domingo, 4 de setembro de 2022

Brasileirinho

 

Blog  Maçayó

Edição   nº 505

 Tema das Imagens : Brasileirinho

     Iguana
 
DUETO
Valdemar Guedes e Elisabete Leite

Deus fez a noite e o dia
O céu, a terra e o mar
O sol, a lua, as estrelas
Para o mundo iluminar
Deixou na Mãe Natureza
Exuberante beleza...
Para o homem contemplar.
......
Deus foi generoso em sua criação
Criou os pássaros que vivem a voar
Flores de extrema raridade e beleza
Que jogam seus perfumes pelo ar.
Pôs na natureza cores da aquarela
Para os poetas poderem versejar.
......
As Obras de Deus dão vida
O mundo depende delas
Fez, cheio de sabedoria...
O homem pra viver nelas
Inda lhe deu como herança
Sua imagem e semelhança
E o domínio sobre elas.
......
Deus do Céu é nosso maior tesouro
Somente a Ele devemos adorar
É proteção, puro abrigo e fortaleza
Vive de braços abertos pra ajudar
Sua Edificante Luz tudo ilumina
Provou que por amor sabe se doar.
......
Deus nos ama sem medida
Seu amor nos fortalece
Pela fé, na oração...
Toda paz nos oferece
Nos mostra a felicidade
Mas pune a iniquidade
Daquele que d’Ele esquece.
 
    Tamanduá-Bandeira
 
LEITURA   DE   DOMINGO
 
Fábula:
A FORMIGA E O TAMANDUÁ-BANDEIRA

          Era início do verão, a estação mais quente do ano, porém o clima estava penetrante, raios fortes riscavam o céu de um canto a outro, enquanto o pulmão da floresta estava querendo respirar.     
          Bendita, uma jovem formiga iniciante rainha, precisava abandonar o formigueiro em que fora criada para acasalar. Ela havia amanhecido com asas querendo voar. Sabe-se que: (As rainhas só apresentam asas enquanto jovens, quando abandonam o formigueiro em que foram criadas para acasalar. Os machos são sempre alados, mas o seu objetivo é o mesmo, poder dispersar-se e acasalar). A jovem formiga estava  conversando com sua amiga operária.
           - Alma, hoje, amanheci com asas! Estou querendo ganhar o mundo e voltar rainha do meu próprio formigueiro.
         . A operária Alma olhou diretamente para Bendita, e disse-lhe:
          - Bendita, eu quero trabalhar no seu formigueiro, tenho certeza que você será uma promissora rainha.
          De repente, um vozeirão quebra a conversa das amigas, e vai logo debochando de Bendita:
         - Ah, que petulância sua! Você nunca será uma rainha de verdade! Minha avó já dizia: "que quando formiga quer se perder cria asas". Você vai se perder e nunca mais será a mesma.
          Bendita olhou para as garras afiadas do tamanduá-bandeira, e respondeu-lhe:
          - Não tenho medo das suas garras afiadas! Serei uma promissora rainha e você não vai destruir o meu formigueiro. Saiba que um dia, irá precisar de mim, escreva o que digo-lhe. Em seguida saiu voando, enquanto Alma corria à procura de um abrigo.
          O tamanduá-bandeira ficou soltando faíscas pelo nariz e amaldiçoado Bendita com palavras de baixo calão. Convém, explicar que: "O tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) usa suas garras dianteiras para escavar vários formigueiros e cupinzeiros ao longo do dia para capturar, com sua língua extensível, até 30 mil formigas e cupins".
         Bendita percorreu os quatro cantos da floresta procurando um abrigo acolhedor para pernoitar, já cansada de voar, ficou inerte, foi quando um macho alado a convidou para voar em sua companhia. Eles se acasalaram e Bendita se tornou rainha de seu próprio formigueiro. Porém antes de assumir o reinado, foi procurar um lugar seguro para se instalar. Subitamente, avistou de longe o mesmo Tamanduá-bandeira, que a ameaçou, desfalecido no chão de um matagal. Bendita se aproximou devagarinho e procurou se comunicar com seu rival, e disse-lhe:
          - Senhor tamanduá, o que houve? Como posso ajudá-lo?
          Mas o tamanduá-bandeira não respondia. Bendita observou uma lata vazia de inseticida. Logo deduziu que seu rival tinha sofrido envenenamento indireto por inseticidas aplicados para o controle de formigas e cupins nas áreas de plantios. Ela precisava ajudá-lo! Gritou com toda sua força, foi quando seu rival levantou a cabeça. Assim, Bendita aproveitou e pediu para ele tomar bastante água. O tamanduá-bandeira levantou-se e a formiga foi o guiando até o rio mais próximo. Como a quantidade de veneno consumida tinha sido mínima, o tamanduá conseguiu se recuperar.
          O tempo passou... Bendita tornou-se rainha de um formigueiro distante da floresta e o tamanduá-bandeira aprendeu, na dureza, várias lições: "Um dia é da caça, outro, do caçador – mostra que as pessoas têm dias e dias, que podem ser bons ou ruins, portanto, vida que segue." "Tamanho não é documento - não podemos subestimar as pequenas formigas, tão pequeninas, mas que podem ser grandes nas ações."


Elisabete Leite - 31/08/2022
(Definições e ditados populares pesquisados no Google).

        Teiú
P e s q u i s a n d o

Tamanduá-bandeira: um gigante comedor de formiga

Para comer até 30 mil formigas e cupins por dia, esse mamífero precisa de habitats variados para sobreviver. Saiba mais sobre essa espécie que já foi encontrada em todos os estados brasileiros e hoje está ameaçada de extinção.
Ele mede cerca de 2,20 metros, pesa até 45kg, tem uma cauda grande e com pelos grossos e compridos e um focinho longo. O tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) usa suas garras dianteiras para escavar vários formigueiros e cupinzeiros ao longo do dia para capturar, com sua língua extensível, até 30 mil formigas e cupins.

Essa espécie é facilmente reconhecida por sua pelagem característica, que tem uma faixa diagonal preta com bordas brancas, que se estende do peito até a metade do dorso. As patas dianteiras, que têm três garras longas, são mais claras do que as traseiras, que têm cinco garras, mais curtas.

Como se alimenta de formigas e cupins, não possui dentes. Seu olfato é aguçado, já que é a principal ferramenta para localizar suas presas. Quando encontra um formigueiro, o tamanduá-bandeira fica apenas alguns minutos no local, e logo se dirige a outra fonte de comida.

Mamífero ameaçado

O tamanduá-bandeira está adaptado para viver em ambientes variados. Apesar de passar a maior parte do tempo no chão, ele tem habilidade para subir em árvores. Ele também pode caçar durante o dia ou a noite, dependendo da temperatura e da chuva.

A espécie é encontrada em campos limpos, cerrados e florestas. Apesar de ser mais comum em áreas de cerrado, usa ambientes de floresta para repouso e abrigo, durante as horas mais quentes do dia, e utiliza os campos limpos para se alimentar quando as temperaturas estão mais amenas.

Por sua versatilidade, o tamanduá-bandeira pode ser encontrado da América Central até a América do Sul. Originalmente, ocorria em todos os estados brasileiros, mas atualmente está em risco de extinção em todas as regiões do país e já foi extinto no Rio de Janeiro e no Espírito Santo.

A degradação e a redução dos habitats são apontadas como as principais causas da perda populacional da espécie, mas a caça, o atropelamento em estradas e os incêndios florestais também contribuem para colocar o tamanduá-bandeira na lista de espécies ameaçadas de extinção.

Pesquisa:
https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/biodiversidade/especie_do_mes/junho_tamandua_bandeira/#:~:text=O%20tamandu%C3%A1%2Dbandeira%20(Myrmecophaga%20tridactyla,30%20mil%20formigas%20e%20cupins.



        Araçari

 ENCONTRO   DE   POETAS
 
O SOL & A ESTRELA

A Estrela, que se julga fenecida,
Recobre-se de brasa corolária...
Mas fúlgica, estelar, incendiária,
Recanta flamejante e destemida!

E o Sol, com fervescência renascida,
Vislumbra refulgência nectária
Nas pétalas da estrela solitária,
A flor – de calidez – reflorescida...

- Angélico semblante de vestal,
Que a lume flavescente me enternece,
Abraça-me com fogo divinal!

- Ó Sol exuberante que amanhece,
Mal sabes do segredo angelical:
Sou chama que contigo reincandesce...

 
(Marujo Poeta)

Arcádico Desejo

Sou pássaro que torna pro candor
Do campo frutescente da paixão
Que em sonhos prometera o coração
Falando nos batismos do frescor...

E lavro com os pulmões em resplendor
Contigo na pastagem e plantação;
E em ti esperarei por floração...
Com os frutos do prazer e do labor.

Arcádico desejo campesino...
De arar em primavera recatada
E arfar os horizontes nas colinas!

Eu rogo, juventude cortejada,
Darás a cavaleiro peregrino
A ambrosia da fervura apascentada?

(Marujo Poeta)
 
 
       Arara
DISSIMULADO

Vampiros humanos existem, e certamente
Ocultando as intenções, se excedeu
Das minhas energias você se fartou
Mas da vitória quem se fartou fui eu.

Lembro com exatidão seus disparates
Que o levaram aos bocejos de Morfeu
Sem permissão quis ocupar meu sono
E bem atenta, quem não dormiu fui eu.

Tão furtivo, sem visão e dissimulado
O morcego, dizem, só dorme dependurado
Pra se esvaziar do sangue que bebeu...

Também diria que a caverna é sua morada
Por ser escura, aterrorizante e cruel
Mas da escuridão quem se livrou fui eu!


Socorro Almeida
Recife, 22/08/2022


CONVICÇÃO

Quem quiser me criticar, fiquem à vontade
Ou deixem que eu mesma me condeno
Vivo a mercê de minha própria vontade
Em velhas críticas eu não me extendo
Valho-me de mim e dos meus ais serenos.

Valho-me daquele amor além de mim
De minha força, por Ele, abençoada
Onde não há começo, nem há um fim
E se me entrego à pose de um Samarim
Sou das antigas, soberba e ultrapassada.

De bocas fastiosas todo o mundo está
Muito mais vazio, entedioso e desumano
Das pedras que me atiram eu tento me livrar
E muito mais certeza tenho que eu te amo!


Socorro Almeida
Recife, 27/08/2022


        Periquito verde

Roçado da desilusão
(Joseraldo Silva Ramos e Carlos Isaac)


Foi no roçado da minha solidão
Que germinou a semente que jogasse,
Porém sem aviso prévio se afastasse
E ofertasse a mim só desilusão.

Na colheita da semente germinada,
A cada passo a saudade me batia,
E à chuva ou sol, durante todo dia,
Eu sempre percorria a mesma estrada.

Te busquei em cada canto imaginado,
Onde em todo recanto do roçado,
Tua imagem contemplada aparecia.

E as visões confundindo minha mente,
Me fizeram de vez tornar-me crente
Que predestinados estaríamos para um dia.


SOMOS NÓS, SEM ADEUS!
Joseraldo Silva Ramos


Que meu peito seja o travesseiro seu
E os meus braços toda sua liberdade
Que neles fiques por toda eternidade
Afastando de vez, qualquer adeus.

Que ao alvorecer de cada novo dia,
Possamos olhar o campo orvalhado
Após o dormir de um sono sossegado
E ver que não acordamos da magia.

Possamos lembrar e nunca esquecer
Que noite após noite e dia após dia,
Somos nós e nunca eu sem você!

Sem despedida e sem nenhum adeus
Vamos vivendo, sempre, em harmonia.
O adeus não é parte de um sonho meu!



PENSAMENTO OCULTO
Por: Baltazar Filho


Caía a noite
E a cidade dormia a descontento
Num absurdo silêncio
De um lugar desconhecido
Imaginando vozes contido
Numa noite louca, aflito
Já atordoado e sonolento
Preso a um frio tremendo
Descoberto, inquieto, adormecido
Acometido por dubitos pensamentos
Debruçado sob os lençóis
Trapos e vestígios
De um tempo atroz
Preso a um inconsciente
Extremamente tenebroso
Figurativo, imaginário
Aprisionado a um sentimento
Tempestivamente tortuoso.


Em, 27 de agosto de 2022

        João de Barro

 LEITURA COMPLEMENTAR

BENVINDA

Nessa noite o sono demorou a chegar, apesar do cansaço, porque tive um dia cheio. Decidi não fazer nada, ficar quieta na cama, esperando ser vencida pela exaustão, foi aí que as lembranças começaram a chegar.
Lembrei de vários momentos importantes da minha vida, de alguns amigos, das aulas no conservatório, da faculdade...
De repente ela estava lá, declamando poesias para mim, minha avó materna, nossa Dinda. Ela era deficiente auditiva, perdeu a visão muito cedo e não andava, todas as lembranças que tenho dela, são na cadeira de balanço, dentro do seu quarto, esperando pacientemente alguém resolver visitá-la.
Nunca, nunca mesmo, se queixava por ficar tanto tempo sozinha, pelo contrário, nos recebia sempre com um largo sorriso e depois de identificar o visitante, que reconhecia através do tato, pois conhecia o contorno de cada rosto, a textura da  pele, dos cabelos e o cheiro de cada neto e neta, recitava poemas, sempre os mesmos. Não se preocupava com isso, porque sempre tinha uma entonação, um gesto, uma expressão diferentes. Essa foi a forma que encontrou para sobreviver.
Entre um e outro poema, havia sempre a preocupação em saber se tínhamos gostado, se gostaríamos que prosseguisse. E o abraço, o beijo nas mãos, o sorriso... E as lágrimas dessa saudade imensa agora.
Te amo, hoje com palavras, porque naquela época, não tínhamos esse costume. Nunca te falei: Eu te amo! E você também nunca me falou. Mas sei que, em nossos corações, essa dúvida nunca existiu.


Nely Barbosa

Adoráveis Lembranças…

Esperando ser vencida pela exaustão
Ah, lembranças começaram a chegar!
Momentos importantes da minha vida
Aos poucos, foram surgindo devagar.

Lembrei-me de alguns velhos amigos
Das incríveis aulas no conservatório,
Dos instantes agradáveis na faculdade
E de alguns sonhos que foram notórios.

De repente, ela estava lá, declamando
Poesias para mim, minha avó materna
Uma memorável senhora, nossa Dinda!
Deficiente auditiva, docilmente fraterna…

Ela que perdeu muito cedo a sua visão,
Recordações dela na cadeira de balanço
São tantas as fortes emoções sentidas!
Benvinda surge em flashes de descanso.

Nely Barbosa e Elisabete Leite
(Inspirada no texto BENVINDA)


PENSAMENTOS
Por Heverson Santana


"Tem momentos na vida que precisamos mudar, repaginar um novo começo e criar um novo fim."

"Pensou em desistir e, incontrolável, olhou para trás, mas enxergou de frente sua realidade. Percebeu que é movido pela imaginação, e que somos gigantes quando sonhamos."

"O sorriso é a forma mais sincera, onde o silêncio emite sensações através de um olhar."

"Cautela em falar, atenção ao agir, lembre-se que vivemos em um círculo onde os erros têm ecos."

"Você é responsável por suas escolhas, mas lembre-se que o cálculo deve ser bem-feito, toda decisão tem sua margem de erro."

"A trilha para o conhecimento é construída com pilares em um caminho deserto."

        Garça Branca

 CANTINHO     DO     EDITOR

Pensar e Sonhar

Pensar que a noite
Poderia ser clara,
Que agonia!
Uma fina garoa
Encobre a cidade;
Os corações há tempos
Estão encobertos.

Sonhar um Horizonte
Com imagens visíveis,
Que ironia!
Uma névoa úmida
Turva a claridade
De uma visão
Nua e sofrida

Experimentar o sabor
Amargo de uma taça,
Entre corpos perdidos
De uma grande avenida;
Entre dissabores e desencontros,
A noite cai em minha vida.
Para surpresa minha
Encontro espaço.
Dentro de mim
Abraço-me e cresço,
No meu próprio cansaço
Supero meus demônios
E torno-me Deus.

Jorge Leite – São Paulo

Insensatez.

Penso ter conseguido mais uma vez.
Ao olhar, vejo-me vazio,
Sinto a inutilidade de caminhar
Sem direção fora de mim.
Uma pequena centelha
Começa a brilhar.
Cansado estou, nem penso em continuar;
Mas que direi se desistir,
Que direi se não continuar.

Tento. Luto. Jamais me entrego.
O cansaço não importa,
A dor e a solidão
São detalhes no caminho,
Na trilha, no desvio,
Que mesmo saindo
Levam-me para o vazio.

No vazio o sussurro e a centelha fundem-se.
Erguem meu brio, tornam-me vazio.
Mostram o caminho que devo seguir.
Cansado estou. Não devo parar.
No meu cansaço continuo atento,
No meu tentar consigo encontrar
O que tanto procuro,
Pois fora não estar.
Estar no vazio,
Dentro de mim
A mim transformar.

Jorge Leite SP

        Quero-Quero



         Anta


        Escolha do Editor



24 comentários:

  1. O Blog Maçayó de hoje, nosso Cantinho do Saber, chega neste domingo, transbordando de amor, muitas reflexões, com um toque suave de nostalgia no ar e fortes emoções. É com imenso prazer que compartilhamos para o deleite de todos, mais uma página do nosso Blog Maçayó, que chega enchendo nosso domingo de muita Poesia.
    Abrindo a Edição trago um belíssimo e edificante poema em dueto (com o ilustre Cordelista Valdemar Guedes), com versos reflexivos, de muita Fé e do amor de Deus no coração de todos.
    Na LEITURA DE DOMINGO trago um Conto bem reflexivo, uma temática agradabilíssima, que na verdade é uma fábula. Sabe-se que ( fábula é uma curta narrativa, em prosa ou verso, com personagens animais que agem como seres humanos, e que ilustra um preceito moral).
    Trago também um artigo sobre o Tamanduá-bandeira. Para complementar a temática abordada na fábula.
    Na seção ENCONTRO DE POETAS acontece um grande desfile de ilustres poetas, que estão reinando por aqui. Muita sensibilidade à flor da pele, com poemas lindos, criativos e expressivos. Um verdadeiro show de talento, tanto em riqueza poética quanto em detalhamento e organização do poeta querido Jorge Leite, meu irmão. Como também a Poesia expressada de várias formas e diferentes olhares poéticos. Não irei comentar individualmente os nobres colaboradores porque todos os poemas sem exceção de nenhum, estão sensacionais. Quero sim, parabenizar a todos pelas notáveis artes poéticas.
    As ilustrações estão impecáveis , que significam a nossa fauna, elas estão bem pertinentes aos temas abordados neste domingo de fábula
    Na Leitura Complementar temos um lindo texto "BENVINDA" com doces recordações da ilustre amiga Nely Barbosa.
    Fechado o Blog temos O Cantinho do Editor em grande estilo, com poemas recheados de reflexão. Vamos refletir sobre assuntos que foram abordados. Parabéns para o poeta, Jorge Leite que está brilhando neste Recanto de amigos para amigos.
    Quero parabenizar mais uma vez ao nosso mentor, Jorge Leite, pela sua belíssima arte final.
    Aplausos mil pela sensacional partilha de hoje 👏👏👏👏👏.
    Obrigada pelo carinho de todos os poetas colaboradores, como também dos visitantes e demais leitores.
    Um ótimo domingo para vocês, com muita ternura, amor no coração.
    Um afago na alma de cada um 🤗.
    Até a próxima Edição!
    🤗❤️💙🌸🌷🌹🌻💐☀️🕊.

    ResponderExcluir
  2. Bom domingo, para todos!
    Passando para parabenizar todos que compartilharam no Blog Maçayó de hoje, e agradecer a minha amiga escritora Elisabete Leite pela brilhante fábula com temática solicitada por mim, grandes ensinamentos para meus alunos. Tudo é pura perfeição do início ao fechamento do blog. Quero agradecer também ao poeta Jorge Leite pelo espaço Literário.
    Parabéns!!!
    Abraços de agradecimentos.
    Sônia Matos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga Sônia pela atenção e carinho ao comentar e interagir com nosso Blog Maçayó de Domingo. Ficarmos lisonjeados e quero complementar dizendo da importância de trabalhar as Fábulas nas aulas de interpretação textual
      , pois os estudantes aprendem lições construtivas para o crescimento educacional.
      Gratidão sempre 🙏!
      Abraços!!!

      Excluir
    2. Obrigado Sônia Matos pelo carinho e sua presença no Blog.

      Excluir
  3. Que momento Literário maravilhoso! Uma Edição de dá gosto, recheada de poesias e ensinamentos. Gostei bastante de tudo: a abertura ficou show com este dueto (Valdemar Guedes e Elisabete Leite), a fábula é puro encantamento, belíssimos poemas, excelente crônica. Gostei também da pesquisa. Parabéns pelas excelentes ilustrações. Um fechamento em grande estilo do Poeta Jorge Leite. Apaixonante o poema Somos Nós, Sem Adeus! do poeta Joseraldo Silva Ramos. Lindos poemas Socorro Almeida. Tudo perfeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Da parte que me toca, agradeço imensamente! Tens razão, o blog está lindo hoje. E sempre está, né? Bjos

      Excluir
    2. Obrigado Betânia, um grande abraço.

      Excluir
    3. Realmente querida amiga, Betânia, a edição de hoje está um show. Parabéns pela sua atenção e gentil comentário. Parabéns também para todos os poetas. Beijos

      Excluir
  4. Bom dia, professora! Aqui é sua aluna Solange. Estou encantada com o blog de hoje. Que fábula linda e com muitos ensinamentos, sua cara o tema. Gostei de todos os poemas, mas estou apaixonada pelo poema Somos Nós, Sem Adeus! Para que adeus, gente? Parabéns para o poeta Joseraldo Silva Ramos e para todos os poetas. Professora como ficou lindo o dueto de início. A senho ficou linda de cabelinho mais curto e dourado, mulher poderosa.
    Beijos da sua aluna de sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida aluna, Solange! Que bom que você gostou de tudo. O blog de hoje veio suspirando ensinamentos. Tudo muito lindo e poético.
      Gratidão sempre 🙏. Beijo de professora.

      Excluir
  5. Gente, a cada domingo a gente sente uma emoção diferente!
    O dueto de Elisabete e Valdemar...
    As parcerias são um PRIMOR!
    Os poemas de Marujo Poeta
    As maravilhas de Nely Barbosa
    Os PENSAMENTOS de Heverson
    Os poemas do nobre Jorge Leite
    Lindas poesias de Joseraldo
    O poema de Baltazar, belo também...
    E Elisabete, como sempre, é uma mestra em Contos.
    Quantos aos meus, espero que gostem.
    Parabéns a todos!
    Socorro Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre querida amiga poeta, Socorro Almeida, os seus poemas estão primorosos e somos gratos pelas suas belíssimas contribuições. Como também pela sua amizade.
      Beijo em seu coração ❤️

      Excluir
  6. Boa Tarde, pessoal!! Maravilhada com tantas publicações lindas!!! Vocês são pura inspiração!! Ressaltando o poema do meu irmão,Joseraldo, uma obra prima!❤ Deus abençoe vocês e esse talento dado por Ele. Amo cada publicação!! Feliz e abençoado domingo pra nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda querida, que prazer! Boa Tarde! Muito feliz pela sua ilustre visita e gentil comentário. Sim, os Sonetos de Joseraldo são fabuloso. Bem-vinda que será um imenso prazer 💕!
      Beijos em seu lindo coração ❤️.

      Excluir
  7. Joseraldo Silva Ramos4 de setembro de 2022 12:56

    Bom dia, boa tarde, boa noite!! Mais uma brilhante edição! Gratidão a todos os poetas e aos editores. Deus nos abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Joseraldo, pela suas brilhantes Contribuições poéticas e maravilhosos comentários. Estamos lisonjeados com sua grandiosa arte.❤️
      Gratidão sempre 🙏!

      Excluir
  8. Josenilson Rodrigues4 de setembro de 2022 13:15

    Boa tarde! Que poemas lindos. Eu amo esse blog, cada vez nos surpreende com seus poemas maravilhosos.

    Bom DOMINGO a todos.
    Parabéns!
    Josenilson Rodrigues
    Pirpirituba Paraíba.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratidão sempre amigo, Josenilson Rodrigues, pelos maravilhosos comentários e Ilustre visita.
      Nós agradecemos a sua presença.
      Bom domingo!

      Excluir
  9. Boa tarde queridos artistas!
    Mais num domingo de magnífica partilha ⚘🌻👏👏👏👏👏🤩🤩

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga Marineide Firmino pelos adoráveis comentários e amizade de sempre.
      Um abraço em seu coração.❤️

      Excluir
  10. Bom dia artistas do Maçãyó! Olha que essa edição brasileirinho chegou com muita doçura. O dueto de Valdemar e Elisabete tem aquele aveludado brasileiro, carinhoso, tem a malemolência Tropicaliente. Amei cada poema e abraço a todos, desejando a cada porta sempre mais inspirações nesse planeta maravilhoso. Um forte abraço aos comentaristas. As leituras estão encantadoras.
    Baltazar Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada amigo e irmão Baltazar Filho pelas maravilhosas contribuições poéticas e gentis comentários. Gratidão sempre🙏

      Excluir
  11. Olá, boa noite! Mais uma belíssima edição do Blog Maçayó, nesse 04/09/2022. Começo pelas ilustrações. quanta beleza exposta nos animais, aves e paisagens representando a natureza, que o Poeta Jorge Leite usou para abrilhantar cada poema que desfilou na página desse domingo! É a própria natureza exibindo o que tem de mais ilustre e sublime para deleite do homem. O Poeta Jorge Leite e a Poetisa Elizabete, foram muito felizes na escolha do Tema das imagens: “BRASILEIRINHO”, nessa combinação harmoniosa de cores entre os animais, as aves, a própria vegetação, e esse fechamento com a Bandeira do Brasil. Parabéns! Não pretendo comentar sobre os poemas individualmente, mas dizer que a página está repleta de grandiosas e excelentes obras, cada uma no seu estilo exibindo o seu próprio brilho, sua própria beleza e suas próprias emoções e sentimentos. Aplausos a todos! Todavia, não quero deixar despercebidos: o DUETO com o qual a Poetisa Elizabete iniciou a página, e a Fábula: “A Formiga e o Tamanduá” da Poetisa Elizabete, por terem conteúdos semelhantes e versarem sobre a Grandiosidade do nosso Deus, envolvendo a criação, o amor, o poder, bondade, tempo, animais, aves, a vida, ou seja: essa relação afetiva entre Deus, a natureza e o homem. No mais, agradecer pela partilha do dueto feito em parceria com a Poetisa Elizabete, estender os agradecimentos aos poetas e poetisas que brilharam e colaboraram para o brilho do blog, proporcionando o bem estar do leitor, bem como aos leitores e visitantes que sempre nos prestigiam e enaltecem com seus inspiradores comentários. Aplausos a todos! Fiquem com Deus!
    Valdemar Guedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Poeta Maior, Valdemar Guedes, pelas suas belíssimas contribuições poéticas e maravilhosos comentários com suas rimas azuis. Gratidão sempre 🙏.
      Abraços Literários!

      Excluir