domingo, 27 de março de 2022

Um Domingo de Outono

 Blog  Maçayó

Edição   Nº   483

 

 LEITURA   DE   DOMINGO
 
NÃO FOI MINHA CULPA!

           O clima estava penetrante, mesmo sendo verão, nuvens escuras e pesadas cobriam a linha do horizonte por toda sua extensão; parecia até que o céu era o informante de um presságio... Berta fechou o livro que estivera lendo, se dirigiu até a janela e puxou as cortinas esvoaçantes para minimizar o frio do final de tarde. Logo depois, a jovem senhora foi até a cozinha preparar seu chá para degustar com torradas, mas percebeu que o pote de torradas estava vazio, pegou a chave do carro e se dirigiu até a padaria mais próxima. Mas, o trânsito não estava favorável, pois devido ao tempo, havia vários focos de engarrafamentos. De repente, a chuva começou a cair com grande intensidade e Berta resolveu voltar para casa, deu a volta no quarteirão e parou no sinal que estava amarelo, quando sentiu um grande impacto, desceu do carro, olhou de lado e percebeu que havia atropelado um ciclista. Ela se dirigiu até ele, e disse-lhe:
           - Jovem, desculpe-me! Não foi minha culpa! Não sei de onde você surgiu, repentinamente.
           O rapaz tinha um olhar perdido na imensidão do tempo e estava com o braço direito bem machucado. Ele tentou se levantar mas não conseguiu. Olhou diretamente para a jovem senhora, e falou:
           - Dona, fique calma! Eu não consigo me lembrar de nada.
           Em poucos minutos, começou a juntar muita gente e um guarda de trânsito assumiu completamente o controle da situação, e começou o julgamento de praxe:
            - Senhora, o que aconteceu?  A dona moça deveria ter mais cuidado ao dirigir nos dias de chuva! A senhora não sabe dirigir direito?
            Berta a essa altura já estava completamente desesperada, sem saber o que dizer. Olhou para o jovem guarda e respondeu-lhe:
          - Senhor guarda, não foi minha culpa, eu não sei de onde esse rapaz surgiu.
           Mas o guarda procurava culpar Berta, mesmo sem ter visto à cena, e ficou bombardeando a jovem senhora com colocações sem fundamentos:
          - A senhora vai ter que pagar todos os danos causados à vítima acidentada.
           A mulher chorava muito, e repetia sem parar: - não foi minha culpa!
           Poucos minutos depois, Berta levou o rapaz para o hospital, deu-lhe todo o apoio possível, comprou-lhes remédios e deixou-o em casa sã e salvo. Levou a bicicleta dele para ser consertada no outro dia. Quando Berta chegou em casa já era tarde da noite e estava totalmente exausta. Bebeu um chá, sem torradas, e foi se recolher.
          Já no outro dia, a jovem senhora acordou cedo, levou a bicicleta do rapaz para ser consertada, foi até a casa dele para saber como ele estava, porém antes passou em uma feira livre comprou diferentes frutas e foi tranquilizar o seu coração...
          Chegando à casa do rapaz , ela teve uma grande surpresa. O jovem falou para Berta que tinha se lembrado de tudo que havia acontecido na noite anterior. Ele foi relatando detalhadamente o que aconteceu de fato, e disse-lhe:
          - Dona moça, a senhora não teve culpa nenhuma! Eu tinha parado no acostamento para descansar, mas chovia muito, não vi seu carro no sinal e atravessei sem olhar, e assim minha bicicleta bateu de cheio na porta de passageiro do seu carro. A senhora não precisa pagar o conserto da minha bicicleta! Eu assumo toda culpa!
          A mulher olhou para aquele jovem tão honesto e agradeceu-lhe:
          - Meu amigo, assim já posso chamá-lo! Minha eterna gratidão! Eu repeti várias vezes: não foi minha culpa! Ninguém quis ouvir.
Mas, não precisa se preocupar, eu já paguei o conserto da sua bicicleta, amanhã ela estará pronta e nova de novo.
          O tempo passou rápido... A jovem senhora Berta continuou sua rotina de vida, normalmente, porém nunca mais se esqueceu daquele fatídico acidente, e sempre que passava por aquele sinal, repetia para si mesma: não foi minha culpa!

Elisabete Leite
 
O SENTIDO DA VIDA

Naveguei por infinitos mares,
Em busca pelo sentido da vida
Refleti sozinha e bebi em bares
Querendo encontrar uma saída...

Virei a minh'alma pelo avesso,
Procurei dentro do meu interior
Sorri, chorei e paguei alto preço
Senti na oração o peso do louvor...

Vesti-me de esperança e sonhos
Busquei na minha essência à luz
Iluminando os tempos tristonhos
Encontrei na Fé meu amigo Jesus...

Tudo em minha vida ficou colorido
Dando sentido aos instantes meus
O jardim da minh'alma ficou florido
Com a presença do Amor de Deus!

Elisabete Leite
 
 SORRISOS SEM RISOS

Foram tantos outonos matinais
Ah, tantas tardes sem o sol se pôr!
Muitos fevereiros sem carnavais,
Doces primaveras, sonhos de amor...

Tantos risos estampados no rosto
Carinhos, beijos e fortes emoções
O entardecer, as manias, os gostos
Uma saudade contida no coração...

Foram tantos invernos de solidão
E lágrimas que insistiam em cair
Um sol brilhante, porém sem verão...

Tantos lábios que não sabiam sorrir
Amor que sobreviveu por estações
E morreu na Primavera sem florir.

Elisabete Leite
 

 ENCONTRO DE POETAS
 
 DECISÕES E SEGREDOS

Dá-me a certeza do que anseio saber
Palavras são palavras que ecoam ao vento
Quero atitudes que me ajudem a viver
Decisões que somem aos flagelos do tempo.

Aos recantos da alma, uns poemas de amor
Em versos e prosas pro poeta chorar
Na paz de um abraço, um sorriso, um olhar
Que se ajustem aos sonhos de um trovador.

O perfume das flores nas pontas dos dedos
Que ao toque nos corpos que anseiam gerir
Suspiros de amor dos antigos segredos
Me elevem aos céus e me façam sorrir!

Socorro Almeida
Recife, 15/01/2022

TOLAS RECUSAS

E assim és tu, nesse teu amor gostoso
Palavras controladas, com medo de falar
Suspiros desvairados, tua boca a desejar
E eu fingindo o meu beijo te negar.

Nego muito mais, só pra te ver sorrir
Quanto tola eu sou, a me perder no tempo
Guardo tudo que é possível para o momento
Dessa tua loucura pra me possuir.

Expões tua nudez, descaradamente
Enquanto perco as forças e não mais reluto
Agora sou eu, de corpo e alma, nua...

Me agarro ao teu corpo, libidinosamente
Me resguardo do pudor, em um só minuto
Quantas vezes for possível ser somente tua!

Socorro Almeida
Recife, 11/03/2022

Amar, amar, amar e impedidamente
Em pugna querer o senso equilibrar
Enquanto tu existes em minha mente
Eu luto, contorço-me até me esfalfar

És força voraz maré de pensamento
Ponte inexistente, caminho do nada
Debato-me, afogo-me e só lamento
Balda e vã luta se faz nessa jornada

Alma que se debate em sentimento
Baldo, vida imersa no mar de perdição
Agitado batel em meio ao tormento

És mar revolto onde vaga meu coração
Sereia cujo canto o nauta perscruta
A fim de envolvê-lo no mar de emoção

Rio que passa

APENAS TU

Há dias que és Avassaladora
Como a fúria de um vulcão.
Em outros dias, és Brisa suave
Em noite de lua, no verão.
Em alguns momentos és a
Maluca
Mais apaixonante do recinto.
É a Doçura de fruta madura da estação.
És Rebelde, Insana, Valiosa...
Totalmente sem Juízo!
Em todo tempo é o Ser
Mais doce e mais Feliz do mundo!
E quando menos se espera chora.
Se descobre Imperfeita todos os dias.
Ainda assim és Amiga de todas as horas
A Parceira leal que alguém pode desejar.
O que mais almejas na vida é ser Amada
Na mesma intensidade
Como ver e encara a vida.
Entretanto és Mulher!
Tudo é peculiar a tua Natureza
Nesse vendaval de mistério.

Sol&Lua

O MELHOR DE CADA UM

Bom dia!
Boa tarde!
Boa noite!
São gestos tão simples e cheios de
Gentileza, afeição, simplicidade,
Condutas diárias!
Existem pessoas que, com seu simples
Chegar  ilumina tudo
Apenas com sua presença
Somos dotados dos dons, que à vida oferece
Pois somos feitos a imagem e semelhança do Criador.
Todos carregamos essas características
Resta saber se queremos
Externar esse melhor.
A bondade, a tranquilidade,
A harmonia, a simplicidade e o Amor...
Exercendo todo dia, virtudes que existe dentro de ti.
Pense que para ser bom,
Não Precisamos de nada
E precisamos  de tudo.
A essência do Deus que vive, em nós.

Sol&Lua
 

Naveguei por
TANTO MAR,
Pesquei PEDAÇO
DE MIM,
Quando ouvi
Tocar A BANDA,
Vi GENI
E O ZEPELIN
OLHOS NOS OLHOS:
DUETO,
Queria mesmo
um terceto
Você, eu e Tom
Jobim.

MEU CARO AMIGO,
O fim,
É dos FUTUROS
AMANTES,
O QUE SERÁ?
Diz aí,
Nada será como
Antes,
MEDO DE AMAR,
ABANDONO,
AMOR BARATO,
É dono,
Do DESALENTO,
Instantes.

Jocélio Francisco

A vida que se leva!

Ah! Com certeza e emoção,
Com um sentimento capaz
De um amor que satisfaz,
Numa firme demonstração
                     II
Do prazer que a vida nos faz,
Motivo de satisfação
De um passado em ação
Do poeta que se refaz
                    III
Pela força do trabalho
Ah! Com amor e carinho
Olhando sempre prá frente.
                     IV
Desde jovem que trabalho
Não esquecendo o espinho
Na essência, oh! Crescente!

Manoel Antônio Dos Santos
Guarabira-PB, 21/dez/2021 

É o fim

Acendo um cigarro, penso,
Medito, imagino, acredito
Não sei no que habita em mim,
No que penso, se é real.
Assim à vida me leva,
Indo prá onde não sei,
Só pensando, vou ficando,
Vou chegando ao fim.
Para trás as lembranças,
As saudades constantes
E também sem fim.
É um fogo ardente,
É vontade de ver alguém
Que a distância me impede.
É o fim!

Manoel Antônio Dos Santos
Jaguaribe - CE/1980.
 

 SEGUNDA   LEITURA
 
  CASARÃO DE CRISTAL

Construí uma casa com proteção eletrônica
Câmera biônica e acomodações seculares.
Idealizei as portas supostamente abertas
Com fechaduras metálicas e travas elétricas.
Paredes e quartos seguramente secretos e olhos biônicos.
Piscina térmica com hidromassagem e controle eletrônico.
Detalhei a mais inusitada estrutura
Com designer Niemeyer de moderníssima arquitetura.

A princípio, idealizei-a toda em vidro
Temperado, detalhado e transparente.
Logo mudei de ideia e troquei por placas
Blindadas em vidro fumê, de fibras potentes
Finalizei com esse implacável material
Iluminação de mercúrio, fechaduras de onix
Com as dobradiças de metal!
As esquadrilhas de bronze, portas parafinadas
Com cobertura de cristal!

Totalmente segura para proteger meu mais valioso tesouro.
Teto solar, jardim estrelar e o pátio moderno
E decorado com turmalina.
Era pra ser uma casa de vidro cristalizado
Mas transformou-se num palácio imperial!
Uma corte linda, à luz de candelabros
Móveis requintados, revestida em ouro e prata fina.
 
Baltazar Filho.
 
 

Na cidade, centenas de pessoas
Passam em minha frente.
Procuro um rosto amigo,
Um rosto conhecido
Só vejo espelho, dor, solidão.

Olho para os lados,
Procuro alguém;
Todos estão apressados,
Não prestam atenção.
Não escutam,
Seguem sem direção.

Apresso os passos,
Apressam os passos.
Isolo-me, isolam-me.
Estou só na multidão

Volto, revolto.
Faço o percurso que já fiz
Tantas vezes que não levam
A lugar nenhum.
E ao chegar, lá já estava,
Já me encontrava,
Só.

Jorge Leite

 Quietude


A alegria toma conta de minh' alma,
A natureza segue seu ciclo
Envolve-me.
Nada faço. Acompanho,
Sigo em frente,
Não me deixo abater.

As peças do tabuleiro são mexidas,
Ninguém perde,
O jogo não terminou.
Não haverá perdedores,
Nem empate,
Ambos sairemos vencedores.

Novos passos são dados sempre em frente,
Paramos para descansar
Tomo folgo, contínuo.
Não tem como recuar.
Não há volta no percurso.
É seguir, seguir.

Adiante o sol brilha iluminando o caminho,
Não há sombras nem passado,
O futuro é hoje.
Mãos dadas, passos firmes.
Em volta tudo é harmonia
Há quietude no coração.
Juntos seguimos o mesmo ritmo,
A mesma direção.

Corações quietos,
Quietude no existir.
O ciclo segue,
Agora seguimos juntos.

Jorge, SP 19/07/1991

 

  
 IMAGENS:Outono
 
 

 

28 comentários:

  1. O Cantinho do Saber, chega neste domingo, transbordando de amor, muitas reflexões, com um toque suave de nostalgia no ar e fortes emoções. É com imenso prazer que compartilhamos para o deleite de todos mais uma edição do nosso Blog Maçayó que enche nosso dia de Poesia.
    Na LEITURA DE DOMINGO trago um Conto bem reflexivo, uma temática do nosso cotidiano de vida que aborda, principalmente, pessoas que fazem julgamento precipitado de uma cena, sem estudo do caso. Trago também poemas reflexivos, de Fé, poder da oração e da melancolia de um amor que se acabou.
    Na seção ENCONTRO DE POETAS acontece um grande desfile de ilustres poetas, que estão reinando por aqui. Muita sensibilidade à flor da pele, com poemas lindos, criativos e expressivos. Um verdadeiro show de talento, tanto em riqueza poética quanto em detalhamento e organização do poeta querido Jorge Leite, meu irmão. Como também a Poesia expressada de várias formas e diferentes olhares poéticos. Não irei comentar individualmente os nobres colaboradores porque todos os poemas sem exceção de nenhum, estão sensacionais. Quero sim, parabenizar a todos pelas notáveis artes poéticas.
    As ilustrações estão impecáveis , que significam o Outono renovador, elas estão bem pertinentes aos temas abordados neste domingo puramente outonal.
    Fechado o Blog temos A SEGUNDA LEITURA em grande estilo, com poemas recheados de reflexão. Vamos refletir sobre assuntos que foram abordados. Parabéns para os poetas, Jorge Leite e Baltazar Filho, que estão brilhando neste Recanto de amigos para amigos com suas belíssimas artes.
    Quero parabenizar mais uma vez ao nosso mentor, Jorge Leite, pela sua maravilhosa arte final.
    Aplausos mil pela sensacional partilha de hoje 👏👏👏👏👏.
    Obrigada pelo carinho de todos os poetas colaboradores, como também dos visitantes e demais leitores.
    Um ótimo domingo para vocês, com muita ternura, amor e paz.
    Até a próxima Edição!
    🤗❤️💙🌸🌷🌹🌻💐☀️🕊.

    ResponderExcluir
  2. Não poderia deixar de agradecer a minha querida amiga Bete pelo seu admirável poema sorrisos sem risos que chega para me fazer refletir sobre minha vida. Amiga Elisabete Leite seu adorável conto retrata, sim, uma situação presente em nosso cotidiano. Não devemos culpar sem conhecer o motivo julgado. Um grande ensinamento diário. Sim amiga Deus é o caminho, a verdade e a vida. Parabéns! Todos os poemas estão lindíssimos cada poeta apresenta o seu estilo próprio, deixando o Blog mais rico em conteúdo. Gostei demais das imagens da estação outono. Grande Jorge, meus parabéns!
    Encerrando o blog temos lindos e criativos poemas. É sempre muito bom poder interagir por aqui. Estou sempre aprendendo com tudo isso .
    Abraços e saudades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Betânia, agradeço pelo seu comentário, sempre nos prestigiando com sua simpatia e consideração. Abraço

      Excluir
    2. Quero agradecer-lhe pelo seu carinho de sempre amiga Betânia, sei que você está passando pelo sufoco enorme, mas na vida tudo é aprendizado. Gratidão pelo carinhoso comentário e pela sua presença constante nas páginas do Blog Maçayó. Beijos em seu grandioso coração ❤️ e pode contar sempre comigo.
      Saudades...

      Excluir
  3. Passei por aqui e desejo a todos um bom domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amigo poeta Enoque pela sua atenção e belíssimo poema. Gratidão pela sua grande contribuição.
      Abraços poéticos!

      Excluir
  4. Hoje vou comentar sobre os poetas que enriquecem o blog neste dia,Elisabete Leite que escritora fico esperando a cada domingo, ela nos surpreende co.seus contos e poemas sou seu fã, Socorro Almeida,dispensa comentários o seu vocabulário e poesia pura,ela respira poesia,ela vive poesia, ela é poesia, Sol Lua seus versos são muito ricos em detalhes, parabéns vc é mestra no que faz,Jocelio Francisco sou grande admirador das suas obras,é um grande poeta,Manoel Antônio uma grata surpresa para o mundo poético com suas poesias filosóficas,parabéns Poeta,Jorge Leite sua poesia tem uma riqueza de detalhes que fascina quem Ler parabéns Poeta, Baltazar esse poeta de guarabira que amamos suas poesias são tão reais que ao ler-la parece que estamos inseridos em seus poemas,parabéns poeta Baltazar suas obras são belíssimas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ao nobre poeta pelos seus comentários. Você também é um grande poeta. Parabéns pelo belo poema.

      Excluir
    2. Gratidão amigo e grande poeta Manoel Firmino pela atenção de sempre e excelentes contribuições poéticas.
      Abraços literários.
      Parabéns!!!

      Excluir
  5. Enfatizando todos...
    Bete, Jorge, Baltazar, Manoel Antônio, Sol&Lua, Rio que passa, e Jocélio...
    Parabéns, nobres poetas, que embelezam nosso domingo com seus lindos poemas.
    Parabéns ao blog pelas ilustrações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão querida amiga Socorro Almeida pelas suas fabulosas contribuições e belíssimos comentários. Seus poemas estão lindíssimos. Parabéns e obrigada pelo seu carinho e amizade.
      Um beijo em seu coração ❤️.

      Excluir
  6. Enfatizando todos...
    Bete, Jorge, Baltazar, Manoel Antônio, Sol&Lua, Rio que passa, e Jocélio...
    Parabéns, nobres poetas, que embelezam nosso domingo com seus lindos poemas.
    Parabéns ao blog pelas ilustrações.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado meu caríssimo poeta e confrade Firmino. Um forte abraço!

    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  8. Bom dia meus nobres amigos e amigas, poetas e comentaristas. Sempre me enchi de energias salutares aí ao abrir o link do Maçayó, são trabalhos belíssimos que a cada edição nós torna mais sensível. Abraço a todos que desfilam nesse campo de luz e vibrações. A minha admiração infinita pelos trabalhos super intelectuais da poeta Elisabete Leite. Fico sempre radiante com a fúria extravasa te dos seus contos Minha admiração pelos poetas Jorge Leite e Socorro Almeida, dois grandes poetas que defendem um potencial muito próprio. Abraços a Sol&Lua, Jicelio e Manoel que abrilhantam esse riquíssimo cantinho literário com tamanha sabedoria.

    Ser poeta, é está sempre conectado com o universo e as energias cósmicas da natureza.

    Abraços em todos, Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras a mim dirigidas, que me estimulam. Você é um grande poeta. Abraços

      Excluir
    2. Obrigada amigo poeta Baltazar Filho pele sua atenção e gentil comentário. Nós agradecemos pelas suas fabulosas continuações. Parabéns pelo maravilhoso poema.
      Saudações poéticas!

      Excluir
  9. Bom dia!
    O Blog Maçayó de hoje está irradiando Amor...
    Amor de amantes e amor incondicional, nos seus poemas e conto...
    Tudo isso emoldurado por fotos, lindas, outonais, que me lembraram a canção famosa "Les feuilles mortes", cantada por Yves Montand, e me remeteram à temporadas maravilhosas em Paris, quando jovem, e vibrante do amor da juventude!
    Obrigada, a todos os poetas, por me proporcionarem essas lembranças incríveis!
    ❤️Tásia Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa canção tem a mais bonita interpretação na voz de Natale Cole, minha música preferida. Tens bom gosto.
      Obrigada pela visita.

      Excluir
    2. Obrigada querida amiga poeta Tásia Maria pelo seu carinho ao comentar e pelas suas adoráveis contribuições poéticas. Um beijo em seu coração bondoso ❤️. Nós agradecemos pela sua atenção e fiel amizade.

      Excluir
  10. Oieeeee!!!

    Boa noite, poetas maravilhosos a cada domingo um desfile de leveza e encantamento. Parabéns a todos que compõem esse blog fantástico!!!❤⚘🌷🥰🥰

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão amiga Marineide Firmino pela ilustre visita e gentil comentário. Um beijo em seu coração ❤️.

      Excluir
  11. A culpa é sua sim!
    Elisabete és a culpada por despertar num branquelo um desejo de escrever com o coração.
    Kkkkkkk
    Beijos a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, querido amigo Emiliano de Melo? Não sou culpada de nada, mesmo porque a sua inspiração vem fluindo da sua criatividade poética, espontaneamente. Gratidão sempre pela sua maravilhosas contribuições e sincera amizade. Estou no aguardo de novos poemas seus.
      Abraços literários.

      Excluir
  12. Parabens Baltazar por esse dom de escrever. Saúde e sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  13. Manoel Antônio Dos Santos28 de março de 2022 09:55

    Boa noite, À amiga Elisabete, Dizer da satisfação e alegria de participar desse Blog, embora modesta seja minha contribuição, enche-me o ego, vejo meus poemas divulgados por tão importante meio. Os Confrades e Confreiras da AGLACMA, estamos confortados ante à oportunidade de publicitar nossos trabalhos no MAÇAYÓ. Um abraço literário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre ilustre poeta Manoel Antônio Dos Santos pela sua atenção e belíssimas Contribuições. Nós agradecemos seu gentil comentário.
      Saudações poéticas!

      Excluir
  14. Muito satisfeito Sr. Manoel com seu trabalho no Maçayó e com o seu comentário.
    Um gi eu e abraço.

    Baltazar y

    ResponderExcluir
  15. Um Domingo de Outono! Mais uma Página Encantadora do Blog Maçayó deste domingo, cujo sabor do deleite se inicia, como de costume, com o conto: “Não Foi Minha Culpa” seguido dos poemas: “O sentido da Vida” e “Sorrisos sem Risos” da Poetisa Elizabete leite. Parabéns nobre poetisa! Parabéns e aplausos que se estendem à Poetisa Socorro Almeida e aos Poetas: Rio que Passa, Sol & Lua, Jocélio Francisco, Manoel Antônio, Baltazar Filho e Jorge Leite, por seus brilhantes poemas exibidos nesta edição do blog. Parabéns e gratidão a todos! Brilhe sempre a vossa luz! Segue Homenagem Poética ao blog e aos poetas e suas respectivas obras:
    HOMENAGEM:

    A jovem senhora: Berta
    Disse: “não foi minha culpa”
    O guarda fez julgamento
    Sem análise de conduta
    Para “o sentido da vida”,
    Cristo é a melhor saída
    Com certeza absoluta.
    ......
    Em “decisões e segredos”,
    Suspirar de amor, sorrir...
    Vejo em “sorrisos sem risos”
    Sonhos de Amor sem florir
    Você me usa e abusa...
    Fingindo “tolas recusas”
    Querendo me possuir.
    ......
    “Apenas Tu”, tem mistérios
    Suavidade e amarguras
    “O melhor de cada um”
    Traz gentileza e ternura
    “Naveguei por tanto mar”
    Que vi, Zepelim fitar...
    Com Geni, lá nas alturas.
    ......
    Tem, “a vida que se leva”
    Sentimentos e emoções
    “É o fim”, leva a lembranças
    Constantes recordações...
    Qual Palácio Imperial,
    Tem: “Casarão de Cristal”
    Boas acomodações.
    ......
    É triste se sentir “SÓ”
    Andando sem direção
    “Quietude”, é seguir firme
    Espantando a solidão
    A ti, meu Revolto Mar
    Quero amar, amar, amar
    Sem nenhuma interdição.

    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir