domingo, 30 de janeiro de 2022

Tempos e Contratempos

 Blog Maçayó

Edição Nº 474

 Foto de Jorge Leite - Canon EOS Rebel T5i
LEITURA DE DOMINGO

 TEMPOS E CONTRATEMPOS

         

Era quase final de junho do ano de mil novecentos e noventa e oito e vários acontecimentos marcavam o momento. Momentos que ficaram registrados para sempre nas páginas do livro da vida. Um ano de perdas, ganhos, vitórias, derrotas e fortes emoções. Mas um ano que foi muito importante na vida de muitas pessoas e é sempre lembrado por diferentes razões, algumas boas e outras nem tanto. Enquanto o filme Titanic dominava o Oscar com sua temática de amor eterno, a dócil Georgina chorava rios de lágrimas por haver sido abandonada na porta da igreja pelo grande amor da sua vida.
           O sol, ainda, nem havia resplandecido no horizonte mas a deslumbrante Georgina não conseguia parar de chorar, ficara acordada durante toda a noite se lamentando pelo terrível acontecimento do dia anterior. Ela olhava atônita pela vidraça turva da janela, buscava na natureza explicações que justificassem o ato de covardia do ex-noivo, queria entender os fatos que levaram Alfredo Alencar a proceder assim. Ela queria voltar no tempo e reviver aquele dia de vinte e dois de junho na íntegra.
          Era início da manhã de vinte e dois de junho, Georgina dormia tranquilamente, sonhava que faltava muito pouco para se tornar a senhora Alencar, iria realizar seu grande sonho de se casar com seu príncipe encantado. Enquanto no outro lado da cidade, em um bairro de classe alta, Alfredo Alencar conversava com seu primo Osvaldo sobre Georgina, e dizia:
          - Osvaldo, estou em dúvida se devo casar com Georgina. Acho que não a amo de verdade! E não estou pretendendo viver amargurado pelo resto da minha vida. Acho que tudo não passou de brincadeiras de adolescentes.
          Osvaldo fechou o semblante, deu um sorriso forçado e respondeu-lhe:
          - Alfredo, você está ficando louco? Eu não concordo com sua dúvida. Agora é tarde demais! Você vai cumprir todo cerimonial.
          Alfredo olhou de maneira penetrante para o primo, e disse-lhe:
           - Não irei cumprir nada! Não devo satisfação a ninguém. Irei viajar para Londres no primeiro voo e você que esclareça os fatos a todos, já que é meu sócio e primo.
          Alfredo saiu apressado sem nem olhar para trás e deixou o primo falando sozinho. "- Não irei esclarecer nada. Isso não é um problema meu, é um problema seu". Mas, foi inútil! Alfredo logo foi para o aeroporto, deixando perguntas sem respostas.
           Faltava pouco para o início da cerimônia de casamento quando o pai de Georgina entrou apressado no quarto da filha, e disse-lhe:
          - Filha, já estamos atrasados! Alfredo já deve estar na igreja. Oh! Meu Deus, como você está linda!
          A filha olhou para seu pai com muito carinho, e respondeu-lhe:
          - Vamos papai, já estou pronta!
          Georgina chegou a ir até à igreja, mas o noivo não apareceu por lá. Osvaldo, primo do noivo, foi na intenção de disse-lhe a verdade, mas resolveu no último instante não se intrometer na atitude de Alfredo. A garota ficou inconformada pelo fato ocorrido. Porém, por pouco tempo! Logo, Osvaldo passou a fazer-lhe companhia e os dois se apaixonaram perdidamente. Eles viviam sempre juntos e nunca mais se separaram.
           O tempo passou rápido... Alfredo jamais voltou ao Brasil. No entanto, Georgina e Osvaldo se casaram quase um mês após o fato ocorrido, exatamente no dia doze de julho. Mas o dia doze de julho de mil novecentos e noventa e oito foi um momento fatídico no calendário dos brasileiros porque a data marcou a derrota do Brasil para a França por 3 X 0 na decisão do Mundial daquele ano. Porém  uma grande vitória para Georgina e Osvaldo que após o casamento viajaram felizes, em plena lua de mel, pelo Litoral Nordestino.

Elisabete Leite

 TORRE DO CAMPANÁRIO

O sino anunciava a hora chegada
Na Torre do Campanário, que beleza!
Enquanto garças pairavam em revoada
Voando livres no lindo voo de realeza.

O sol se escondia na hora da partida
A noiva esperava ansiosa o momento
de unir-se na felicidade que era devida
Selando seu futuro nesse casamento.

Mas, é um futuro incerto para sua vida
Onde felicidade nem sempre acontece
Ao contrário das garças, se sentirá perdida.

Garças voam certeiras na direção seguida
Tomando o destino que na frente aparece
Na certeza da liberdade por Deus permitida.

Elisabete Leite

 DECISÕES E SEGREDOS


Dá-me a certeza do que anseio saber
Palavras são palavras que escoam ao vento
Quero atitudes que me ajudem a viver
Decisões que somem aos flagelos do tempo.

Aos recantos da alma, uns poemas de amor
Em versos e prosas pro poeta chorar
Na paz de um abraço, um sorriso, um olhar
Que se ajustem aos sonhos de um trovador.

 O perfume das flores nas pontas dos dedos
 Que ao toque nos corpos que anseiam gerir
 Suspiros de amor dos antigos segredos
Me elevem aos céus e me façam sorrir!

                                         Socorro Almeida
                                         Recife, 15/01/2022


O QUE ESPERAMOS DE NÓS?

Eu te quero tanto, muito mais do que imagino
Sobra-me tempo pra pensar e cuidar de ti
Tudo por fazer, até pra chorar me sobra tempo
E eu nem imagino o que  queiras de mim.

Tu me pedes para esperar e eu espero sim
Muito mais do que eu queira esperar
E o tempo passa sem que eu veja passar
Apenas um, dos sonhos que sonhei pra mim.

Deixei agora as ilusões pra rever depois
Qualquer hora nos encontraremos por aí
Seja lá, seja aqui, ou em qualquer lugar...

Se não tens nenhum sonho pra nós dois
Se não imaginas, na real, o que quero de ti
Não és aquele que eu insisto em esperar!

Socorro Almeida
Recife, 19/12/2021

 ENCONTRO DE POETAS

 GIOVANNI MEIRELES, Jornalista com Diploma (UFPB), Publicitário (SENAC), foi Secretário de Comunicação do Governo do Estado, Diretor da TV Assembleia Legislativa, editor-geral do jornal Correio da Paraíba e da revista POLITIKA, repórter do Caderno de Cultura de "A União", colunista de "O Momento", "O Norte", "Jornal da Paraíba", blogs PoliticaPB e PB-Agora, apresentador das TV's Cabo Branco, Miramar, Arapuan, Correio, Master e âncora noticiarista das rádios CBN João Pessoa, Jovem Pan Sat, Correio News AM, 98 FM, 95 FM, 107 FM, atualmente é redator do Secretário-Chefe de Gabinete da Casa Civil do Palácio da Redenção e integrante do Conselho Editorial da EPC (Empresa Paraibana de Comunicação).
 giovanni.meireles@lwmail.com.br
(83) 9-9903-1337

ABISMO FALOFÁGICO
Por: Giovanni Meireles
Em, 20/01/2022

Abysmus Abismun Invocat
Abyssus Abyssum Invocatum
Um abismo chama outro abismo
Uma desgraça nunca vem só
Uma tristeza nunca vem só

Um erro acarreta outro
Uma tragédia nunca vem só
Assim como não falo da fala
Não é da língua do homem
Mas da fala da mulher

O nascimento da menina
Que os fados destinaram
A virar a cabeça dos homens

No exercício da fala que falo
Ou no silêncio estrondoso
Do abismo na fala da mulher

 VOLTAR A 97
Por: Giovanni Meireles
Em, 17/01/2022

Violeta Parra cantou
Mercedes Sosa gravou:
"Volver a los diecisiete
Después de vivir un siglo"

Eu digo: descobri Belchior em 1987
Em 87 eu morri, mas em 20, em 22 eu não morro

Eu conto: conheci Tim Maia em 1997
Em 97 eu corri, mas em 20, em 22 eu não corro

Violeta Parra morreu nas mãos da Ditadura Chilena
Mercedes Sosa enfrentou a Junta Militar Argentina

Todos - juntos - vivemos uma Pandemia
Mundial, nordestina, brasileira
Entre nós, alguns sobreviveram
"Los otros" não tiveram a mesma sorte

Ah, se eu pudesse voltar a 1917
Depois de viver um século...

GERALDINHO REVISITADO
DUETO: Giovanni Meireles/Geraldo Alverga (In Memoriam)
Em, 20/01/2022

Se existe um
Shakespeare apaixonado,
Por que não pode haver um
Geraldinho revisitado?

Nos cabelos que deslizam
Num cavalo a galopar
Pela rua, toda nua,
A Lua, admirar

Na figura de um Deus Negro
De repente improvisar
Sete versos de alegria
Vinte modos de te amar

E Alverga me revela
Segredos a não se guardar:

Corpo. 1980. 1990.

Seus olhos
São serpentes
Venenosas
Que me atraem

Seu rumo é ignorado
Pois o labirinto é infinito...

Busca o pouso
Sobre o fio
Úmido e sereno
Da noite

Beijo os cabelos
Morenos
Que te cobrem a nuca"

2000, 2010, 2020
Procuro o mistério do luar

Foge a ave noturna
De um ninho vai precisar
Para descansar seu corpo
Na Eternidade Ressuscitar

 ANJOS
Por: Silvinha França
Em, 14.01.2022

Numa chuvosa manhã
Senti-me dilacerada
Para pegar a estrada
Naquele velho divã
Me envia o Deus tupã
Dois anjos pra me abraçar
Como quisessem falar
Com aquele gesto tão puro
Siga em paz que o futuro
Já está  a te esperar.

 FAMÍLIA
Por: Silvinha França
Em, 14.01.2022

O parente vem no sangue
Nem sempre é família não
Família é quem  nos acolhe
E é  promovido a irmão
É aquele que está contigo
Mesmo que corra perigo
Vai lá e segura a mão.

Família é o  aconchego
Desde a hora da chegada
É  dá  puxão de orelha
Em quem entrou em roubada
Família é quem briga e chora
É  chegar na melhor hora
Pra resolver a parada.

Família assim são vocês
Com imenso coração
E onde quer que estejam
Peço a Deus proteção
Por  todo aprendizado
Pelo carinho, cuidado
Toda minha gratidão.

 RICO QUE NÃO TEM NADA
Por: Silvinha França
Em, 14.01.2022

Todo dinheiro que tens
Para Deus, não  acrescenta
E a vaidade  alimenta
Ostentando  seus vinténs
Troca o amor pelos teus bens
Perde a pessoa amada
De cuja alma elevada
Clama a Deus misericórdia
Para não haver discórdia
Com aquele rico de nada.

Silvinha França (Severina Luís de França) nascida em Guarabira- PB, em 13.12.1979, reside em Araçagi-PB.
Formação acadêmica: Licenciada  em Geografia  pela UEPB, Especialista em Ciências Ambientais pelo Cintep; pesquisadora da pré-história, na região do agreste paraibano; servidora pública no Município de Curral de Cima.
É ativista cultural e organizadora dos movimentos:  ARAÇACULTURA e CORDEL DAS ROSAS .
Seus trabalhos individuais em cordel: A PRINCESA ENCANTADA DA LAGOA DO CAJU, "UM AUTISTA EM MINHA VIDA, SIVUCA - O POETA DOS SONS, CELSO FURTADO-HOMENAGEM AO SEI CENTENÁRIO,  UM CORDEL PARA CLARICE, SÃO JOÃO DO PASSADO AO PRESENTE.
Cordéis coletivos: QUANDO TUDO ISSO PASSAR, DIGA NÃO À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, ENTRE OUTROS.
seus livros individuais: A PRINCESA ENCANTADA DO REINO DE ARAÇAGI, OS SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS DE ARACAGI.
Livros coletivos: DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO DOS CORDELISTAS CONTEMPORÂNEOS,  NIZIA FLORESTA EM VERSOS DE CORDEL, PRÉ-HISTÓRIA UMA COLETÂNEA DE TEXTOS DIDÁTICOS, OUTRA DOSE DE SAUDADE, O BRASIL ENTRE CORDEIS E LENDAS.

Em 06.01.22 ingressou na Academia Guarabirense de Letras e Artes " CASA MARISA ALVERGA ", ocupando a cadeira de n.28, que tem como patrono, Cleodon Coelho. 
 silvinhafranca79@gmail.com
(83)981323458

QUANTO TEMPO
Por: Josenicia Farias de Lima
Em, 19/07/2007

Quanto tempo sem você
Sem eu te tocar
Sem te ver e afagar

Quanto tempo sem você
Toda falta acalentar
Você calou, a alma chorou
Você parou, o corpo ficou.

Quanto tempo sem você.
Essa distância, esse tempo
Já tanto tempo passou.

Quanto tempo sem você.
Ficar assim é uma dor.
É mais que dor, é dor do amor.

SE EU MORRESSE DE AMOR
  Josenicia Farias
12/1/2022

Se eu morresse de amor!
Há se eu morresse de amor!
Estaria aconchegada junto a uma nuvem branca,
Espiando estrelas brilhar,
Feito arco-íris a cintilar.
Voaria para o infinito céu azul.
E lá, parceria logo fazia.
A saudade sem esperar viria,
Pra voltar sem agonia.
Oxalá  o próximo voo alcançaria ,
No aeroporto dos sonhos desembarque fazia.

Se eu morresse se amor!
Há se eu morresse de amor!
O profundo do mar, era lá o encantar e ondas a embalar.
Como gotas de água doce a saciar.
Novos sonhos empilhar
E terra firme  pisar.
Tão de repente, olhos à observar
Em outros olhos afagar.
Toda fala pausar,
E não mais chorar.
Teu peito acalmar e logo se dar.
Nos braços quentes,
Outros braços abraçar,
Se propondo a dançar.

Se eu morresse de amor!
Há se eu morresse de Amor!
Vento forte a cantar,
Como sinfonia te levar
No mais alto do ar
O coração entoando cantoria
Que em instantes sorria,
E a solidão que já dormia.
Uma overdose de amor a tomar,
Todo ser exaltar, como sabiá a voar.

Se eu morresse de amor!
Há se eu morresse de amor!
Como sol de arrepiar,
Que queimar não sabia
Só serenar podia.
Lua nova chegaria ,
E ao lado teu estaria,
Ao céu, chamado atendia
E lá voltaria,
Logo protesto fazia,
Lá não ficaria.
Só permanecia com sua companhia.

Se eu morresse de amor!

Há se eu morresse de amor!

LUA NOVA
 Nice Farias
11-12-2021

Chamo-te de Lua Nova
Por vagar no céu do meu olhar,
Sem esconder  e acalmar
Vivendo a transformar.
Abres a porta dos olhos,
Olhando horizonte sem fim.
Dando graças assim
De olhos prá mim.
Erguendo a cabeça sem véu,
Toda imensidão azul,
Em espetáculo seduz,
Da lua nova que vai e volta
Toda estação contemplar.
Buscando saudades tuas,
Aquietando lembranças minhas.
Lua Nova que faz junto a te
Aquela estrela brilhar,
E juntar-se a nuvens brancas,
Trazendo aqui o sonhar.
Há!!! Lua Nova tu passas rápida
Aqueces o trafegar do tempo,
Toda folhagem contempla
Na sutileza de vento,
Aos teus ouvidos concentras,
O balbuciar suave,
De cada flor se abrindo,
Em frases de amor  ouvindo,
Para você sorrindo
E desejar só vindo.
Adentrando todo calor
Na constante afirmação,
Diagnosticando em canção,
Transbordando o coração.
No luar do teu cantar
De uma Lua Nova,
A outra Lua Nova esperar
Apenas te ver chegar.

Josenicia Farias de Lima, natural de Mulungu PB. Tem formação em Estudos Sociais pela Fafig Guarabira  História pela UEPB, Psicologia pela Unipe,Pós graduação  em: Educação e Saúde, Psicopedagogia, Dinâmica de grupo, Psicologia Cognitiva comportamental .Integra a Academia de Letras, Casa Marisa Alverga ,Guarabira PB. 
 nicefarias20@gmail.com
(83) 98783.9596
 
 

O Silêncio 
Charles Roberto do Nascimento Lima
07/11/2021

Morre o corpo e a voz
Mas fica o seu legado
A sua história a sua obra
Tudo fica eternizado.

Assim é Marisa Alverga,poeta,
locutora,
escritora e jornalista
Um ícone da cultura Guarabirense
Inimitável conquista.

Secretaria de cultura,
defensora da mulher na sociedade
Nunca se cansou dos seus ideais
Atravessou fronteiras  integrou até os livros internacionais.
Perseverante,
persistente,lutou fundou a Academia de letras,em fim se realizou.

Hoje de casa Alfeu Rabello,passa a chama-se casa Marisa Alverga. Seu nome Eterniza-se na História,o seu legado tá no enredo de nossa terra.
 
Meu sertão
Por Charles Roberto
14/01/2022
 
Falar bonito eu não sei
É o meu português
Tão bom assim não é,
Sertanejo cabra da peste
Com muito orgulho eu sou,
Esse é o meu sertão
Te apresento meu senhor.

Aqui tem gente
Que sofre muito com a seca,
Que a sola o sertão ,
Sem falar do gado,
Que morre de cede
Nesse imenso calorão.

A palma as vezes
Serve de alimento,
 por falta de comida
Pense que vida
Dolorosa e sofrida,
É há do sertanejo meu irmão.

Esse é apenas um relato
Do que acontece no meu sofrido sertão,
Vou parando por aqui
Pois me corta o coração,
Falar de uma terra
tão sofrida meu irmão
Que é o meu imenso
E querido sertão.

Cicatriz
Por:Charles Roberto
14/01/2022

Eu sei
Você só quis me usar
Mesmo assim
Eu deixei acontecer,
Sabendo que lá na frente
Eu iria sofrer,
Aquela foi a última noite
Que eu te amei.

No meu coração
Ficou a cicatriz,
Daquela nossa última noite
De amor.
O meu coração
Ainda não se acostumou
Com a sua partida.

A minha vida
Virou uma rotina sem você,
Eu já falei pro meu coração
Pra te esquecer.
Vou até muda de cidade
Pra não bater de frente,
com você.

Quem sabe um novo amor
Fará eu realmente te esquecer.
Mas se isso não acontecer
Eu te peço me da
mas uma noite de amor
e de prazer.

Charles Roberto do Nascimento Lima.
   Poeta, cantor, compositor e locutor. Trabalhou  na rádio Cultura AM nos anos de 2007 ao ano de 2015. Trabalhou na cultura FM e rural AM de 2018 a 2020.
   Nascido na cidade de Guarabira/PB no ano de 1975.
   Tem um CD gravado no seguimento gospel, gravado no ano de 2008.
que tem por título, "Mais que um Servo Teu"
    Casado com Simone Régis Da Silva,com quem tem duas filhas, Kauane Roberta e Kamilly Sofia.
Participou por 3 anos da banda gospel aba pai,no ano de 2010 a 2013.

Membro da Aglacma - Academia Guarabirense de letras e arte casa Marisa Alverga.
 Email:Charlesrobertolima31@gmail.com
83 99852-0719
 

NOTA DA REDAÇÃO: Por erro nosso a mini biografia do poeta Jocélio Francisco não foi publicada na edição do último domingo, pedimos sinceras desculpas ao poeta e a publicamos logo abaixo.
Jorge Leite - Editor

 
Jocélio Francisco é natural de Guarabira,  Formado em História pela universidade Estadual da Paraíba ( UEPB ) e em Direito pelo Centro Universitário de João Pessoa ( UNIPÊ ), é Professor, pintor, escritor, poeta, publicou poemas no livro "Além do Cordel : antologia Versátil - 2017", é membro da AGLACMA -Academia Guarabirense de Letras e Artes "Casa Marisa Alverga"

 

 

 GALERIA

 VIAGEM NO TEMPO
ALGUNS ACONTECIMENTOS MARCANTES DE 1998.

Titanic domina o Oscar, Lançamento de filmes inesquecíveis (Central Do Brasil), Brasil na final da Copa do Mundo, avanços tecnológicos, escândalos políticos, mortes de famosos, esses foram apenas alguns dos acontecimentos marcantes de 1998.

No dia 15 de março de 1998 morria, em Niterói (RJ), Sebastião Rodrigues Maia, mais conhecido como Tim Maia

A seleção do Brasil perde a chance de ser penta campeã, perdendo a copa para a França

Durante uma demonstração ao vivo do novo sistema operacional, Windows 98, houve uma falha crítica e uma tela azul diante da plateia.

Esse foi o ano no qual a história de amor de Jack (Leonardo DiCaprio) e Rose (Kate Winslet) foi mostrado na grande tela. Titanic, filme dirigido por James Cameron, foi um fenômeno no mundo, arrastando multidões para o cinema. A obra recebeu 14 indicações ao prêmio do Oscar e venceu em 11 categorias, incluindo melhor filme. 

A maior ferramenta de buscas da internet teve início com um objetivo único: organizar a informação mundial da internet e torná-la universalmente acessível e útil. Fundado por Larry Page e Sergey Brin, o buscador revolucionou a rede de computadores e iniciou uma hegemonia que dura até hoje.

A relação entre o presidente dos Estados Unidos e uma estagiária foi o maior escândalo do ano. Bill Clinton, que estava em seu segundo mandato, teve seu caso com a estagiária Monica Lewinsky exposto nos jornais. Isso o levou a sofrer um processo de impeachment; apesar disso, no ano seguinte, ele foi absolvido de todas as acusações.

両両両両両両両両両両両両両両両両丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣丣

 

 

Jorge Leite e Elisabete Leite editores do Blog Maçayó.

 


37 comentários:

  1. Hoje, o blog Maçayó, está pura emoção, pois chega com muito brilho, cores, grandes reflexões, notáveis recordações, muito romantismo e sentimentalismo à flor da pele. Um encontro mágico de renomados poetas que se vestem de inspiração e dão asas à imaginação. Grandes estréias e adoráveis momentos poéticos.
    Quero começar destacando a temática do meu conto de hoje, que faz um retrocesso no tempo para mostrar que o amor pode acontecer mesmo que a dor tenha deixado chagas abertas no coração. O ano de 1998 foi para mim um ano de realização pessoal, minha filha Isabelly chega ao mundo para me fazer sorrir. Meu soneto acompanha a mesma linha de temática, dúvidas, caminhos e escolhas.
    Dividindo A Leitura de Domingo comigo, quero destacar os magníficos poemas da minha amiga poeta Socorro Almeida, que respiram leveza de maneira admirável, ela parece que está flutuando com sua arte que contagia a todos. Parabéns amiga Socorro, por tanta leveza poética!
    Tudo aqui, no nosso Cantinho do Saber, mostra a POESIA da mais alta qualidade.
    Eu quero aproveitar e agradecer aos ilustres poetas estreantes que chegaram para embelezar ainda mais a página do Blog Maçayó com seus maravilhosos poemas. Parabéns e sejam bem-vindos!
    Aplausos mil para esse domingo maravilhoso em nosso Recanto, em companhia dos meus adoráveis amigos e amigas.
    É relevante salientar sobre as imagens compartilhadas que complementam o sentido do conto de abertura TEMPOS E CONTRATEMPOS. Um show de emoções e grandes recordações. Parabéns ao meu querido irmão e poeta, Jorge Leite, pela magnífica arte final é a belíssima escolha da imagem de abertura. Dedico este conto as minhas alunas sonhadoras que acreditam na força do amor. Aplausos mil para edição de hoje!
    Quero desejar um Feliz Domingo a todos com Paz, Amor, Saúde, Alegrias e muita Fé.
    Gratidão pelo carinho de vocês, como também dos visitantes, leitores e colaboradores.
    Um afago na alma 🤗 e um abraço caloroso no coração ❤️de cada um. Sem vocês nada disso aconteceria.
    Até a próxima Edição!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, gente amiga! Estou comentando logo cedo para não perder mais esta maravilhosa partilha do Blog Maçayó. Gente, está agradabilíssimo este conto da grande contista Elisabete Leite, o cotidiano visto de maneira notável fazendo um resgate no tempo de emocionantes momentos. Amei todos os belíssimos poemas compartilhados hoje. As ilustrações da galeria estão impecáveis, recordar é viver! Que gigantesca edição. Quero parabenizar a todos os poetas que hoje desfilam e dar boas-vindas aos estreantes.
    Amei a foto junina dos irmãos Leites, sempre forrozeiros estes alagoanos.
    Parabéns pela arte final amigo Jorge Leite.
    Abraços e saudades...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amiga Betânia tudo muito lindo por aqui. Jorge adora resgatar estas fotos antigas. Este meu irmão além de forrozeiro adora saborear um bom vinho. Gratidão pelo seu carinho e adorável comentário. Você sabe o quanto 1998 foi importante para minha realização como mãe.
      Beijinhos 😘❤️

      Excluir
  3. O blog continua mantendo esse brilho, encantos e emoções! Dá um orgulho danado saber e conferir, em cada poema, os brilhantes poetas que se iniciam no blog. Parabéns a todos e bem-vindos ao cantinho de amigos. Os poetas são mais que poetas, são mais que amigos, SÃO IRMÃOS! Irmãos nos sentimentos, na saudade e na dor!
    Gratidão a Bete e Jorge Leite por compartilhar meus poemas.
    Parabéns por esta edição maravilhosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, minha amiga! Gratidão pela sua maravilhosa arte e seus poemas que encantam a todos.
      Obrigada pelo carinho e gentil comentário.
      Beijinhos em seu lindo coração!😘❤️

      Excluir
  4. Olá Pessoal! É com grande admiração que venho comentar está emocionante e lindíssima edição do Blog Maçayó. Estou realmente encantado com a desenvoltura da nossa esplêndida escritora Elisabete Leite que hoje fez jus ao Blog e compartilha um conto que resgata acontecimentos marcantes de um tempo e seus contratempos. Uma perfeição estão os poemas dos participantes dos desfile. É gostei da dobradinha de Elisabete Leite e Socorro Almeida. Parabéns! Parabéns para todos os estreantes e sua belas artes. Muito bom as imagens presentes na Galeria. Parabéns ao poeta Jorge Leite. Realmente um domingo de grandes recordações e fortes emoções.
    Abraços é parabéns mais uma vez a todos.
    Do amigo Henrique!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão meu amigo pela ilustre e gentil comentário. Muito bom saber que você apreciou a temática do meu conto. O blog a sua preferência e sua atenção.
      Forte abraço e bom domingo!🤗

      Excluir
  5. Eu quero agradecer aos proprietários do blog maçayó,a Elizabete leite e ao Jorge leite.por essa oportunidade,de ter duas publicações minhas,nesse conceituado é renomado blog maçayó.quero também,parabenizar todos os poetas e poetisas,que abrilhantam,com seus trabalhos,esse renomado blog
    maçayó.aqui mas uma vez,fica aqui os meus sinceros agradecimentos,a Elisabete leite e a Jorge leite. Proprietários do blog maçayó.

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. O Blog Maçayó é que agradece pela sua belíssima colaboração com sua notáveis poesias neste Recanto Poético.
      Gratidão pela sua confiança em nossos trabalhos. Seja bem-vindo!
      Parabéns e Bom domingo!
      Saudações Poéticas!

      Excluir
  7. Que maravilha Charles, fiquei honrado com o seu comentário, és um artista de grande quilate, porém de uma humildade riquíssima, os diretores do Maçayó estão felizes com a sua participação tenho certeza do que falo, pois Elisabete é uma grande artista, posso dizer polivalente, pois todas as áreas artísticas ela atinge com o seu potencial e talento, é uma irmã que o universo me agraciou. O mesmo digo ao nobre Doutor e artista fenomenal que é o meu grande amigo e irmão Jorge Leite, são dois grandes seres humanos que foram enviado pra terra para cumprir uma missão lindíssima que é a de plantar o belo e colher a beleza. O que vocês dois estão fazendo. Digo com muita galhardia,eu tenho dois grandes amigos que muito me honram, os nossos laços AFETIVOS serão eternos.
    Desde o meu primeiro trabalho na primeira edição que fui estreante, me deu um norte para divinos horizontes e certamente me fez atingir o mais elevado degrau da arte. Tenho a honra de ser um colaborador e integrante deste universo Maçayó. Por aqui desfilam os mais renomados poetas com seus trabalhos espetaculares. Hoje estreando quatro acadêmicos da CASA NARISA ALVERGA, isso é motivo para brindarmos pela oportunidade e credibilidade que recebemos de toda equipe. Por isto confrades Giovanni e Charles, confreiras Josenícia e Silvinha, parabenizo os quatro e todos que já estrearam e os novos que ainda terão a sua estreia, honrem esse espaço, divulguem, interajam, compartilhem, agradeçam aos diretores e a Deus, pois este é um momento singular em nossas vidas, porém plural na vida de todos.

    Um grande beijo 😘

    Se dá quando é intrínseco
    Se recebe quando é sentido
    O beijo é um ato carinhoso
    As vezes um colosso atrevido.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão meu irmão, Baltazar Filho, pela sua consideração e prova de amizade. Parabéns pelo maravilhoso comentário e saiba que você é um estrela iluminada. Seus poemas são cintilantes e eternos.
      Forte abraço para você e para a sua esposa e minha amiga Edileuza.
      Bom domingo, em família!

      Excluir
  8. Mais um domingo show! Parabéns aos envolvidos.
    Poesia é vida. Muito feliz e abastecida de emoção. ❤❤❤❤👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão querida amiga pela sua ilustre visita e carinhoso comentário. Um beijo em seu lindo coração.
      😘❤️🤗🌹

      Excluir
  9. ARIGATÔ - SAYONARA AO BLOG MAÇAYÓ
    (Muito obrigado, até breve, em japonês)

    AUTOR: Giovanni Meireles
    Em, 30/012022

    Como se não bastasse pesquisar
    em Tupi-Guarany
    Fui buscar na língua nipônica
    meus agradecimentos

    Para Elisabete e Jorge,
    ambos samurais das letras.
    Em qualquer idioma são amigos,
    para imenso (de) Leite nosso

    De Rita Andrade, Silvinha França
    Josenícia, Charles, Socorro Almeida
    Márcia Alverga e "Padre" Maurício (Baltazar)

    Araçagi - Itapororoca - Guará-Ó-Bira
    Pedra que ronca, cachoeira que estronda
    Pássaros e trovões, garças dependuradas
    nas margens da lagoa dos cipós

    Eça-Pé - Capim que brilha
    Nas ondas ventosas dos raios do Sol
    Ou tochas acesas no meio da noite

    Vai embora, Boitatá, Cobra-de-Fogo
    pra Sapé, Mataraca ou Umarizal

    Mulungu, Kaiowá, Maceió
    Piscina natural de água doce
    na beira salgada do mar

    Eternamente grato.
    Sayonara - Arigatô
    Bete Leite, Jorge Leite

    Do Nordeste brasileiro até a Ásia
    Aqui no Extremo Oriental, vida longa
    Ao Blogspot Maçayó, guarany, caiapó

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda homenagem. De minha parte agradeço. Obrigada, nobre poeta

      Excluir
    2. Agradeço-lhe em todas as línguas grande poeta Giovanni Meireles pelo magnífico comentário, o Blog Maçayó agradece pela sua notável arte poética, como também pela confiança em nossos trabalhos. Seja bem-vindo!
      Estou lisonjeada em poder compartilhar seus escritos.
      Have a beautiful day my friend!

      Excluir
  10. Querido confrade Giovanni, exímio poeta e escritor! Cara esse seu comentário é mesmo internacional, vice é genial meu amigo, fabulosas frases, belíssimos verso e rimas. Tiro o meu chapéu pra te poeta. O Maçayó te aplaude, um grande abraço.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  11. Estou aqui a buscar palavras como expressão de gratidão a pessoas tão especiais: Elizabete Leite,Jorge Leite e Socorro Almeida, por todo apoio em um espaço de vida nos permitindo ousar do real ao imaginário, com seus potenciais de mestres e a doçura de anjos. Muito obrigada. Aqui também me encho de ternura para dizer muito obrigada aos queridos: Pe Emiliano, Baltazar, Márcia Alverga, Giovanni Meireles, Fernando Carvalho, Levi lobão e toda casa Marisa Alverga. Que maravilhoso a permissão cósmica de partilharmos a vida é um pouco do que somos. Nice Farias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo seu carinhoso comentário grande poeta e amiga Nice Farias suas poesias são brilhantes e engrandecem ainda no espaço cultural. É com imensa satisfação que recebemos suas belíssimas poesias. Parabéns!
      Seja bem-vinda!
      Abraços poéticos! Gratidão sempre!

      Excluir
  12. Minha querida amiga Confreira Nice, a sua pessoa já nos transmite uma energia cósmica radiante, seus poemas são belíssimos, você sabe que sou fã tanto da porta quanto da Dra. Competentíssima que é ! Parabéns querida, Elisabete, Jorge e Socorro, tenho plena convicção que estão maravilhados com o seu trabalho literário e com o belíssimo desfile de hoje.
    Um grande abraço!

    Porque o abraço é um laço
    Fortíssimo enlace de união
    Viver a vida sem um abraço
    É está feliz e não ter direção.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser poeta é isso...é compartilhar emoções, saudade, alegria e amizade. Que seria de nós sem esse talento que nos eleva aos céus?!

      Excluir
  13. É lindo ver esse amontoado de Letras colocadas uma atrás da outra de forma pensada para que chegue aos corações de quem as ver, seja numa simples folha de papel ou no blog macayo.
    No blog ficaram lindos!
    Passei só para confirmar a maravilha que é a poesia.

    ResponderExcluir
  14. Que bom que você apareceu para abrilhantar ainda mais o Blog Maçayó de hoje. Gratidão pela sua maravilhosa arte e seu precioso comentário.
    Parabéns e que você tenha um domingo especial.
    Boa tarde querido amigo poeta!
    Abraços poéticos!

    ResponderExcluir
  15. Eita! Como é maravilhoso ver tanto talento junto. Parabéns a Giovanni Meireles, Charles Roberto, Josélio Francisco, Silvinha França e a Nice Farias. O domingo hoje foi bem mais poético. São joias raras da Casa Marisa Alverga.
    Pe. Emiliano Camilo.

    ResponderExcluir
  16. É verdade Padre Emiliano, é motivo de orgulho pra nossa Academia, nossos confrades e confreiras desfilando os seus maravilhosos talentos.

    A forte abraço, nobre presente.
    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  17. Peço desculpas aos estimados leitores no comentário que fiz Dra. Nice, não percebi onde tem porta é (Poeta)kkkkkk. Desculpa Doutora/poeta.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  18. Ilustre poeta e confrade Charles Roberto, parabéns pelos seus poemas, estamos felizes com a sua participação, seus poemas ilustram o blog com muita luz e sabedoria.

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  19. Rita de Cassia Soares30 de janeiro de 2022 19:25

    O blog Macayo sempre bem recheado com belos poemas, deixando o nosso domingo colorido. Parabéns aos estreantes confrades e confreiras da CASA MARISA ALVERGA Guarabira.
    Seu conto amiga Bete, maravilhoso parabéns, e você minha amiga Socorro Almeida um encanto seu poema.
    Um domingo de muita paz e saúde para todos nós.
    Socorro

    ResponderExcluir
  20. Janeiro deixa saudade
    Já é saudade que só
    E no dia da saudade
    Vem na garganta esse nó
    Mas logo vem a alegria
    Recheada de poesia
    GRATIDÃO AO MAÇAYÓ.

    @silvinhafranca.franca

    ResponderExcluir
  21. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👍👍
    Saudades é só saudades, não apenas mas...

    ResponderExcluir
  22. Boa noite! Parabéns ao Blog Maçayó pela exibição de mais uma edição, repleta de inovadores poemas abrilhantando e enriquecendo o nosso domingo, de modo particular, o conto: “Tempos e Contratempos” da Contista Elizabete leite. Aplausos para ela e seu irmão o poeta Jorge Leite, ao reviver e expor na galeria: fotos de momentos que marcaram épocas. Aplausos ainda aos poetas e poetisas Socorro Almeida, e os estreantes: Giovani Meireles, Silvinha França, Josenícia Farias e Charles Roberto, que desfilaram com seus inspiradores poemas e também brilharam junto com o blog. Sejam bem vindos! Sintam-se acolhidos pelo blog e seus colaboradores! Brilhe sempre a luz cada um! Saúde e paz para todos!
    ...........
    Em “Tempos e Contratempos”
    O seu histórico nos diz
    De uma noiva abandonada
    Que o noivo não mais quis
    Alfredo deixa Georgina
    Dela, Osvaldo se aproxima
    E formam um casal feliz.

    Georgina sempre sonhou
    Com Alfredo se casar
    Mas o Senhor Alencar
    Na igreja nem pisou.

    Mesmo ainda inconformada
    Pelo que o noivo aprontou
    Georgina se apaixonou
    Com Osvaldo está casada.

    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão poeta maior, Valdemar Guedes, pelo seu brilhante comentário e suas rimas azuis. Fico sempre lisonjeada pelo seu carinho e atenção nas edições de Domingo, como também no Avesso Poético e Maçayó Blog Literário.
      Parabenizo sua Fábio o arte.
      Abraços

      Excluir
    2. Corrigindo: ... Sua fabulosa arte.

      Excluir
  23. Elisabete Leite nos presenteando com tantas poesias maravilhosas,através desse blog que divulga os nossos poetas,obrigada por tão grande feito em nossa cidade e região.

    ResponderExcluir