domingo, 31 de julho de 2022

Amazônia

  
Blog  Maçayó

Edição   nº 500

 Tema das Imagens: Amazônia
 
Berenic Bere

 LEITURA   DE   DOMINGO
 
 O ORQUIDÓFILO

         Era início da Primavera, clima agradável, olores das flores trazidos pelo vento, uma aquarela de tons e cores tingindo toda paisagem, enquanto o orvalho molhava à Flora ao despertar de um novo dia. Realmente, um cenário primaveril que floriu!
          Eduardo Jorge era um rapaz que amava a natureza; íntegro, inteligente,  pesquisador e muito responsável. Um estudante de Biologia que cultivava orquídeas no próprio quintal de casa, tinha um modo todo especial de cuidar delas (procurava recriar um ambiente natural da orquídea, utilizando vasos de barro ao invés do plástico) e depois, as comercializava no sinal próximo da faculdade de onde estudava, na intenção de arrecadar fundos para viajar e conhecer a floresta amazônica. O rapaz tinha um grande sonho, que era o reflorestamento dos campos atingidos pelo desmatamento. (Sabe-se que a exploração dos recursos naturais acontece desde os primórdios da humanidade. Contudo, na medida em que a sociedade desenvolveu-se, essa exploração intensificou-se, colocando em risco o equilíbrio do planeta e comprometendo o suprimento das gerações futuras). Eduardo Jorge sonhava muito alto em relação ao tamanho da problematização em "tela". Mas sendo um jovem promissor, que não costumava abandonar um sonho sem realizá-lo, corria sempre na busca de meios para conseguir alcançá-lo, ou ao menos, se inteirar mais sobre o assunto, podendo contribuir de alguma forma. Eduardo era moreno escuro, cabelo encaracolados e olhos negros, tinha muito respeito pela cor herdada dos seus avós e fazia de tudo para honrá-la. As orquídeas eram o segundo amor da vida dele porque o primeiro era o reflorestamento das áreas desmatadas.
           Certo dia, Eduardo Jorge estava comercializando suas orquídeas, como de costume, no mesmo sinal próximo a faculdade quando ouviu alguém falando com ele, e disse-lhe:
           - Olá, sou Felipe, bom dia! Sou gerente de uma floricultura. Podemos conversar um pouco?
           Eduardo olhou diretamente nos olhos de Felipe, e respondeu-lhe:
           - Bom Dia, Senhor Felipe! Sim, podemos conversar. Vamos para um lugar mais tranquilo.
          Os dois se afastaram do local e foram para uma cafeteria próxima dali. Já na cafeteria Felipe explicou para Eduardo Jorge como o rapaz poderia ajudá-lo. E assim, convidou Eduardo para comercializar as orquídeas diretamente com a floricultura na qual ele trabalhava, sem que o rapaz precisasse se expôr tanto aos perigos da rua. Entre conversa vai e conversa vem, Eduardo Jorge falou para Felipe do seu grande sonho: "o reflorestamento das áreas desmatadas". Felipe disse-lhe que poderia ajudá-lo de alguma forma. Felipe ainda falou que trabalhava na floricultura apenas um expediente e que no outro era funcionário público da Prefeitura, e lotado na área de arborização urbana e paisagismo com utilização do Pau-Brasil (As espécies de árvores nativas como o PAU-BRASIL são muito indicadas para ações de reflorestamento, preservação ambiental, arborização urbana, paisagismos ou plantios domésticos). Eduardo Jorge ficou encantado com tudo e muito feliz por ter conhecido Felipe; logo depois da conversa, ele se despediu e no outro dia ficou de procurar Felipe na floricultura.
           Sendo assim, Eduardo Jorge aceitou o convite de Felipe e passou a entregar às orquídeas diretamente na floricultura, e ao mesmo tempo, buscou conhecer mais sobre o tema arborização urbana. Pouco tempo depois, Eduardo passou a fazer parte de uma ONG denominada "Vamos Arborizar". Dando início a construção de parte de seu sonho.
           O tempo passou rápido... No período de férias da faculdade, o jovem Eduardo Jorge aproveitou para conhecer a floresta amazônica e levou com ele algumas mudas do Pau-Brasil, doadas pela Prefeitura, e pessoalmente plantou as mudas em uma área devastada pelo desmatamento. Um grande sonho que foi se construindo através de uma ação promissora. Eduardo se orgulhava de fazer parte da preservação da natureza, ele não podia reflorestar todo o planeta, mas podia plantar e praticar a sua ideia.

Elisabete Leite - 22/07/2022
 
Guillermo Martin Moreno

  QUEM SOU EU?

Quem sou eu?
Sou água que corre pelos rios
Riacho que deságua no oceano
Sol que alumia o dia e aquece do frio
Lua que ilumina a escuridão da noite
Ponto qualquer que preenche um vazio...

Quem sou eu?
Estrelas que formam uma constelação
Planetas que habitam o Universo
Todo esplendor de cada nova estação
Rosas que perfumam os jardins
O imenso amor sentido no coração...

Quem sou eu?
O libertar do oxigênio ao meio ambiente,
Que provoca a renovação do ar puro
O alimento com o seu essencial nutriente
Toda espécie de animal no espaço terrestre
Nascer de uma vida que nos deixa contente...

Quem sou eu?
Uma extensão de água salgada, o mar
O aroma da chuva quando molha a terra,
Quando produz o alimento para o nosso lar
O nascer e pôr do sol na linha do horizonte
Grandiosidade de um sentimento que é amar...

Quem sou eu?
Aquela que tudo brota e produz com riqueza
Uma Mãe que cuida dos filhos, sem distinção
Sou área livre e habitável, repleta de beleza,
Que doa o alimento para ser posto na mesa
O verde das matas, me chamo Mãe Natureza.

Elisabete Leite
 
 
Pablo Amaringo
 
   ENCONTRO   DE   POETAS
 
Nyckolas Carvalho, nascido em 1999, no interior do Pará, começou a escrever poesia aos 11 anos, mas foi aos 22 que passou a se dedicar à forma dos sonetos, influenciado pela lírica camoniana. É no seu perfil do Instagram, O Marujo Poeta, que publica os seus sonetos, que com frequência fazem referência ao mar. Mar que, aliás, o poeta usa como simbolismo para o destino, para o futuro, para o inconsciente e até mesmo para a mulher amada. E por ver a si mesmo como alguém que desbrava o amanhã e os mistérios do amor, considera-se um “marujo à deriva no mar do destino e da poesia.”
 
 Soneto: Amazônica

“Nas flores de perfumes imanentes;
Nos densos arvoredos verdejantes;
Nas brisas de massagens relaxantes;
Nos pássaros de cantos refulgentes.

Nos rios de profundezas opulentes;
Nas feras de rugidos trovejantes;
Nos fungos arejados penetrantes;
Nas presas venenosas de serpentes.

Na selva celebrada tropical;
Na fama de nitente frutescência;
Na terra de inerência divinal.

No ataque por feroz sobrevivência;
No banho sob o cântico invernal:
Revela-se a amazônica potência!”

                                  @marujo_poeta
 
 Alerta

Medo de não te ver de novo
Nadando nas águas claras do oceano
De sucumbir espécies, todo o povo
Que se extinguem um pouco a cada ano.

Tolhido por inteiro nesse estorvo
Não absorvo, não aceito o engano
De que está tudo certo e me envolvo
Sou Natureza, sou guerreiro espartano.

Mas sozinho, como hei de lutar?
Chamarei um beija-flor para ajudar
Alertando a todos do iminente perigo.

Afinal, cada animal que se vai
Cada árvore que tomba, cai
Leva-me também consigo.
                                                  
 (Diógenes de Brito)
 
  Coqueiro

Folhas verdes
Que balançam
Ao comando do vento
Inspirando poetas.

         Frutos que saciam
         Minha sede
         Com um sabor
          Incomparável.

Sombra, onde descanso
O meu cansaço
Adormecendo ao som
Do movimento
Das suas longas ramagens
Cujo maestro invisível
Faz-se ouvir e sentir.

        Assim é o coqueiro
        Imponente e majestoso
        Não o maior
        Por ser alto
        Nem o mais bonito
        Por suas cores
        Nem tão pouco o melhor
        Pelos os frutos que nos dá
        Mas, sim
        Um presente da Natureza
        Para todos nós.
                                    Diógenes de Brito
 
Berenice Bere

 A ARTE DE AMAR

Numa tela de esperanças
Pintamos um sonho sem igual
Com os pincéis da adolescência
Rabiscamos um desejo fora do normal
Na vontade de pintar uma paisagem real
Transformamos as cores numa arte surreal
E você desenhou em minha cabeça
Um momento colorido, um prazer escorrido.
Inspirada em Picasso, na tela da beleza.
Alimentando-nos, inspirados naquela hora.
Saciamos os nossos desejos em linhas tortas.
Deitaste, em meus braços, com uma leveza.
Envolvidos nos rabiscos de uma linda obra.
         
                Baltazar Filho
           15 de abril de 1986
 
 FORMOSA AÇUCENA

Vejo que visitaste as bromélias no alvorecer da primavera e ainda não foste contemplar os lírios do campo.
Minha dócil Açucena, és real, mágico é o teu encanto, exalas um perfume com um aroma suave e brando.
Destaca-se como a flor mais bela do jardim celestial, mais cheirosa que a alfazema, mais formosa que um jasmim.
Dos teus delírios é que alimento a minha alma, e acalmo a fúria do teu prazer, para suprir o desejo da carne e sanar a tua dor.
Que torna-me refém dos teus caprichos, cúmplice dos seus gemidos, numa cópula desesperadora.
Se dos delírios que te veste a alma e delineiam no teu corpo as manobras palpitantes que acende o meu fogo com as faíscas do teu calor.
Morde com frenesi esses lábios carnudos que te beijam, num ato devorador, e adormeces sussurrando nos meus ouvidos, sonetos atrevidos, lindos versos de amor!
E se ainda ficaste com saudades dos lírios e a tua fome não mataste!
Foi por não perceber que deixaste fenecer no campo as bromélias e os lírios pelas orquídeas trocaste.
               Baltazar Filho
          25 de abril de 2021
 
 A TERRA E A LUA

Eu sou a terra com seus rios e oceanos
És meu satélite que me rodeia sem parar
Não dá pra ignorar, então, os teus encantos
Mas foges de mim com esse tal de Luar.

Que ciúme eu tenho dessa tua capacidade
De se doar por inteira ou pela metade
Fazendo os amantes morrerem de saudade
Quando te escondes sem dó e sem piedade.  

Enquanto reapareces no céu toda iluminada
Eu, no meu subsolo me sinto estremecer
Tiram de mim o alimento para sobreviver
Mas não tenho a luz que me deixe enamorada.

Sou as montanhas que abrigam os animais
As árvores onde dormem os passarinhos
As fontes que saciam a sede dos humanos
Mas nunca a luz que ilumine os meus caminhos.

Eu abrigo os ventos, ciclones, tempestades
Pérolas, rubis, safiras e diamantes
Enquanto iluminas as noites solitárias
Eu me aqueço no calor dos teus amantes!

Socorro Almeida
Recife, 2018
Extraído do Livro Mulher de Todas as Rimas, Ehs Edições.
 
 SÁBIA NATUREZA

Nunca a humanidade foi tão solitária
Mas o que Deus nos deu de inteligência
Esquecemos o que de graça tivemos nas mãos.
Será que de repente tomamos ciência
De que para salvar a humanidade
Devemos ter a cura de nossa consciência?
Destruímos o Paraíso belo e perfeito
De tudo tínhamos para nossa sobrevivência
Debochamos do amor do Filho amado
Ignoramos o maior dos dez mandamentos
O Décimo, que nos valia o céu  abençoado
E foi na cobiça, na ganância o nosso maior pecado!
Hoje imploramos a Deus por Seu perdão
Pois nem o trigo vamos ter pra repartir o pão
A Natureza hoje morre, mas reviverá
E quanto a nós? Nunca mais vamos voltar!

Socorro Almeida
Recife, 2020
Extraído do Livro Sonhos de Mulher, da Editora Clube de Autores - Joinville/SC
 
Petterson Silva

 Deusa Fitness
Joseraldo Silva Ramos

Quando os teus olhos se encontram com os meus
Eu vejo neles o  brilho da tua íris,
Onde o breu se transforma em arco-íris,
Nesse momento, eu já não sou tão Eu.

O teu sorriso preenche o universo
Com o tom das cores mais intensas,
E me pergunto, será que em mim pensas?
Se não pensares, do pensamento disperso.

Quando caminhas, bailas como bailarina
Num movimento de mulher, mesmo menina,
És um exercício de encantar os corações.

Bendigo a sina de viver no teu universo,
Levando a  vida prosa a prosa, verso a verso,
Extasiado em um turbilhão de emoções.
 
 A Caminho das Estrelas...

Nossa caminhada, pela vida,
É sempre assim...
Mudam-se os estágios
Mas a vida não tem fim...

Somos nossas Almas,
E elas não podem morrer...
São eternizadas,
Têm que se entender...

Se Estamos, agora, na matéria,
Pode crer...
Que, quando morrermos,
Vamos, logo, renascer!

E o nosso caminho, nas estrelas,
Nos seduz…
A sermos tranquilos,
Conservando a nossa luz...

Pois ela é imortal,
E precisamos aprender,
Que o Amor...
É  o que nos faz, "Resplandecer"!!!

       ❤️Tásia Maria
 
 Jogo da vida

Jogar com a vida nos traz
Várias cartas de angústia...
Que nenhum "blefe", jamais,
Ganhará, mesmo com astúcia...

O jogo da vida é sério
Ninguém pode falsear...
Por mais matreiro que seja,
O jogador tem que lutar!

E às vezes em cartada errada,
Perde-se uma partida...
Vão-se embora as esperanças,
Perdidas, no jogo da vida...

De quem foi muito inocente,
E não imaginou jamais...
Que no jogo duro da vida,
Só vence, quem é capaz!!!

          ❤️Tásia Maria
 
Cristiane Campos
 
 
   LEITURA   COMPLEMENTAR
 
 PAU-BRASIL

Nome Científico: (Leguminosae – Caesalpinoideae), Pau-Brasil
Nomes Populares: Arabutã, Brasilete, Árvore-do-Brasil, Ibirapitanga, Ibiripitinga, Imirá-Piranga, Muirapiranga, Orabutã, Pau-Pernambuco, Pau-Rosado, Pau-Vermelho e Sapão.
Nomes no Exterior: Brazil Wood e Pernambuco Wood.

Características: O Pau-Brasil é uma espécie arbórea com até 12 m de altura e 40-70 cm de diâmetro. Relatos da literatura indicam que no passado chegava a ter 30 m de altura. Planta espinhenta com folhas compostas bipinadas de 10-15 cm de comprimento, 5-6 pares de pinas de 8-14 cm de comprimento; folíolos em número de 6-10 pares por pina, com 1-2 cm de comprimento.

Locais de Ocorrência: Distribui-se no litoral, entre os estados do Ceará ao Rio de Janeiro na floresta pluvial Atlântica, sendo particularmente frequente no sul da Bahia.
 
Solos: Ocorre naturalmente nos tabuleiros do Pliopleistoceno do Grupo Barreiras. Estes solos geralmente apresentam baixa fertilidade química natural, são bem drenados e apresentam textura que varia de arenosa e franca.

Madeira: Muito pesada, dura, compacta, bastante resistente, de textura fina, incorruptível, com alburno pouco espesso e diferenciado do cerne. Empregada somente para confecção de arcos de violino. Outrora foi muito utilizada na construção civil e naval e, trabalhos de torno. Entretanto, seu principal valor residia na produção de um princípio colorante denominado “brasileína”, extraído do lenho, usado para tingir tecidos e fabricar tinta de escrever. A exploração do Pau-Brasil intensa gerou muita riqueza ao reino e caracterizou um período econômico de nossa história, que estimulou a adoção do nome “Brasil” ao nosso país.

Aspectos Ecológicos: Planta semidecídua característica da floresta pluvial atlântica. Ocorre preferencialmente em terrenos secos e inexiste na cordilheira marítima. É típica do interior da floresta primária densa, sendo rara nas formações secundárias. Floresce a partir do final do mês de setembro, prolongando-se até meados de outubro. A maturação dos frutos ocorre nos meses de novembro-janeiro.

As espécies de árvores nativas como o PAU-BRASIL são muito indicadas para ações de reflorestamento, preservação ambiental, arborização urbana, paisagismos ou plantios domésticos. O reflorestamento, por exemplo, corresponde a implantação de florestas em áreas que já foram degradadas, seja pelo tempo, pelo homem ou pela natureza.

Já quando há a finalidade de arborização urbana ou paisagismo, é necessário avaliar o espaço em que a muda será plantada para que não haja problemas com a fiação elétrica ou rachaduras na calçada.

No viveiro do Instituto Brasileiro de Florestas é possível encontrar mudas de árvores nativas produzidas em tubetes plásticos de diversos tamanhos. Todas com a certificação no Registro Nacional de Mudas e Sementes – RENASEM.


Pesquisa:
https://www.ibflorestas.org.br/lista-de-especies-nativas/pau-brasil
 
Mariana Brend
 
 
 Cantinho    do    Editor
 
Em homenagem a 500ª edição do Blog Maçayó, abro a seção "Cantinho do Editor", na qual publicarei meus trabalhos novos e não tão novos assim, e trabalhos de poetas que já passaram por nosso Blog. Hoje trago uma poesia que gosto muito "Quem Sou" e um trabalho experimental "Pensamentos".

Quem Sou

Quando perguntam quem sou
Olho para o azul do céu,
Sinto o verde do mar,
As partículas poluentes do ar,
Os andarilhos sujos nas estradas,
O povo na rua.
Então respondo:
Sou tudo isto,
Isto tudo eu sou.

Quando perguntam quem sou
Sinto as lágrimas de uma criança,
Vejo-me nas chagas de um irmão,
Encontro-me nas rugas da vida,
Sinto o pulsar de teu coração.
Sinto saudade do adeus,
A liberdade de ir e voltar,
Então respondo:
Sou tudo isto,
Isto tudo eu sou.

Quando perguntam quem sou
Não mais digo meu nome,
Nem minha profissão,
Não digo a idade.
Olho apenas para os lados,
Sinto o que se passa em volta,
Então respondo:
Sou tudo isto ao meu redor,
E tudo ao meu redor eu sou.

Jorge Leite

 Pensamentos

Pensar pensamentos podres
Perdidos, pedaços, padrões
Possuindo premissas ponderações
Passíveis, parasitas patrões

Pulsar pensamentos partidos
Pregar pregando palavras
Possíveis pendências paridas
Postando pústulas penais

Pálidos pensamentos pactuais
Padeces palhaço pacato
Paristes paranoias perdidas
Parentes próximos pardais

Palacianos pensamentos prontos
Planejas parágrafos, perdão
Pairam potrancas pagãs
Pareias pacatas paixões.

Jorge Leite, Recife 05 de Outubro de 2019
 
 
 Escolha do Editor
 Sem Título, sem data, Ibã Huni Kuin e Mana Huni Kuin (Mahku), caneta hidrográfica sobre papel, 30 x 40 cm Obra doada no contexto da exposição Histórias da dança, 2020 Foto: Eduardo Ortega
 
 

17 comentários:

  1. Hoje, a Edição de número 500, com um show de atração! Domingou aqui no Blog Maçayó, que como sempre, respira muita poesia, tanto nos textos poéticos quanto nos textos literários, e traz para o deleite de todos, um pouco de tudo, uma mistura da arte genuína nesse final de julho e início de agosto de Deus. Mais um mês que chega e as esperanças são renovadas, um novo motivo para sorrir. Será um domingo diferente com muita riqueza de expressão, em seus diferentes olhares. Uma página elegante, de leveza peculiar com grandes reflexões e com a Natureza em tela.
    Na Leitura de Domingo eu compartilho um Conto apropriado para o universo da Flora e Fauna, ideal para qualquer faixa etária, pois traz mensagens construtivas e lições de vida sobre a Preservação da Natureza. E a importância de preservar para não faltar; uma narrativa que mostra a perseverança de um jovem em busca da realização de seu sonho promissor.
    Quero destacar, que a página de hoje, traz um poema verdejante, um cântico à Mãe Natureza. Quero também destacar as lindíssimas e várias temáticas de ilustrações que muito versejam, são poesias dentro de cada imagem.
    O adorável Encontro de Poetas está belíssimo e emocionante, principalmente porque apresenta uma mistura de várias temáticas e um desfile de esplêndidos e seletos poetas, os fazedores de arte, versejando sobre o verde da esperança. Vou procurar fazer um comentário coletivo porque todos os poemas compartilhados nesse desfile poético, deste domingo, estão fenomenais. Quero parabenizar a cada um de vocês, pelas artes partilhadas em nosso Cantinho do Saber. Parabéns a todos! Quero agradecer e parabenizar ao nosso estreante de hoje, Marujo Poeta, com seu sensacional Soneto que vestiu-se de verde para nos prestigiar. Bem-vindo, Nyckolas Carvalho! Nosso Recanto Poético tem a honra de compartilhar sua magnífica Arte.
    Na Leitura Complementar trazemos um relevante artigo sobre o Pau-Brasil e sua importância para o reflorestamento das matas devastadas.
    Fechado o Blog Maçayó de Domingo temos uma nova seção O CANTINHO DO EDITOR, com dois maravilhosos poemas do nosso mentor Jorge Leite. Parabéns!!!
    O meu irmão, grande poeta Jorge Leite, encanta o domingo no Blog com sua arte final. Parabéns, querido Jorge!
    Enfim, tudo muito lindo por aqui! Estou orgulhosa, lisonjeada e muito agradecida por participar deste momento de pura arte.
    Parabéns ao Blog pelo sucesso de sempre.👏👏👏👏👏
    Quero agradecer aos poetas colaboradores, os leitores e visitantes pelo carinho de todos.
    Beijos no coração cada um ❤️💙.
    Bom domingo, com inspiração e boas leituras!📚📑🔖
    Até a próxima Edição!

    ResponderExcluir
  2. Diógenes de Brito31 de julho de 2022 08:13

    Parabéns para todos que fazem parte deste grandioso Blog, pela Edição n° 500, principalmente para Elisabete Leite, poeta incansável, corajosa, de uma inteligência ímpar. Tenho a certeza de que muita luta, muitos acertos e desacertos aconteceram até que se pudesse chegar a esta histórica Edição. Mas também tenho a certeza de que tudo foi feito com muito amor e carinho para tantos leitores apaixonados pela poesia. Vida longa, paz e muita inspiração para todos que fazem parte deste maravilhoso instrumento de comunicação. Grande abraço e um abençoado Domingo para todos. Que Deus nos abençoe!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada grande amigo e poeta Diógenes de Brito pelas belíssimas Contribuições poéticas, fabulosos comentários e seu incentivo em prol da arte. Gratidão sempre pela atenção e carinho. A Edição 500 é o maior exemplo de amor à Arte de modo geral.
      Abraços Literários!

      Excluir
  3. Que mais 500 inspirações contagie a cada poeta desse maravilhoso blog. À Elisabete meus mais efusiantes aplausos pela determinação, coragem e acima de tudo competência a frente desse maravilhoso projeto.
    Bom Domingo e um mês de Agosto de muita inspiração para todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela atenção e carinho ilustre poeta e amigo, Carlos Isaac. Gratidão sempre pelas suas maravilhosas contribuições poéticas e adoráveis comentários. Fico lisonjeada pela sua amizade.
      Abraços Literários para você e familiares!

      Excluir
  4. Maravilhosa reunião de poetas! Fico muito contente de fazer parte e espero seguir colaborando com o blog.
    - O Marujo Poeta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ilustre, Marujo Poeta, pelas suas maravilhosas contribuições e gentil comentário. Nós agradecemos seu empenho e atenção. Parabéns, pelo magnífico Soneto! Seja bem-vindo!
      Abraços poéticos!

      Excluir
  5. Joseraldo Silva Ramos31 de julho de 2022 10:32

    Bom dia, boa tarde e boa noite!
    Seja bem vindo, Marujo Poeta! Chegaste na edição 500. Mais uma brilhante edição, riquíssima em conteúdo e no tema. Gratidão a todos os poetas pelas belíssimas poesias e aos Editores pelo sucesso do Blog. Parabéns, poeta Elisabete Leite, por mais um belíssimo conto.
    Que Deus continue nos abençoando!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada grande sonetista Joseraldo Silva Ramos pelas suas belíssimas Contribuições poéticas e adoráveis comentários, que são tão importantes para o incentivo aos Poetas.
      Gratidão sempre 🙏

      Excluir
  6. Uma esplêndida Edição de número 500 , muito recheada com o verde da natureza e suas diferentes inspirações dos poetas. Um belíssimo Conto, com uma lição de preservar para não faltar, um show de desfile poético, belíssimas poesias e uma grande estréia. Parabéns para todos os Poetas e que seja Bem-vindo Marujo Poeta!
    Amei a nova seção com nosso querido Jorge e seus lindíssimos poemas. Aplausos para as ilustrações.
    Boa tarde e parabéns mais uma vez!
    Abraços e saudades...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga Betânia pelo seu carinho e verdadeira amizade. Sim a edição de hoje está magnífica. São quinhentas Edições para festejarmos.
      Gratidão sempre 🙏

      Excluir
  7. Boa tarde!
    A edição n* 500 do Blog Maçayó, de hoje, com a temática ,"Amazônia", além de encantar nossos olhos e almas, com suas belíssimas ilustrações, lindo conto e belos poemas, nos fez refletir sobre esse tesouro que temos no nosso país!
    Somos seres privilegiados, perante o mundo, por sermos brasileiros, donos dessa riqueza sem precedentes...
    Procuremos conservá-la e preservá-la para o bem de todos!
    Parabéns ao Blog, por essa brilhante iniciativa de exaltar a nossa "Amazônia" na sua 500* edição!!!
    ❤️Tásia Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga poeta pelo seu carinho e atenção de sempre. Gratidão pelas suas belíssimas contribuições poéticas e maravilhosos comentários. Beijo em seu coração ❤️.

      Excluir
  8. Adoro falar da natureza, e o blog hoje falou com grande estilo. Parabéns, Bete, pelo conto maravilhoso. Bem-vindo o novo membro do blog, Marujo Poeta. Adorei todos os poemas: Tásia, Joseraldo, Jorge Leite, Diógenes, Baltazar e Elisabete. PARABÉNS a todos. Abraços poéticos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga poeta, Socorro Almeida, pelas sua belíssimas contribuições poéticas, como também pelos maravilhosos e pertinentes comentários. Gratidão sempre pelo seu carinho e verdadeira amizade 💗
      Um beijo no seu coração. Um ótimo domingo!

      Excluir
  9. Boa noite a todos, passando agira ora desejar um bom domingo a todos e comentar sobre a educação de hoje. Amazônia fez a reunião de grandes inspiradores, parabenizo o poeta estreante Nicolas, cujo pseudônimo nos lembra inesquecíveis marujos andantes da natureza. Seja bem vindo nobre poeta. Abraços calorosos nis queridos Elisabete e Jorge, figuras literárias que só enobrecem os demais. . Tenham todos um maravilhoso final de domingo e uma saudável semana.

    Abraços, Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada meu amigo e irmão, Baltazar Filho, pelas maravilhosas contribuições poéticas e lindos comentários. Parabéns e gratidão sempre pela sua atenção 🙏.
      Abraços Literários!

      Excluir