domingo, 12 de junho de 2022

São João está no Ar

 

  Blog  Maçayó

Edição   nº  493

 Tema das Imagens: Festas Juninas 
 LEITURA   DE   DOMINGO
 
 UM FORRÓ NO ALTO DO MOURA

          Era outono, estação do ano que se situa entre o verão e o inverno, o cenário parecia novelesco, o vento soprando suave e carregando as folhas pelo chão. Para quem mora no campo também é conhecido como a época da colheita. Maria Elisa vivia sonhando acordada, suspirando pelos quatro cantos da casa, ela amava as festas juninas. Jovem senhora que acordava ao alvorecer do dia e ficava admirando a natureza sorrindo para ela. Naquele dia esplendoroso de junho, o sol mostrava seus raios brilhantes, anunciando assim, que o dia seria propício para ser feliz. Elisa despertou de seus devaneios com o toque contínuo do telefone. A jovem sonhadora correu até o criado-mudo e atendeu a chamada, ficou por horas papeando com sua irmã. Logo depois, desceu as escadas correndo e cruzou com sua filha no corredor, e a cumprimentou:
       
   - Bom Dia, Isa! Veja como o sol está lindo!
           A filha olhou com carinho para sua mãe, e disse-lhe:
          - Mamãe, a senhora viu passarinho verde? Como a senhora está bonita e radiante esta manhã.
          Elisa olhou para sua filha, e respondeu-lhe:
           Oh querida! Quisera eu ter visto um passarinho verde. Bonita é você com esta jovialidade toda. Sua tia Lúcia me convidou para um forró Pé de Serra lá no Alto do Moura (
O Alto do Moura é um bairro do município de Caruaru, principal cidade do agreste pernambucano, localizado a cerca de 135 km do Recife. Wikipédia). Então iremos forrozar! Vamos! Vá acordar Mila!
          Bete, como gostava de ser chamada, era uma Senhora determinada e de bem com a vida, estava divorciada a pouco tempo, se sentia livre como uma borboleta a esvoaçar pelo jardim. Ela queria aproveitar os folguedos juninos em família...
          E assim aconteceu! Já em Caruaru tudo parecia festa, clima junino, bandeirolas coloridas por todo lado, cheiro de milho verde, diferentes músicas sertanejas e muitos matutos vestidos a caráter e matutas estilosas. Primeiro aconteceu um passeio turístico pelo Alto do Moura, local onde a arte predominava. Sabe-se que (Para 700 pessoas do Alto do Moura, bairro da cidade de Caruaru, interior de Pernambuco, o barro é fonte de sobrevivência e sustento, tão valioso quanto ouro. É a matéria-prima de peças de artesanato que fizeram do Alto do Moura um centro de arte figurativa reconhecido em todo o mundo. Hoje, esse legado está ameaçado.28 de dez. de 2021). Para mim, eu narrador, será outra história!
           Bete estava radiante, usava um vestido floral, com babados em xadrez, tinha um chapéu junino de palha prendendo os cabelos dourados que esvoaçavam pelo ar. Ela não pretendia conhecer ninguém, apenas queria dançar sem pensar no tempo. Logo, chegaram ao local do evento e lá já tinha bastante gente, belas músicas e muito forró pé de Serra. A jovem sonhadora tirou seu cunhado Milton para dançar, já que sua irmã Lucinha se sentia cansada da viagem. Eles pareciam estar flutuando e foram a atração do momento. A sonhadora Elisa dançava sem parar, com as filhas e com as sobrinhas, elas improvisaram até uma quadrilha animada que contagiou a todos e não deixou ninguém sentado. Já era noite fechada quando o forró acabou e chegou o momento de escolher a rainha do milho; para surpresa de todos Maria Elisa foi coroada a forrozeira alto-astral.
          Depois de um dia inteiro de muita festividade, chegou a hora do descanso merecido. Bete adormeceu no banco traseiro do carro e quando acordou já estava em Recife. De repente, desceu sorrindo do carro, olhou para o alto e começou a cantar:

            "Olha pro céu, meu amor
             Vê como ele está lindo
             Olha pra aquele balão multicor
             Como no céu vai sumindo..."

Elisabete Leite - 05/06/2022.

*Ver passarinho verde. É uma expressão usada quando alguém fica muito feliz sem motivo aparente. A origem da expressão supostamente está nos casais de namorados que antigamente trocavam mensagens usando um periquito como mensageiro.
 
  ARRAIAL DO BLOG MAÇAYÓ

A palhoça já está toda ornamentada
Bandeirolas coloridas na decoração,
A noite resplandece bastante estrelada
E o luar abre um sorriso de emoção...

Baltazar marca a quadrilha improvisada
Chama os casais para dentro do salão:
Pessoal, a paisagem já está enluarada!
Os pares devem ter disciplina e animação...

A quadrilha vai iniciar exatamente agora
A fogueira aquece a festa, altas chamas!
Canjica e milho verde são servidos lá fora
E a chuva intensa deixa o piso pura lama...

É o arraial dos poetas no Blog Maçayó,
É essencial que todos mostrem emoção
As pessoas juntinhas dançando o forró
Com cuidado, para não haver confusão...

Na quadrilha tem repentistas animados,
O público assiste com amor no coração
Em homenagem ao dia dos namorados
Até mesmo Santo Antônio toma quentão.

Elisabete Leite
 
 

 ENCONTRO   DE   POETAS
 
 Envelhecer
(Diógenes de Brito)

Um homem maduro se afastou dos inimigos
Expulsou os demônios da paixão mais doentia
Conheceu limites, se esquivou dos perigos
Bateu em retirada, sem solidão na noite fria.

Viu quão raros são os verdadeiros amigos
Não morreu de amor por quem não merecia
Quando pecou, suportou todos os castigos
Conquistou sonhos debruçado em poesia.

Para ele, envelhecer são prazeres inesperados
Sensação de liberdade em gestos ponderados
É estar na vanguarda, método rejuvenescedor.

Ter a energia dos velhos jovens, afetividade
Sem perdas que geram danos e fragilidade
Ser um aliado do tempo, o grande vencedor.
 
 Soneto da superação
(Diógenes de Brito)
          
O meu aprendizado de cada momento
Revelou o propósito do que foi construído
Escreveu um capítulo novo, cheio de alento
Tudo sob o comando do meu sexto sentido.

Não há ponto final no meu sentimento
Nem ciclo que se encerra sem ter existido
Embora não se negue o chorar, o sofrimento
Fraquezas inevitáveis de um coração partido.

Minha raiva, tristeza, angústia, ansiedade
Revelam um ser humano cheio de saudade
Preso no infinito labirinto das lamentações.

Mas sempre agarrado ao novo e bom recomeço
Superando obstáculos, toda queda, cada tropeço
Um eterno aliado da liberdade e das emoções.
 
 Proibidas tradições
 
Cores alegres
Que se agitam
Que tremulam
Prenúncio de festa
Comemoração
Alegria.

São pequenos pedaços
Que ao sabor do vento
Do tempo
Agigantam-se
Encolhem-se
Bandeirolas
Brancas, azuis
Verdes, vermelhas, amarelas
Doces recordações
Símbolos dos tons da minha vida.

De quando festas juninas
Eram tradições
Sem proibições
De fogueiras queimando
Brincadeiras
Fogos de artifícios
Comidas típicas
Sanfona choramingando
Céu enfeitado de balões.
                                (Diógenes de Brito)
 
 
 FORRÓ DO BOLE BOLE
Por: Baltazar Filho


Que forrozinho
Gostosinho de dançar
É pra lá e pra cá
Dois pra lá e dois pra cá
Olhe Zé na sanfona
Fazendo a introdução
O zabumba na palma da mão
A ponta do pé
Arrastando no chão
Os quadrilheiros
Gritam todos sem parar
O túnel vamos formar
O caminho da roça
Vai começar
 
 FUMACÊ
Por: Baltazar Filho

O pavio da lamparina aceso
Alumiando o sítio São João
O matuto dançando sem jeito
Um forró danado, xote e baião.

Dançando agarrado, coladinho
Arrastando o solado da chinela
Cheirando o cangote matutinho
Num arretado forró pé de serra.

Agarrado no ombro da fofa
O suor grudando no chão
Um fungado, arrepiado da gota
Levantando a poeira do salão

Bandeirolas bailando no pavilhão
O sanfoneiro no dengo do fole
Os fogos fazendo um clarão
O negão se mexendo num bole bole.

           Em, 03 de junho de 2022
 
 FESTA NO ARRAIAL

Noite iluminada, decorada com balões e bandeirolas.
Abrilhantada pelos, bois de reis, grupos folclóricos e os trios pés de serra.
Apresentações de quadrilhas, bumba meu boi e o xamego ao som de tareco e mariola.
No céu, foguetes subindo, no arraial os matutinhos na paquera.

Os casais dançando coladinhos com sensual molejo.
E a euforia dos caboclinhos subindo no escorregadio pau-de-cebo.
Fim de festa todos descabelados, tombando pelas calçadas, sem o solado do sapato.
Na cabeça um chapéu de palha furado, a cara toda borrada e o bolso sem um centavo.

O show não acaba assim! Ainda falta falar no bate coxas e da cachaça matuta.
Das caipiroskas e das comidas típicas preparadas com grande fartura.
Milho assado, pamonha, canjica, cocada de amendoim, arroz doce e o pão de açúcar com mel de rapadura.

                Baltazar Filho
         24 de junho de 2021
 

  E O AMOR SE FEZ...

Quando me disseste que sou uma louca desvairada por parar em plena madrugada, só para ouvir a sinfonia daqueles pássaros em total harmonia com a negritude da noite, senti uma sensação de vertigem. Parecíamos mais dois acordes fora de tom, na tentativa de nos adequarmos ao andamento daquela maravilhosa partitura! Dois ignorantes querendo ter nos gestos de nossas mãos, a capacidade dos maestros da divina Natureza! E tu, que também estavas lá, bem ao meu lado, tentava disfarçar a emoção que aquela música te causava. O vento sibilava em nossos ouvidos, o ruído da cascata se harmonizava àquela sinfonia majestosa, e o perfume dos sândalos se impregnava em nossos pulmões. Aprisionados a uma emoção assim, se entregar a esse encantamento seria a única solução para alcançar os céus, no aconchegante abraço do eterno amante. E ali o amor se fez, exatamente como Deus quis, em plena harmonia com a natureza, paraíso que herdamos do Onipotente!

Socorro Almeida
Extraído do livro Súplicas
2021 - EHS Edições
 
 SEM DÚVIDAS

É bom vê-lo aqui, submisso e carinhoso
Sem argumento, sem freios e sem queixas
E eu, ao seu domínio e sem mágoas
Onde quer que eu fique ou me deixas...

Uma incerteza vagueia em nosso leito
Aquela que teima à sombra de uma dúvida
A nos fazer desistir dos nossos sonhos
Mas nunca pela paixão de nosso peito!

Pelas horas, dias, ou meses após
Pelos anos que espero pacientemente
Se o tempo implacável não nos favorecer
Vou degustando a saudade de nós dois...

Socorro Almeida
Recife, 25/02/2022
 
 
 
FESTA JUNINA

Vejo estrelas bailando
Num dueto de amor,
luar dos apaixonados
Aquecidos no calor,
No acender da fogueira
Das festa de interior.

Lembranças das festas juninas do tempo das noites frias, dos amigos reunidos
Para mais uma quadrilha, quanta alegria havia o cheirinho da comida que das barracas subia e o brincar quem diria pescaria, tiro ao alvo era uma correria, para a barraca do beijo no final pra lá se ia.

E hoje, quem diria
Vivendo em contramão
A alma fica isolada
Disfarça o coração
nas livres raízes juninas
O São João da televisão.

Rizonete Alves de Souza
      23/06/2021
 
 SÃO JOÃO NA ROÇA:
 
Se aproxima o São João
O roceiro arma a palhoça
Pra o casamento na roça
Festa, e muita diversão.
Pro arrasta-pé no salão?
Um trio, com sanfoneiro,
Trianguista e zabumbeiro
Cantando e fazendo graça
E um papudinho de cachaça
De penetra com um pandeiro.

Do arraial, no terreiro...
Por bandeirolas enfeitado
Forte odor de gás queimado
Dos pavios dos candeeiros.
Sufocante fumaceiro...
Das labaredas primeiras.
Ao acender a fogueira
Até o fogo abrasar
Para o churrasco assar
E ferver o chá da chaleira.

Entre Iguarias Caseiras
O bolo de Milho Verde
Pinga pra matar a sede
Daquele tipo brejeira!
Inocentes brincadeiras:
De estou no poço, de anel
Contar estrelas no céu...
De esconder e pular corda
Além do Coco de Roda
Em volta do fogaréu.
 
O noivo, por ser fiel...
O casamento acontece!
Assim que a noiva aparece
Debaixo de um lindo véu.
Vão para a Lua de mel
Dando a quadrilha encerrada.
Lá na alta madrugada
Canta o galo no poleiro
Dizendo para os festeiros
Já vem vindo a alvorada.

Valdemar Guedes
Poeta Cordelista

 

 
São João está no AR...

São João está no A de Amor,
Também no B da Beleza, Bondade, Biju,
No C da Cocada, Carinho, Cuscuz,
São João está no D, de Dúvidas, Dívidas, Diversão,
Está no E de Encanto, Esperança, Evasão,
São João está no Ar.

São João está no F, Festa, Fartura, Feijão,
Também no G da Grandeza, Geleia, Geral;
No H da História, Herói, Herança,
São João está no I de Ilusão, Irmandade, Irmão,
Está no J de Joia, Justiça, Jiló,
São João está no Ar.

São João está no L de Lembrança, Liberdade, Limão,
Também na M de Mãos, Melaço, Mamão,
No N de Natural, Natureza, Natal,
São João está O de Opinião, Opção, Oprimido,
Está no P de Paz, Paisagem, Perdão,
São João está no Ar.

São João está no Q da Quadrilha, Quadrado, Quentão,
Também no R do Resultado, Reta, Reunião,
No S de Santidade, Salmonela, Salão,
São João está no T de Torturas, Tesouros, Tesão,
Está no U de Urdido, Urgente, União.
São João está no Ar.

São João está no V de Vitória, Velocidade, Violão,
Também no X de Xaxado, Xangô, Xadrez,
No Z de Zangado, Zumbido, Zangão.
São João não está no K, nem no Y e tão pouco no W.
Está na Água, No Fogo e na Terra,
São João está no AR.

Jorge Leite, Madalena 12/06/2022.
 



 

25 comentários:

  1. O Arraial está enfeitado, aqui, no Blog Maçayó, uma comemoração em grande estilo, pois é a abertura das Festas Juninas com muita arte e animação. Uma Edição em homenagem ao dia dos namorados, ao Santo Antônio, São João e São Pedro, muita alegria nesta confraternização de amigos para amigos. Não pode faltar diversão, comidas típicas e muito forró no pé, a alegoria é mesmo contagiante. E vamos que vamos dançar uma quadrilha improvisada! Será um domingão de arte genuína, onde a Literatura se faz presente. Belíssimas ilustrações Juninas ornamentam o nosso Cantinho do Saber.
    Na Leitura de Domingo trago uma mistura de ficção com realidade, um Conto recheado de muita festividade. Como também um poema divertido e com todos os poetas dançando quadrilha no palco do Blog.
    Na seção Encontro de Poetas acontece um grande desfile de ilustres poetas, que estão abrilhantando nosso Arraial com poemas magníficos, criativos, diversificados e expressivos. Um verdadeiro show de desfile da genuína Arte Poética. Muita inovação tanto em riqueza poética quanto em detalhamento e organização do poeta querido Jorge Leite, meu irmão. Parabéns poetas, pelas maravilhosas contribuições!
    Fechando o nosso Arraial Junino nosso querido poeta Jorge Leite compartilha um poema lindíssimo que é pura animação.
    Quero agradecer a todos os leitores, amigos e amigas poetas que sempre estão conosco contribuindo e somando, pois a união é a nossa marca registrada. Obrigada a todos pelo carinho e amizade, sem a presença de vocês nada disso seria possível. Obrigada ao meu querido irmão Jorge Leite. Beijo no coração de cada um. Feliz dia dos namorados a todos! Viva o Arraial do Blog Maçayó! Vivaaaa!!! Vivaaaa!!!
    O São João está no ar, vamos embora festejar!
    Até a próxima Edição!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ,o poeta expõe, o leitor agradece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre pela ilustre visita, gentil comentário e grandes contribuições.
      Bom Dia!

      Excluir
  3. Viva a poesia, viva a vida. Viva os poetas, que conseguem transformar em bons sonhos, até os pesadelos que em outrora vivemos!
    Uma excelente semana a todos (as)!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo poeta, Carlos Isaac, pelas suas belíssimas contribuições e maravilhosos comentários.
      Tenha um Bom Dia, em família!
      Abraços poéticos!

      Excluir
  4. Respostas
    1. Gratidão sempre Professor Marciano Dantas pela ilustre visita e gentil comentário.
      Abraços Literários!

      Excluir
  5. Hoje é Dia dos Namorados. Desejo a todos um domingo de paz e amor. Parabéns aos nobres poetas pelas maravilhas de hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amiga poeta pelas suas lindíssimas Contribuições poéticas e Literárias. Nós agradecemos toda sua atenção e carinho de sempre.
      Um beijo no seu coração.❤️

      Excluir
  6. Josenilson Rodrigues12 de junho de 2022 12:47

    Oxente ô blog arretado de bom. Parabéns para todos. Amo de mais

    Bom domingo para vocês.

    Josenilson Rodrigues
    Pirpirituba Paraíba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo Josenilson Rodrigues pela atenção e gentil comentário. Nós somos agradecidos pela sua ilustre visita.
      Boa Tarde!

      Excluir
  7. Rita de Cássia Soares12 de junho de 2022 13:34

    Eita minha minha gente o São João do blog Maçayó tá animado, contos, poesias e muita animação, vamos degustar os versos e dançar com emoção, pois aqui já é São João, arraste o pé pra manter a nossa tradição, porque o melhor São João do mundo, não tem pareia não, é aqui no Nordeste brasileiro que os poetas exalam o perfume do AMOR.
    Parabéns aos nobres poetas Dr.Jorge Leite e sua irmã professora poetisa contista, e todos que sempre traz o brilho da sua poesia.
    Um domingo de luz para todos nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada de coração querida amiga poeta Rita de Cássia pelas suas maravilhosas contribuições poéticas e sua sincera amizade.
      Um beijo no seu coração lindo ❤️.

      Excluir
  8. Rita de Cássia Soares12 de junho de 2022 13:36

    Tudo muito LINDO e PERFEITO as ilustrações, tiro o chapéu. Dez ou MIL? Pra mim é MIL.

    ResponderExcluir
  9. Diógenes de Brito12 de junho de 2022 18:47

    Elisabete, você sempre com esse zelo, publicando nossos poemas, valorizando nossas tradições. Parabéns!!! Boas festas juninas para todos (as)!!!

    ResponderExcluir
  10. Tudo maravilhoso no Blog Maçayó, pois hoje é só festa e muito forró. A abertura das festividades juninas em grande estilo. Ilustrações magistrais, obras de arte e cultura, é mesmo uma galeria de arte. Todos os poemas estão lindos e diversificados. Já o Conto da querida amiga Elisabete Leite possui ricas tradições Juninas, como também o poema. Um passeio inesquecível pelo Alto do Moura. Gostei da Crônica de Socorro Almeida. Parabéns para todos!
    Lindíssimo poema do Jorge Leite que não economizou em detalhes para o grande momento. Tudo perfeito! Os poetas estão de parabéns! E o blog é merecedor de aplausos! Viva o Blog Maçayó e seu arraial! Viva!
    Abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre grande Poeta Diógenes de Brito pela sua belíssimas contribuições e maravilhosos comentários. Nós que agradecemos toda sua atenção.
      Boa Noite 🌃!

      Excluir
    2. Gratidão sempre querida amiga Betânia pelo seu carinhoso comentário e amizade sincera. Ficamos felizes que tenha gostado de tudo.
      Viva às Festas Juninas 🌽🌽!
      Abraços!

      Excluir
    3. Obrigada, Betânia. Deus te abençoe sempre.

      Excluir
  11. Mais uma Edição riquíssima do Blog Literário Maçayó viva a Poesia nossa de cada dia que é o alimento da alma do Poeta. Parabéns aos administradores! Gratidão!

    ResponderExcluir
  12. Olá, bom dia! Passando para agradecer ao Blog Maçayó através de Elizabete e Jorge leite, pela partilha do poema: “São João na Roça”. Obrigado! Parabenizar o blog e os poetas e poetisas pelos relevantes poemas apresentados, sem exceção. Todos merecedores dos nossos aplausos. Parabéns a todos! Fazer certa ressalva aos poemas que versaram sobre o São João ou Festejos juninos, em vista do próprio título: “São João está no Ar”. “Um Forró no Alto do Moura”, é um conto muito envolvente e oportuno. “Arraial do Blog Maçayó” é atual, presente e atraente. Parabéns poetisa Elizabete Leite! Parabéns ao poeta Diógenes de Brito com: “Envelhecer”, “Soneto de Superação” e “Proibidas Tradições”. Na verdade, já não se faz Festas juninas como antigamente. Na “Festa do Arraial”, não pode faltar o “Fumacê” e o “Forró do Bole Bole”! parabéns poeta Baltazar! “E o Amor se Fez”! “Sem Dúvidas”! Romantismo, emoções e sentimentos. Parabéns nobre poetisa Socorro almeida! “Festa junina”! É gostoso sentir o calor no acender da fogueira da Festa de Interior! Parabéns Poetisa Rizonete! Eu tive o prazer de partilhar com vocês o poema: “São João na Roça”, tentando mostrar um pouco do que é uma Noite de Festa Junina na Roça. Agradeço pela atenção e o carinho de todos! “São João está no Ar”! um poema e tanto. O tema da página fez jus. Parabéns poeta Jorge Leite. Parabéns e gratidão ao blog, aos poetas e poetisas colaboradores, e aos leitores e visitantes que contribuem para o sucesso do mesmo. Até a próxima!


    No dia de Santo Antônio
    Eis, que o Blog Maçayó
    Entrou no Clima Festivo
    No embalo do forró...
    Nossa Tradição Junina
    Na Cultura Nordestina
    Não tem chamego melhor.
    ......
    “Arraial do Maçayó”
    “São João está no ar”!
    “Forró no Alto do Moura”
    Lugar bom de chamegar
    Bete dançando xaxado
    Gingou no sacolejado
    Não parou de rebolar
    ......
    No Forró do Bole, Bole
    Buliu e gingou Baltazar
    Naquele mexe, remexe
    Requebrando com seu par
    No Bole, Bole, é assim:
    Tem aquele chameguim
    Um de cá, outro de lá.

    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir
  13. Gratidão sempre Poeta Maior, Valdemar Guedes, pelas suas belíssimas contribuições em forma de brilhantes cordéis, como também seus instrutivos e criativos comentários.
    Feliz Sábado e abraços poéticos!

    ResponderExcluir
  14. Olá, bom dia! eu é que agradeço por tudo, obrigado! Saúde e paz!

    ResponderExcluir