domingo, 22 de maio de 2022

Em Um Domingo de Outono

 
 Blog  Maçayó

Edição   Nº  490

Tema das Imagens: Outono

  LEITURA   DE   DOMINGO
 
 A MENINA SEM NOME
 (HISTÓRIA QUE MAMÃE CONTAVA)

          Era uma noite tenebrosa, com ventos que sopravam em várias direções, raios que riscavam o céu de um canto a outro, o entardecer já tinha desaparecido, dando passagem ao acinzentado luar e às nuvens escurecidas por toda sua extensão. O silêncio predominava nas ruas sombrias do bairro de Santo Amaro, da capital pernambucana; parecia até que portas e janelas das residências queriam contar algum segredo, pois ficavam sussurrando para quem quisessem ouvi-las. Bento saiu do trabalho muito tarde e morava a poucos metros de distância do antigo cemitério de Santo Amaro e resolveu se aventurar caminhando. Como já tinha costume de transitar por aquelas redondezas foi andando em passos curtos. De repente, uma garota de aproximadamente onze anos de idade passou à sua frente em sentido cruzado.
O rapaz tomou um susto danado e ficou conversando com seus botões: "o que uma garota faz por aqui? Será uma assombração? Meu Deus, mamãe ficou um pouco adoentada! Ou será uma premonição?!
Assim, Bento apressou os passos para chegar logo em casa. Já em casa o rapaz foi direto ao quarto da mãe e a encontrou ardendo em febre, procurou saber o que estava acontecendo com ela, pois a mesma se encontrava acometida por uma doença misteriosa, e disse-lhe:
          - Mamãe, o que a senhora está sentindo?
          Sua mãe balbuciou com todo esforço, e respondeu-lhe:
          - Meu filho,  estou com náuseas, dor de cabeça, com o corpo doendo e bastante febril.
          Bento medicou a sua mãe com um analgésico e antitérmico e foi procurar dormir... O rapaz acordou cedo e observou que a mãe só havia piorado dos sintomas da doença. Ele resolveu chamar um médico para saber a causa da enfermidade. O médico disse-lhe que seria necessário vários exames e assim foi providenciado. Com tudo sob controle, deixou sua mãe com uma cuidadora e foi trabalhar... Na saída do trabalho, resolveu voltar para casa caminhando porque queria muito reencontrar a menina misteriosa da noite anterior. Passou rápido em frente ao portão do Cemitério, mas sentiu calafrios pelo corpo e ouviu uma voz que dizia: "quero confeitos, rosas e incensos para meu túmulo." O rapaz permaneceu atônito, voltou seu olhar para dentro do cemitério e viu uma menina sentada em uma lápide qualquer. A vontade dele era correr muito, fugir daquilo tudo, mas resolveu apurar os fatos, assim olhou mais uma vez para dentro do cemitério, porém não viu nem uma viva alma. Voltou para casa cabisbaixo e foi direto para o quarto da mãe que se encontrava acamada no mesmo estado da noite anterior. Logo, adormeceu junto ao leito da mãe doente. Pela manhã, Bento resolveu investigar os fatos no cemitério, foi diretamente à sala de informações procurar esclarecer tudo. Falou com um atendente que desconhecia a identidade de uma menina que perambulava na calada da noite. Bento Já ia saindo quando ouviu o atendente dizer-lhe:
            - Moço, comenta-se que uma menina fica pedindo guloseimas em troca de milagres. Ela deixa muita gente assustada e de cabelo em pé. O túmulo dela fica logo aí na frente e é muito visitado por romeiros. Ela já virou uma Lenda!
            Bento pediu permissão para visitar o túmulo da garota e a permissão foi concedida. O rapaz se aproximou do túmulo da menina e ficou perplexo pelo que viu. Tinham flores, roupas, confeitos, velas, pedidos, agradecimentos por graças alcançadas e muitas outras coisas em cima da lápide. O rapaz se ajoelhou diante do túmulo da garota e léu: Menina Sem Nome. Ele viu uma foto e observou que era a mesma menina que ele cruzou por duas vezes. Bento aproveitou e orou em voz baixa: "pela saúde da minha mãe, prometo-lhe trazer sua solicitação". E saiu em seguida!
          
À tardinha o jovem Bento trouxe um ramalhete de rosas, velas, confeitos, objetos de uso pessoal e incensos; colocou tudo no túmulo da Menina Sem Nome e voltou para casa satisfeito pela sua atitude tão nobre. Chegando em casa encontrou sua mãe na sala vendo um filme, observou que ela estava sem febre e com uma aparência bem saudável.
            O tempo passou... O jovem Bento nunca mais encontrou aquela garota de novo, mas muitas vezes ele voltou ao túmulo da menina para deixar donativos. Ele sempre agradecia pela graça alcançada e passou a acreditar que às Lendas apresentavam um fundo de verdade.
 
Elisabete Leite - 10/05/2022
(Conto inspirado na Lenda de Pernambuco MENINA SEM NOME).
 
  SOU UMA LENDA

Sou uma Lenda de Pernambuco
Faço parte da Cultura e Tradição
E quem me conhece fica maluco
Pra fazer-me pedidos de coração...

Meu túmulo é bastante procurado
Pelos fiéis e crentes em visitação,
Sinto-me como um anjo abençoado
E que Deus mantém por Criação...

Meu corpo deixado na praia do Pina
Serve como relato e muita comoção
Mas perambular à noite é minha sina
Em Santo Amaro causo admiração...

Gosto de guloseimas, velas e flores
Aguça o meu paladar e mata a fome
Os visitantes são os meus amores,
Sou na verdade, MENINA SEM NOME!

Elisabete Leite - 17/05/2022
 
 
 SEGUNDA   LEITURA 
 
 MENINA SEM NOME: A HISTÓRIA POR TRÁS DE UM DOS TÚMULOS MAIS VISITADOS DO PAÍS
(Misterioso crime cometido em 1970 se tornou uma das maiores lendas do Pernambuco)

O dia 23 de junho de 1970 será marcado para sempre na história de Recife. A data, porém, não remete a um fato positivo, mas se tornou marcante por conta de toda a lenda que começou a partir de então.  No dia em questão, o corpo de uma menina foi encontrado na Praia do Pina pelo vendedor de coco Arlindo José da Silva. Como recorda matéria do UOL, na época, foi relatado que a vítima estava com o rosto cravado na areia e suas mãos estavam atadas.  
O caso gerou uma enorme comoção entre os moradores da capital pernambucana e se tornou um enorme mistério. Em um primeiro momento, Arlindo chegou a ser preso por ser suspeito de ter cometido o crime, mas logo depois acabou solto.
Seis dias depois, em 29 de junho, as investigações apontaram para o mecânico Geraldo Magno de Oliveira. O trabalhador confessou o crime em depoimento à polícia recifense. Oliveira contou, como aponta o UOL, que convidou a garota para passar a noite com ele.
O mecânico diz ter oferecido a ela 5 cruzeiros para isso. Porém, como não tinha troco, a menina começou a xingá-lo de “vigarista” e “velhaco”.  
Apesar da confissão, pouco depois Geraldo disse que só contou aquela história por ter sido coagido e torturado pela equipe de polícia. Mesmo assim, sua prevenção preventiva foi decretada. Ele foi assassinado na cadeia antes de ser julgado.  
Quem era a vítima?
Apesar do real responsável pelo crime ser um tema controverso, esse não é o ponto mais curioso de toda a história. Como você deve ter reparado, o nome da menina não foi citado em nenhum momento, mas isso não é por acaso, afinal, ninguém nunca soube sua verdadeira identidade.
Como mostra matéria do UOL, o corpo da garota ficou por duas semanas no Instituto de Medicina Legal (IML) de Recife. Durante todo esse tempo nenhum parente ou conhecido que pudesse identificar o corpo apareceu.  
Assim, com o aval da Secretaria de Segurança Pública, a menina foi enterrada como indigente em 3 de julho de 1970, no Cemitério de Santo Amaro. Ironicamente, aquela que parecia estar sozinha, jamais deixou de estar acompanhada após seu sepultamento.
Afinal, diversos moradores passaram a atribuir conquistas a ela. Nascia a lenda da “Menina Sem Nome”. Moradores locais relatam que diversos pedidos feitos a garota começaram a ser realizados.  
Como diz a lenda local, ela atendeu por desejos que iam desde conquistas materiais até a cura de pessoas doentes.
Desde então, seu túmulo se tornou um dos mais conhecidos e visitados do país, com pessoas lhe ofertando doces, flores, brinquedos, perfumes e centenas de cartas com agradecimentos. Os presentes se tornam mais frequentes no Dia de Finados, em 2 de novembro.  
A lenda, inclusive, virou assunto de um documentário produzido por Adriano Portela. O jornalista e cineasta diz que: "Ela [a história da Menina Sem Nome] está enraizada na cultura de Pernambuco. Todo mundo já escutou falar da história. O caso deixou de ser um fato jornalístico e se tornou lenda a partir da história da exumação e dos milagres".

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/menina-sem-nome-historia-por-tras-de-um-dos-tumulos-mais-visitados-do-pais.phtml
FABIO PREVIDELLI PUBLICADO EM 01/08/2021, ÀS 10H00
 

 ENCONTRO DE POETAS
 
 MÃE-DE-OURO

Quando deusas eu encontro, me confundo
Quem é a mais bela de todas, na natureza
Seja dos mares, dos rios, dos oceanos
Ou uma rainha de um rei sem fortaleza?

De seda branca, bem refletida à luz do sol
Surge uma mulher, que tão divina quanto bela
Tem ao seu domínio a fraqueza das mulheres
E em suas mãos, o dever de protegê-las.

Bem-vinda do mar, dos rios, e dos montes
Das gramas verdes, dos jardins sem flores
Se esquiva pra não saberem que em suas cores
Esconde riqueza: seus ouros, seus diamantes.

Mãe-de-Ouro, Deusa Mãe, minha Rainha
Não por seu tesouro, pelo ouro, ou diamantes
Sim, por sua luz, sua bondade, sua beleza
Pela humildade e respeito aos seus amantes!

Socorro Almeida
Recife, 15/05/2022
 
 RAINHA DOS MARES

Quem ouve seu canto tem o feitiço na alma
Por mais que eu queira ser, não serei igual
Se eu fosse uma gaivota, talvez a seguiria
Enfeitiçada pelo seu vai e vem, nas águas.

Sou tão pequenino, sem asas flutuantes
Enquanto eu me atrevo a voar pelos ares
Ela, furtiva e alheia aos anseios da gente
Desafia os encantos e mistérios dos mares.

Mãe D'água, Yemanjá, Senhora dos Anos
Se não for a Índia Guerreira do Amazonas
É a divina Yara, a supremacia dos oceanos...

Que da escuridão e profundezas das Marianas
Louva os homens da terra com seus encantos
E domina os corações de todos que a amam.

Socorro Almeida
Recife, 15/05/2022
 
 A Magia real do sentimento
Por: Joseraldo Silva Ramos

Não se deve matar um sentimento
Mesmo que ele não possa ser vivido
Porque mesmo depois de ter morrido
Ele viverá em nós para sempre.

Se não fosse na vida os tormentos
Que deveras bem antes ser sabido
Não haveria o destino conhecido
A magia desnorteada do esquecimento.

Sentimentos nos são razões de paz
Agonias, tormentos e muito mais
Das paixões e dos amores vividos.

Pobres almas que nunca foram amadas
E se amaram viveram amarguradas
Por um sentimento de volta não sentido.
 
 Entre lençóis!
Por: Joseraldo Silva Ramos

Que tua cama me faça  embriagar
No cheiro do perfume do teu corpo,
Onde desvendando vou aos poucos
Fazer tudo que em ti me faz sonhar.

Deslizando as minhas mãos até ficar
Extasiado, inseguro e quase louco,
Te juro não me iludo com esse pouco
Que irá me levar onde quero chegar.

Te amar é meu desejo tenho dito,
com você fui onde jamais tinha ido
Peito aberto, corpo, alma e coração.

Redimido, contigo é que eu senti
Devaneios que contigo aqui vivi
Sem esconder o aguçar dessa união.
 
  À caminho das estrelas

Nossa caminhada pela vida
É sempre assim...
Mudam-se os estágios,
Mas, a vida não tem fim...

Somos nossas almas,
E elas não podem morrer...
São eternizadas,
Têm que se entender...

Se estamos,agora, na matéria
Pode crer...
Que quando morrermos
Vamos logo renascer...

E o nosso caminho
Nas estrelas nos seduz...
A viver tranquilos,
Conservando a nossa luz...

Ela é imortal
E precisamos aprender,
Que o Amor
É  o que nos faz resplandecer...

            ❤️Tásia Maria
 
  Lições da Pandemia

Estamos em Pandemia...
Corpos e almas fragilizados,
Aprendendo, a duras penas,
O que nos está sendo ensinado ...

Sofremos  com tudo isso,
Mas, aprendemos bastante...
Toda hora uma lição,
Cada dia, cada instante...

Temos que ver o que é
Que nos está sendo ensinado...
Pra não ficarmos mais tristes,
Deprimidos, acabados...

Aprendemos que nessas horas,
Não  existem diferenças...
Pretos, brancos ricos, pobres,
Religiões e outras crenças...

Somos iguais quando lutamos,
Contra um inimigo comum...
Por isso, sejamos UNIDOS!
Pois, DEUS nos ama, um a um!!!  

               ❤️Tásia Maria
 
 
 MINHA INSPIRAÇÃO
Por:Manoel Firmino
Em:18/05/2022.

Não preciso usar pontuação
Pra fazer versos rimado
Necessito apenas da mente
De um tema preparado
Caneta tinta  e papel
Pra escrever o cordel
Está dado meu recado.

Depois de tudo pronto
Falo da mãe natureza
Da imensidão do mar
Da mulher, sua beleza
Das coisas só coração
Amor, carinho, afeto, paixão
Evito falar em tristeza.

manoelfirmino08@gmail.com
(83)986784726
 
 "O SER - AÍ"

Quem conhece a filosofia
Com certeza Heidegger, também
Ah! Quem tem muitas ideias, porém
Valorizar-se, em si confia.
                     II
Impossível viver sem ideias
E de sua grandeza para si
Na mente e no pensamento, em si,
Brilhando e nos encandeia.
                     III
Raro não apreciar e estimar,
Ser filósofo, amar o saber
No contemplar da vida fugidia.
                     IV
No encontro, na busca procurar
É o "ser - aí" enquanto não - ser
Eis-me aqui, vida e morte, um dia!

Manoel Antônio Dos Santos
Guarabira-PB, 13/12/2021.

O SER - AÍ!

Partindo da perspectiva
Filosofia que se busca,
Verdade sim, que se ofusca
Na procura da assertiva.
                  II
De um assunto tão complexo
Que empolga e estimula
Na vivência que se formula
Diante de tudo perplexo.
                 III
Ah! Ter o poder da construção,
Pela leitura que se ama
Alteridade do ser - aí.
                  IV
A essência é autoconstrução
Precede-se, não se programa.
Transcendência, não ser - aí!

Manoel Antônio Dos Santos
Guarabira-PB, 04/01/2022.
 

 Galope

Meus pés ainda me levam
aonde eu quero ir.
Bicho livre,
solto,
descalço,
a galopar
no cercado,
no compasso
da vida.

Entre risos
e lágrimas,
atravesso
a minha própria dor,
a minha solidão,
os meus medos.
Vivo milagres,
essa tal felicidade,
sem conflitar o tempo,
com as aparências
ou as essências.

Mas admito,
já com certa pressa,
porque bem sei:
Dias virão
em que hão
de me levar
aonde eu não quero ir.
                     (Diógenes de Brito)
 
  Enredo de mim

De medir forças não careço,
nem testar minha capacidade
com principiantes, meia idade,
pois dos seus males não padeço.

Com meu samba enredo e adereço
desfilo nas passarelas da cidade.
Sou Portela, Mangueira, Mocidade,
mas sem fama, regalias ou endereço.

Bem sei, já fui herói, vilão, bandido.
Diabo, santo, bom professor, ruim marido.
Mas nem de longe, me vem na memória

Ter negado fogo, não acender tua fogueira.
Oh! Morena, tão linda, fogosa e tão faceira,
diz que eu sou o melhor da tua história.
                                         (Diógenes de Brito)
 
 
 Diógenes José Fernandes de Brito, nasceu no dia 26 de outubro de 1960. Natural da cidade de Lagoa de Dentro, Estado da Paraíba, é filho de Damião Paulino de Brito e de Eulália Fernandes Máximo, ambos já falecidos. De família humilde, saiu de casa ainda muito jovem para trabalhar e dar continuidade aos seus estudos. Estudou no antigo Colégio Regina Coeli, na capital João Pessoa, onde concluiu o Ensino Médio; na Universidade Federal da Paraíba, onde cursou Ciências Contábeis e o Pró-ciências, com Habilitação em Matemática; na Universidade Estadual da Paraíba, onde cursou Licenciatura em Letras. É pai da Professora Daniele; da Contadora e da futura Advogada, Isabela; do futuro Advogado, Diógenes Júnior. Desde 1983, é Professor da disciplina Matemática, na, hoje ECIT Ivan Bichara Sobreira, na cidade onde nasceu e reside. Durante dois anos, prestou seus serviços profissionais, como Professor, para as Prefeituras de Curral de Cima e de Jacaraú. Além de ter sido funcionário da Prefeitura Municipal de Lagoa de Dentro, atuando como Agente Administrativo, Chefe de Recursos Humanos, Chefe de Gabinete, Secretário Geral da Administração e Professor, no período de l983 a 2014. É compositor do Hino do Município de Lagoa de Dentro (Vale salientar que a nossa cidade é uma das cidades paraibanas que possui os três Símbolos Municipais próprios: a Bandeira, o Brasão e o Hino). Escreveu várias canções, inclusive religiosas; gravou Discos; é autor de dois livros: Fragmentos de Mim (publicado) e Eu, um escorpiano (aguardando publicação). Recebeu homenagens do Projeto Arte nos Cantos e Votos de Aplausos, por duas vezes, na Câmara Municipal de Lagoa de Dentro, como reconhecimento pelas suas Obras. Além da gratidão de tantos filhos e filhas lagoadentrenses, pelo eficaz trabalho no campo educacional, na música, na arte...na cultura, enfim, sempre formando cidadãos e cidadãs para a vida.
 
 

 
 
 
 
Escolha do Editor
 
 

34 comentários:

  1. Um espetáculo de página e suas diferentes variações, aqui em nosso Cantinho do Saber, o Blog Maçayó. Na LEITURA DE DOMINGO eu compartilho um Conto surpreendente, de muito suspense, porém com um final feliz. Sou muito fã das temáticas de suspense e mistério. Principalmente as Lendas Urbanas, porque posso assegurar que é gratificante uma narrativa que deixa o leitor voar, de maneira lúdica, pela sua imaginação sem perder o clímax total.
    A página de hoje está sombria e emocionante com uma Lenda Urbana de deixar a imaginação voar e o coração chorar de comoção. "Muitas das lendas urbanas são, em sua origem, baseadas em fatos reais (ou preocupações legítimas), mas geralmente acabam distorcidas ao longo do tempo. Com o advento da Internet, muitas lendas passaram a ecoar de maneira tão intensa que se tornaram praticamente universais". Trago Também um poema com a mesma temática para complementar todo o seu contexto.
    NA SEGUNDA LEITURA compartilhamos a verdadeira e surpreendente história da Menina Sem Nome que virou uma tradicional Lenda aqui no Estado de Pernambuco, como também uma das Histórias que Mamãe Contava. No Encontro de Poetas temos a honra de receber a nossa querida amiga e grande poeta Socorro Almeida abrindo o desfile e versando com brilhantismo sobre a temática Lendas e para nosso deleite ela compartilha dois lindíssimos e educativos poemas. Dando continuidade ao adorável desfile poético que está de soltar suspiros de emoções e de fazer chorar de satisfação, com a presença de encantadores poetas que vivem brilhando por aqui. Todos os poemas, sem exceção de nenhum, são dignos de muitos aplausos. Parabéns aos poetas desfilantes e Gratidão sempre pelas suas adoráveis contribuições!
    O nosso Recanto Poético tem a honra de compartilhar um grande e salutar estreante o ilustre poeta Diógenes José Fernandes de Brito com sua belíssima arte e maravilhosos poemas. Parabéns, poeta! E que o nobre poeta seja muito bem-vindo!
    Quero agradecer ao querido irmão Jorge Leite pela sua sensacional arte final que com suavidade retrata a História da Menina Sem Nome em um domingo de outono. Parabéns!!! Quero destacar as lindíssimas e várias temáticas de ilustrações que muito versejam, são poesias dentro de cada imagem.
    Aplausos a todos que, hoje, desfilam. Um show de Blog!👏👏👏👏👏
    Quero agradecer aos poetas, leitores e visitantes pelo carinho de sempre. Abraços poéticos no coração de cada um ❤️💙❤️💗💖💓.
    Boas leituras, grandes momentos e fortes emoções!📚📚
    Deus nos abençoe ricamente!
    Até a próxima Edição!


    ResponderExcluir
  2. Blog macayo é Elisabete Leite, que dupla porreta,uma dar a semente outra planta, a seara e linda ,os maravilhosos poemas, versos e contos,que nos faz tão bem,obrigado os frutos estão aí,deleite-se,a alma agradece.

    ResponderExcluir
  3. Gratidão sempre poeta pelas suas adoráveis contribuições e gentis comentários. Um bom domingo com poesias
    Abraços poéticos!!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, feliz domingo poético com tanta poesia que nos eleva e afaga a alma. Parabéns e gratidão pela partilha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre pela sua atenção e comentário. 🙏
      Saudações!

      Excluir
  5. Bom dia, para os poetas Firmino e Manoel da Casa Marisa Alverga. Como é bonito iniciar a semana agraciado com tanto talentos que tocam a alma.
    Pe. Emiliano Camilo
    Presidente da Academia Guarabirense de Letras e Artes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo poeta Pe. Emiliano Camilo pelas palavras de agradecimento. O Blog agradece suas maravilhosas contribuições.
      Saudações poéticas!

      Excluir
  6. Respostas
    1. Gratidão sempre professor Marciano Dantas pela sua ilustre visita e gentil comentário.
      Saudações e boa tarde!

      Excluir
  7. Que a poesia invada a alma de todos os leitores e poetas desse maravilhoso blog. Um excelente domingo para todos. Boas vindas meu caríssimo amigo, Poeta e Professor Diógenes. Que Deus abençoe a todos nós. 🙏🙏🙏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão amigo poeta, Carlos Isaac, pelas sua lindíssimas e bem inspiradas construções poéticas. Aguardando seus novos poemas.
      Saudações!

      Excluir
  8. O Blog Maçayó de hoje respira Cultura e muita arte Poética, como diz Bete, sempre disponível para divulgar à Literatura de modo geral. O Conto está perfeito, uma homenagem às Lendas Urbanas que merecem total reconhecimento e divulgação grande amiga! Todos os poemas estão transmitindo sentimentos e emoções. Parabéns para os poetas e só Jorge pela arte final. Seja bem-vindo ao estreante!
    Saudades dos amigos e Bom dia!
    Beijo e bravíssimo Betinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh! Querida amiga Betânia você sabe o quanto gosto da temática suspense, mistérios e emoções. Fico lisonjeada pelas suas palavras de carinho e atenção de sempre. Beijo Poético em seu coração lindo 💓. Gratidão 🙏
      Saudades amiga!

      Excluir
  9. Amigos uma página de domingo assustadora, com um conto surpreendente e rico culturalmente, muita ação, suspense, mistério, com todos os acontecimentos de uma boa Lenda Urbana. A poetisa amiga Elisabete Leite não economizou em nada. Todos os poemas estão maravilhosos e recheados de sentimentos e muita arte. Parabéns para todos! Seja bem-vindo ao estreante! Belíssimas imagens ilustrativas de Outono iluminado. Que blog Maçayó!
    Abraços, Bom Dia!
    Pedro Henrique

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo Pedro Henrique pela sua atenção e carinho ao comentar.
      Abraços poéticos!

      Excluir
  10. Lindos poemas. Parabéns a todos.
    Bom DOMINGO para vocês.

    Josenilson Rodrigues
    Pirpirituba Paraíba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo Josenilson Rodrigues pela ilustre visita e gentil comentário. 🙏
      Bom Domingo com Poesia!

      Excluir
  11. Muito obrigado, meu grande amigo e poeta, Calos Isaac...Obrigado também a Betânia e a Elizabete Leite pelas boas-vindas!!!

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Pessoal! Segue o nosso Blog Maçayó de hoje, com belíssimos poemas e grandes momentos de arte.
    Vamos interagir, comentar e compartilhar.
    Tudo por amor à Literatura!
    Boas leituras a todos!

    ABRAÇOS
    Gestos puros de querer bem...
    Quem abraça ou é abraçado, num Instante,
    Sente a vida mais leve e tranquila,
    Com as energias renovadas e constantes...

    Abraços de Amor, Amizade ou Compaixão
    É um encontro de coração à coração,
    Dividindo alegrias ou tristezas
    Que se tornam suportáveis com essa atenção...

    Como é bom abraçar ou ser abraçado!
    Parece que saímos do corpo e nos tornamos "um"
    Com alegrias ou mágoas divididas,
    Que não se consegue em lugar algum...

    Precisamos abraçar mais!
    E ter mais prazer em nossa vida...
    Com nossa alma se sentindo amada
    E nós mais felizes, antes da partida...
    ❤️Tásia Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, que lindo querida amiga poeta Tásia Maria pelo seu poema em homenagem ao dia do abraço. Sinta-se abraçada. Um abraço poético em seu lindo coração.❤️

      Excluir
  13. Boa tarde, Poetas!
    Fiquei encantada com o Blog Maçayó de hoje, cheio de mistério com a lenda da "Menina sem Nome" de Elisabete, belos poemas como os de Socorro Almeida e feliz com a minha singela participação...
    Como hoje é o dia do abraço, gostaria de encerrar meu comentário com meu poema "Abraços", feito ano passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre pelas suas adoráveis contribuições. Versos encantadores que tocam o coração da gente. Parabéns 👏👏👏👏

      Excluir
    2. Parabéns, amiga Tânia pelos seus belos poemas, e gratidão pelo seu carinho.

      Excluir
  14. Como é bom saber o que os artistas das letras e pensamentos estão criando.
    Eis aí um livro poético que se desenha a cada edição, macayo.
    Obrigado aos Leites!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo poeta Emiliano de Melo pela sua atenção e belíssimas Contribuições poéticas. Estamos no aguardo dos meus belos poemas.
      Saudações!

      Excluir
  15. Eu estava viajando e só agora posso me dirigir a todos pelos comentários carinhosos. Agradecer os nobres amigos pelo carinho e atenção à minha pessoa. Aproveito a oportunidade para desejar boas-vindas ao novo poeta Diógenes. Volte sempre.
    Abraços poéticos a todos que compõem a edição de hoje.
    Parabéns a Bete pelos contos lindos e ao Jorge Leite essa maravilhosa edição.
    Até a próxima, se Deus quiser!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga e grande poeta Socorro Almeida pelos seus magníficos poemas e preciosa amizade. Um abraço poético em seu coração. Nós agradecemos suas adoráveis contribuições.

      Excluir
  16. Retornando ao blog para agradecer a todos, pelas ilustres visitas e gentis comentários, sem o comentário de cada um de vocês, o blog não teria o brilho incandescente que tem, porque vocês são estrelas que brilham nas páginas desse recanto poético. Aqui os comentários são tão relevantes quanto as artes compartilhadas. Eu quero agradecer em nome do Blog, pelo carinho de sempre.
    Um agradecimento especial ao poeta estreante na página de hoje Diógenes de Brito
    pelo compromisso para conosco e com o nosso blog. Obrigada também a todos os poetas participantes desse belíssimo desfile poético.
    Quem me conhece muito bem, sabe que não nasci para competir com ninguém, neste plano terrestre sou apenas uma aprendiz.
    Aqui as portas estão e estarão sempre abertas para divulgação de novos e antigos talentos, a arte de modo geral será o fator primordial.
    Um abraço Poético no coração de cada um ❤️💙.
    Feliz anoitecer a todos!

    ResponderExcluir
  17. Rita de Cássia Soares22 de maio de 2022 18:19

    Tanta beleza em conto e poesia, o blog Maçayó traz para nós essa doce magia.
    A arte abre todas as cortinas para declarar o amor, a ficção, a lenda e poesia com toda harmonia.
    Parabéns poetas, pelo brilho das suas artes em poesias.
    O encanto também das ilustrações, que tem toda eficiência do nobre poeta Dr. Jorge Leite.
    Tudo belo e perfeito!
    Um domingo recheado de paz para todos nós.

    ResponderExcluir
  18. Elias dos Santos 22 de Maio de 2022

    Que beleza de conto ! Elizabete Leite,trazendo com maestria e beleza as lendas urbanas para dentro do seu conto ,desenhando seus mistérios como um artista virtuose . Poetas e poetisas transformam este domingo num momento ímpar da arte e da cultura Literária. parabéns Elizabete e Jorge Leite pelo desafio de manter esse blog

    ResponderExcluir
  19. Boa noite poetas, nosso portal para o mundo do imaginário e da consciência real está mais uma vez fabuloso. Aqui trago o meu abraço carinho a todos e a minha satisfação em compor este universo cultural. A poesia nos transporta a diversos caminhos e nos revigora com tamanha grandeza emocional, que faz o artista ultrapassar as linhas do subconsciente até mesmo cruzar no imaginário a linha do Equador, e lá, flutuar contando e cortando linhas infinitas de rimas em versos cósmicos, traduzidos da natureza. Parabéns a todos por tão significantes trabalhos.
    A menina sem nome, como já tinha costume de transitar por aquelas redondezas foi andando em passos curtos.
    A menina sem nome, de repente, uma garota de aproximadamente onze anos de idade passou à sua frente em sentido cruzado. --Amei esse conto, aplausos querida amiga, a sua luz tem essa capacidade e intensidade de iluminar todo universo, com seu talento e suas fenomenais inspirações. Grandes poetas Socorro e Jorge, aos dois rendi aninha admiração. Ao nobre colega estreante Diógenes meu aplauso. Aos demais colegas Tasia, Joseraldo, Manoel Firmino, Manoel Antônio.
    Em um gesto tão simplório como um afavel abraço, podemos transmitir uma corrente magnética de grande woltagem emocional. E é nesse aperto com os braços que o abraço aperta o corpo e fala bem juntinho de coração pra coração ❤️
    Beijo para todos, abraços em todos!
    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
  20. Elias dos Santos 22 de Maio de 2022

    Um domingo espetacular trazendo belo conto da escritora e poetiza Elizabete Leite, que enfoca as lendas urbanas,os mistérios das esquinas,os pesadelos que assombram as noites dos solitários.Elizabete,escreve como quem pinta uma tela,colorindo a paisagem de que descreve .Parabenizo também,a todos os poetas e poetiza que se fazem presente nesse blog.Parabenizo Jorge Leite,grande entusiasta da cultura e da arte de escrever..uita paz para todos.

    ResponderExcluir
  21. EM UM DOMINGO DE OUTONO! mais uma brilhante página exibida pelo Blog Maçayó. Parabéns ao blog, seus representantes e colaboradores! Magnífico conto: “A MENINA SEM NOME” da Contista Elizabete Leite! Excelentes poemas abrilhantando a página e seus construtores. Parabéns a todos pelo belo trabalho apresentado. Vocês, poetas e poetisas, recebem os parabéns e elogios merecidos e presenteiam os leitores e visitantes do blog, com o melhor que podem oferecer em suas Obras apresentadas. Brilhe sempre a luz de cada um!
    Em Um Domingo de Outono
    Um conto pra abrilhantar
    Diz: da “Menina sem Nome”
    Uma Lenda Popular
    Morava no Cemitério
    Rodeada de mistérios
    Eu ouvi mamãe contar.

    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir