domingo, 18 de setembro de 2022

Folhas

 
 
Blog  Maçayó

Edição   nº 507

 Tema das Imagens : Folhas
 

 LEITURA   DE   DOMINGO
 
 DIA BRANCO

          Era quase primavera! Estação das cores, dos amores, do aroma das gardênias e dos cântaros dos colibris, em seus bailados, de flor em flor. O dia tinha tudo para ser branco; um dia calmo, sem atropelos e sem muitas definições, mas com grandes emoções; principalmente, para Maria Rita que não poderia prever uma série de acontecimentos imprevistos naquele dia que, na totalidade, não seria tão branco assim. A garota já levantou-se cantarolando uma canção de Geraldo Azevedo (Dia Branco), composta em parceria com Renato Rocha; canção que é um dos maiores sucessos do compositor Geraldo Azevedo:

"Se você vier
Pro que der e vier
Comigo
Eu lhe prometo o sol
Se hoje o sol sair
Ou a chuva
Se a chuva cair..."
          
           Maria Rita olhou-se no espelho penteou algumas mechas que cobriam seus olhos, vestiu-se depressa e saiu cantarolando; cruzou no corredor com sua mãe que aproveitou para passar-lhe um sermão matinal:
           - Maria Rita, você está mais uma vez atrasada para a faculdade. Minha filha, tome tino na vida! Que seu dia promete! E o tempo não para...
           Maria Rita olhou para sua mãe, e disse-lhe:
          - Mãe, o que é tomar tino na vida? Se a senhora se referiu ter capacidade de julgar; juízo, sensatez. Eu tenho muito juízo, só não gosto de viver na pressa, mas sou responsável. E saiu em seguida!
           A garota foi correndo para não perder o horário da condução. Subiu no ônibus escolar cantarolando baixinho a mesma melodia:

"... Se você vier
Até onde a gente chegar
Numa praça
Na beira do mar
Num pedaço de qualquer lugar

... Nesse dia branco
Se branco ele for
Esse tanto
Esse canto de amor..."

          Maria Rita chegou à faculdade eufórica, queria encontrar seu namorado bibliotecário, mas ao subir correndo os degraus da escada, caiu e quebrou as tiras da sandália e ficou, literalmente, descalça. Ainda correndo entrou na Biblioteca e deu de cara com Gustavo aos beijos com sua amiga de sala. Voltou-se, sem nem olhar para trás, e continuou correndo! Ainda ouviu os gritos de Gustavo, que dizia: "Ritinha, não é o que você está pensando! Por favor, espere por mim! Mas, Maria Rita permanecia correndo pelo corredor de acesso às aulas. A garota não sabia se parava ou continuava correndo para fugir daquele momento que já escurecia. Então quedou-se, paralisada, e logo depois saiu da escola. Repentinamente, a chuva começou forte, misturando suas lágrimas aos seus cachos amendoados, obrigando a se proteger sob a marquise de um velho depósito de bebidas, próximo à faculdade. Logo depois, um ônibus passou, levantando lamaçal, deixando a garota enlameada dos pés à cabeça. Maria Rita já não sabia se ria ou chorava da situação constrangedora. De repente, parado à sua frente estava Gustavo, a garota enxugou as lágrimas e continuou cantando a mesma canção:

"...Se você quiser e vier
Pro que der e vier
Comigo

Se branco ele for
Esse canto, esse tanto
Esse tão grande amor
Grande amor

Se você quiser e vier
Pro que der e vier
Comigo

Comigo"

          Gustavo se aproximou de Maria Rita a beijou nos lábios, e disse-lhe:
           - Ritinha, acredite em mim! Foi sua amiga que me beijou sem eu esperar. Estarei sempre contigo em qualquer cor que seja o seu dia.
           O tempo passou... Ritinha e Gustavo nunca mais se separaram e sempre se recordam daquele, Dia Branco, com chuvas.

Elisabete Leite - 12/09/2022

                 
De onde veio a inspiração para “Dia Branco”?

No segundo episódio da série “Geraldo Azevedo Responde”, o cantor petrolinense mata a curiosidade de todos os seus fãs: Afinal, de onde surgiu a inspiração para “Dia Branco”? A canção, composta em parceria com Renato Rocha, é um dos maiores sucessos de Geraldo, já tendo embalado incontáveis casamentos por todo o país (e até mesmo fora dele). Confira a resposta no vídeo abaixo!

Pesquisa:
https://geraldoazevedo.com.br/de-onde-veio-a-inspiracao-para-dia-branco/

Interpretação da Letra:

Uma das mais belas declaração de amor que a música brasileira oferece, “Dia branco” ressalta o companheirismo, o amor incondicional, a boa esperança faça chuva ou faça sol, em qualquer lugar que seja o amor estará sempre presente em uma praça ou no mar, enfim, é o amor infinito e bonito, o amor revestido da paz que canções como essa nos presenteiam.
 
 
 
 
 
 

  ENCONTRO   DE   POETAS
 
 AMOR PROIBIDO
Valdemar Guedes


Dormindo, acordado
Ilusão, nostalgia
Esperança vazia
Mas, o amor sonhado.

Sonho dos meus sonhos
E ainda que impedida
Amor da minha vida
Paixão te proponho.

Desprezo e solidão
Sofre um coração
Num peito doído.

Se não posso tê-la
Contenta-me vê-la,
Amor Proibido.
 
 ASSIM É O AMOR
Valdemar Guedes

Inesperadamente ele acontece
Sutilmente, qual brisa em primavera  
Fisga o alvo, cuja conduta altera...
Revigora, ou quebranta, e o envaidece.

Como a Bela Adormecida despertou
Brota uma súbita vulnerabilidade...
Sensível, a alma transborda de ansiedade
Alegria, ou tristeza, ou mesmo dor.

Com a sua chegada tudo muda
Atribulado, o coração se enfurece
Feito chamas de um Fogo Abrasador.

Fere o peito, igual flecha pontiaguda
E na euforia, deprime ou robustece...
São sintomas de quando chega o amor. 

  Soneto: Lira Coração

A ninfa em solitude e em serenata,
De belas e divinas partituras
E cálidos vibratos de ternura.
Revela-se boníssima sonata.

E canta dos amantes a cantata
E timbres alternados de doçura;
E versa dos amantes a candura
Que os une, musicados, na tocata!

E a sacra calidez sob os amores,
Rebrilha desoculta na canção;
Em versos requintados de calores.

Que o lume rutilante da paixão
Cantada sob os nínficos clamores
Flameja com a lira coração!


                            - Marujo Poeta
 
  Soneto: A Colheita

A ninfa do pomar de encantamentos,
Frutíferos gracejos cultivados
Que animam a pulsares inflamados,
Convida-me a colher do provimentos.

E exulto por sorver de prazimentos,
Dióspiros em beijos flamejados
E néctares vertidos, derramados,
Dos lábios em amáveis acalentos.

Na ceifa campesina da paixão,
Recolho dos cultivos de candura
Os frutos que enternecem a razão.

Que a excelsa frutescência da ternura
Renutre e fertiliza o coração
Do anseio por acalento e semeadura!


                                  - Marujo Poeta
 
  FLOR DO CERRADO
Joseraldo Silva Ramos

Linda como uma flor do cerrado
Regada por forças da natureza,
Exalas perfumes simples na beleza
E dar asas a esse coração alado.

Ao alvorecer ficas, ainda, mais linda
Ao receber o orvalho matinal,
E nos transmitindo algo divinal
Que o voo no universo se finda.

Vem florir aqui no meu quintal!
Quiçá, até mesmo no meu jardim
Frutificar, fincar raízes sem fim...

A Primavera, lindamente natural
Que existe para me fazer sorrir!
Sendo a pura essência do alecrim.
 

 
 Cantinho do Editor
 
 BEIJOS DE VERÃO

Entre um beijo e outro as amarguras ficam e a tudo dilaceram, pelos lábios macios e ardorosos que beijei, até que qualquer saudade seja maior, porque menor ela não é e nunca será! Lembro deles como se fosse morrer amanhã, ou se já morri, não sei! Seria pelo calor do sol ou pelo ardor vindo da boca que jamais esqueci? Fico imaginando outras bocas recebendo teus beijos e, amarguradamente, descubro que eles nunca foram meus, apenas frutos da minha imaginação ou do meu coração carente de ti! Deixo-os marcados nas gotas de lágrimas que choro, até um dia saber que, entre um beijo e outro, teus lábios se amargurem também, com saudade dos meus!

Socorro Almeida
Recife, 04/06/2023
 
 SOU O QUE SOU

Sou alguém feito de bronze ou argila
Reverenciado nas esquinas das pontes
O pássaro que voa à luz dos horizontes
O riso do lobo, o ataque da matilha.

Sou as pedras que matam as "madalenas"
As lágrimas e a dor dos arrependidos
Sou a fome dos famintos desfalecidos
Pelas esquinas, ao apito das sirenas.

Sou o remédio ao veneno das serpentes
Posso ser muito mais do que imaginas
A paz e o descanso para tua sina
Eu resido em tua alma, e não me sentes!

Eu choro a dor da incrédula humanidade
Eles vagam pelas ruas tão indiferentes
Mas eu os perdoo e lhes tenho piedade
Porque tento residir onde não me cabe.

Socorro Almeida
Recife, 2021
 
 
 O Perfume das Rosas.

Deixe seu corpo perfumado
Para quando eu voltar.
Mesmo que outras mãos o toquem,
Não deixe marcas.
Mesmo que outros braços o apertem,
Não deixe marcas.
Mesmo que outros lábios o excitem,
Não deixe marcas.
Mesmo que outros o possuam,
Não deixe marcas.

Quero encontrar o teu corpo perfumado
Como as rosas de uma roseira.
As rosas são puras,
Não importam, nem a marcam, os espinhos.

Deixe seu corpo perfumado
Para quando eu voltar.
Mesmo que o tempo o castigue,
Não deixe marcas.
Mesmo que a solidão o sufoque,
Não deixe marcas.
Mesmo que a dor o maltrate,
Não deixe marcas.
Mesmo que os males o encurvem,
Não deixem marcas.

Quero encontrar teu corpo perfumado
Como a maresia que permanece no ar,
Não importam as pedras
Que quebram as ondas do mar.

Deixe seu corpo perfumado
Para quando eu voltar.
E o perfume do teu corpo,
As essências das rosas
Vão se misturar.

Guardarei a lembrança de teu corpo
Para mim.
Mesmo que sua ausência faça-me definhar,
Não deixarei marcas.
Mesmo que a distância faça-me chorar,
Não deixarei marcas.
Mesmo que a saudade faça-me sofrer,
Não deixarei marcas.
Mesmo que meus caminhos
Não me permitam voltar,
Não deixarei marcas.

E quando voltar,
O perfume das rosas de teu corpo
Em meu corpo hão de estar.
Não importam os espinhos,
As pedras, os caminhos,
A pureza das rosas
Em teu coração
Há de ficar.

Jorge Leite, para Miss Darling

 
 
 
 
                                Escolha do Editor
 
 
 

13 comentários:

  1. Hoje, o blog Maçayó, está suspirando de muito romantismo, com notável diversidade em seus inúmeros olhares poéticos, como também Literário; uma página elegante de beleza peculiar e pertinentes reflexões românticas, tanto na prosa quantos nos belíssimos versos compartilhados no grande desfile Poético na seção Encontro de Poetas do nosso Cantinho do Saber.
    Muito emocionada por mais um conto publicado na Leitura de Domingo. Amigos seguidores da minha página no Instagram, me pediram para compartilhar um Conto bem romântico, com uma temática ternurinha, um momento bem emocionante ao som da música DIA BRANCO. A Edição de hoje é o resultado das solicitações. Romances assim existem vários no nosso cotidiano de vida, mas o amor é um dos maiores sentimentos, nunca é demais amar e expressar os sentimentos é uma corajosa iniciativa. "Esta é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência”. Compartilho ainda vídeos e pesquisas para complementar a temática do Conto.
    Na seção Encontro de Poetas temos um brilhante desfile de magníficos poetas que compartilham para o nosso deleite seus belíssimos poemas. Sim, um desfile poético de grandiosidade ímpar, inspirações românticas, nostálgicas entre outros temas dos nossos seletos poetas que estão brilhando neste domingo.
    Todos os poemas, sem exceção de nenhum, são dignos de muitos aplausos. Parabéns, para cada um dos poetas desfilantes!
    No CANTINHO DO EDITOR temos para o nossa satisfação a presença da amiga e grande poeta, Socorro Almeida, com sua brilhante arte. Parabéns, amiga poeta! Temos ainda o querido irmão, Jorge Leite, com seu intocável Poema, com muita sensualidade à flor da pele. Parabéns, querido irmão!
    As ilustrações estão impecáveis que representam a beleza das folhas na natureza, dando um colorido todo especial ao cenário. Realmente, é um deleite para os olhos este momento de hoje.
    Parabéns ao Blog como também ao meu irmão querido, poeta Jorge Leite, pela sua lindíssima arte final.
    Obrigada a todos, que de uma forma ou de outra, contribuíram para este resultado. Um show de emoções!
    Gratidão sempre pelo carinho de vocês, como também dos visitantes e leitores.
    Um ótimo domingo pessoal, com muita Paz em nosso coração!
    🤗❤️💙🌸🌷🌹🌻💐☀️🕊.
    Até a próxima Edição!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que poema lindo o de Jorge Leite, hein?!
    Maravilhas também os poemas líricos do Marujo Poeta!
    Encantada com a suavidade do poema de Joseraldo Ramos!
    A simplicidade dos poemas de Valdemar Guedes são bálsamos para os corações que amam!
    Esse conto de Elisabete Leite, é uma homenagem a nosso querido compositor Geraldo Azevedo, que faz do Dia Branco todos os dias serem a paz que precisamos!
    Quanto aos meus, espero que gostem!
    Parabéns a todos.
    Bom domingo e até a próxima edição, se Deus quiser!
    Socorro Almeida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga poeta, Socorro Almeida, pelas suas belíssimas contribuições poéticas e maravilhosos comentários. Gratidão sempre pela sua amizade e carinho.
      Um beijo no seu lindo coração!

      Excluir

  3. Bom dia Pessoal!
    Belíssimo Conto, uma mensagem de amor e força de vontade. Uma página extremamente romântica. No conjunto ficou show a sequência narrativa e canção. Jamais devemos deixar de sonhar, ao contrário, devemos realizar os nossos sonhos. Tantos partiram e ainda partem em busca de um sonho de amor. O diferencial deste conto é este mensagem de positivismo que a amiga poetisa passa. Parabéns Bete pela criatividade, também amei os vídeos. As imagens ilustrativas ficaram fabulosas. Maravilhosos estão os poemas do Encontro de Poetas de hoje, como sempre um brilhante desfile com fabulosos poetas. Parabéns para todos! Também gostei do Cantinho do Editor com Socorro Almeida e seus belos poemas e também o lindíssimo poema de Jorge Leite. Parabéns ao Blog e aos poetas!
    Tudo lindo! Abraços da amiga Betânia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga, Betânia, pela atenção de sempre, pelo grandioso e incentivador comentário. E maravilhosa a sua contribuição em nosso Blog Maçayó de Domingo.
      Gratidão pela sua sincera amizade.
      Abraços em seu coração ❤️

      Excluir
  4. Uau! Faz tempo que eu não passo por aqui. Estive muito doente!
    Hoje resolvi voltar, depois de um longo tratamento... mas que bom estar viva pra voltar a ver tantas coisas lindas! Pelo que vejo, o blog continua lindo, fazendo sucesso. Eu que o diga, minha amiga Socorro sempre fazendo maravilhas! Mas não é só ela. Todos os poetas estão de parabéns. Sempre que eu puder, voltarei. Vale a pena!!!
    Abraços para todos!!
    Nana Gonçalves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, que felicidade amiga, Nana Gonçalves! Muito bom seu retorno. Gratidão pela sua presença e volte sempre.
      Abraços poéticos!

      Excluir
  5. Bom final de tarde, professora! Somente agora consegui colocar meu comentário. Não poderia deixar de aparecer para elogiar seu Conto de amor, muito romantismo com uma linda música, mais uma vez a senhora consegui me fazer chorar, com seu jeito todo especial de emocionar todo mundo, trazendo personagens para enriquecer sua maravilhosa narrativa. Lindo poema do seu irmão! Todas as poesias estão perfeitas. Acredito em sonho de amor, estilo novela ou filmes românticos.
    Obrigada e parabéns, você que é essa mulher inteligente, bela, competente e romântica. Gostei de todos os poemas e textos, como também das lindas ilustrações! Parabéns para todos e pelo trabalho no blog. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, querida aluna Solange! Fiquei muito feliz e agradecida pela sua atenção e carinho ao comentar, principalmente reconhecer o trabalho dos poetas e a importância deles dentro do Blog. Gratidão por haver gostado do Conto.
      Um abraço em seu coração ❤️.
      Da sempre professora.

      Excluir
  6. Que Maravilhosa edição, parabéns 👏👏👏👏todos os envolvidos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida amiga, Marineide Firmino, pela atenção, carinho ao comentar. Nós agradecemos seu incentivo. Gratidão sempre 🙏!
      Um beijo em seu lindo coração ❤️.

      Excluir
  7. Cada vez me admiro mais com estes contos maravilhosos e surpreendente . Estou cada vez mais surpresa com esses belíssimos contos de romantismo e etc .Quero tbm parabenizar a (O) poeta que trás para nós essa curiosidade e interesse de se divertir e aprender um pouco mais sobre os contos . 👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Maria Fernanda pela Ilustre visita e gentil comentário. Fiquei lisonjeada por haver gostado do Conto e da Edição deste domingo. Gratidão sempre 🙏!
      Abraços poéticos!

      Excluir