sertão para estudar.
          - Mãe, eu sei que o tempo está difícil, mas aqui pretendo ficar porque minha terrinha fica dentro do coração desse lugar.
          Mariazinha adentrou na mata e foi à procura de um recanto calmo para descansar. Ela ficou embaixo de um umbuzeiro, uma velha árvore frondosa, e logo adormeceu. A jovem foi transportada para outra dimensão e lá se encontrou com seu amado, o Pássaro Azulão, personificado em ser humano, com alma, emoções, sentimentos e coração. No início a garota se sentiu perdida e permaneceu quedada, sem entender nada, olhando atônita para o infinito buscando respostas. De repente, seu silêncio foi quebrado por uma voz grave, que dizia:
          - Estou aqui e posso falar!
          A garota olhou para um lado e olhou para o outro foi quando viu em cima do galho, mais baixo da árvore, um belo jovem de pele  transparente, quase azul que gesticulava sem parar. Ela disse-lhe:
           - Olá, sou Maria Elisa, onde estou?
           O jovem olhou diretamente nos olhos de Elisa, e respondeu-lhe:
          - Você está distante no coração da mata virgem, aqui sou uma lenda, sirvo como bússola para orientar os perdidos, já em sua terra sou conhecido como o Pássaro Azulão.
           Mariazinha olhou para o jovem, e respondeu-lhe:
           - Uau, eu te amo! Sou apaixonada por um pássaro azul.
            O semblante do jovem mudou, muito emocionado e entristecido, ele falou:
          - Elisa, nosso amor é impossível! Eu tenho a minha missão e você o seu pedacinho de chão. Você deve ser luz para os olhos de quem precisa, pois os pequeninos necessitam da sua orientação.
          Mariazinha se sentiu tonta e quando percebeu já estava de volta ao seu lugar de origem. Voltou para casa disparada, foi à procura da mãe. Entrou ofegante na cozinha, e disse-lhe:
           - Mamãe, quero estudar para ser uma professora como a senhora!
           A mãe olhou para Mariazinha, e disse-lhe:
            - Estou muito feliz pela sua sábia decisão, minha filha.
           O tempo passou... Maria Elisa se tornou professora e poeta, nunca esqueceu daquele encontro com o Pássaro Azulão, e aquele amor impossível ela guardou eternamente dentro do coração.

Elisabete Leite - Recife, 20/11/2021        
(Com participação especial do Poeta Cordelista Valdemar Guedes)


AS ESTAÇÕES DO AMOR

Nosso amor sobreviveu as quatro Estações
Um sentimento forte, constante e eterno
Foi leve na Primavera, intenso no Verão
Renovador no Outono e acolhedor no Inverno...

Um Amor que veio trazido pelo vento
Qual folhas que voam em sinal de renovação
Que caem pelo chão a todo momento
Entretanto se abrigam dentro do coração...

Tal qual Andorinhas em revoada no verão
Que buscam o aconchego de um ninho
Voam em V com coragem e determinação
Esses pássaros que não vivem sozinhos...

Um amor que sobreviveu as vindas e idas
Ao relento, ao frio, ao vento e ao forte calor
Risos nas chegadas e lágrimas nas partidas
Mas a todo instante mostrou o seu esplendor.

Elisabete Leite

ENCONTRO DE POETAS

RONDEL:
PEQUENINO AINDA PIVETE


 

 

 

Pequenino, ainda pivete
O Menino Lampião
Criado por Elisabete
Traz pra vida uma lição.
.....
Vovô, febril, fica inerte
Pedro prepara o sopão
Pequenino, ainda pivete
O Menino Lampião.
.....
Pedrito se compromete
Não faltou luz, caldo e pão
Sorri, de satisfação...
Vez que a triste cena inverte
Pequenino, ainda pivete.

Valdemar Guedes
Do conto: O Menino Lampião.


SEM RESPOSTA

 

Não tenho que dar resposta
A ele nem tampouco a ela
Que julgam todos os dias
Sem saber da vida dela

Não sou de armar barraco
De jogar pedra no irmão
Pois cada um tem sua vida
Os erros servem de lição 

Eu não quero sua opinião
Nem seu conselho escuso
Viva com sua arrogância
Pensando ser dona de tudo 

Verbos alienados e soltos
Adjetivos de baixo calão
Às vezes vocês se acham
No direito de julgar o irmão 

Atirem a primeira pedra
Atirem sem compaixão
Depois olhem para trás
E reflitam com exatidão 

O direito para julgamento
Só ao Pai Celestial pertence
Busquem sempre o bom Deus
E deixem de ser prepotentes!

Rita de Cássia Soares
Pirpirituba 12/11/2021


NADA IMPOSSÍVEL

Nada impossível
Só um monte de possibilidades
Nada além do possível
Apenas amontoados detalhes.

Como trabalhar honesto
Crescer na desmedida
E ser feliz, justo, sincero
Está de bem com a vida.

Nada impossível
Só mesmo o essencial
Ser compreensível
Um cristão normal.

Já conheci metade do país
Do mundo sou um vencedor
Um sonhador voraz e feliz
Viajei de trem e até de metrô...

Viajei de avião, também de navio
Cheio de medo, sem coragem
No pão de açúcar por um fio
Bom foi passear de carruagem.

Nunca quis nada demais
Só o básico para viver
Um pouco de dignidade
Tudo isso me fez vencer.

     Baltazar Filho
     09 de novembro de 2021


SALÕES DE OUTRORA

Elegantes eram os amores do passado
Os dois, mão na mão, a caminhar, serenos
Licença para o beijo, um sorriso pro abraço
No respeito mútuo, o futuro aguardado...

Cordiais eram os gestos daquela época
Antes de serem poéticos e bem pensados
O receio da inconsequência e o bom senso
Eram mais comuns entre jovens namorados...

Vibrações de corpos, hoje, extravagantes
Nos bailes funks que eu conheço agora
E o "dois pra lá e dois prá cá" insinuantes
Eram suaves deslizes nos salões de outrora.

No alto-falante o trovador nos mostrava
Que as "sinhá-mocinhas de olhar fugaz
Se encantavam com meus versos de rapaz"
Cantados em tempos que não voltam mais!

Socorro Almeida
Recife, 07/01/2022

Vidas outras vividas...,


 

 

 

 

 

Estive em outro mundo
Bem perto da divisão
Não sei se realidade
Ou somente ilusão.

As imagens eram tão claras,
As cores vivas, sons audíveis,
O medo era palpável
As dores muito sensíveis.

A bondade era presente
Lutando contra a maldade,
Que existe dentro da gente.
Com braveza e piedade.

Tinha medo de acordar
E ver que era verdade
Tudo que via e sentia
Ou outra realidade.

Já não sabia onde estava
Nem tão pouco o que sentia
Se estava em outro mundo
Ou apenas fantasia.

Um dia acordei assustado
Em um quarto de hospital
Já se passaram sete dias
Daquele mundo, nem sinal.

O meu filho explicava,
O que tinha acontecido
Mas vivi outra vida
Que não tinha esquecido.

Ainda fico assustado,
Ao tentar recordar
Lembro tudo com detalhes
Só não sei explicar.

Digo que foi a mente
Mas ela mesmo desmente,
As realidades separadas.
E Eu no meio, tão somente.

Jorge Leite
Recife,10 de janeiro de 2022.

SEGUNDA LEITURA

 CALMA

Se você está no ponto de estourar mentalmente silencie alguns instantes para pensar.
Se o motivo é moléstia no próprio corpo, a intranquilidade traz o pior.
Se a razão é enfermidade em pessoa querida, o seu desajuste é fator agravante.
Se você sofreu prejuízos materiais, a reclamação é uma bomba atrasada, lançando caso novo.
Se perdeu alguma afeição, a queixa tornará você uma pessoa menos simpática, junto de outros amigos.
Se deixou alguma oportunidade valiosa para trás, a inquietação é desperdício de tempo.
Se contrariedades aparecem, o ato de esbravejar afastará de você o concurso espontâneo.
Se você praticou um erro, o desespero é porta aberta a faltas maiores.
Se você não atingiu o que desejava, a impaciência fará mais larga distância entre você e o objetivo a alcançar.
Seja qual for a dificuldade, conserve a calma, trabalhando, porque, em todo problema, a serenidade é o teto da alma, pedindo o serviço por solução.
 
Espírito: ANDRÉ LUIZ
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: "O Espírito da Verdade" - Edição FEB
 
GALERIA
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

31 comentários:

  1. O Blog Maçayó de hoje está deslumbrante em todos os aspectos. Ele faz um resgate no tempo, volta ao passado, retorna ao presente e avança para o futuro, mostrando momentos marcantes, pessoas inesquecíveis e poemas lindíssimos. O nosso Cantinho do Saber com muito brilhantismo apresenta um editorial de retorno após um período sem publicações, voltando oficialmente neste dia de hoje. Como também faz uma homenagem aos poetas desfilantes neste domingo. Na verdade, um agradecimento pela minha salutar acolhida em Pirpirituba e Guarabira. As artes compartilhadas apresentam várias temáticas que se misturam em um tear de grandes sentimentos e sinestésicas emoções.
    Na LEITURA DE DOMINGO trago meu Conto intitulado O PÁSSARO AZULÃO, uma experiência fantástica onde a magia se mistura com a realidade, que teve a participação especial do grande poeta Cordelista Valdemar Guedes com seus versos e rimas azuis. Compartilho um poema romântico para o deleite de todos. Todos os poemas estão maravilhosos, e o nosso mentor, grande poeta Jorge Leite, traz um magnífico poema com suas vivências entre os sonhos e a realidade.
    Sim, um belíssimo desfile de seletos poetas e suas magníficas artes, que estão brilhando nesse domingo de fortes emoções. Todos os poemas sem exceção de nenhum merecem todas as honras possíveis e impossíveis, alguns já foram compartilhados no Maçayó Blog Literário que é uma prévia do nosso Cantinho do Saber.
    Parabéns poetas pelas maravilhosas poesias que reluzem como estrelas cadentes neste espaço.
    Na Segunda Leitura o texto CALMA muito emocionante e Real. E fechando com chave de ouro uma Galeria de belíssimas fotos. Grandes recordações!
    Parabéns mais uma vez a todos que fazem o Blog Maçayó!
    Aplausos para o poeta Jorge Leite que encanta o domingo no Blog com sua arte final.👏👏👏👏👏
    Quero agradecer aos poetas, colaboradores, participantes, comentaristas, leitores e visitantes pelo carinho de sempre. Beijos poéticos no coração de cada um ❤️💙.
    Até a próxima Edição!
    Com Fé tudo é possível! Gratidão!


    ResponderExcluir
  2. Belos textos, lindos poemas. Esse conto O pássaro Azulão, de Elisabete, parece mais a história dela.
    O blog voltou...que bom. Vamos ter domingos de muita emoção.
    As fotos dos poetas paraibanos, Elisabete e Milena, bem-vindos!
    E do meu poema Salões de Outrora, espero que gostem.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão minha querida amiga e grande poeta, o seu poema é maravilhoso e bem saudoso. Parabéns e um beijo em seu coração.❤️

      Excluir
  3. Bom dia, meus amigos! Ah, que saudade de vocês! Saudade também do Blog Maçayó com suas magníficas publicações.
    Já estava na hora este recomeço, senti muita a falta de boas leituras aos domingos. Hoje o Blog está de fazer chorar, como sempre diz Bete, nas horas de emoções. Pessoal também estou agradecida pelo acolhimento a minha amiga Elisabete e sua filha quando de passagem à Paraíba.
    Um domingo de gratidão e emoção.
    Todos os poemas estão divinos, para mim são inéditos, pois não tenho instagram nem Facebook. O conto está perfeito e representa muito bem o sertão nordestinos e suas especificidades.
    Amei o poema do querido Jorge Leite e suas ilustrações. Emocionante ficou a galeria do Blog. Parabéns para todos!
    Beijos minha amiga Bete!
    Até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga Betânia pelo seu carinho e emocionante comentário. Forte abraço!
      Gratidão pela sua amizade!

      Excluir
  4. Parabéns,aos Poetas e Escritores,tudo lindo,grande retorno.Sucessos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Dra Socorro Leite por sua visita e apoio. Socorro Leite é minha irmã e madrinha. Minha segunda mãe. Muito emocionado com sua presença.

      Excluir
    2. Que alegria minha irmã, Socorro Leite, em poder tê-la conosco. Beijinhos ❤️
      Eu amo toda minha família!

      Excluir
  5. Bom domingo, pessoal amigo!
    Todos os domingos eu ficava na expectativa do Blog voltar a publicar para minha felicidade, hoje, estou lendo e relendo este show de página.
    Quero agradecer todos os participantes e suas belíssimas poesias. Eu amei o conto de Elisabete Leite, nossa que esplêndida imaginação. Aplausos!
    Tudo foi muito bem trabalhado. Gostei também do texto "Calma".
    Parabéns pela maravilhosa galeria.
    Abraços para todos! Muito feliz pelo retorno de vocês poetas e escritores.
    Gente que sabe fazer poesia!
    Obrigado amigos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amigo Pedro Henrique pela sua atenção e sempre um gentil comentário. Gratidão pelo apreço ao Blog e por haver gostado do meu conto. Tenha um bom domingo!

      Excluir
  6. Que maravilha minha irmã, fico muito emocionado com a reflexão do desfile de hoje, é muito gratificante para nós, em particular para mim saber que vice se revigorou e recuperou sensivelmente a sua essência espiritual aqui no nosso cantinho ao nosso lado. Poderíamos ter feito mais, ter dado a vice e Milena mas tempo do nosso tempo, mas afago da nossa compreensão, mas os compromissos com o evento nos tomou mais tempo do que esperávamos. Contudo fico muito feliz, Edileuza amou conhecer vice e Milena, já temos vocês como família, estamos nós programando pra recebê-las pelo São João. Graças a Deus vocês revitalizou-se, a sua essência mental e espiritual se equilibrou pois vice é uma mulher de muita luz e essa luz produz em te uma energia particular que te fortalece e te ergue esmeramente. O blog está lindo belíssimo, vice foi dentro da alma de cada um de nós, isso porque temos vice no nosso coração.
    Saiba que estaremos sempre aqui, não precisa avisar basta falar estou chegando e estaremos de braços abertos para te receber. Um grande beijo em Milena.

    Milena
    Por: Baltazar Filho
    Amada, mimosa e serena.
    És lustrosa misteriosa
    Assim te digo Milena
    Flor do campo majestosa

    Conhecer essa fofinha
    Nos fez repensar
    Quantas meninas lindinhas
    Vivem a sonhar

    És um querubim, iluminada!
    Uma andorinha, livre e adorada
    Um anjo cheio de luz, revigorada
    Uma pequenina forte e muito amada

    S
    Nós felicutasse com a sua candura
    Pequenina seu espírito e uma fera
    Que

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que emoção meu amigo/irmão, minhas lágrimas não param, estou aqui agradecida por suas amáveis palavras, tão verdadeiras. Muito sou feliz e honrada pela acolhida de todos, Edileuza é uma grande mulher e uma notável amiga. Amei os versos direcionados a minha Milena.
      Abraços e logo voltarei.
      Gratidão sempre!

      Excluir
  7. Nós felicitasse com candura
    Em uma reunião simples familiar
    O teu brilho encheu aqueles momentos
    Em minutos alegra a gargalhar

    Em, 06/11/2921

    ResponderExcluir
  8. Em minutos alegres a gargalhar

    ResponderExcluir
  9. Respostas
    1. Obrigada Marciano Dantas pela ilustre visita e gentil comentário. Um bom domingo!

      Excluir
  10. Bom diaaaaa!

    O domingo voltou a ter mais cor, com a volta do blog, aguardava ansiosa.
    E como sempre um show. volta triunfal conto e poemas magníficos. Parabéns a todos envolvidos.
    E quanto a sua vinda, somente agradecer pelo carinho dispensado a nossa terra volte sempre que quiser você e Milena ilumina tudo. Adorei conhecê-las. 💋💋💋 no coração de cada uma!

    Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Mari, que lindo! Eu também amei conhecê-la, como também seu maravilhoso filho e poeta José Neto. Gratidão sempre querida.
      Voltarei em breve!
      Beijinhos para vocês ❤️💙!

      Excluir
  11. Rita de Cassia Soares16 de janeiro de 2022 14:47

    Não pude conter a emoção, a minha querida amiga poetisa Elisabete Leite sou muito grata por tudo que você proporciona a todos nós poetas, digo a minha nobre poetisa tudo que eu fiz foi pouco diante do que você realmente merece.O retorno do blog Maçayó é uma cortina primaveril onde as flores possam exalam seu perfume poético, aqui o poetas sentem-se valorizado com sua arte as rimas, e com sua diversidade.
    Digo com altivez faço parte da família Maçayo, e você é a maior razão da minha felicidade, creio que os demais poetas que colaraboram com sua arte também são gratos, Baltazar Filho, Emiliano de Melo, Sol&Lua, Socorro Almeida Valdemar Guedes entre outros que em breve vão abrilhantar ainda mais os nossos domingos, não existe nada melhor do que acordar e encher o coração com belos versos, belos poemas belas poesias.
    Gratidão à Deus por me presentear com pessoas especiais e maravilhosas você Betinha maneira carinhosa e ao Dr.Jorge Leite aos visitantes e comentaristas que cada vez mais enaltecem nossa alma.
    Desejo à todos um domingo repleto paz e saúde para todos nós, que nossa inspiração seja sempre guiada pelo Pai Celestial.

    ResponderExcluir
  12. Rita de Cassia Soares16 de janeiro de 2022 14:52

    O MUNDO da poesia é assim belo como a aurora e magnífico como o crepúsculo.
    PARABÉNS poetas do Blog Maçayó o mundo precisa do toque real, da fantasia e dos poetas que apesar de tudo revelam seu amor nos contos e nas poesias.

    ResponderExcluir
  13. Rita de Cassia Soares16 de janeiro de 2022 14:56

    Sobre as ilustrações, sem palavras.
    Gratidão exalta meu coração.

    ResponderExcluir
  14. Rita, amiga querida, sem palavras para agradecer tanto Carinho e prova de amizade. Estou lisonjeada pela atenção e principalmente pela sua acolhida quando aí estive, como também do poeta José Neto e de Mari. Eu e Recife estamos de braços abertos para receber cada um de vocês aqui, muito em breve.
    Gratidão sempre!
    Bom Domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares16 de janeiro de 2022 16:37

      Obrigada minha nobre poetisa, em breve se DEUS quiser.
      Minha gratidão por ter vindo à posse dos novos acadêmicos, sua presença e da sua filha Milena foi de suma importância. Bem vindas, sempre.

      Excluir
  15. Josenilson Rodrigues16 de janeiro de 2022 16:15

    Gratidão por ter o blog mais top em poesias. Muito lindo os poemas.
    Parabéns a todos!

    Josenilson Rodrigues
    Pirpirituba Paraíba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rita de Cassia Soares16 de janeiro de 2022 16:38

      Meu grande amigo Josenilson Rodrigues obrigada pelo reconhecimento.
      Feliz por visitar o blog grata por comentar.
      Deus lhe proteja sempre.

      Excluir
  16. Rita de Cassia Soares16 de janeiro de 2022 16:39

    Aos visitantes do blog meus agradecimentos.

    ResponderExcluir
  17. Retornando ao blog para agradecer a todos, pelas ilustres visitas e gentis comentários, sem o comentário de cada um de vocês, o blog não teria o brilho incandescente que tem, porque vocês são estrelas que reluzem nas páginas desse recanto poético. Aqui os comentários são tão relevantes quanto as artes compartilhadas. Eu quero agradecer em nome do Blog, pelo carinho de sempre.
    Obrigada também a todos os poetas participantes desse desfile poético.
    Aqui as portas estão sempre abertas para divulgação de novos e antigos talentos, a arte de modo geral será o fator primordial.
    Um abraço acolhedor no coração de cada um ❤️💙.
    Feliz anoitecer a todos!

    ResponderExcluir
  18. Boa noite! Passando para expressar minha alegria e satisfação pelo retorno das atividades do Blog Maçayó, trazendo belos contos, poemas e poesias para enaltecer e abrilhantar o nosso domingo. Parabenizar os poetas Jorge e Elizabete Leite, pelo belo e confiante trabalho já apresentado neste reinício esperançoso e promissor. Aplaudir ainda os demais poetas e poetisas que neste recomeço desfilaram com seus poemas e poesias, contribuindo assim para o brilhantismo do blog e o deleite de seus leitores, visitantes e colaboradores. Agradecer pela acolhida do meu RONDEL: “PEQUENINO AINDA PIVETE”, feito com muito carinho e com participação especial da Escritora Elizabete Leite, pois, foi extraído do CONTO: “O MENINO LAMPIÃO” de sua autoria. Fazer certa ressalva ao conto: “PÁSSARO AZULÃO”, pois, entre outros predicativos, os contos da contista Elizabete são: emocionantes, sentimentais, educativos, instrutivos e evangelizadores. Gratidão aos visitantes e leitores, em especial os que tecem seus incentivadores comentários. Por fim, foi muito prazeroso reviver as emoções com a galeria apresentada. Abraços a todos! Fiquem com Deus!
    Valdemar Guedes
    Poeta Cordelista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada poeta maior pelo maravilhoso comentário, suas palavras só comprovam o grande poeta que és, quem valoriza a arte sabe fazer muito bem sua arte. Fico lisonjeada pelas parcerias poéticas e nas análise e valorização da minha arte.
      Gratidão por tudo!
      Fique com Deus!

      Excluir
  19. MILENA
    Por: Baltazar Filho

    Amada, mimosa e serena
    És lustrosa misteriosa
    Assim te digo Milena
    Flor do campo majestosa...

    Conhecer essa fofinha
    Nos fez repensar
    Quantas meninas lindinhas
    Vivem a sonhar...

    És um querubim, iluminada!
    Uma andorinha, livre e adorada
    Um anjo cheio de luz, revigorada!
    Uma pequenina forte e muito amada...

    Nos felicitou com candura
    Em uma reunião simples familiar
    O teu brilho encheu aqueles momentos
    Em minutos alegres a gargalhar.

    Em, 06/11/2921

    Agora sim, depois da emoção 🙏

    ResponderExcluir
  20. Gratidão a Jorge e a Elisabete por tudo. Meu calouros abraço a poeta Socorro Almeida e Rita de Cássia.💞💕

    ResponderExcluir